Acervo de Contos eróticos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Molhadinha na praia | Acervo de Contos

Molhadinha na praia

Era domingo, fui com minha família a uma praia em Ubatuba, litoral norte paulista. Estava entediada, pois estava apenas com meus pais e meu irmão mais novo. Logo que cheguei, meu olhar encontrou com o de uma rapaz que estava algumas mesas adiante. Ele parecia ter cerca de 30 anos, eu tenho 19, mas o olhar dele me atraiu muito. Ele tinha uma aparência comum, não era malhado ou coisa assim, tinha um físico típico, olhos e cabelos castanhos, mas me olhava de um jeito estonteante. Eu não conseguia parar de olhar para ele, mas meus pais estavam ali, ele nunca ia chegar perto!
Resolvi dar um mergulho no mar, tirei minha saída de praia olhando fixamente para ele e deixei cair um leve sorrisinho malicioso enquanto abria e retirava. Ele levantou a sobrancelha, deu um suspiro e virou os olhos para cima. A mesa dele também estava cheia, fui para o mar passando perto da mesa dele só de biquíni.
Dei alguns mergulhos e nem percebi quando ele também entrou no mar e parou me olhando com olhar de desejo. Parecia ser um homem discreto e de bom gosto e tinha tatuagens cheias de atitude. Trocamos algumas palavras sem nos aproximarmos muito, não nos olhávamos enquanto falávamos. Ele começou a falar como me achou linda e não conseguia tirar os olhos de mim. Que estava louco de desejo por mim e nunca se sentira assim por alguém em tão pouco tempo. O incrível é que eu sentira o mesmo.
Menti meu nome pra ele, mas isso só aumentava minha excitação, parecia o crime perfeito bem debaixo do nariz dos meus pais. Enquanto eu estava na água eles sinalizaram que estavam indo dar uma caminhada pela praia. Fiquei animada e ao mesmo tempo cheia de medo de ficar ali sozinha com o estranho que me atraia tanto.
Esperamos que eles se afastassem e nos afastamos no sentido oposto, mantendo distância. Quando perdemos o quiosque de vista, foi imediato, sem que eu pudesse responder ele me agarrou pela cintura e me deixou sem fôlego com um beijo afoito. Que pegada! Senti arrepiar até o meu último fio de cabelo e quase perdi os sentidos quando ele me apertou forte contra o corpo dele e respirou fundo no meu pescoço e mordeu de leve minha orelha. Parecia que o mar vibrava a nosso favor e com as pernas envoltas no corpo dele nos esfregamos por minutos mágicos. Quase sem ar, me afastei como quem brincava de pega-pega e voltei ao quiosque, poucos minutos depois meus pais voltaram e avisaram que iriam a uma farmácia, pois meu irmão se machucara e iam fazer um curativo, disse que ficaria para guardar a mesa, fiquei na mesa tomando um suco e olhando para ele com a boca no canudinho. Me fez sinal para o banheiro, levantei as sobrancelhas como quem diz ?quem sabe? e fiz um certo charme. Ele foi e eu não me agüentei: coloque minha saída de praia e óculos de sol, lá estava ele atrás do quiosque com olhar ansioso.
Tinha muito medo que alguém nos visse, entrei no banheiro e ele veio logo em seguida. Ele fez que ia dizer algo mas eu o impedi com meu dedo, fazendo biquinho e puxando o pra junto do meu corpo. Sentei o no vaso que estava tampado e sentei rebolando devagar no colo dele. Tirei a saída de praia e comecei a beija-lo e sussurrar no ouvido dele, mordiscando e passando a língua de leve, mexendo com o pescoço dele, apertando a nuca e passando as mãos nos cabelos dele com força.
Ele começou a me puxar com força pela cintura e me beijar loucamente. Desceu até meu seio e eu me contorci em cima dele quando ele tirou a parte de cima do meu biquíni. Ele me chupava e me puxava contra aquele volume gostoso dentro da sunga azul escura enquanto eu continuava a me mexer devagar e apertar as costas e a nuca dele. Ele foi colocando as mãos por dentro da minha calcinha e apertava minhas coxas contra ele, estava com receio, mas aprovei com um olhar que ele tirasse minha calcinha, que já estava toda molhada. Ele ficou em pé e eu tirei a sunga dele, eu nunca tinha feito isso antes, mas tentei colocar o máximo dentro da minha boca e chupei com vontade, babando e fazendo vai e vem. Não sabia se estava certo, mas ele gostou e logo que soltei, sentei-o novamente e comecei a roçar aquele pau gostoso em mim. Ah, era tão bom, eu estava louca e não parava de pedir que ele metesse logo aquela pica gostosa em mim. Então ele me levantou e me colocou contra a parede e enfiou toda em mim, eu gemi e rebolei bem devagar e ele começou a tirar e colocar enquanto eu rebolava, e eu estava curtindo cada pedacinho daquilo tudo. Então ele ficou mais rápido e eu rebolava e ele me levantava contra a parede. Era intenso e eu rodei tanto que gozei junto com ele. Eu estava cansada mais queria mais, e ele também. Talvez fosse nossa última oportunidade de prazer juntos. Então ele encostou o pau no meu cu, eu nunca tinha feito anal antes e tinha medo, mas deixei que ele enfiasse em mim. Ele colocou os dedos ao mesmo tempo que colocava na vagina e meu corpo começou a pulsar outra vez. Logo ele estava com o pau na entradinha, abrindo caminho. Era uma sensação estranha, mas era boa. Doía muito, mas o prazer, a excitação e a curiosidade superavam. Além da vontade de satisfazer meu homem. Eu estava encostada no vaso, quase de quatro quando ele colocou o pau todinho lá dentro e rodou devagar...colocou os dedos na minha buceta e eu comecei a rebolar. Parecia que tínhamos sintonia. Ele meteu gostoso e gozou outra vez. Então resolvemos parar e descansar.
Bateram na porta, eu gelei, não sabia o que fazer. Era um amigo dele que sussurou ?ei cara, ta tudo bem aí?? Respirei fundo e ele falou que estava ótimo, vestiu a sunga e saiu. Depois de me recompor eu sai, para minha sorte não havia ninguém por perto. Fui direto tomar uma ducha e ele estava lá. Nos olhamos intensamente e sorrimos discretamente. Me banhei e voltei para a minha mesa. Alguns minutos depois meus pais voltaram e em seguida, para minha surpresa meu pai viu o meu moreno e o cumprimentou. Achei estranho, mas ele nos apresentou: era um recente contratado, colega de trabalho do meu pai. Se foi só um dia de prazer ou o início de uma paixão...outro dia eu conto! Continua...

 

Gostou? Vote no Conto:

24/10/2009 | 66959 visitas

 

Comentários

  • Lucas postou em 17/01/2013

    Que putaria Meu numero ai pra safadas
    (099)8105-8001

  • P. Perruci postou em 28/06/2012

    aiai

  • Miley. postou em 28/06/2012

    0Huuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuum,
    Amei !!
    (v hummmmmmmmmmmmmmmmmmm r.............

  • Inocente postou em 28/06/2012

    eei dlç !
    Vcs Ficaram dinovo ?

  • Myley postou em 27/05/2012

    Vocês Ficaram Denovo  ?

  • me chupa postou em 14/01/2012

    delicia me chupa

  • Ana postou em 18/08/2011

    Adorei esse conto!

  • josé luiz postou em 26/03/2011

    muito maneiro o seu conto,fiquei com muito tesão,valeu.

  • ronni postou em 15/01/2010

    conto erotico

  • man postou em 11/01/2010

    Ei, moro em Ubatuba qando vier pra ca de novo me procura na Praia de Picinguaba!!!

  • Rated R postou em 01/01/2010

    Pow, esse conto foi show, se vc tiver + alguma aventura com ele poste aki de novo!!! esse conto vai me render tesãopor varios dias, vlw!!!

  • Safadinha postou em 18/11/2009

    Caraca conto maravilhoso!!! Parabéns!!

  • Cacau postou em 05/11/2009

    Que bom que gostaram. Ficamos sim, ele é uma coisa! Uiii...vou contar em breve!

  • Doida pra da o cú postou em 02/11/2009

    pow esse aii e mara e ai treparam de novo??

  • danadinha postou em 31/10/2009

    aaa me conta se vcs ficaram denovo??? amei seu conto



:D :P: :afff: :confiante: :convencido: :convite: :decepcionado: :derrota: :descrente: :encucado: :fascinado: :lagrima: :legal: :meia-boca: :no:

  confirmacao * Todos os campos são obrigatórios