Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

As duas coroas | No Emprego | Acervo de Contos

As duas coroas

Era um dia quente de Verão, o calor era muito, sentado na minha secretária preparava uns documentos, que tinha que fotocopiar. Dirigi-me a fotocopiadora, mas estava ocupada pela Laura. Laura, corpo redondinho e no ponto, seios médios, cabelo comprido. Trazia um vestido leve, justo no rabo, onde se notava que trazia uma tanga. Esperei a minha vez para fotocopiar os documentos. Quando Laura saiu de ao pé da fotocopiadora, como havia pouco espaço, roçou o seu rabo em mim. Senti um arrepio pela espinha. Parecia que tinha feito de propósito para diminuir o pouco espaço que já havia. Olhei para ela, e ela sorriu com ar de marota. Afinal que se passou?

Como tinha algum serviço atrasado, aproveitei a hora de almoço para acabar de fotocopiar os documentos. Qual o meu espanto, quando vejo Laura de novo na fotocopiadora. Mais uma vez aguardei a minha vez, mas Laura deixou cair uns papéis e eu, educadamente ajoelhei-me para os apanhar. Ela fez o mesmo, mostrando através do seu decote generoso, os seus seios, e que por sinal não tinha soutien. Ela perguntou-me se gostava do que via? E eu respondi: Como posso não gostar? ? Corando em seguida.

Não tenhas vergonha?sei que me observas - frisou Laura. Perante isto apenas murmurei um ligeiro pedido de desculpas. Desculpas porquê? Fiquei muito lisonjeada ? reafirmou Laura. E sabes o que me apetecia?

- Não? - Respondi eu a medo e receando a resposta.

Ela agarrou meu pescoço e beijou-me, senti sua boca quente e gostosa colar-se junto aos meus lábios. Suas mãos foram descendo pelo meu corpo até abrirem o zipper de minhas calças. Meu pénis já estava durinho, ela começou a masturbá-lo com suas mãos, e baixou-se, fazendo um broche delicioso, afagando com a língua a minha glande, jogar com os meus testículos em sua boca. Estava prestes a explodir quando ela parou. Ai, eu puxei-lhe o vestido para cima e meti-lhe vários dedos pela sua vagina dentro. Ela já estava húmida e louca de tesão. Deitei-a numa mesa que tinha lá, e abri-lhe as suas pernas, desviei um pouco sua tanga, comecei a lamber no clítoris, meti-lhe a língua na vagina e depois estimulei-lhe o ânus. Ela contorcia-se de prazer, agarrava meu cabelo para me forçar a entrar com a língua em si. Eu ia-lhe apertando os seios como se fossem bolas de massagem. Já com uma tesão louca, ela pediu-me para a penetrar, e assim fiz com estocadas violentas e agarrando os seus seios. Ela gemia de prazer. De repente entrou na salinha em que estávamos uma colega nossa, Maria. Maria tinha 55 anos, era esguia, de cabelos grisalhos, mas com um rabinho ainda comestível. Ficámos atónicos, mas antes que pudéssemos dizer alguma coisa, já Maria estava a dizer para continuarmos? Ai ainda ficámos mais admirados? e Maria perguntou se poderia participar. Olhamo-nos e eu devagarinho e a medo disse que sim, Laura também fez um gesto afirmativo. Cheguei-me para perto de Maria e comecei a beija-la e a afagar os seus seios. Ela depressa se ajoelhou e começou a fazer-me um broche?Laura não se quis ficar e começou a beijar o meu corpo nas costas. Eu deitei-me em cima da mesa, e enquanto Maria continuava a deliciar-se com o meu pénis, Laura ia passando a língua entre os meus testículos e o meu ânus. Já não aguentava mais, era muita excitação. Pedi para elas pararem. Como se tivessem combinado, Maria sentou-se em cima da minha cara, esfregando sua vagina na minha boca e Laura sentou-se ao meu lado de maneira que eu pudesse enfiar os dedos dentro dela. Com a mão que me restava ia massajando os seios de Maria. Ambos estavam excitadíssimas e eu excitado de as ver. Então resolvi apimentar as coisas. E disse, fodam suas putas? Maria não se fez rogada e respondeu: Sou puta só para ti? Laura por seu lado apenas gemeu e com os meus dedos dentro dela, pediu para meter a mão. Laura se masturbava e estava toda aberta, gemia, contorcia-se, pedia para não parar de meter a minha mão nela. Maria também estava excitada de lhe meter a minha língua na sua vagina e segurava minha cabeça para não puder fugir dela. Laura veio-se na minha mão e Maria na minha boca, e eu com meu pénis duro de tesão. Maria, saiu de cima de mim e pediu para a foder?Enfia o teu caralho em minha cona? eu obedeci. Encostei-a contra a mesa e pelas suas costas enfie-lhe meu caralho todo de uma vez?ela gemeu mas começou a bombar com medo que eu fugisse. Sua cona, apesar da idade, era apertadinha e quente. Laura veio por trás de mim e começou beijar-me na boca e a massajar meus testículos enquanto eu não parava de dar na cona de Maria. Maria rebolava de prazer, eu lhe dava tapas no seu rabo, metia um dedo no seu ânus, até que ela se veio ao mesmo tempo que eu, apertando tanto a sua cona que meu caralho custou a sair?Laura vendo meu caralho ficar mole, começou a chupá-lo devagar para ir recompondo, enquanto eu aproveitava a esporra que saia da cona de Maria para lhe ir lubrificando o ânus e ir enfiando dedos, primeiro um depois dois e finalmente três?ela não parava de gemer? Laura vendo meu caralho pronto para acção, Pegou nele e meteu na sua cona. Agora é a minha vez de ser a tua puta!- disse Laura, enquanto abria as pernas deitada em cima da mesa. Eu não parava de lhe meter meu caralho, e sempre com os dedos no ânus de Maria que parecia nunca se contentar e pedia apenas para não parar. Laura estava a masturbar-se e doida de tesão dizia: Fode-me como puta, cabrão! Eu comecei a bombar nela e a apertar-lhe as mamas, que tinham os mamilos bem salientes, e bons para puxar. Eu não aguentando de tesão vim-me dentro dela, ela apercebendo-se começou a apertar sua cona e veio-se também. Ela começou a gemer e pediu para lhe enfiar no cu. Enfia-me no cu, fode-me o cu todo!! ? implorava Laura. Maria que continuava com meus dedos dentro de si, disse que agora era a sua vez? E assim, mantendo-a de encontra a mesa, enfiei devagarinho a cabeça de meu caralho no seu cu. Ela mostrou algum desconforto, mas foi empurrando os eu corpo contra o meu até lhe enfiar tudo. Fode-me, pois nunca me foderam o cu?disse Maria. Nunca?? Disse u admirado. E aumentando o ritmo e cada vez mais dando tapas nos eu rabo. Ela cada vez mais excitada, abria seu rabo com as mãos para lhe puder enfiar até ao fundo. Laura, não quis ficar parada e pediu para lhe fazer o que tinha feito à Maria. Molhei meus dedos na esporra que saia da sua cona e fui metendo dedos no seu cu. Laura pareceu estar à vontade com os dedos no seu cu e rebolava de prazer. Enquanto eu continuava a foder Maria naquele cu delicioso. Tinha duas mulheres debruçadas naquela mesa uma levando no cu e outra lhe enfiando dedos, era muita tesão. Vendo que Laura estava inquieta para que eu lhe enfiasse no cu, pedi a Maria se poderia ir brincando com as duas. Ela respondeu que sim. E assim, ia uma vez a uma ao cu enquanto estimulava a outra. Tivéssemos assim algum tempo. Até que Maria pediu para me vir nela, e assim fiz, comecei a bombar forte, a bater-lhe no rabo, e apenas dizia-lhe: Vou te fazer puta do cu! Vais ficar mais aberta que uma puta..Maria respondeu, Mais aberta!? Então abre, sou toda tua, sou a tua puta, mas fode-me esse cu!!! Avisei-a que ia vir-me no cu dela e aumentando as estocadas naquele rabo, ela antecipou-se e veio-se dando um gemido enorme e apertando o cu! Tinha sido delicioso comer o cu virgem daquela mulher madura? Laura pediu-me para lhe dar o caralho, que também merecia. Maria estava exausta e ficou a observar-nos. Laura foi colocando o meu caralho junto ao seu ânus e foi forçando a entrada. Laura notavasse que tinha mais experiência no cu e por isso foi mais fácil a sua penetração. Comecei então a fode-la com toda a tesão e a aperta-lhe as suas mamas enquanto ela se masturbava. Seu cu não parava de piscar, e ela de gemer. Finalmente sou a tua puta!! ? disse Laura. Sim és a minha puta em todo o lado, fode puta, abre o cu- dizia eu, enquanto estava a dar as estocadas. Pronto para me vir de novo fui aumentando o ritmo, até que me vim com tanta força que dei-lhe uma estocada que ela largou um gemido. Continuei devagarinho e ela veio-se em seguida. Tinha sido uma loucura completa ter comido aquelas duas mulheres?deliciosas de se foder!! Daí em diante tivemos muitas experiências os três ou só dois, mas não é fácil esquecer as fodas com aquelas mulheres mais maduras.

 

Gostou? Vote no Conto:

50331 visitas