Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Não é um Conto - Foi Real! Parte 03 | Teens | Acervo de Contos

Não é um Conto - Foi Real! Parte 03

Não é um Conto - Foi Real! Parte 03



A pedidos estou enviando mais uma parte da continuação da minha história que, ao contrario de muitas outras, é real e não fictícia. Como esta terceira parte é uma continuação, para aqueles que não leram a primeira e a segunda partes, recomendo faze-lo para constatar a sequencia e, também, ter uma melhor compreensão dos fatos.

Como os leitores se lembram; eu fui á casa do Gordo e ele usou e abusou de mim por quase três horas. Mas apesar de ter saído com o rabo ardendo e com uma dor bem na entradinha, ele me fez gozar gostoso três vezes, sem eu sequer mexer no meu pau. Como tínhamos combinado, ele ia arrumar para manhã do dia seguinte, um encontro com um menino bem bonitinho, que era um dos melhores veadinhos que ele comia, chamado Geraldinho e, que eu podia fazer com ele o que eu quisesse. Na manhã do dia seguinte, cheguei à casa do Gordo, quinze minutos atrasado. Toquei a campainha ele abriu a porta e disse para eu entrar e que o Geraldinho já estava me esperando no quarto dele. Subimos e quando ele abriu a porta para a minha surpresa estava deitado na cama de barriga para baixo, peladinho, só de óculos e estava lendo uma revistinha. A visão daquela bundinha branca me deu tesão.

O Geraldinho sorriu e disse que eu estava atrasado e tinha pensado que eu não iria.

O Gordo disse: Agora é com vocês, quando tiverem acabado me chamem, mas não tem pressa o meu pessoal está viajando e se vocês quiserem podem ficar aqui o dia inteiro. Dito isto saiu e fechou a porta.

O Geraldinho olhou para mim e disse: Por que você não tira a roupa e põe em cima da cadeira, junto da minha. Se você ficar com roupa pode amassar ou sujar, e continuou deitado com a bundinha para cima enquanto eu tirava a roupa e ficava pelado. Tirei toda a roupa, dobrei-a e coloquei onde ele havia falado e falei que estava pronto.

Aí ele levantou e disse: Vamos até o banheiro que eu vou te ajudar a lavar, como o Gordo me disse vai ser a sua primeira vez e eu acho melhor fazer você gozar primeiro eu chupando, pois do contrário você vai gozar logo que enfiar o seu pau em mim.

Fui atrás dele fiquei observando as costas dele e fui ficando de pau duro, pois ele tinha uma pele linda, sem nenhuma pinta, marquinha ou mancha. Ele não tinha nenhum pelo nas costas. Só tinha umas penugens douradas na perna. A pele do Geraldinho parecia um tecido e a bundinha, apesar de pequena era bem redondinha e um pouco empinada.

Quando chegamos ele olhou para o meu pau duro e disse: Puxa você já está tarado? E logo após disse: Deixa eu pegar para ver. Pegou deu uma mexida e disse: Vou falar uma coisa para você, mas não fala nada para o Gordo. Concordei e ele continuou: Eu conheço muito bem todos os meninos que o Gordo come e já transei com todos, várias vezes, mas você é que tem o pau maior e mais bonito de todos.

Fiquei meio sem jeito e ele percebeu e disse: É verdade, eu não tenho nenhum motivo para mentir. Perguntei com quantos meninos o Gordo estava transando. Ele respondeu: Agora, neste mês, contando com você, são cinco. Mas vamos fazer uma lavagem em você. Já ensinei para quase todos os meninos como se faz. Vou fazer a primeira vez para você aprender e depois você faz sozinho. Tem que fazer umas três ou quatro lavagens para ficar bem limpo por dentro e não ter nenhum problema de sujar alguém. Antes de você chegar eu já me lavei muito bem umas cinco vezes e, estou bem limpinho por dentro.

Em seguida pegou a mangueira do chuveiro elétrico, tirou o chuveirinho da ponta e disse: Você desliga o chuveiro, para não ter perigo de levar nenhum choque, passa vaselina ou creme rinse na ponta e enfia dentro o mais que puder. Depois abre a torneira devagar e vai aumentando e segurando a mangueira senão sai de dentro. Quando você sentir que encheu bem você fecha a torneira e senta no vazo e solta toda a água. Os meninos falam que é como mijar pelo cu. Depois você repete até sair agua bem limpa. O pessoal chama isto de ducha ou chuca. Aí está pronto, não vai ter nenhum problema e ai você termina lavando bem por fora com sabonete. Se tiver sabonete líquido como este aqui (Me mostrou um sabonete liquido bactericida perfumado) pode até colocar um pouco dentro depois da segunda lavada. Se fizer isto, o pau do cara que comeu o seu rabo, além de sair bem limpinho sai também perfumado. O Gordo disse o pau que sai muito mais limpo e cheiroso do que quando um cara fode uma buceta.

Ele me ajudou e fiz umas quatro duchas e depois me lavei bem por fora, enquanto isto ele me mostrou uma pera grande de borracha e disse que aquilo também servia; que vendia até na farmácia e que também era usado para lavar dentro da buceta das mulheres e que se chamava ducha vaginal. Perguntei se ele já tinha usado e se era melhor. Ele respondeu que a única vantagem era de usar uma água quentinha, mas que era perigoso, pois se a agua estivesse muito quente, podia queimar por dentro e que como desvantagem tinha pouca água, com o chuveiro dava para colocar mais agua e mais depressa. Enxuguei-me e voltamos para o quarto. Ele disse para eu deitar na cama de barriga para cima e ficar de pé com as pernas bem abertas. Ele chegou, deu uma mexida no meu pau e disse: Vou fazer você gozar bem gostoso Você vai ver! E começou a me chupar colocado e tirando o meu pau quase inteiro dentro da boca. De vez em quando tirava e lambia o pau e o saco e numa destas vezes depois de lamber o saco disse: Levanta a bem as pernas! Lambeu o meu saco e depois começou a lamber a entradinha do meu cu, ao mesmo tempo em que mexia no meu pau. Aquilo me deixou tarado, ainda mais quando senti que além de lamber ele de vez em quando também enfiava e língua dentro. Eu gemia e dizia que estava muito bom. Ele parou um pouco e disse: Agora vou chupar até você gozar e para ficar mais gostoso eu vou colocar um dedo dentro de você que dá mais tesão e você acaba muito mais rápido. Pegou um potinho com vaselina ao lado da acama passou na entradinha do meu rabo e no dedo dele, colocou o pau na boca e enquanto me chupava colocou o dedo e começou a mexer, apertando bem em direção do meu saco. Era como se estivesse mexendo na base do meu pau. Aquilo era demais e com ele me chupando tão bem, não demorou muito e eu dei uma puta gozada e ele me sugou que nem um aspirador de pó e enquanto fazia isto percebi que ele tinha enfiado outro dedo dentro de mim. Ele continuou chupando até o meu pau ficar totalmente mole. Aí ele tirou os dedos, parou e chupar, olhou bem nos meus olhos e perguntou, com uma vozinha mansa: Foi bom? Eu fiz você gozar gostoso? Falei que eu tinha dado a melhor gozada da minha vida. Ele sorriu e disse: Se você acha que foi bom, espera até a gente trepar, você vai ver que vai gozar dentro de mim é mais gostoso ainda. Vou até o banheiro lavar a mãos e enquanto isto, se você quiser, pega um refrigerante na geladeira do Gordo. Fiz o que ele disse, estava bebendo quando ele voltou, trazendo uma toalhinha úmida nas mãos. Eu ofereci e ele bebeu um pouco. Perguntei para o que era a toalhinha e ele disse que era agua com um pouco de álcool para limpar o meu pau depois que eu gozasse. Deixou a toalhinha em cima de um cinzeiro ao lado da cama, sentou do meu lado e disse: Vou dar mais uma chupadinha para você ficar com o pau bem duro para a gente transar. E, foi chupando e mexendo no meu saco até que ele falou: Pronto está bem duro, vamos por dentro. Você continua deitado que eu vou por cima que é mais fácil para você que nunca transou. Ele ficou sentado em cima de mim, de costas, passou um pouco de vaselina na entrada o rabo, pegou meu pau, colocou na entradinha e, de repente sentou com força. Senti que o meu pau entrou de uma vez só, inteirinho dentro. O que ele fez me deixou louco, foi como se tivesse apertado meu pau por inteiro. Ele deu uma rebolada com a bunda e perguntou de um jeito sacana: Gostou? Entrou tudo? Falei que tinha sido uma delícia e ele respondeu: Agora vou mexer; se você quiser pode colocar as duas mãos na minha cintura. Fiz o que ele disse e ele começou a mexer, tirando e enfiando quase tudo e eu gemia de prazer. O rabo dele era apertado e quentinho. Depois de algum tempo ele deu uma parada e disse: Quando você sentir que vai gozar eu dou uma paradinha para até passar a vontade e depois continuo a mexer. Deste jeito demora mais para gozar e dá para ficar trepando mais tempo. Se você não puder aguentar me avisa quando for gozar. E começou a subir e a descer com o corpo, tirando e pondo. Eu olhava para baixo e via meu pau entrando e saindo e aquilo me deixava ainda mais excitado. Aí senti que se continuasse ia gozar e falei, ele parou, sentou com forçando o meu pau todo para dentro. Ficamos um tempo parado sem mexer e eu com o pau inteiro enfiado dentro dele. Não demorou muito ele disse: Já passou a vontade de gozar, posso continuar? Falei que podia e ele disse: Sente o que eu vou fazer e vê se você gosta. Ele deu uma apertada com o cu no meu pau e depois soltou e depois outra. Fez isto umas quatro vezes e eu disse aquilo era demais e que se ele continuasse assim eu gozava sem mexer. Ele olhou para trás deu uma risadinha e começou a mexer. Fizemos a tal de paradinha umas duas vezes e, depois, não deu para aguentar eu berrei que ia gozar e ele acelerou os movimentos e quando eu estava comecei a gozar ele parou, fez de novo força com o cu apertando e soltando o meu pau e, rapidamente ele pôs a mão para trás e tirou o meu pau que ainda estava duro e soltando porra, saiu de cima de mim, pegou a toalhinha úmida que estava ao lado da cama, deu uma limpada rápida no meu pau e para minha surpresa, colocou inteiro na boca e começou a sugar e chupar o meu pau. Senti que ainda tinha porra e ele estava sugando e engolindo tudo. Eu quase desmaiei, fiquei tonto. Gemia de prazer. Ele só parou quando meu pau estava totalmente mole. Ai ele perguntou se eu tinha gostado. Eu falei que tinha achado que a primeira gozada que eu tinha dado ele me chupando tinha sido a melhor da minha vida, mas aquela trepada com eu gozando dentro dele e ele terminar me chupando de novo foi incrível. Falei que ele era ótimo

que nunca tinha sequer pensado que era tão bom. Ele olhou bem para mim e falou: Vou dizer uma coisa, mas você jura que não fala para ninguém, principalmente para o Gordo? Pensei que era sobre tudo o que tínhamos feito e falei que claro que não ia falar nada. Ele disse que eu tinha um pau muito gostoso, maior e melhor que qualquer dos meninos e que o tamanho era ótimo e tinha dado para por e tirar sem doer, e que também não ardeu dentro. Falou ainda que gostava muito de trepar com o Gordo, mas pelo tamanho do pau do Gordo, quase sempre depois que ele dava, doía na entradinha e ficava ardendo dentro por bastante tempo. Falei que no dia anterior, como ele já devia estar sabendo, eu tinha dado o cu para o Gordo e, apesar de ter gozado várias vezes com ele me comendo eu também tinha sentido o mesmo tipo de dores e que tinham durado até o dia seguinte. Ele falou: Você aguenta dar mais uma trepada comigo? Eu quero gozar com você me comendo. Eu quase acabei de tão bom que estava, mas estava preocupado em fazer você gostar que não deu para gozar. Falei: Claro! Lógico que dá. Fomos até o banheiro e eu perguntei como ele fazia para dar aquele aperto com o cu no pau.

Ele perguntou se eu ia fazer xixi, eu disse que sim e, ele falou que ia mostrar como. Comecei a mijar e ele disse: Para o jato de urina, isto! Agora solta! Para! Solta! Percebeu que fazendo isto você aperta o cu. Eu já estou acostumado e até o pau do gordo que é bem grosso eu consigo apertar pra valer. Se você quiser fazer igual é só treinar. Comecei a lavar o pau na pia e ele disse que ia fazer uma ducha para ficar bem limpinho por dentro. Fiquei vendo ele fazer e quando terminou, voltamos para o quarto e ele perguntou em que posição que eu queria trepar com ele. Fiquei sem saber e me lembrei do dia anterior trepando com o Gordo e, perguntei se podia ser de Frango Assado. Ele disse que era uma posição muito boa e que dava para enfiar tudo, mais do que quando ele tinha sentado em cima de mim. Ele deitou na cama, levantou as pernas passou vaselina na entradinha e disse: Vem! Tive dificuldade de achar a entradinha e ele falou: Deixa que eu ponho! Pegou meu pau pôs no lugar e disse: Vai empurra. Senti meu pau passando por um anelzinho apertado e consegui enfiar quase tudo. Ele olhou para mim e perguntou baixinho: Entrou gostoso? Falei que sim e ele disse: Agora mexe! E foi falando como eu devia fazer. Depois de algum tempo disse: Empurra com força para enfiar tudo. Empurrei e senti que realmente estava tudo dentro. Ele disse para eu tirar e por enfiando até o fim e ele percebi que ele começou a gostar. Gemia, fechava os olhos e começou a dizer coisas como: Você é uma delícia, continua mexendo assim que eu gozo, não para. Depois de algum tempo ele falou: Mexe mais depressa que eu vou gozar. Não demorou muito senti o cu dele apertando meu pau e ele dizendo: Não para que eu estou gozando. Senti a porra quente melecando meu peito e a minha barriga. Continuei naquele ritmo e depois de alguns minutos ele disse: Vou gozar de novo! Senti um aperto ainda maior no meu pau. Não aquentei e dei uma puta de uma gozada. Ele percebeu e disse: Vai! Manda ver! Tira e põe tudo! Goza bastante em mim! Goza tudo! Depois o meu pau amoleceu e saiu e eu cansado deitei na cama ao lado dele. Ele passou a mão na minha cabeça e perguntou se tinha sido bom. Falei que tinha sido ainda melhor que a primeira. Perguntou ainda com uma vozinha doce: Você quer que eu te chupe? Falei que não precisava que meu pau estava até doendo e perguntei como eu tinha me saído. Ele me olhou preocupado e disse: Não fala nada para o Gordo, eu dei duas gozadas quase seguidas e não senti nenhuma dor só tesão. O tamanho do seu pau é ótimo, nunca senti tão gostoso, desde que eu comecei a dar o rabo.

Depois de você descansar você acha que dá para dar mais uma trepada comigo? Falei que achava que dava e dali a alguns minutos, ele foi ao banheiro e voltou dizendo que já tinha se lavado e que tinha trazido uma toalhinha que ele disse que estava quentinha e limpou a porra do meu peito e da minha barriga. Depois pegou meu pau e limpou e bem e colocou na boca e chupou e logo ficou duro. O Geraldinho falou que queria agora numa posição diferente, que ele gostava mais. Deitou de costas para cima, pegou um travesseiro colocou na barriga, ficando com a bunda empinada, abriu bem as pernas e disse: Vem, deita em cima de mim. Fui e desta fez achei a entradinha fácil e entrou numa boa e senti que ele estava bem aberto e num minuto estava tudo dentro. Comecei a mexer e ele disse: Agora faz o seguinte; me abraça e fica bem juntinho de mim. Tira e põe tudo que me dá mais tesão. Comecei a foder o Geraldinho daquele jeito e senti que ele devia ter passado perfume na nuca, pois estava um cheiro doce e delicioso que me deu mais tesão. Ele começou a gemer e eu fiquei preocupado de estar machucando ele. Perguntei e ele disse que não que estava ótimo daquele jeito que ele gemia mesmo e que eu mandasse ver. Mandei ver mesmo e não demorou muito e ele falou que tinha gozado e queria mais. Para encurtar, ele gozou mais duas vezes e eu na terceira vez que ele disse ter gozado, dei uma gozadinha meio esquisita, pois percebi que não tinha saído muita porra. Deitei cansado na cama, para minha surpresa ele me deu um beijo no rosto e começou a fazer elogios, mas sempre pedindo para não falar nada para o Gordo. Falei que não ia ganhar nada contando só ia perder. Ele ficou calmo, descansamos um pouco e fomos tomar banho. Como podia molhar o cabelo, pois falei em casa que ia jogar futebol e na quadra tinha vestiário, entramos nos dois no chuveiro e o Geraldinho foi muito carinhoso, me ensaboando, lavando meu pau, saco e tudo mais. Neste momento percebi duas coisas: Que ele tinha peitinho e a aparência do pau dele. Comentei com ele sobre os peitinhos e ele perguntou se eu tinha gostado. Falei que sim e para minha surpresa perguntou se eu podia chupar os peitinhos, que dava tesão para ele. Surpreso fiz o que ele queria e gostei. Enquanto chupava os peitinhos vi que o pau dele estava duro. Peguei o pau dele e ele disse: Cuidado que não dá para mexer por causa de que eu tenho fimose. Mostrou a cabeça do pau dele e eu vi que a cabeça ficava toda para dentro, recoberta por pele. Falou ainda: Não da para bater punheta que dói. Por isto que eu prefiro gozar dando o cu. Se você quiser, pega bem em baixo, perto do saco, que assim não dói. Segurei o pau dele que já estava meio duro enquanto chupava os peitinhos. Eu disse que até gostaria de dar mais uma gozada, que ainda estava tarado, que ele tinha me deixado louco, mas achava que mesmo ele me chupando meu pau ia ficar mole e não ia gozar. Ele sorriu e disse: Se você quiser dá para aliviar esta sensação que você esta sentido em alguns minutos, com um jeito chamado de massagem na próstata. Às vezes eu faço isso para o Gordo. Sempre funciona. E me explicou como era. Achei meio esquisito, mas ele disse que era bom e como ele tinha gostado muito do jeito que eu tinha transado com ele e que ele ia caprichar. Fomos para a cama ele falou para eu ficar de barriga para cima, com as pernas levantadas, passou vaselina no dedo e enfiou dentro do meu rabo e começou a mexer o dedo, apertando e fazendo movimentos circulares. Não demorou muito e senti um líquido quente e meio grosso que não era porra, saindo do meu pau, ele notou e enfiou o meu pau mole inteiro na boca e começou a sugar enquanto mexia o dedo dentro de mim. A sensação foi a mesma da última gozada que eu tinha dado quando o Gordo tinha me comido. Saiu bastante liquido e depois de alguns minutos não saia mais nada por mais que o Geraldinho mexesse o dedo dentro de mim e sugasse o meu pau. Perguntou se eu tinha gostado.

Falei que tinha achado esquisito, mas que tinha sido muito bom e tinha me aliviado. Disse também que já tínhamos demorado muito, e que eu tinha que ir embora.

Ele concordou e fomos nos vestir e eu perguntei como é que ele tinha aquele peitinho bonito. Ele disse: Não fala para ninguém, eu e o André tomamos hormônio, que o primo do Gordo que é médico arruma. Além de fazer peitinho, deixa a pele bem macia e sem pelos. O saco fica menor e mais firminho. Também a bunda aumenta e fica mais redondinha. Você já reparou a bunda do André? Quando ele conheceu o Gordo ele quase não tinha bunda. Tomou hormônio e, agora a bunda dele é maior que a minha. Ele também tem peitinho, mas os meu são mais bonitos.

Saímos e encontramos com o Gordo que perguntou se eu tinha curtido. Falei que tinha sido ótimo. E ele virou para o Geraldinho me perguntou: E ai, deu para quebrar o galho dele, foi bom? O Geraldinho balançou a cabeça concordando. O Geraldinho saiu primeiro e quando eu estava saindo ele disse baixinho no meu ouvido: Olha, nesta semana eu quero comer você de novo. Me avisa quando você pode e não se esqueça de no dia anterior fazer várias duchas como o Geraldinho te ensinou para ficar com o rabo bem limpo por dentro. Eu acho que o melhor dia é quarta, por que não vamos ter a aula antes do recreio, eu pego a chave e a gente pode ir trepar no vestiário. Vai ter tempo de sobra; quase duas horas, dá para a gente brincar bem.

Fui para casa pensando que tinha gostado muito mais de comer do que dar. No próximo capítulo conto o resto desta minha história.

 

Gostou? Vote no Conto:

10040 visitas