Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

O urologista  | No Emprego | Acervo de Contos

O urologista 

A bola saiu pela linha de fundo, o escanteio foi batido, pulei para defender mas a bola passou sobre mim e rapidamente me reposicionei a tempo de ver o adversário matando a bola no peito, enchendo o pé e de primeira, chutar forte em direção ao gol. O jogo acabou para mim quando novamente tentei defender o meu gol, recebi uma bolada forte na virilha e a intensa dor me impediu de continuar. Fui para casa, tomei alguns analgésicos e fiz compressas de gelo na região e no dia seguinte meu saco parecia uma bola de tão inchado, procurei um medico que me receitou antiinflamatórios e me encaminhou para um urologista. 



No dia seguinte fui a clinica, chegou a minha vez de ser atendido e o urologista me fez varias perguntas sobre como ocorreu o fato e se eu já havia contraído alguma doença infecto contagiosa, depois ele mandou que eu tira-se a roupa e deita-se na maca, colocou suas luvas e veio me examinar, arregaçou o meu cacete e começou a procurar algo entorno da cabecinha depois friccionou um pouco ate o meu cacete ficar a meia bomba e é completamente desconfortável você ter um outro homem alisando as suas partes intimas mesmo que ele seja um medico, em seguida ele me pediu para abri as pernas e ele foi apalpando meu saco ate achar o local exato da minha dor mandou que eu continua-se deitado e saiu do consultório, minutos depois ele retornou com uma enfermeira loira e linda, ele se dirigiu a sua mesa e ela para o armário perto da pia, separou alguns itens em uma bandeja e veio em minha direção. Quando ela começou a me depilar eu fui ficando excitado e ela chamou o medico, novamente ele pôs suas luvas, jogou um pouco de gel e começou a introduzir um dedo no meu cu como se procura-se algo e rapidamente eu broxei e então ele mandou que a enfermeira continua-se a me friccionar.



Ela colocou um pouco de gel na luva, segurou o meu cacete e começou a friccionar e muito sacana disse para que eu fosse logo endurecendo a minha piroca porque ela ainda tinha que fuder com mas três, novamente meu cacete ficava duro por completo e o urologista voltava a introduzir seu dedo no meu cu mas desta vez a linda enfermeira loira não parou de me masturbar e mesmo com um dedo no cu eu continuava ereto cheio de tesão naquela enfermeira. O exame acabou ele retirou as suas luvas e foi para sua mesa escrever algo, ela começou a limpar o gel com papel toalha e eu ainda muito excitado estava com o meu cacete duro e pulsando de tesão, ele mandou que a enfermeira fosse embora, antes de me vestir pediu que eu anda-se de uma ponta a outra da sala, depois que eu me aproxima-se e ficou olhando para o meu cacete que entre uma pulsada e outra ia amolecendo, me entregou a receita com alguns medicamentos e agendou uma nova consulta para três dias.



Cumprimentei o urologista e me sentei, ele me perguntou se eu ainda sentia dores e se eu já havia tido relações sexuais depois da ultima consulta e eu respondi que não as duas perguntas. Em seguida ele mandou que eu tira-se a roupa e deita-se na maca, pôs suas luvas e começou a me apalpar, novamente ele mandava que eu aguarda-se nu e saiu e eu comecei a imaginar que ele voltaria acompanhado da linda enfermeira loira mas, ele retornou a sala com uma moreninha show. Meu cacete não estava totalmente duro, mas eu já estava excitado só de lembrar da linda loira e a enfermeira moreninha questionou com o urologista se ele ainda precisaria dela, mas ele insistiu para que ela me masturba-se e novamente ele ficou dedilhando o meu cu enquanto a enfermeira me masturbava. Ela começou a friccionar o meu cacete meia tímida, como se senti-se nojo do ato ou não quisesse fazer e novamente questionava a necessidade de continuar com o tratamento e o urologista respondeu que já estava terminando e ela continuou lentamente a friccionar de repente pude perceber que a enfermeira estava ficando excitada porque ela começou a pressionar com mais força a base do meu cacete e quando subia a mão passava o dedo na ponta do meu cacete espalhando as gotinhas transparentes de prazer que surgiam e isso me deixou tão excitado ao ponto de suspirar deixando a enfermeira completamente encabulada, ela largou imediatamente o meu cacete e ameaçou sair do consultório e o urologista tornou a chamar por ela, com a mão na maçaneta e indecisa ela tinha os olhos fixos no meu cacete rígido, ele sussurrou algo para ela e foi ate a sua mesa, pegou uma venda acolchoada na gaveta e tapou meus olhos e novamente meu cacete voltava a ser masturbado, logo a sensação de prazer foi tomando conta do meu corpo e eu comecei a gemer de tesão. Meu cacete pulsava forte, já ia gozar mas tudo parou de repente e eu escutei a porta bater retirei a venda e o urologista estava sentado a sua mesa e ele mandou que eu me aproxima-se, desci da maca e fiquei em pé na sua frente ele segurou firme no meu cacete e com o polegar ele impediu a saída do meu esperma enquanto alisava o meu saco sempre perguntando se doía e em seguida ele mandou que me limpa-se e me vesti-se. Com uma nova receita na mão ele me orientou a não praticar sexo ate a próxima consulta porque ele precisava ter uma idéia da minha produção de esperma e agendou a próxima consulta para quatro dias.



Passado os quatro dias lá estava eu ansioso aguardando a minha vez de ser chamado, entrei no consultório e primeiro veio aquelas perguntas de como eu estava me sentindo se doía quando eu urinava, se eu tive ereções e se eu havia feito sexo e mal eu acabava de dar as resposta e ele me perguntou que dia da semana era hoje e quando eu respondi que era terça ele disse que merda, dia sim dia não, hoje deve ser a enfermeira morena e é claro que eu sorri. Tira a roupa e sobe na maca que eu já volto, demorou algum tempo e alguém bateu na porta e entrou, era uma medica de meia idade e perguntou o que é que eu estava fazendo ali pelado e eu expliquei que estava aguardando o urologista, ela perguntou o que eu tinha e rapidamente expliquei que tinha levado uma bolada na região e tinha ficado com o saco inchado, ela foi ate o armário pegou luvas e começou a me examinar é claro que minha ereção havia sumido aquela medica não era o meu ideal de mulher e para quem imaginava uma moreninha show ou uma loirinha linda, ela já estava bem passada.



Enquanto me apalpava a medica perguntou em que eu estava pensando e eu disse que em nada e ela respondeu então cadê aquele cacete enorme e bonito que eu vi quando entrei, será que ele precisa de um pouco de carinho para se animar e no meio daquela sacanagem eu comecei a ficar excitado com a medica. 

A porta tornou a se abrir e o medico entrou com a enfermeira moreninha, ele e a medica começaram a conversar e depois pareciam discutir opiniões a enfermeira entre olhava para os médicos e para o meu cacete e logo em seguida a medica saiu batendo a porta e ele se aproximou dizendo para que eu fica-se bem relaxado para que nos pudéssemos iniciar a sessão. Enquanto a enfermeira moreninha colocava suas luvas e jogava um pouco de gel no meu cacete o urologista me vendava os olhos, durante algum tempo eu podia sentir a presença dele enfiando seu dedo no meu cu como se procura-se algo, mas depois parecia que só tinha restado a enfermeira me masturbando, sua mão subia e descia suavemente, acelerava e diminuía o ritmo como se quisesse saber quanto tempo eu ficaria ereto sem gozar e com os olhos vendados naquela profusões de sentimentos percebi quando uma boca agasalhou o meu cacete e começou a fazer o sobe e desce e mesmo vendado eu levei as minhas mãos a cabeça da enfermeira e o urologista disse relaxa, relaaaxa e ela continuou a me chupar.



Ouvi a porta fechar e imaginei estar sozinho com a enfermeira que me chupava, levei minha mão na sua bunda e comecei a acariciá-la ela desabotoou as calças e eu corria meus dedos nas tiras da sua calcinha, a maca começou a balançar, ela subiu, posicionou o meu cacete e foi sentando, coloquei minhas mãos na sua cintura e ajudei a ela cavalgar e a cada descida meu cacete entrava mais um pouquinho naquela xoxota apertada, excitada, ela começou a quicar com mais força e eu sentia a sua bunda encostando nas minhas pernas e algo estranho batendo na minha barriga, retirei a venda e era o urologista que estava sentando no meu cacete, não era a xoxota dela que era apertada, era o cu dele e o algo estranho que batia na minha barriga era o seu cacete mole. Eu estava cheio de tesão com o meu cacete todo enterrado no cu do urologista e quase gozando, pedir para ele parar e sair de cima, é ruim, só depois que eu enche-se o cu do filho da puta de leite.



Ele marcou uma nova consulta para três dias e não sei se eu apareceria, quando ia saindo da clinica a enfermeira moreninha veio me perguntar se havia rolado algo estranho durante a consulta e eu disse que não e que a única coisa chata era ela ter parado de me alisar quando eu já estava quase gozando e ela continuou insistindo em querer saber se tinha acontecido algo a mais, novamente afirmei que não e que ele havia marcado outra consulta, então ela disse que aquela outra medica queria falar comigo e me conduziu ate a porta do consultório dela e antes que eu entra-se me entregou um pedacinho de papel com o numero do seu celular.



A medica disse que o colega dela era uma bicha, que ele iria tentar me seduzir e que aparentemente não havia nada de errado com o meu cacete e se eu a permiti-se examinar. Disse que sim e ela me pediu para tirar a roupa, quando terminei que olhei para a medica ela estava com o seu jaleco aberto, nua, não vestia mas nada por baixo e para uma mulher de meia idade, ela era linda, ela se abaixou na minha frente e me chupou, quando o meu cacete estava bem duro ela colocou a camisinha, se sentou sobre a sua mesa e abriu as suas pernas fiquei em pé na sua frente e meti meu cacete na sua xoxota, ela me envolveu com as suas pernas e arqueou seu corpo para trás e pedia para que eu mete-se com força, sua mesa rangia e os seus papeis e canetas foram caindo ao chão, ela sufocava os seus gemidos e tentava segurar seus peitos que balançavam desordenadamente, a coloquei de pé, a virei de costa e a deitei sobre a mesa, encaixei na sua xoxota por trás, segurei na sua cintura e voltei a meter com força ela começou a gemer baixinho e acabou gozando, podia sentir meu cacete escorregando mais fácil enquanto ela colocava uma das suas mãos para trás tentando conter as minhas investidas e como eu havia acabado de gozar no cu do urologista, demorei para gozar na xoxota da medica levando ela a loucura. Agora é só esperar a próxima consulta com ela mais enquanto isso acho que vou dar uma ligadinha para enfermeirinha quem sabe essa historia ganha mais alguns capítulos.

 

Gostou? Vote no Conto:

34128 visitas