Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Depravaram a Minha Mãe | Orgias | Acervo de Contos

Depravaram a Minha Mãe

                                Minha mãe se divorciou do meu pai faz uns 4 anos e logo depois ela se juntou com um cara 10 anos mais velho do que ela, um coroa muito chato e cheio da grana, ele têm um filho que mora em outra cidade e têm a mesma idade que eu e nas férias ele vêm passar aqui em casa. 

                                 Eu tive que morar com a minha mãe porque meu pai é alcoólatra e quando bebe se transforma, esse foi o principal motivo da minha mãe ter deixado ele e como ainda estou fazendo faculdade não tenho condições de sair de casa e tenho que aturar certas coisas por enquanto.

                                 Eu nunca fui a favor do relacionamento de minha mãe com esse senhor, mas nada podia fazer a não ser deixar claro para ela que eu não concordava, ela dizia respeitar a minha opinião, mas que não podia ficar sozinha, dizia já está numa idade que precisava muito de um companheiro e que eu deveria entende-la.

                                 Mamãe chama-se Claudia e têm 45 anos, 1,65m, ela é branca e têm os cabelos pretos um pouco curto, a bunda é grande e muito tesuda, os seios são grandes e meio caídos, mas bem sexys, a cintura é fina e as coxas grossas, de rosto ela não é tão bonita, mas o corpo é de uma mulher de uns 30 anos.

                                 Eu sentia muito ciúmes dela, como qualquer filho no meu lugar sentiria e eu acho que ela notava. Muitas vezes à noite ouvia mamãe e o seu namorado transarem, aquilo era muito torturante para mim, era algo que nunca esperei ter que ouvir, quando o cara comia minha mãe, dava para eu ouvir as batidas da cama com as estocadas que ele dava nela e os gemidos abafados dela do meu quarto, barulho de tapas e até alguns palavrões que ele dizia com ela também conseguia ouvir, apesar deles tentarem fazer o menor barulho possível, dava para ouvir tudo e mamãe parecia adorar aquilo tudo que era submetida por seu Joaquim, pois ela ria bastante durante a transa, acho que aquilo era a forma deles sentirem prazer e eu fazia de conta que não ouvia nada. 

                                 Para um filho é difícil até ouvir o próprio pai comendo sua mãe e imagine um outro cara comendo ela do outro lado da parede do quarto,  usando e abusando do corpo dela, era bastante complicado para eu aceitar, pois quando ela vivia com o meu pai nunca ouvi aquelas fodas que agora ouvia quase toda noite.

                                 Às vezes eu não conseguia me controlar e ouvindo a foda eu tocava uma imaginando o que rolava no quarto ao lado, cenas vinham à minha mente a todo o momento e imaginava se o que ele fazia com minha mãe eram as mesmas coisas que eu via em filmes pornôs ou era apenas um sexo comum. Apesar da tortura aquilo de certa forma tinha seu lado excitante, e às vezes esquecia até que aquela mulher que estava sendo fodida do outro lado da parede era a minha mãe, mulher que sempre teve conduta inabalável, que sempre foi ótima mãe e muito boa esposa embora o meu pai não tivesse dado a ela o devido valor.

                                 Mamãe sempre foi uma mulher guerreira e aguentou durante 23 anos as canalhices do meu pai de forma serena, apesar de sofrer muito nas unhas dele, ela agora estava muito feliz com esse novo marido e ele de certa forma a tratava muito bem, mamãe andava super feliz e até tratamento de beleza ela estava fazendo, ela passou a se ajeitar e a vestir roupas mais sensuais, ela estava ficando muito gata apesar da idade. Eu de certa forma ficava feliz por vê-la de bem com a vida e não mais deprimida e sem perspectivas.

                                 Tudo transcorria normalmente, já tinha até me conformado com esse relacionamento de minha mãe e o seu Joaquim, esse é o nome do atual marido dela, até que um dia mexendo nas coisas dela vi um certo cartão, era um cartão de um clube, acho que era de um clube de swing ou algo do tipo e mil coisas vieram a minha mente, nunca imaginaria que eles praticavam o swing, fiquei muito nervoso com aquele cartão nas mãos e tratei logo de botar onde eu achei, não queria que eles imaginassem que eu sabia.

                                  Fiquei na dúvida se realmente minha mãe estava participando de um clube de swing ou algo parecido, mas como tudo transcorria normalmente lá em casa eu fui esquecendo aquilo, até que um dia me chega um amigo meu chamado Paulinho, um cara super gente fina, amigo meu desde os tempos de criança e ele muito sem jeito me diz que viu minha mãe e o marido dela no tal clube e me disse também que lá rola de tudo, que rola desde troca de casais, sado, até gang bang e que uma vez por mês há um sorteio de uma mulher para participar de uma orgia com alguns caras também sorteados, eu fico chocado e o Paulinho sem querer falar ainda me disse que a minha mãe uma vez foi sorteada e transou com 4 caras ao mesmo tempo, me disse ainda que foi uma loucura e que ela é sensacional, que mamãe é uma das mais desejadas lá no clube e que o apelido dela lá é piriquito de ouro.

                                  Esse meu amigo Paulinho é psicologo e logo me diz para que eu fique tranquilo, que certos fetiches são normais entre casais e que o que rola lá é de total consentimento dos mesmos, que tudo o que acontece lá, fica por lá e que são todos maiores de idade e que o prazer apesar de algumas vezes ser um pouco forte, mas feito de forma segura ?preservativos? e sem magoar ninguém é muito normal, me disse também que se eu quisesse poderia levar minha namorada lá, pois a esposa dele adorou.

                                  Ele de certa forma me tranquilizou um pouco, mas mesmo assim eu fiquei sem acreditar no que acabara de ouvir e não tive coragem de perguntar ao meu amigo se ele já havia comido a minha mãe também, deixei aquilo como uma dúvida, pois se ele me confirmasse que sim seria ainda mais torturante, então eu achava melhor não saber, mas umas coisas que ele falou deixou a entender que tal vez sim. 

                                  O Paulinho ainda me falou que a primeira vez que viu minha mãe lá no clube tomou um baita susto e que mamãe muito nervosa o pediu e chegou até a implorar para que de forma alguma ele me contasse que a viu e sobre o que rolava lá.

                                   Eu fiquei sem acreditar no que o Paulinho me contou, não dava para imaginar que a minha mãe estivesse mudado tanto assim desde que largou o meu pai e se juntou com o seu Joaquim, por falar no meu velho, ele continuava bebendo muito e havia se juntado com uma periguete que sugava todo o dinheiro dele e todo mundo sabia que ela o traía com uns carinhas metidos a riquinhos da cidade.

                                    Eu estava começando a ter pena do meu pai, que agora era corno duplamente, pois levava chifres tanto da minha mãe que ainda não havia se separado dele legalmente e também levava chifres da atual mulher que ele tanto mima pensado que ela o respeita.

                                  Meu pai quando se separou de minha mãe fazia questão de jogar na cara dela que a atual dele era bem melhor que minha mãe, que era mais nova e mais bonita, que ela sim era mulher de verdade e que minha mãe não passava de uma velha baixo astral, mamãe aguentou toda a humilhação calada.

                                   Depois desses 4 anos, mamãe está muito bem e muito diferente de antes, como já falei ela hoje é uma mulher super alto-astral e está super gata nos seus 45 anos, começou até a malhar e fiquei sabendo outro dia que o seu Joaquim vai pagar um silicone para os seio dela, ele estava turbinando minha mãe que estava ficando super gostosa e já arrancava olhares dos homens na rua. 

                                   Outro dia mexendo nas gavetas do guarda roupa dela vi muitas lingeries super provocantes, eram tanguinhas fio dental, calcinhas transparentes, fantasias eróticas, até alguns brinquedos tinha, tentava não imaginar ela vestida nelas, mas era inútil e imagens vinham à minha mente, imaginava aquelas minúsculas tanguinhas naquele bundão e me indagava como meu pai foi otário, pois ele é que era para está desfrutando daquele corpão de minha mãe, mas quem estava agora usando e abusando daquela gostosa era o merda do seu Joaquim.

                                  Apesar de hoje ver mamãe de bem com a vida e muito feliz, eu não concordo de o seu Joaquim levar minha mãe para aquele clube e dividi-la com outros caras, acho que ele era um voyeur e além de comer muito minha mãe, ele sentia muito prazer em ver outros caras comerem ela também.

                                   Acho que os encontros do clube eram no sábado, pois era quando o seu Joaquim e mamãe costumavam sair. Todo sábado eles se aprontavam para sair e mamãe estava sempre maravilhosa, muito cheirosa e ela sempre vestia vestidos de festa bem colados e salto alto, era de deixar qualquer um babando com aquela silhueta dela totalmente visível sob aqueles vestidos colados que demarcavam todas as suas curvas. 

                                Ás vezes quando eles saiam, eu chamava minha namorada para transarmos aqui em casa e era muito bom, mas ela só queria fazer o papai-mamãe e eu queria variar um pouco, então durante uma das transas me lembrei de um convite que o meu amigo Paulinho me fez outro dia e meio sem graça perguntei a fabiana é esse o nome da minha namorada se ela queria ir a um clube de swing super discreto, ela me disse que não, que eu era maluco, que eu estava pensando coisa errada dela, eu então pedi desculpas, mas ela ficou com raiva, se vestiu e saiu chateada. Eu já suspeitava dessa reação dela, mas eu sabia que ela não iria me deixar por uma bobagem daquelas e logo voltaríamos.

                                 Se a Fabiana tivesse topado, seria a chance de eu entrar naquele clube e ver o que realmente mamãe fazia naquele lugar, não sei qual seria a minha reação se visse algo mais picante com minha mãe, pois até então nunca tinha visto ela transando, apenas tinha ouvido algumas transas.

                                Tive outra ideia e chamei uma prostituta que logo topou, ela iria se passar por minha esposa, falei então com meu amigo e ficou certo dele me levar no tal clube, nesse clube só se entra se for indicado por algum membro. 

                                Ele me disse que iria haver um baile de máscaras e eu poderia ir sem ser reconhecido por minha mãe. Então fomos ao tal clube, eu e a prostituta o Paulinho e a esposa dele. 

                                 Chegamos um pouco atrasados ao clube e logo descobri do que realmente se tratava, apesar de ser um clube vip e muito discreto, só com gente da alta sociedade, aquilo era um verdadeiro cabaré, lá dentro o bicho pegava.

                                 Assim que entramos no clube vi logo minha mãe passando com 2 caras de mãos dadas com ela, fiquei maluco, o ciúme tomou conta de mim, mamãe estava apenas de meia calça e cinta liga preta e calçada em uma sandália de salto bem alto que empinava ainda mais aquele bundão dela. Fiquei louco ao ver aquilo, mas nada podia fazer, eu também não queria que ela me visse, pois seria bem constrangedor para mãe e filho.

                                 Meu amigo se despediu de nós e foi para outro comodo da casa, que era uma mansão com muitos quartos, nisso vêm um corôa e leva a prostituta que estava comigo, pois lá as mulheres eram de qualquer um desde que elas aceitassem.

                     

                                  Subi então as escadas e fui em direção a onde mamãe tinha ido com os 2 caras, andando pelos corredores fui entrando de quarto em quarto, todos os quartos eram abertos e quem quisesse podia entrar para assistir a transa que rolava neles. 

                                 Eu estava muito nervoso e já tinha entrado em 4 quartos, quando abro a porta do quinto quarto me assusto, vejo ela, minha mãe, a cena era imaginável para mim, jamais pensaria em presenciar um negocio daqueles, é até meio difícil de falar, mas lá estava minha doce mãe de quatro em cima de uma cama redonda e com os dois caras comendo ela, os dois caras muito mais jovens do que ela, tinha um que era negro e acho que ele era até mais jovem do que eu, eles estavam um metendo no cu e o outro dando a pica para ela chupar, aquilo foi um choque e eu muito nervoso fiquei sem reação e puto de raiva, mas aos poucos foi batendo o tesão, pois a cena parecia um filme pornô ao vivo e o quarto tava com um cheiro forte de sexo, sentei em um sofá e resolvi assistir um pouco, eu estava suando com medo de ser reconhecido, mas a tal máscara me tranquilizava.

                               Eu não acreditava que aquela mulher ali era a minha mãe, mas era e estava sendo fodida pra valer, os caras não tinham dó dela e enquanto ela chupava a rola do negro o outro dava estocadas muito fortes no cu da minha mãe e os peitões dela que são meio caídos ficavam balançando, aquelas tetas eram uma loucura, o som das estocadas era bem forte e eles ficaram nessa posição por uns 5 minutos, mamãe então desengata da rola do cara e ao se levantar olha na minha direção, tomei um susto grande, fiquei pensando: - será que ela me reconheceu???? Acho que não, pois logo mamãe senta na pica do negro que está sentado em outro sofá no quarto, ela desce bem lentamente até encaixar na rola do cara, ela parece me provocar, talvez pensando que eu seria apenas um voyeur do clube, não acredito que ela soubesse que era eu que estava ali, seu filho, o qual ela deu uma educação ótima, porém severa.

                                   De onde eu estava via nitidamente o bundão da minha mãe subir e descer na rola do negro que tinha o pau muito grande e ela descia até em baixo rebolando o bundão e ficava apenas os ovos dele de fora com todo o talo dentro da xoxota, o outro cara então chega por trás dela e introduz o pau no cu dela e fazem uma dupla penetração na minha mãe que começa a gritar de gozo, ela têm um gozo atrás do outro e solta muitos líquidos vaginais, mamãe parece está saciada, mas os caras ainda não, então um segura ela pelas pernas e a ergue   abrido bem a xoxota dela e mostrando para mim que estou sentado em um dos sofás, nesse momento eu quase gozo nas calças sem mesmo tocar no meu pau, ela devia está bem loucona, pois o clitóris dela estava bem inchado , os caras então dizem obscenidades com minha mãe e ela começa a rir meio que envergonhada, um deles  começa a cheirar a buceta da minha mãe com ela nos braços virada para ele, o cara parece um tarado e dá fungadas fortes na xoxota dela, mamãe ri muito nessa hora e têm mais um orgasmo e chega a soltar um jato de squirt na cara do safado, que bebe o gozo da minha mãe.

                      O cara com mamãe ainda em seus braços a desce até sua rola e começa a dar estocadas na xoxota dela e mamãe fica com as pernas em volta do corpo do cara apertando forte e os braços em volta do pescoço dele ficam nessa posição por uns dois minutos aí o cara vira minha mãe ainda com ela nos braços segurando em suas pernas e abrindo bem sua buceta e chama o rapaz negro para meter, o cara vai com tudo e dá estocadas muito rápidas e mamãe começa a gritar muito falando que estava gozando, o gozo que ela sentiu foi tão grande que ela soltou tanto líquido que parecia estar mijando, seu gozo escoria pelas pernas, os caras então jogam ela na cama e começam a bater punheta até que gozam em cima dela que fica completamente lambuzada de porra, ela ainda espalha a gala deles pelo corpo e depois os três ficam deitados na cama completamente saciados e exaustos, eu então saio do quarto e vou atrás de uma puta qualquer para foder e descarregar tudo aquilo que acabara de presenciar, ao sair do quarto em que mamãe estava vejo a mulher do meu amigo Paulinho dando sopa e a levo para um quarto, lá eu pergunto pelo marido dela e ela me diz que ele está com outra mulher, aí eu parto para cima da mulher do meu amigo que é um tesão e como ela de tudo quanto é jeito, como o cu, a buceta que é totalmente depilada, boto ela pra chupar e a puta parece insaciável, quanto mais eu meto, mais ela quer rola, nisso fodemos  o resto da noite.

                   Depois de comer a mulher do meu amigo, nós nos arrumamos e saímos, nisso vejo o seu Joaquim passar com uma garota nos braços levando para o abate, ao chegarmos em um outro ambiente vejo meu amigo que me vê com a sua esposa, ele me pergunta se eu gostei da mulher dele,digo que ela é sensacional, que nunca comi uma mulher tão gostosa como ela, a mulher do meu amigo que se chama Andréia sorri com uma felicidade estampada no rosto,me dá um beijo no rosto e vai para os braços do marido. Eu então chamo eles para irmos embora, pois não queria que mamãe me visse lá, eles topam então saímos e a prostituta eu deixei lá, ela estava bem arranjada.

                   Cheguei em casa antes da minha mãe e esperei ela e o seu Joaquim chegar..... continua...

 

Gostou? Vote no Conto:

55657 visitas