Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Levaremos nosso segredo para o túmulo | Lésbicas | Acervo de Contos

Levaremos nosso segredo para o túmulo

Eu senti meu corpo amolecer quando ela abraçou por trás e apertou-me contra ela. Corpo quente... Macio. Seus lábios, molhados, deslizavam pelo meu pescoço e a respiração dela me arrepiava sem parar. As mãos, macias, me apertavam na barriga e os seios, bicudos, nas costas. Misericórdia! Era tudo o que eu queria naquele momento... Sentia-me protegida! Meus seios queriam saltar para fora da blusinha preta decotada... Inchados! Minha calcinha molhava cada vez mais! Tudo acontecia tão rápido. Achei que meu corpo fosse pegar fogo. Coração acelerado. Doces e maliciosas palavras ao meu ouvido direito:

- Eu não conseguia parar de pensar em você durante o seminário. Fiquei excitada a manhã toda imaginando estar contigo, San. Você me deixa looouca, menina!

- Eu?! Não fiz nada! (risos)

- Sei... Sei... Sempre santinha! (risos) Você é um delírio na minha vida desde a primeira vez que te vi chegando com meu cunhado. Toda menininha e inocente... Rostinho meigo e angelical! Eu jurei pra mim que você seria minha. Você me fascina, San!

- Sabia que eu senti a mesma coisa, Dete? Seus olhos estavam me comendo na sala da sua casa enquanto conversávamos entre nossos familiares. Minhas mãos suavam e eu sentia misto de excitação e medo do que poderia acontecer dali pra frente.

- Medo eu também sentia. Procurei esperar o momento certo de investir na minha riquezinha! Quando vocês voltaram da lua de mel notei, no seu olhar, que a hora do bote estava próxima. Sua barriguinha estava tão linda... Fiquei fascinada! (risos)

- Uaaau... No meu olhar, amor? (risos)

- Sim. Seu olhar me dizia que era apenas uma questão de tempo para você estar nos meus braços. (risos)

- Convencida! (risos)

- Nada disso... Nosso amor sempre esteve escrito nas estrelas!

- Você tem razão, amor. Ao seu lado, sinto-me realizada. Amo, sim, meu marido. Mas contigo é diferente... Coisas de pele... De mulher pra mulher! Eu ti amo.

- Eu também ti amo, bonequinha linda!

As coxas torneadas roçavam as minhas. Sua calcinha pressionava-me pelo quadril. Dete mordia carinhosamente meus ombros e costas enquanto as unhas riscavam minhas coxas. Tirou-me a blusinha e meu bumbum, empinado pelo salto, era lambido sem parar. Minhas pernas amoleceram! Dete abaixou minha calcinha. Só consegui suspirar, Aaaaaai, assim que senti a língua invadir-me na xaninha e o gozo escorrer. Eu fiquei ensopada! Apoiei-me na parede do quarto e deixei-a realizar-me uma vez mais. O frescor da sua língua entrava pela minha vagina e eu delirava! A ponta do nariz arrebitado cutucava-me no ânus e os bicos dos seus seios roçavam-me na bunda. Mãos apertavam as bandas do meu bumbum liso e macio... Abriam-me! Arrepiavam-me na pele e contrações não cessavam. Eu não aguentei muito tempo... Agachei-me de costas para ela.

Instantes depois, Dete me abraçou novamente e me conduziu para a cama macia e com belas almofadas cor de rosa. Ela é linda e cheirosa! Cabelos compridos formavam rabo de cavalo. Lápis preto no contorno dos olhos verdes, sombra iluminadora rosa nas pálpebras, batom no mesmo tom. Camisete branca e caleçon rendado. Escutei seus tamancos caírem no chão assim que começou a tocar Dancing Queen, Abba.

Beijamo-nos loucamente sobre o lençol e trocamos juras de amor entre almofadas macias. Beijos cada vez mais quentes. Trocas de carícias por nossos corpos. Respiração e salivas se misturando sem parar. Que lábios carnudos e macios... Língua manhosa... Gostosa de chupar! Deslizava pelo meu pescoço, orelhas, costas, bumbum, pernas, entre dedos dos pés e voltava subindo pelas minhas pernas, virilhas, barriga, seios e apontava sobre o queixo invadindo-me na boca sedenta. Seios se amassando e clitóris se roçando. Dete me realizou e vice versa. Sentia seu líquido me molhar... Os lábios até penetravam-me! O grelo deslizava pela minha boceta e eu via estrelas nos braços da minha cunhada. Exausta, caiu sobre mim. Abracei-a. Maravilhosa sensação... Estávamos suadas, descabeladas... Gozadas!

Deixe-me nos apresentar. Meu nome é Sandra, 32 anos, pele branca, 1,56m, 68 Kg, cabelos pretos, lisos e abaixo dos ombros, seios grandes, bumbum redondo, coxas grossas e lisas. Claudete, minha cunhada, 46 anos, pele branca, 1,64m, 70 Kg, cabelos loiros, lisos e abaixo dos ombros, seios médios, bumbum grande, redondinho, coxas grossas e maravilhosas.

Começamos a conviver quando nos tornamos vizinhas, assim que voltei da lua de mel. Meu marido é irmão do marido dela. Trabalham juntos numa multinacional holandesa. São representantes comerciais e viajam bastante. Eu me casei aos dezesseis anos. Grávida. Dete sempre me ajudou muito. Minha família é do interior do estado de São Paulo. Mamãe não podia ficar muito tempo comigo... Tenho irmãos e irmãs. Eu e Dete cuidamos do lar, dos filhos e sempre estamos juntas. Isso facilitou nossa aproximação, além da atração pré-existente.

Eu sou mamãe de um menino e duas meninas. Claudete é mamãe de três meninas. Nossas famílias, graças a Deus, se dão super bem. Somos católicas apostólicas romanas. Participamos de trabalhos na nossa igreja. Nosso romance é velado... Levaremos para o túmulo. Este momento, que estou narrando, aconteceu há cinco meses, durante a semana que passamos juntas numa cidade do interior do estado de São Paulo. Congresso da nossa igreja. Nossos filhos viajaram conosco. Enquanto participavam de atividades recreativas, nós duas delirávamos no quarto do hotel naquela tarde de primavera. Sempre super discretas! Aproveitamos para comemorar 16 anos do nosso romance ardente e secreto.

Eu sentia o grelo pulsando sobre a minha xoxota lisa. Que sensação divina! Nossos lábios duros enroscavam-se cada vez que nos mexíamos. Líquidos escorriam das nossas entranhas e molhavam arredores da boceta. Parecíamos estar agachadas sobre poça de água.

Suadas, queríamos mais! Olhares de amor e expressões de carinhos tomavam nossa atenção. Beijos ardentes. Dete me chupou nos seios enquanto minha vagina chegava doer tamanha a força das minhas contrações. Eu gemia nos braços dela! E ela? Nos meus. Desceu a língua e buscou aconchego entre minhas pernas semi-abertas. Logo, me senti invadida. Revirada! Dedos, língua e lábios passeando pela minha boceta. No ânus, lubrificante e muito carinho. Dedos entravam e saíam enquanto eu era delírios. Assim que me apoderei do seu grande e belo quadril, quase fiz xixi ao ter um orgasmo junto com ela. Eeeita mulher gostosa, Senhor... Tenha misericórdia por nós duas!

Os lábios macios meus dedos abriram. Eu enfiava a língua o máximo que conseguia alcançar. Melado gostoso... Ora salgadinho... Ora azedinho... Levemente picante... Ácido! Cheiro de xana... Adoro! Ânus apertado, rachadinho e quentinho. Indefeso. Ameeei realizar-me e realizá-la. Temos brinquedinhos. Ela me possuiu. Amo ser dominada pelos seus instintos femininos mais perversos. Meus seios balançavam enquanto fui penetrada nos orifícios. Uaaau! Suas mãos macias apertavam-me na cintura e nossas coxas se esfregavam. Soca-soca, bem gostoso, dentro de mim até que me desmanchei. Uma delícia foi possuí-la enquanto sentada sobre meu quadril dando-me de mamar. Beijos de língua entre estocadas na vagina. Corpos quentes exalando perfumes corporais e nos embriagando de prazer. Olhos abertos... Fechados... Ao ritmo das sensações! Garganta seca e respiração ofegante.

Dete é super feminina no dia a dia. Não sei o que acontece, mas quando estamos no ninho de amor, ela se transforma em fêmea insaciável e dominadora. Confesso que ser submissa é o que me faz delirar! Eu quase faço xixi, de tanto prazer, quando ela me segura entre suas pernas e conduz minha língua, com as pontas dos dedos, indicadores e médios. Mostra-me como e onde quer que eu a chupe.

As calcinhas que ela usa eu amo cheirar... Excitam-me seus cheiros corporais! (risos) Dete abre as pernas e manda-me colocar a boca na sua boceta. Assim que encosto nos lábios, ela me prende pela cabeça. Eu fico sentindo o cheiro e o calor que vem das entranhas. Ela puxa a pele que recobre o clitóris e manda-me lamber. Cuspir e lamber. Seu corpo todo treme a cada orgasmo. Abre com as pontas dos dedos a vagina, coloca seu dedo médio e tira. Enfia na minha boca. Eu chupo... Chupo! Volta a introduzir dentro de si. Após brincar consigo mesma, ordena-me enfiar a língua e satisfazê-la. Manda-me chupar seus lábios duros, um de cada vez, e balançar o clitóris enrijecido com minha língua. Dete delira em orgasmos frente meus carinhos de mulher. Adora quando a penetro no cu. Eu lubrifico e introduzo nosso pequeno companheiro enquanto a chupo na boceta. Ela acarinha-me nos cabelos, nuca e me aperta contra sua vagina. Eu fico com meu rosto todo quente e respingado pelos seus líquidos. Saciada, Dete lambe meu rosto e nos beijamos maravilhosamente. Chupa minha língua e vice versa.

Ela me chupa e sua língua me dá a sensação de que chega no útero... Vira-me pelo avesso! Dete me prende entre seus braços e eu sinto muitos tremores no corpo enquanto gozo e me esfrego nela. Sensação que meu corpo flutua e esqueço até mesmo onde estou. Bão demais da conta! Tapinhas no bumbum me alucinam. Língua forçando-me no ânus é tuuuudo! Aperto-a entre meus seios e dou-lhe de mamar. Se pudesse, leitinho daria pra minha dona. O lençol sempre amassado, com cabelos caídos, marcas de batom e umidade.

Claro, nem tudo é cor de rosa. Já brigamos e ficamos de mal. Graças a Deus, sempre nos reconciliamos. Amigas... Ciumentas... Cúmplices... Somos Íntimas! Eu e Dete numa carne só.

Pessoal, por hoje é só! Fique em paz e obrigado pela leitura. Beijos.

 

Gostou? Vote no Conto:

39225 visitas