Acervo de Contos eróticos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Minha namorada virgem deu o cuzinho | Acervo de Contos

Minha namorada virgem deu o cuzinho

Eu e Paula crescemos no mesmo prédio. Desde criança brincávamos juntos e erámos muito amigos. Tínhamos a mesma idade. Começamos a nos interessar mais um pelo outro de uma maneira digamos sexual. Era a época das descobertas. O fato é que começamos a namorar. Namoro naquela idade em que tudo é novidade. Tudo é descoberta. 
Nessa época Paula tinha cerca de 1.60m, magrinha, peitinhos despontando, durinhos e apontando para o céu. Uma bundinha durinha e gostosa. Estava sempre de top e saia. Era uma morena de cabelos cacheados. Linda, linda. Com ela dei o meu primeiro beijo. Mas como pode-se imaginar, as coisas não pararam no primeiro beijo. O tesão era constante, quando nos beijávamos, eu ficava de pau duro e sem graça. No início tentava me afastar um pouco do corpo dela para ela não perceber que eu estava de pau duro. Depois percebi que ela tinha tinha curiosidade sobre aquilo. Com o tempo, como todo namoro fomos nos tornando mais íntimos e as brincadeiras sexuais mais corriqueiras.Após um tempo, ela já deixava eu pegar nos peitos dela, beijá-los. Ela já pagava boquete. Mas o que não mudava era o fato de que ela tinha medo de transar, de deixar de ser virgem. Principalmente por causa dos pais dela que eram muitos religiosos e diziam que garota que não era virgem não prestava etc etc etc.
Um dia à noite na garagem do prédio, onde costumávamos dar os nosso amassos, eu estava excitando-a passando os dedos na sua xaninha, louco de deseja, quando disse que não aguentava mais aquela situação, que eu queria comê-la, que eu precisava meter nela. Ela como sempre disse que não podíamos fazer isso, que ela já tinha dito que tinha muito medo de perder a virgindade. Foi quando eu grudei o meu corpo ainda mais no dela, por trás, sem deixar de masturbá-la e beijando o pescoço dela, falei baixinho no seu ouvido que queria comer a bundinha dela. Ela na mesma hora parou e ficou nervosa. Disse que aquilo ela não podia fazer. Eu perguntei porque não, já que ela continuaria sendo virgem. Ela não sabia muito bem o que responder. Foi quando eu falei que não dava mais para continuar daquele jeito. Que eu sempre tinha respeitado a vontade dela de ser virgem, mas que sabia que ela também queria transar. E aquela era a melhor forma de combinar as duas coisas.
Naquela dia não aconteceu mais nada, por falta de clima.No dia seguinte, quando voltei da escola, ela apareceu lá em casa dizendo que queria conversar comigo. Eu costumava ficar sozinho a tarde em casa, pois meus pais trabalhavam. Ela entrou e fomos para o meu quarto. Chegando lá começamos a nos beijar e ela me disse que concordava com o que eu queria. Mas que estava com muito medo. Falei que ela não precisa ter medo. Eu ia ser bem cuidadoso e que desse jeito também não precisamos nos preocupar de que ela engravidasse.
Fomos para o quarto e começamos a nos beijar e tirar a roupa. Eu tava muito excitado e nervoso. Ia finalmente comer uma garota. Falei que tinha visto na internet que a melhor forma de fazer anal era de 4. Coloquei ela de 4 e sem muito jeito comecei a tentar enfiar o meu cacete. Nessa época ele nem era muito grande e grosso. Mas Paulinha estava muito nervosa e as preguinhas não relaxavam de jeito nenhum. Comecei a cuspir no cuzinho dela e fazer força para penetrá-la, mas não havia jeito. Nessa hora ela quis desistir. Eu pensei comigo: de jeito nenhum. Pedi para ela esperar e fui na cozinha.
Peguei um pouco de azeite e passei no cuzinho dela e no meu pau e pedi para ficar de 4 de novo. Com uma das mãos puxando a cintura dela e a outra mirando o caralho no cuzinho dela comecei a penetrá-la. Quando a cabeça do pau começou a entrar ela na mesma hora deu um berro de dor e pediu para parar. A minha excitação de estar metendo numa garota foi a mil. Eu pensei é agora ou nunca. Segurei com as duas mãos a cintura dela e puxei-a, metendo tudo. Ela deu outro berro de dor e tentou tirar o pau de dentro. Eu joguei o corpo em cima do dela e fiz ela ficar de bruços, por cima dela. Começando um vai e vem sem jeito. Ela gemia e pedia para parar, mas eu tava louco de tesão. Fiquei lá comendo a bunda dela um tempinho até que gozei. Ela chorou muito, mas eu falei que era assim mesmo, que a primeira vez era sempre mais difícil.Essa foi a primeira vez que comi o cuzinho dela, mas foi inesquecível

 

Gostou? Vote no Conto:

15/10/2009 | 72036 visitas

 

Comentários

  • iTVmxS65ItB postou em 23/07/2014

    oi tudo bem bruna vc e linda nunca fasa de sua vida um rascunho pois nao podi dar tenpo de paassr alinpo'sru futuro e brihlsnte vc tem sorti na vida

  • laercio postou em 09/10/2011

    atenção vc mulher de Curitiba,casada,enrolada afim de sexo sem compromisso e sigilo absoluto: laerciorocha42@hotmail.com

  • Experiente postou em 24/02/2011

    cara quando não se sabe fazer algo, procura aprender antes de fazer mau feito... provavelmente essa pobre dessa guria nunca mais vai querer dar o cuzinho pra ninguem.. o por que vc só fez ela sentir dor e mais nada!!!!

  • pricila postou em 12/07/2010

    nossa eu ia adorar se colocasem ezeite no meu cu eu geme tanto adorei esse conto vou fazer com meu namorado tambem beijos vou trazar ananananan bota com raiva

  • vinícius postou em 08/05/2010

    noossa cra,mas vc eh um tremendo de um grosseirão!! aff ¬¬ Praticamente estrupou a minina.. vai estrupar sua mãe, caralho...

  • pingueludo de taubate postou em 10/12/2009

    o seu filho de uma puta, vou comer o seu cú pra ver se você vai gostar também? meu cacete tem 22cm e quero rodar você igual uma hélice no meu pinguelo.

  • Magno postou em 02/11/2009

    D+ isso também foi assim comigo e a minha 1ª namorada. Ai q saudade



:D :P: :afff: :confiante: :convencido: :convite: :decepcionado: :derrota: :descrente: :encucado: :fascinado: :lagrima: :legal: :meia-boca: :no:

  confirmacao * Todos os campos são obrigatórios
 
 
Sexo por telefone Mulheres procurando por sexo, ligue já para: 091 17 7878-0270 e encontre sexo em poucos minutos! www.sexopelotelefone.com
Faça Sexo Pelo Telefone Selecionamos as mulheres brasileiras mais gatas, gostosas e safadas estão esperando para ter sexo no telefone. www.sexopelotelefone.com
Quer fazer sexo? Ligue já para: 091 17 7878-0270 e veja perfis com vídeos de mulheres gostosas buscando um homem safado! www.sexopelotelefone.com
Disque Sexo Gatas deliciosas prontas para muita putaria no telefone, é só ligar: 091 17 7878-0270 www.sexopelotelefone.com
Disk sexo - Tele Sexo Mulheres dispostas a realizar os seus desejos, basta ligar e pedir que a sua fantasia será realizada. www.sexopelotelefone.com