Acervo de Contos eróticos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Jantando o casal | Acervo de Contos

Jantando o casal

Meu nome é Bruno, tenho 25 anos, 1;85, moreno. Trabalho como acompanhante (contato email e MSN: bruno_marques_sade@hotmail.com)
Jorge foi quem me adicionou no MSN. Como este MSN montei com uma única finalidade sabia se tratar e mais um programa. Logo que adicionei ele já estava on line e começou a tc comigo. Disse que queria apimentar algo com sua esposa e que haviam pensado na possibilidade de um amante profissional e assim chegaram até mim.
Como de costume mostrei minhas fotos através do MSN e ele mostrou as fotos deles. Após uma série de perguntas chegou o momento de abrimos a câmera. Lá estava ele, com seus 34 anos e sua esposa Vanessa de 32. A imagem da câmera era boa, ele caucasiano e ela uma morena, de cabelos longos e cacheados, pelo que havia visto nas fotos tinha nadegas bem grandes e seios médios, típica brasileira. Estava um pouco acima do peso, o que era possível perceber por sua barriguinha.
Conversamos mais um pouco, isto era numa quinta feira e combinamos de conversar de novo no dia seguinte para então agendarmos algo. No dia seguinte foi feito o mesmo. Jorge me explicou que iriam viajar no final de semana e então queria marcar um jantar na sua casa na segunda feira. Assim ficou marcado. Na segunda me pegariam na estação do metro Tatuapé e então me levariam até a casa deles.
Chegou o dia e como combinado as 19hs estava lá. Se aproximou o carro e encostou, ele abriu a porta e eu sentei no banco da frente. Começamos a conversar quando percebi que sua esposa estava no banco de trás. Ela então comentou, ?nossa você não parece alguém da vida, é tão bonitinho, ajeitado, cara de bom moço?, apenas sorri. Andamos cerca de 20m minutos e chegamos ao prédio. Para encurtar a história, entramos no apartamento. Deixe descreve-los, ele pele clara, cara de ?bancário?, e ela, morena, baixinha (não muito baixa), de bunda grande, coxas grossas, e seios médios. Estava bem cheirosa. Ele estava vestido de calça Jean e camisa e ela estava com uma calça leg branca, uma bata azul por cima e usava um tamanco de mandeira. Logo que entramos senti o aroma gostoso da casa, ela havia preparado um jantar. Ainda todos estavam um pouco sem graça e então começamos a comer. Passado um tempo resolvi quebrar o gelo. Coloquei meu prato de lado e falei; ?Vanessa quero outra coisa, quero sentir o seu gosto?.Ela fez cara de que não havia entendido e então repeti, expliquei pra ela, passe o dedo em você e dê para que eu possa lamber. Ela olhou bem para Jorge e fez, enfiou a mão dentro da calça e demoradamente passou os dedos e então tirou, bem melados e esticou-os para mim e eu então enfiei em minha boca. A medida que eu lambia seus dedos ela contraia o abdômen, como se estivesse sendo penetrada. Jorge se levantou e disse que não sabia se iria agüentar ver isso, mas percebi que seu pau estava duro. Falei para ele relaxar: ?Jorge relaxe, vamos fazer aqui, nos siga e venha ver o que vou fazer?. Peguei Vanessa pelas mãos e pedi para que ela me levasse até o quarto. Fomos, um quarto pequeno, mas com uma boa cama de casal. Pedi para que Jorge sentasse e que por mais que sentisse vontade que não saísse dali.
Coloquei Vanessa sentada na cama, encostei o rosto dela no meu abdômen e passei a massagear sua nunca, escorregando meus dedos pelo seu pescoço, movimentando sua cabeça de um lado pra outro bem lentamente. Quando senti que ela estava bem relaxada ergui seu rosto e comecei a esfregar meu rosto no dela, de maneira leve e lenta e então passei a percorrer seu rosto com meus lábios, até que fui de encontro a sua boca. Quando começamos a nos beijar puxei-a pela cintura para que levantasse e nosso beijo ficasse mais gostoso. Senti o calor de seu corpo e percebia o quanto ela me desejava. Enquanto beijava Vanessa levei sua mão para dentro de sua calcinha, empurrando pra dentro de sua buceta e então puxando, enfiando seus dedos melados entre nossos dedos. Seu corpo fazia movimentos em minha direção. Parei de beija-la e então joguei-a sobre a cama, mandando que ficasse de quatro e sem tirar os tamancos. Ela fez o que ordenei e então vi sua bunda imensa dentro de sua calça leg branca ali na minha cara, não tive duvidas e enviei meu nariz ente suas nadegas, sentindo o cheiro de seu cú, e lambendo sobre as calças. Meu pau a esta altura estava muito duro, e então coloquei pra fora e enfiei entre o tamanco e a sola do pé dela, passaria horas cheirando aquele cu e sentindo sua sola e eu tamanco de madeira amassando meu pau.
Olhei para Jorge e vi que ele estava com a cara assustada, mas seu pau estava tão duro quanto o meu. Chamei ele pra perto e falei, ?faça algo conosco que esteja com vontade, não tenha vergonha de sua mulher?. Ele então foi até o pé dela e começou a lamber, e de vez em quando sua língua escapava e acertava a cabeça de meu pau. Aquela bunda foi me deixando louco, e então com ela ainda de quatro baixei parte de suas calças deixando seu rabo de fora. Abri bem suas nadegas e enfiei a língua em seu cu, enfiando fundo sentindo bem o gosto.
Mandei Vanessa continuar de quatro e fui para frente dela, sentando na cama, mas antes tirei minha roupa e fiquei pelado. Mandei, ?Vanessa chupa meu pau, sem por a mão, engula tudo, chupa minhas bolas?. Vanessa que já estava louca de tesão devorou meu pau, chupando com muita força. Mandei Jorge colocar seu membro pra fora sentar e ficar se masturbando assistindo. Ele, como bom passivo, foi sentar. Enfiei meus dedos no cabelo da Vanessa e passei a controlar os movimentos, pra cima e pra baixo, a vontade que dava era encher aquela garganta de porra. Mandei ela parar e que deitasse, ela deitou e então eu fui pra cima dela enfiando meu pau em sua boca, e então soltei todo meu peso, ela se engasgou, tentou me empurrar pra fora, mas minha força fez com que entrasse tudo, e seus dentes ate deixaram marcas na base de meu pau de tanto que entrou. Eu enfiava e contava até dez e tirava.Fiz isso varias vezes, até saia lágrima dos olhos dela. Vanessa estava louca e começou a dizer, ?me come, me come, to com muito tesão, me come, vem?. Ai não agüentei, sentei na cama de novo e falei, rebola na minha cara e vai descendo até entrar em você. Enquanto ela tirava o resto da roupa aproveitei e coloquei camisinha. Ela ficou de pena minha frente com a bunda virada pra mim e começou a rebolar, bem devagar, as vezes empinando a bunda na minha cara. E então ela foi baixando, baixando, até que senti meu cacete encostar em seus grandes lábios, nesta hora ela rebolou ainda mais e eu senti a buceta mais quente do mundo, que delicia. E então ela sentou com tudo, e soltou um gemido delicioso. Ela ficou agachada sobre mim, e eu podia abrir suas nadegas e ver seu cuzinho começando a abrir. Que cena que eu via, sua bunda, seus calcanhares, hum. A medida que ela ia sentando parecia se excitar ainda mais, e acelerar com força, até que começou a sentar com toda força. Era incrível o som que fazia de sua bunda batendo em minha coxa. Ai seu gemido foi ficando mais estridente, e ela começou a tremer dizendo ?vou gozar, vou gozar, ai, ai,aaaaai, nossa?, o ritmo desacelerou e ela passou a rebolar em meu pau, suas pernas enfraqueceram e ela sentou, nesta hora coloquei seus pés sobre minhas coxas para que pudesse ver esta cena. Um morena incrível, bunda gigante, cabelos cacheados, rebolando no meu pau, uma bunda enorme e pés tesudos.
Pedi pra Vanessa sem levantar se virar pra mim, ela ainda sentada, virou, jogou seu tronco pra trás apoiando-se nos braços, e puxei seus pés pra minha boca.Que delicia tinha um leve chulé de seu tamanco, meu tesão só aumentava. Fiquei louco de tesão e do jeito que estava levantei, levando Vanessa comigo, ela entendeu o recado e entrelaçou seus pés nas minhas costas e eu segurando pela sua bunda comecei a socar com força e bem rápido, ela começou a gemer cada vez mais alto e começou a susurrar com voz de choro, ?to gozando, to gozando neste pau gostoso?. Logo que terminou de gozar seu corpo ficou mole, sua pressão deve ter caido e joguei ela sobre a cama. Vanessa estava mole, Jorge ate se levantou, e eu mandei ele ficar ali, pois ainda não era sua hora. Cheguei perto de Vanessa e ela disse, ?sou sua agora, faça que quiser comigo?. Nesta hora não tive duvidas, iria fazer algo que sempre quis, por mais que toda vez que coma um cu eu vou devagar, desta vez eu queria ir com tudo, a seco, forçando e machucando aquele rabo. Pedi para Jorge ir preparar um cha para ela, mas era mentira, é porque eu não queria que ele visse. Logo que ele saiu peguei um vidro de acetona que havia numa cômoda, molhei minha camiseta que estava no chão e enfiei na cara de Vanessa, ela até tentou dizer algo, mas apagou. Aproveitei, tirei a camisinha, abri bem sua bunda e enfiei com tudo, ate minha bolas baterem em sua nadegas. Eu ia metendo com força em seu cu e com pressa, afinal logo ele voltaria. Eu metia com força e ainda abria ainda mais suas nadegas. Soquei, soquei, soquei até que senti que ia gozar, enfiei bem fundo e deixei La, e então veio, jatos e jatos de porra naquele cu. Mesmo gozando meu pau não baixava, mas não podia ficar ali e então tirei meu pau. Um tempo depois ele voltou, e aos poucos Vanessa acordava.
Todos ali estavam com tesão. Mandei então que Jorge comesse o cuzinho de sua esposa. Ele sem enrolar já foi esfregando seu pau na porta do cuzinho de Van. Ela ainda estava meio mole e estava deitada de bruço na cama. Ele foi enfiando devagar e ela se contorcendo, parecia estar com dor, nisso puxei-a pelo cabelo e ordenei que voltasse a chupar meu pau. Vanessa ainda parecia zonza de sua queda de pressão e da acetona, e sua chupada estava ainda mais gostosa. De repente eu levo um susto, toca o telefone. Jorge para de enrabar sua esposa e atende. Logo desliga e diz. Precisamos acabar, esta na hora de buscar nossos filhos na casa da tia. Eram 23hs, eu nem sabia deste detalhe, achei que seria a noite toda. Mas tudo bem, o cliente era ele.
Eu perguntei se já era pra ir embora ai Vanessa disse, ?só mais 10 minutos, mas queria que você realizasse uma fantasia minha, enrabasse meu marido?. Eu fingi que não sabia que era ele que queria e tinha vergonha. Disse que ok. Mandei os dois ficarem de quatro que iria alternar. Os dois ficaram, olhei bem pra bunda de Vanessa que me inspirar e comecei a enfiar em Jorge, ele se contorcia inteiro, Vanessa de quatro do seu lado começou a masturba-lo, ainda bem que foi rápido, bombei nele uns 5 minutos e ai começou a gozar na mão de Vanessa. Pronto agora eu voltaria pra ela. Abri bem suas nadegas e comecei a socar bem lentamente, não podia demorar, então me concentrei naquele cu. Não demorou muito senti que ia gozar, tirei meu pau, tirei a camisinha e jorrei porra em sua bunda toda, fiquei esfregando meu pau em sua bunda, e por fim mandei Jorge lamber.
Tinhamos que parar pois já era tarde. Nos vestimos. Jorge preencheu o cheque e foram me deixar no metro.
Foi mais ou menos assim o programa deste dia. Emails e MSN para conversas ou solicitação de serviço: bruno_marques_sade@hotmail.com

 

Gostou? Vote no Conto:

22/12/2009 | 31935 visitas

 

Comentários

  • jaime postou em 31/12/2009

    gostei do conto, gostaria aida mais, se tivesse sido contado pela a Vanessa, pois as mulheres sabem descrever melhor seu tesao.

  • pri ninfetinha postou em 22/12/2009

    Conheci o Bruno e a história é verdade msm.....
    Ele é lindo







    Viramos amigos e sempre conversamos no msn.. Ele é muito especial e légal .. Adorei conheçe-lo



:D :P: :afff: :confiante: :convencido: :convite: :decepcionado: :derrota: :descrente: :encucado: :fascinado: :lagrima: :legal: :meia-boca: :no:

  confirmacao * Todos os campos são obrigatórios
 
 
Disque Sexo Gatas deliciosas prontas para muita putaria no telefone, é só ligar: 091 17 7878-0270 www.sexopelotelefone.com
Quer fazer sexo? Ligue já para: 091 17 7878-0270 e veja perfis com vídeos de mulheres gostosas buscando um homem safado! www.sexopelotelefone.com
Faça Sexo Pelo Telefone Selecionamos as mulheres brasileiras mais gatas, gostosas e safadas estão esperando para ter sexo no telefone. www.sexopelotelefone.com
Disk sexo - Tele Sexo Mulheres dispostas a realizar os seus desejos, basta ligar e pedir que a sua fantasia será realizada. www.sexopelotelefone.com
Sexo por telefone Mulheres procurando por sexo, ligue já para: 091 17 7878-0270 e encontre sexo em poucos minutos! www.sexopelotelefone.com