Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Um consolo, minha ex e muito tesão | Masturbação | Acervo de Contos

Um consolo, minha ex e muito tesão

Um consolo, minha ex e muito tesão,



Ola, novamente estou aqui para relatar mais uma experiência minha, assim como a anterior que postei, Finge que não vendo, para quem não a leu, meu nome é Eduardo, sou de São Paulo. Assim como na outra historia que relatei, essa também se passou com Mariana, minha ex-namorada, com a qual realizei quase todas nossas fantasias. Sempre que estávamos entre paredes nosso tesão falava mais alto, e aos pouco fomos experimentando tudo o que nos vinha em mente, mas em uma noite em um motel da região, achamos que tínhamos nos superado, ao entrarmos no quarto, como sempre, dávamos uma geral, víamos o que estava a nossa disposição e neste havia uma cesta cheia de produtos eróticos, pomadas pra isso, creme pra aquilo, aquelas bolinhas, e entre eles dois vibradores, um realista e outro daqueles que parecem um batom gigante. Mariana já estava toda excitada e eu não ficava atrás, quando percebemos já estávamos nos pegando, nos chupando. O tesão já estava a mil, e eu não conseguia parar de pensar em pegar aquela rola de borracha e masturbar Mari com ela, e foi quando ela ficou de quatro pra mim, arrebitando aquela bundinha gostosa que não aguentei mais e falei a ela que iria pegar aquele consolo e a masturbar com ele enquanto eu a chupava, ela ficou meio sem reação, e eu a deixei escolher, ela pegou logo o realista, ficou com um pouco de medo ou vergonha, mas eu podia sentir em sua pele que ela estava gostando da ideia, tirei danado da embalagem e fui lava-lo, Mariana veio atrás de mim, enquanto eu lavava aquele treco na pia ela por trás de mim começava a me masturbar, meu pau que estava mais pra mole do que pra duro começava a pulsar e logo estava duro de novo, quando voltamos para cama passei o brinquedinho para ela, começamos a nos beijar e ela acariciando meu pau com uma mão e na outra o consolo, estávamos novamente loucos de tesão, pedi pra que Mari ficasse de quatro pra mim, ela empinou a bunda e me deixou a vontade para fazer o que quisesse, ali eu me saboreava, chupava sua bucetinha com gosto, lambia seu cuzinho, esquentei bem meu amor e bem suavemente fui enfiando aquela rola de borracha em sua bucetinha, ela suspirou forte, e abaixou os ombros fazendo seus seios ficarem apoiados no colchão, ao mesmo tempo que eu fazia movimentos de vai e vem me deitei debaixo de suas pernas abertas e passei a chupar e lamber seu clitóris, ela deu um gritinho de tesão, sua buceta escorria em minha boca, e eu já não aguentava mais, tirei aquilo de dentro dela e coloquei o meu, ela gemia gostoso me levando ao delírio, mas ainda não estava bom, eu queria ver ela louca, queria muito dar o maximo de tesão para ela aquela noite, me deitei e fiz ela vim com a bucetinha sobre meu rosto, ela se virou e fizemos um meia nove maravilhoso, sua buceta melada esfregando em minha boca, meu pau duro com seu mel era chupado com vontade por ela, ela adorava sentir seu gosto, tanto em minha boca como eu meu pau, mas o melhor ainda estava por vir, ao passar a mão pela cama senti o danado do consolo ao nosso lado, não pensei duas vezes, comecei a passar aquela cabeça de borracha na entrada de sua bucetinha, com língua fazia movimentos em seu clitóris, ela já estava gemendo mais alto, parou de me chupar e agarrava meu pau pela base tão apertado que eu sentia as veias dele quase estourando, então comecei a penetra-la com aquilo, enfiei metade e comecei a masturbar e chupar ela ao mesmo tempo, ela não gritava, ela urrava, um urro grosso sem pudor, sem censura, pedia a ela que chupasse meu pau, ela quase arrancou minha cabeça de tão forte que foi sua chupada, com meu pau em sua boca ela soltava gritinhos abafados por ele, foi quando senti sua mão em cima da minha, tirou minha mão do seu brinquedinho e começou a soca-lo com força pra dentro de sua bucetinha, eu ali de baixo chupando e vendo ela se masturbar ficava cada vez mais alucinado, em meio aos seus gemidos, urros e gritos ouvia ela dizendo o quando aquilo era bom, bate uma pra mim amor ela dizia, no tesão que eu estava obedeci, e enquanto ela se masturbava pra mim eu batia uma pra ela, sentia sua língua na cabeça do meu pau, ora eu parava de bater uma pra ela chupar, até ouvir ela gritar que iria gozar, passei a esfregar ainda mais forte minha língua em sua bucetinha e me masturbar mais rápido, senti seu corpo tremer e em seguida um grito maravilhoso, nem tentei me segurar, senti minha porra jorrando e em seguida a boca de Mari engolindo meu pau que ainda soltava as ultimas gotas de meu gozo, eu, ali por baixo lambendo sua bucetinha toda melada com seu gozo, vi o consolo sendo lançado nem sei pra onde, ela estava quase desfalecida sobre mim, lambendo suavemente meu pau e eu fazendo o mesmo com aquela buceta maravilhosa. Ficamos assim por vários minutos, depois deitamos um ao lado do outro tentando retomar o fôlego, tomamos um banho maravilhoso juntos e fomos para a banheira, ficamos quase uma hora relaxando e fazendo caricias de leve um no outro, foi quando eu disse a ela que queria ver ela se masturbando com o consolo, fiquei pirado naquilo, ela ficou meio sem graça mas me deu isso de presente, assim que saímos da banheira ela se deitou na cama, mandou que eu ficasse sentado próximo a seus pés apenas olhando, ela pegou o consolo e começou a lamber da mesma forma que fazia com meu pau, chupou um pouco e foi deslizando ele até seus volumosos seios, passava ele no bico de um depois no outro, eu vendo aquilo já de pau duro, ela o levou até a boca, o molhou com uma grande quantidade de saliva e o levou até sua buceta, o esfregou por sua entrada, forçou um pouco e vi aquele consolo sendo engolido até perto da metade, ela fez alguns movimentos o retirou e o levou a boca de novo, nessa hora meu pau já tava até babando, e eu louco pra ir pra cima dela, ela me pediu para que eu a chupasse, e aquelas palavras dela me alucinavam ? vem amor, me chupa, vem me deixar molhadinha vem ? como não fazer aquilo, cai de boca, tentava enfiar a minha língua o mais fundo possível, com a boca na sua bucetinha podia ver ela chupando o consolo, quando percebi que ela já estava no ponto novamente, toda molhada, toda lubrificada me afastei, ela encostou o brinquedinho na sua buceta e me disse ? olha amor, vou brincar pra você - e novamente ela começou a enfiar o consolo dentro de sua buceta, - ta gostando amor? Ta gostando de ver? ? ta de pau duro tá safado? ? eu hipnotizado com aquela cena disse que sim, disse que estava todo babado e quando fui me masturbar ela pediu pra me chupar, me ajoelhei na cama ao lado de seu rosto, ela virou um pouco de lado e começou a passar a ponta da língua na cabeça do meu pau, lambendo todo liquido que o tesão me fazia soltar, ela se virou de lado de vez, as pernas abertas, uma mão fazendo o consolo entrar e sair de sua bucetinha, a outra apertando meu pau enquanto ela chupava minha cabeça se deliciando com meu mel, ela tirou o consolo de dentro dela, parou de me chupar e olhando para mim sem soltar meu pau me disse ? me beija, vem amor, vem me comer vem, não quero mais esse negocio de plástico, quero seu pau dentro de mim, desci até seus pezinhos e comecei a beija-los, eu adoro um pé, o dela era lindo, e ela por sua vez morria de tesão quando eu enfiava seu dedão na boca e o chupava com força, dos pezinhos, fui beijando, chupando e lambendo suas pernas até chegar em sua virilha, ela afastou mais as pernas, eu dei um chupão gostoso em sua virilha, depois fui pra sua bucetinha, chupei ela bem gostoso sem muita pressa, ela puxava meu cabelo, me puxando para cima, e cada parte de seu corpo que subia minha língua e minha boca iam passeando por ela até chegar em seus seios, aqueles bicos rosados, aqueles seios grandes, branquinhos eram uma delicia de se pegar de chupar, subi um pouco mais beijando seu pescoço até chegar em sua boca, nossa línguas travavam uma batalha molhada, senti a mão de Mariana pegando meu pau e o levando até a entrada de sua bucetinha ? me come amor, me come gostoso ? meu pau bem dizer escorregou pra dentro de sua buceta toda molhada, senti meu saco encostar na sua bundinha, ela descolou seu lábio do meu, deu um gemido gostoso enquanto cravava suas unhas em minhas costas, comecei a comer ela com vontade, com força, queria sentir ela gozar comigo, nós nos beijávamos, nossas mãos apertavam com força um ao outro, meu pau entrava e saia gostoso de dentro de sua bucetinha, como ela estava quente naquela noite, eu falava palavrões em seu ouvido, dizia que sua bucetinha estava pegando fogo, e cada palavra e cada investida de meu pau nela, ela me arranhava e mordia, logo Mariana gozou, senti seu corpo tremer, levei uma mordida forte no ombro, eu também não podia me segurar mais, tirei meu pau de dentro dela e gozei gostoso, jogando meu gozo sobre sua barriga, alagando seu umbigo, melando ela até perto dos seus seios, nos beijos carinhosamente e me deitei ao seu lado, ela rolou por cima de mim se esfregou um pouco sobre meu peito, ficamos os dois melados de gozo e suor regados de paixão e tesão. Nesta noite mais loucuras aconteceram e depois dessa varias outras ainda mais divertidas vieram, a coisa toda foi tão boa, tão intensa que toda vez que íamos a motéis levamos o brinquedinho, é claro que compramos um bem melhor , feito de um material parecido com uma gelatina e íamos bem mais preparados com óleos, lubrificantes e é claro muito tesão. Logo volto com mais uma experiência, estou até lembrando dela agora, e esse vibrador serviu de incentivo e motivação para realizarmos uma fantasia oculta nossa até aquele momento. Espero que tenham gostado, felicidades e prazeres a todos.

Eduardo

www.turbinado@hotmail.com

 

Gostou? Vote no Conto:

55297 visitas