Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Ponto G | Lésbicas | Acervo de Contos

Ponto G

A verdade é que a lei da gravidade não perdoa e todo aquele exagero da minha juventude se tornou no meu excesso do dia a dia, foi quando eu decidi entrar para uma academia e perder os quilinhos que vinham se acumulando com o passar dos anos mas, não foi uma decisão tão fácil assim. Eu tinha vergonha de mostrar o meu corpo e quando eu usava aquelas roupas de ginástica me sentia completamente exposta com todos os homens me olhando e alguns nem disfarçavam para me olhar ou ainda pior, mexiam grosseiramente quando eu passava me deixando completamente inibida. A minha irregularidade na freqüência da academia fez com que o dono chama-se um amigo seu que era psicólogo para conversar comigo, ele tentou me convencer de que não havia nada de errado com o meu corpo e após essa conversa, vendo que eu não tinha ficado muito satisfeita me passou o telefone de Juliana, uma professora de ioga que fazia seções particulares na sua casa. Dias depois, liguei para ela e agendei um horário, sua casa era afastada do centro cercada por muros altos, arborizado e tinha uma bela casa que parecia um aquário, toda envidraçada ao lado de uma imensa piscina onde fui recebida com um belo café da manhã. Após conversamos ela me mostrou onde eu poderia me trocar, andamos pela sua propriedade e depois sentamos a beira da piscina para iniciarmos os exercícios. Não havia notado nada de anormal ate então, apesar das constantes correções de postura pos nunca havia feito ioga antes e achei que fosse normal ela me corrigir colocando a mão no meu corpo e me posicionando da maneira correta. Durante os exercícios ela massageou e comprimiu vários pontos do meu corpo me deixando bem relaxada mas quando pressionou próximo a minha virilha eu subitamente senti todo o meu corpo incendiar, tentei conter a sua mão mas a sua voz doce e suave ao meu ouvido e os seus beijos na minha nuca, me deixavam completamente sem ação e devagarzinho aquelas mãos hábil foram ganhando espaço pelo meu corpo, me invadindo e quando eu menos percebi, já estava com ela lambendo a minha racha de cabo a rabo. Foi rápido e totalmente inesperado mas em poucos minutos aquela professora de ioga tinha me levado ao nível de prazer que a muito tempo eu não sentia, continuei deitada a beira da piscina desejando que ela continua-se a me lamber mas ela havia acabado de se despir e mergulhou logo em seguida, assim que emergiu. Lá da água ela fez o convite para que eu também entra-se na piscina e esse breve intervalo foi o suficiente para eu recuperar a minha consciência e quisesse sair correndo daquele lugar. Quando iniciei a vestir as minhas roupas ela surgiu linda, nua e com o seu corpo todo salpicado de gotículas de água que iam escorrendo pelo seu corpo e eu fiquei simplesmente estática admirando aquela linda mulher sem me dar conta de que ela se aproximava para novamente me envolver em suas caricias. Novamente em seus braços eu me vi atordoada, excitada e completamente sem chão, ela me beijava os lábios enquanto acariciava a minha racha mas, eu que segurava a sua mão, não conseguia lhe impedir ou demonstrar qualquer outra tipo de reação e novamente a professora me acariciou quase fazendo com eu atingi-se o clímax. Não sei explicar o que eu senti, nunca tive desejos por mulheres mas continuava segurando firme a mão dela sobre a minha racha mesmo depois dela já ter parado de me beijar e quando abri os meus olhos após a aquele longo e caloroso beijo, comecei a esfregar a mão dela na minha racha querendo desesperadamente gozar e novamente ela mergulhou na sua piscina me chamando para nadar.          

Desta vez eu não me fiz de rogada, pulei na piscina muito excitada e juntas começamos a nadar, nossos corpos se entrelaçavam enquanto nos beijávamos, ela mergulhou e começou a chupar a minha racha embaixo da água e eu acabei me desconcentrando e bebi um pouco de água, nadei para borda e ela veio por trás, abriu as minhas pernas e continuou a me chupar. Ela sabia muito bem aonde enfiava a sua língua porque não demorou muito para que eu começa-se a gozar, saímos da piscina e ela continuou a me acariciar, sua mão envolvia o meu corpo me fazendo suspirar, seus elogios ao meu ouvido me faziam delirar, nos encaixamos uma entre a perna da outra e começamos a esfregar uma na racha da outra e por um breve momento enquanto rolávamos no chão, eu voltei no tempo, lembrando de um passado onde todos os homens me desejavam e queriam me amar. Eles socavam forte e quando iam gozar tiravam dando um banho de prazer na minha racha me deixando toda melada e foi justamente o que aconteceu enquanto nos duas roçávamos racha com racha. A professora começou a gozar e a sua racha esguichava molhando a minha, me fazendo mais uma vez gozar, depois ficamos deitadas de mãos dadas conversando sobre a alto estima feminina e é claro que sai desta seção completamente renovada, me sentindo novamente gostosa pois agora sabia que havia ate uma mulher que desejava fazer sexo com uma gordinha.

    

 

Gostou? Vote no Conto:

5781 visitas