Acervo de Contos eróticos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto
bundas ninfetas gostosas porno gostosas porno

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Estuprada pelo cunhado | Acervo de Contos

Estuprada pelo cunhado

Meu nome é Nicole (fictício). Meu namorado se chama Lucas, ele foi meu primeiro e único namorado. Começamos a namorar, e com três meses de namoro dei pra ele. Ele me dominava completamente na cama, eu era completamente submissa, a única coisa que eu não permitia era que ele comesse meu cuzinho, pois sempre que ele dedava doía muito, que dirá o pau dele, que era grande e grosso (19x6cm). Sempre transávamos no apê dele. Ele morava só com a vó, e ela, como era evangélica, viva fora de casa, fazendo vigílias, então tínhamos bastante liberdade. Ali dentro ele me comia em todas as posições e em todos os cômodos. Eu, particularmente, sempre adorei quando ele me pegava de quatro, metendo fundo na buceta e me chamando de minha putinha, dando tapas na bunda e me possuindo por inteiro. Tudo andava maravilhoso, e nossas fodas eram todas memoráveis, até o dia em que o irmão dele se mudou de pernambuco pra cá (alagoas) e foi morar no apartamento dele. O Lucas e o Felipe (irmão dele) não se dão, e o Felipe é o famoso pé no saco. Da primeira e única vez que ele pegou eu e o irmão dele trepando, ameaçou contar pros meus pais. Foi assim:Lucas veio me buscar na minha casa, falamos pros meus pais que íamos dar uma volta na orla e saimos. Na esquina, pegamos a moto dele e fomos para a casa dele. Ele achava que o irmão não ia estar em casa, mas que se chegasse de repente não haveria problemas. Quando chegamos na casa dele. ao inves de começar na sala como sempre fazíamos, fomos direto pro quarto dele, assim, se chegasse alguém, ouviríamos a porta da frente abrir primeiro. Depois de uma meia hora da gente lá, o Felipe chegou, ouviu os nossos gemidos de prazer, e escancarou a porta do quarto do Lucas. Quando ele viu a gente, foi logo dizendo:?Isso é uma sem-vergonhice! Não admitia isso na minha casa! O que a vó iria pensar disso? Aliás, vagabunda, o que seus pais iam pensar disso?? Quando ele falou dos meus pais, foi logo pegando meu celular em cima da mesinha de cabeceira e ia ligar pra eles quando eu implorei que ele n fizesse aquilo. Ele disse que não faria com uma condição. O Lucas perguntou qual era. Ele disse:?Quero que a sua putinha faça comigo o mesmo que ela tá fazendo c vc! Quero comer a sua vagaba na sua frente, maninho corno! Ou isso, ou conto pros seus sogrinhos o que vcs andam fazendo!?Nessa hora eu comecei a chorar desesperadamente, enquanto o Lucas xingava o irmão de canalha, invejoso, filho da puta, dentre outros. Vocês devem estar se perguntando pq o Lucas não deu uma surra no idiota do meu cunhado. Rápida explicação, Felipe é faixa preta de Judô. E embora Lucas seja sarado e tals, o irmão é bem mais forte, e brigar com ele não ia adiantar de nada. A questão é que meus pais são muito conservadores. Meu pai já tinha dito que se soubesse que eu não era mais virgem, eu seria obrigada a terminar o namoro e ele me mandaria de novo em intercambio para os EUA. Eu amo muito o Lucas, jamais quero me separar dele, e só essa idéia me dá vontaade de chorar. Enfim, fiquei sem saber o que fazer. Ai o Felipe, pegoou o celular e discou o número do meu pai. Na hora que ele apertou para ligar, eu gritei pra ele parar dizendo que a gente conversava melhor. O Lucas olhou pra mim e disse: ?Bebê, não faz o que ele quer, eu converso com teu pai, a gente se entende com ele.? Mas eu sabia que não ia adiantar. Meu pai é juiz federal, provavelmente ia dar um jeito de mandar prender o Lucas, alem de me mandar para longe. Eu falei isso tudo pra ele, e ele se calou. O Felipe perguntou qual era a minha decisão. Eu falei que dava pra ele, contanto que fosse rápido. Ele falou que sabia que eu tiinha que chegar em casa antes das 10 e meia da noite, e eram 9 hs. Ele disse que me queria até a hora que eu fosse embora, umas 10 e 15. Era pegar ou largar. E o Lucas ia ter que ficar assistindo. Olhei para meu namorado, e nunca o vi mais triste até hoje. Nunca senti tanta dor na vida, nem me senti tão humilhada. Ele me sentou na cama, tirou a roupa, ficou em pé na minha frente, e começou a foder a minha cara. Ele enfiava tão fundo que eu pensava que ia sufocar. Depois que ele gozou me fez continuar chupando até o paua dele subir de novo. Então ele me colocou de quatro e enfiou o pau na minha buceta sem dó nem piedade. Como eu obviamente não estava nem um pouco excitada com a situação, minha buceta não estava lubrificada. Doeu muito quando o pau dele entrou. Ele me fodeu em todas as posições, gozou várias vezes no meu rosto, boca, seios e cabelos. Mas o pior foi quando ele foi meter no meu cu. Ele tentava, e não passava, e o desgraçado não desistia. Até que, com muita dificuldade o cacete dele entrou me rasgando toda. Ainda me bateu muito, sai de lá cheia de manchas roxas pelo corpo e meu cu ficou sangrando por três dias. Foi a pior hora da minha vida. Quando terminou, me mandou ficar de boca calada, senão iria me ferrar. O tempo todo o Lucas ficou segurando a minha mão. Depois disso eu e meu namorado ficamos ainda mais unidos. Felipe voltou para Pernambuco dois meses depois, a avó o expulsou de casa por que ele só queria vagabundear, e eu nunca mais olhei para ele. Depois eu soube que ele foi preso, acusado de estuprar uma namorada dele. Acho bem feito, e que ele sofra na cadeia tudo que me fez passar, porque nem preso gosta de estuprador. 

 

Gostou? Vote no Conto:

04/01/2011 | 146947 visitas

 
 
 
ninfetas filmes porno porno