Acervo de Contos eróticos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto
flagras videos de sexo sexo anal porno sexo ninfetas

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Militar Gostoso | Acervo de Contos

Militar Gostoso

Oi gente esse é meu primeiro conto, espero que gostem.
Meu nome é Carolina. Sou uma morena dos cabelos pretos lisos, coxas grossas, bumbum grande, barriga lisinha e olhos castanhos puxadinhos e lábios carnudos.
Tudo isso realmente aconteceu, e foi no mês passado.
Eu sou uma menina quieta, mas sou bem safadinha. Perdi minha virgindade aos 15 anos e desde lá sou uma viciada em sexo. Tá, eu admito. Sou uma tarada.
Em qualquer lugar que eu estou e vejo um homem bonito, já imagino mil coisas que eu poderia fazer com ele, e claro vejo se o volume é grande.. rs. 
Bem, quando eu comecei a estudar no meu atual colégio não fazia ideia da aventura que iria acontecer. Do lado dele tem uma aeronáutica, e tem cada filezinho! Juntando homem gostoso + farda = tesão total.
Nesse colégio, arranjei umas amigas bem safadinhas que viviam ficando com os militares e me contavam suas transas e eu amava tudo aquilo.
Certo dia quando a aula acabou, eu, Bianca, Luana e Monique ficamos do lado de fora da escola para combinar um trabalho que iriamos fazer. Mas a Luana nem prestava atenção, ficava olhando para os caras e gesticulava para eles, fazendo tipo: depois a gente conversa.
Eu já estava morrendo de raiva, porque esse trabalho era importante e a Luana estava toda por fora.
-Luana, presta atenção pow! Isso vale nota pra caralho, e você esta na recuperação.
-Carol, relaxa. Eu tô prestando atenção. Mas é que aqueles caras ali querem falar comigo. Perai jaja volto!
E saiu a encontro dos militares.
Eles estavam do lado de fora da base aeronáutica, tinha uns 6 acho que limpando a frente. Demorou uns 10 minutos e depois Luana volta.
-Já marcou os esquemas? Agora foque no trabalho.
-Sim, me da a minha parte que eu vou estudar. Carol, vem cá.
E me puxou para um particular.
-Tá vendo aquele cara ali, encostado no portão?
-Bem gato. Tô vendo sim.
-Ele quer falar contigo.
-Falar o que?
-E eu vou saber, vai lá.
-Pera, depois de combinar o trabalho.
Voltei para onde eu estava, conversei com todas novamente. Depois de tudo certinho, Monique e Bianca foram para o ponto do ônibus em frente da escola. Ficou somente eu e Luana.
-Vai la Carol! Eu já peguei esse, muito gostoso.
-Ta certo.
Fui até lá, e vi aquele cara gostoso mais de perto, ele se chamava Pedro. Nossa imaginei cada coisa! Ele era um rapaz branquinho dos olhos verdes, do cabelo bem pretinho, musculoso e um sorriso lindo.
-Oi, você queria falar comigo?
-Sim. Quero falar ainda.
- Pode falar.
-Te acho bem gata, e tô afim de ficar com você. Topa?
Bem assim, simples e direto. E caralho, que homem era aquele? A voz dele era um tesão, tava me deixando molhadinha só de imaginar aquele cara me comendo, e falando coisas no meu ouvido com aquela voz tão sexy.
Como eu não sou de negar nada, principalmente pra homem gostoso topei. Ele pegou meu número e combinamos de sair á noite, umas 19:00. Inventei uma desculpa pro meus pais, disse que ia dormir na casa de Luana, que era perto da escola. Eles nem iam desconfiar, pois eu morava na cidade vizinha então tudo certo.
Me arrumei toda, coloquei uma sainha curta e uma blusa preta justinha e esperei ele ligar.
Ele me ligou, e disse que ia me pegar na esquina da casa da Luana. Fui até lá, e ele parou com um carro vermelho na minha frente. Ele desceu, me abraçou e disse que eu estava muito gostosa. Minha buceta ficou piscando.
Ele abriu a porta pra mim, eu entrei e ele voltou para seu assento e começou a dirigir.
-Seu nome é Carol né?
-Sim.. Vamos pra onde?
- Um barzinho aqui perto pra agitar um pouco.. Você tem quantos anos mesmo?
- 17... não vai dar nenhum problema?
-Não, meu amigo é dono do bar. Novinha você em? Mas é tão gostosa.
E começou a passar a mão nas minhas coxas, e alisar minha barriguinha somente com uma mão. Ficamos assim até chegar no bar.
Ele estacionou o carro na frente do bar, e sentamos na mesa que ficava na calçada. Ele me apresentou umas amigas e uns amigos, e eu comecei a conversar e a beber cerveja com as meninas. Elas eram muito legais, e me chamaram para dançar. Foram até o carro do Pedro, ligaram e aumentaram o som, e colocaram um funk proibidão.
Nossa era tanta sacanagem.. eu estava adorando.
Começamos a dançar, eu ia até o chão e olhava para o Pedro. Ele estava sentando segurando um copo de cerveja e não tirava o olho da minha calcinha que ficava a mostra quando eu descia. Rebolava, quicava, fazia de tudo pra provocar ele.
Depois de um tempinho, ele me puxou para um canto e disse:
- ta me deixando de pau duro, gostosa
- era essa minha intenção
- sua safada, vamos entrar. No fundo do bar tem um quartinho, quero te comer agora.
Eu tava molhadinha de tanto tesão, aquele homem era muito gostoso. Fomos até o fundo do bar e antes mesmo de chegar no quarto ele me olhou  com uma carinha de safado e disse:
Quero ver se faz direitinho sua putinha
E começou a me beijar, o beijo dele era cheio de desejo, quente aquela língua se envolvia com a minha, tinha uma pegada incrível e ao mesmo tempo que ele me beijava passava a mão por todo o meu corpo. Apertava minha bunda, meus peitos.. uma delicia.
Assim que entramos no quarto, ele me jogou na cama e tirou a roupa. Ficou somente de cueca, eu pude ver o tamanho do cacete daquele cara, tava um volume muito grande eu não parava de olhar. Queria sentir o gosto dele, queria ele todinho dentro da minha bucetinha.
Ele foi até mim, e tirou a cueca.. 
- mama na minha vara vai, chupa tudo com essa boquinha deliciosa
Eu obedeci, peguei aquele cacetão com as duas mãos, nem conseguia fechar direito a mão, e comecei a sugar a cabecinha. Ao mesmo tempo que sugava, acariciava as bolas dele.
Tentei colocar tudo na boca, mas não conseguia era muito grosso e grande, eu comecei a lamber aquela pica enorme cheia de veias que pulsava na minha mão, ele dizia chupa vadia, essa pica é toda sua, me chupa ta gostooso vai, depois de chupar bem gostoso, bati uma punheta pra ele e ao mesmo tempo lambia a cabecinha, e claro, olhava pra ele com uma carinha de tarada.
Depois disso, ele me deitou e tirou minha blusinha e meu sutiã, chupou meus peitinhos, que nessa altura já estavam durinhos, eu so gemia de prazer e implorava pra ele me comer logo, ele me acariciava, apertava, sugava igual um esfomeado, lambia, e dizia tu é muito gostosa  e eu acariciava os cabelos dele, puxava, chamava ele de safado, que eu era a putinha dele e queria sentir aquele cacete todo dentro de mim.
Ele levantou minha sainha, e ficou passando o dedo na minha bucetinha por cima da calcinha.
Tirou minha calcinha, e disse: que bucetinha gostosa 
Continuou passando o dedo no meu clitóris, enfiava dois na minha buceta eu gemia, e mandava ele enfiar a pica todinha de uma vez. Mas ele mandou eu ter calma, que só tinha acabado de começar.
Ele começou a lamber minha bucetinha, e ao mesmo tempo que lambia enfiava o dedo la dentro, eu gemia, me contorcia de prazer. Segurava a cabeça dele porque aquilo estava muito bom.
Ele lambia meu clitóris e dizia eu era gostosa, eu implorava pra ele enfiar a rola logo em mim, e ele continuava me chupando bem gostoso.
Depois ele não aguentou mais e penetrou, senti cada centímetro daquela pica deliciosa. Eu pedia pra ele me fuder mais rápido, ele ia bem devagar depois metia sem pena, ficou dando bombadas, estocadas bem fortes mesmo. Eu gritava, gemia igual uma louca!
-me fode, come a tua putinha vai mete tudo em miim
-toma cachorra, é rola que vc quer toma!
Ele ficou metendo forte em mim, num movimento de vai e vem delicioso. Nossa, a pica dele pulsando de tesão dentro na minha bucetinha era incrível.
Depois eu cavalguei naquela vara gostosa, pulava, sentava quicava igual uma louca. Rebolava bem gostoso, ele apertava minha bunda e urrava de prazer. Me chamava de vadia, de puta gostosa. Eu ficava gemendo: me fodee! E cada vez que eu rebolava tentava fazer com que ela chegasse cada vez mais fundo na minha bucetinha.
-fica de quarto vadia
Eu obedeci, queria ainda dar praquele homem, nossa e que homem! E que pauzão, ele enfiava tudo, rebolava, fazia vai e vem. Nossa, senti muito prazer..
Depois ele avisou que ia gozar, e que queria gozar na minha boca.. Eu comecei a chupa-lo e engoli todo o leitinho dele..
Nos beijamos e nos vestimos..
Esse dia foi inesquecível.. depois eu conto o dia que dei meu cuzinho pra ele.
Beijos.

 

Gostou? Vote no Conto:

07/08/2012 | 35895 visitas

 
 
 
safadas filmes porno sexo