Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Comi a auxiliar de transporte | No Emprego | Acervo de Contos

Comi a auxiliar de transporte

Esse fato aocnteceu comigo a 5 anos e hoje resolvi compartilhar com vcs. Eu trabalhava como motorista de uma van escolar e tinha uma guria que me auxiliava com as crianças no transporte. Como era um trecho muito longo, na metade do caminho, a van ja estava com poucas crianças dentro e a minha ajudante sentava no banco da frente junto comigo e sempre ia de joelhos no banco conversando com as crainças na parte de tras do carro. Eu ficava admirando sua bunda que era muito bonita e um par de coxas delicioso. Com o passar dos dias, fomos pegando mais intimidades e ela começou a falar coisas sobre o seu namorado, que ele não gostava que ela andasse de shortinhos ou sainhas provocanters, mas que ela andava que era justamente pra ele ficar puto da cara, e que as vezes ela não tinha tanto carinho da parte dele, pois, bravo com ela, ele se recusava a lhe dar uns amassos. Aquilo foi atiçando minha curiosidade e meu tesão foi aumentando. Um dia depois de deixarmos quase todas as crianças do transporte, so tinha duas que era no final da linha e estavam meio que dormindo dentro do carro, ela de joelhos no banco, eu comecei a passar a mão em suas pernas, ela estava de sainha, vi que ela olhou para mim, deu um sorrizo maroto e abriu um poco mais as pernas, deixando mais a vontade sua bucetinha e eu não perdi tempo, subi minha mão e comecei a tocar sua bunda, linda e gostosa, aquilo me deu um tesão louco, meu pau latejava dentro da calça, ela abriu ainda mais suas pernas e encontroei sua bucetinha por traz, estava toda melada, puxei sua calcinha pro lado e enfiei um dedo, que deslizou para dentro daquela xana super lubrificada. Fui massagenado sua xana até o final da linha, deixamos as duas crianças restantes em casa e retornamos todo o trajeto, ai ela ja sentou, tirou sua calcinha e eu vim masturbando seu grelo até a porta da casa dela. ela dezceu da van sem calcinha, pois enfiou a mesma dentro da bolsa, desceu e seu namorado ja a esperava no portão como ele fazia todo dia.

Correu deu um abraço e um beijo no namorado, deu tchau e entrou, fui pra casa com o pau latejando e doendo as bolas, chegando em casa, nem esperei a noite, convidei minha esposa para um banho e sem esperar muito, fui metendo a mão em sua buceta, e enfiando o meu pau, gozando quase que imediatamente. Minha mulher me questionou o porque daquilo e eu disse simplismente que estava com tesão.

Não via a hora de chegar no outro dia de trabalho, parecia um nomoradinho que havia descoberto dado o primeiro beijo. Buscamos as crianças normalmente como todos os dias, mas neste dia ela estava com um shortinho de perna larga, de uma malha bem fininha que quando abria as pernas, eu chegava a ver sua clacinha.Na volta para entregar as crianças, assim que saimos do colegio, ela pediu para eu parar no posto de gasolina que ela queria ir ao banheiro, assim o fiz. Ela desceu demorou alguns segundos e roternou, quando entou na van, me mostrou a calcinha que ela guardou na bolsa, de pronto ela ja ficou de joelhos no banco olhando as crianças, eu mais que depressa comecei a passar a mão por suas pernas e encontrar sua xoxota lisinha, ela havia depilado ela todinha. Meus dedos a penetraram rapidamente, e era um tesão louco, andarmos uma ou duas quadras e termos que parar para ela escer as crianças. Ela me disse depois que esse tesão foi incontrolavel. Faltando as duas para o final da linha, comecei a masturbar seu grelo, não demorando muito pra ela gozar e escorrerpelas pernas abaixo.

Deixamos os ultimos e no retorno, ela ajoelhou no assoalho da van e tirou meu pau pra fora e começoua a chupar. Não tenho o pau muito grande como todos ai nos contos, mas seu trabalhar com o meu muito bem, e chupo uma buceta como ninguem. Entrei por uma estradinha de terra fora da rota maior e achando um lugarzinho bem escondido, guardei a van e parti pro ataque. Deitei ela no banco dos passageiros, abri suas pernas e comecei a chupar sua buceta, que buceta deliciosa, linda, cheirosa, apertadinha, toda rosadinha e que é melhor, carequinha. Chupei muito aquele grelo, enfiando um dedo no seu cuzinho, a fiz gozar por duas vezes. Pus ela de quatro no assoalho da van e sentado no banco, comecei a penetrar sua bucetinha melada, bombei por alguns minutos e depois tirei e ciomecei a passar por seu cuzinho rosado e apertadinho, ela não permitiu que eu a penetrasse no cuzinho, mas continuei bombando em sua bucetinha, mas ela pediu pra eu gozar em sua boca. Gozei como um cavalo, inundando sua boca de porra, que chegou a escorrer pelos cantos da boca o que ela limpou com a lingua. Nos vestimos e fui deixar ela em casa. Chegando la, o seu namorado a esperava novamente , ela desceu foi até ele e lhe deu um beijo de lingua super demorado, como se estivesse querendo passar para ele toda a minha porra que ela havia bebido. Ao entrar pelo portão adentro, ela com ele de costas, enfiou o dedo na buceta e levou a boca e lambeu.

No outro dia ao chegar para pegar o carro para ir trabalhar, meu patrão me informou que naquele dia eu não teria acompanhante do trajeto, visto que a funcionaria havia pedido demissão na parte da manhã e ele iria contratar outra até o final de semana.

Nunca mais a vi, passei algumas vezes em frente a sua casa, mas estava sempre fechada. Perdi o contato, mais foi uma melhores fodas da minha vida.

 

Gostou? Vote no Conto:

82065 visitas