Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

O cavalo e os caseiros | Orgias | Acervo de Contos

O cavalo e os caseiros

Olá, meu nome é Natália P.. Moro em Presidente Prudente. Sou branquinha, baixa, peitos médios e bunda empinadinha. Não tive muitas relações sexuais, até porque só tive um namorado, e por apenas 3 meses. Apesar disso, não me considero recatada, nem uma "santa?. Me masturbo regularmente (acho que ninguem imagina isso de mim, pois todos me veem como essa 'santa'), e não é por falta de vontade que o sexo não é regular em minha vida. Talvez essa falta de sexo, me motivou a ter alguns desejos e pensamentos 'proibidos' e inimagináveis pra qualquer pessoa que me conheça. Sempre vejo na internet vídeos de gang bang, e fico muito excitada, imaginando como seria se eu tivesse ali. Apesar das poucas transas, acostumei minha bocetinha a ser penetrada, com alguns grandes 'brinquedinhos' secretos. Acho que todos me enxergam como uma menina virgem e que se preocupa muito mais com os estudos do que com o sexo. Nem imaginam a devassa que me tornei...



Bom, esse fato ocorreu em um fim de semana em que fui passar no sítio de minha família em Presidente Prudente. Meus pais foram fazer compras na cidade, e fiquei sozinha em casa. Bem, completamente sozinha não, pois só tinham os caseiros, mas que pouquíssimas vezes os via. Resolvi passear, e andar a cavalo. Como dificilmente via os caseiros, fui bem à vontade, com uma blusinha curta, um mini shorts e uma calcinha micro.



Até ai, tudo normal. Até que algo que vi acendeu aquele fogo dentro de mim: quando estava pronta para montar no cavalo, o bicho tava com o seu 'mastro' totalmente ereto. Me assustei, foi estranho, senti nojo e tesão ao mesmo tempo

Numa primeira reação, pensei em se afastar dele, mas não consegui, eu tinha que pelo menos tocar naquele tronco. Então fui me abaixando até ficar bem perto dele, olhei ao redor, pois fiquei com medo de algum dos caseiros me flagrar naquela situação. Então toquei bem devagarinho nele, alisando, até que aquele negócio foi aumentando ainda mais de tamanho. Foi ficando maior e mais duro, percebi então que o cavalo tava gostando. Aquele medo que sentia de alguem aparecer foi se transformando em algo excitante. Quando me dei conta, já estava masturbando o cavalo com as duas mãos, e como são bem pequenas, nem as duas davam conta de segurar aquele negócio.

Senti minha calcinha encharcar de tão excitada que tava, não resisti, e comecei a lamber o pinto do cavalo, até resolver tirar meu shorts, ficando só de blusinha e a micro calcinha. Então comecei a me masturbar também. Nunca me senti tão vadia na minha vida, mas não estava nem aí, o tesão não me deixava raciocinar direito. Comecei a chupar cada vez mais, e enfiava tudo o que podia na boca. Até que pensei em enfia-lo na minha boceta, mas vi que não teria condições. Não estava acostumada a um pênis normal, quanto mais aquele tronco. Percebi que já se tinha passado algum tempo e fiquei com receio de meus pais chegarem.



Quando recuperava a minha sanidade e se levantava, vi dois caseiros atrás de mim espiando. Levei um susto muito grande que não conseguia nem falar. Eles se aproximaram e um deles falou: "Não acredito que a mocinha tá fazendo isso", o outro completou: "Que isso, não sabia que vc era tão safadinha. Quero participar dessa festa aí sua putinha".



Fiquei em choque, não sabia o que fazer, estava eu lá praticamente só de calcinha na frente daqueles dois empregados. Eles foram se aproximando, até que começaram a me tocar. Não conseguia reagir àquilo, e meu tesão só foi aumentando. Eles tiraram minha calcinha rapidamente e me colocaram de quatro. Estava parcialmente embaixo do cavalo, o suficiente pra eles me mandarem pegar no membro do bicho e chupar, e foi o que eu fiz. Me mandaram ficar de quatro, e eu pedi pra eles irem devagar. Ficaram revezando me comendo de 4, e eu chupando o cavalo. Até que chegaram mais 3 caseiros. Não deu tempo nem de falar, os dois que estavam me comendo convidaram os outros 3 como se fosse a coisa mais normal do mundo...como se eu fosse a marmita do dia. E não pensaram duas vezes, prontamente viraram até mim e começaram a me lamber inteirinha. Um dos que chegaram deitou e me mandou sentar no pau dele. Meti minha buceta nele, sentando devagarzinho, enquanto o outro disse que iria comer meu cu. Pedi por favor, pra ele não fazer isso, mas não teve jeito, quando ele começou a enfiar, dei um gemido que até o cavalo se assustou (só tinha sido penetrada no anus com meus brinquedinhos; talvez isso tenha ajudado um pouco nessa hora). Quando me dei conta, estava eu lá, cavalgando minha buceta na pica de um velho caseiro (devia ter seus 50 anos), e os outros 4 (mais novos) revezando em comer minha bunda, e ainda chupando aquele pinto gigante do cavalo.



Me sentia tão suja, tão vadia, mas ao mesmo tempo muito excitada. Gozei várias e várias vezes. Já estava tão arrombada que me senti encorajada e deixar o cavalo penetrar minha bocetinha. Falei com os caseiros e eles concordaram. Fiquei de quatro, e esperei o cavalo tomar as ações. Ele não se mexia, então resolvi colocar eu mesma, entrou até facilmente na minha buceta, que naquela altura já estava totalmente arrombada e encharcada. Mas, me afastei um pouco pra entrar só a cabeça da pica do cavalo, que ja era muito grande. Aos poucos, deixei entrar um pouco mais.



Estava tão excitada e fora de si que comecei a dizer coisas pro cavalo: ?Vai cavalo gostoso, mete tudo em mim, mete essa piroca preta na minha boceta vai?. Fiquei pelo menos uns 10 minutos metendo com o cavalo enquanto chupava os 5 caseiros. Até que senti um jato quente dentro da minha vagina. Não tava acreditando, aquele cavalo tinha gozado dentro de mim. O pinto dele saiu, e começou a sair da minha buceta muita goza do cavalo, dava pra encher um copo grande. Como se não bastasse, os caseiros disseram que iriam gozar tudo em mim. Pediram pra eu continuar chupando e masturbando-os. Poucos segundos depois o primeiro já gozou, e no meu rosto. Não tava acreditando naquilo. Depois, os outros dois gozaram praticamente juntos, por tudo quanto é parte do meu corpo. Os dois últimos pediram para eu abrir a minha boca, mas não queria fazer isso de jeito nenhum. Eles deram alguns tapas no meu rosto até que abri, os dois gozaram praticamente ao mesmo tempo dentro da minha boca, engasguei e cuspi quase tudo fora. Era horrivel.



Como se tivessem feito um serviço, os 5 se vestiram, despediram-se de mim e foram embora rapidamente. Fui me vestir também, quando percebi que mal tava conseguindo andar, minha buceta e minha bunda estavam doendo muito, e eu tava cheia de esperma de cavalo e dos 5 caseiros. Fui voltar pra casa torcendo para que meus pais não tivessem chegado. Sorte a minha que não haviam, e pude entrar rapidamente e ir direto pro banho.

Passei a noite e o dia seguinte inteiro andando meio torta, com as pernas meio separadas. Meu pai chegou a perceber isso e me perguntou o que houve. Disfarcei e disse que tinha levado um tombo do cavalo, mas que não tinha sido nada de mais e que os caseiros haviam me ajudado. E não é que ajudaram mesmo...e como!



No domingo a noite voltei pra São Paulo onde estudo, e não tirava aquilo da cabeça. A partir daí virei uma devassa mesmo. É incontrolável pra mim, e não vejo a hora de praticar mais algumas aventuras como essa...

 

Gostou? Vote no Conto:

213443 visitas