Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Amor contado por elas parte 1 | Lésbicas | Acervo de Contos

Amor contado por elas parte 1

A noite de 1967 era tão mais linda, do que as outras do mês de maio pois eu ha tinha conhecido, e ela era perfeita sob a luz do meu olhar, Hunna era uma linda mulher, seus cabelos desciam pesados em suas costas, ondulados como o vai e vem da maré, sua pele sedosa como veludo, morena e perfeita à luz do luar, eu amei-a desde o primeiro momento no jantar que por obrigação apareci naquela noite, e que noite, ao tocar aquela pele pensava como era bom ter sido empurrada para aquele lugar, de perto minha Hunna era o melhor que tinha me acontecido.

Por que será que nossas vidas nos mostram vários caminhos? Por que será que Hunna me conquistara tão rápido?

Eu, Sofhy ministra do Luar, me encantei por uma estrela e me perdi pelo tamanho do seu brilho. Não teria outra forma de se definir como meus olhos se ofuscaram quando fitei os seus olhos perfeitos e singelos ao brilho da tua mãe Lua, e te assemelhas tanto a ela, em todos os aspectos, és tão profunda, e me tira da escuridão de noites solitárias, minha Hunna...creio que te amo.

Não posso mentir, você me cobra, origens, e minha vida, antes desse encantamento por você, e irei te contar, prepare-se pois é como um grande livro, os caminhos que me trouxeram até você, oh Hunna.

Aos 13 anos, na terra de Guilhans meu povoado de origem , tinha uma amiga inseparável, Ster era seu nome, passávamos o dia todo na floresta, caçando, colhendo flores, e nisto nos descobrimos, simplesmente deitávamos a relva e tocávamos uma o rosto da outra, o tempo passou e para nossa tristeza a família de Ster se mudou a levando para outro povoado, dilacerando nossos pequenos corações.

Meus pais decidiram ir para um povoado chamado Strics diziam que nele existia grandes oportunidades, para todos inclusive lenhadores como meu pai, e curandeiras como minha mãe Joana, como não falar de minha mãe, seu aroma era a combinação perfeita das mais belas e perfumadas flores campestres, e seu sorriso trazia a paz.

Ao sair para me familiarizar com o lugar, onde passaria a chamar de lar, me deparei com Selvia, como me afogava em seus seios, e em seus braços, firmes e sempre perfumados, com cheiro de caras especiarias, pois ela era conhecida pelos seus dotes culinários, era ela junto com sua família proprietária da taberna, e único lugar de comer do local.

Todos os dias nos encontrávamos na floresta sobre a luz do luar, e a mata como cumplice assistia nossa ardente paixão e desejo, lembro-me, da nossa primeira noite, desabotoei botão por botão beijando de leve sua nuca, e sentindo seus suspiros de prazer, aos poucos se transformaram em gemidos, que me deixavam mais atiçada, e louca por seus seios, suas pernas, e minha mão entre elas.

Selvia, veio a ficar muito doente, e pra o meu desespero não resistiu, como pensei em dar cabo da minha vida, porém ao ler um livro, descobri um lugar, que seria perfeito pra me curar, da dor e tristeza.

Partir sozinha para a cidade de Matracus, e lá ao chegar procurei uma hospedaria, e ao tomar banho naquela noite, com dor, vi que a vida teria que continuar, e então comecei um curso de poesia.

Passaram-se 3 anos, e acabado o curso, e eu com a arte de saborear e fazer saborear palavras, vivia com vários flertes, como uma das camareiras, branca como a seda, cabelos loiros na cintura e lábios de mel, Ascar me arrematou e bons momentos tivemos juntas, outra era Quirter ruiva, curvas perfeitas, deitada sobre meu corpo nu, movimentando-se contra mim, e meu sexo, fazendo com que flutuasse...

Nesta nossa noite, sai, para tomar um ar, e soube do jantar do marques S. Marqie, dono do curso de poesia, e aclamado poeta, e lá tremi, como tanta beleza poderia caber em uma única mulher? Como poderia chegar em você, e obter sucesso, pelo menos de um sorriso seu?

Eu feita nas palavras, e acostumada com elas, me deixei vacilar ao me apresentar e perguntar seu lindo nome.................oh Hunna, és tão maravilhosa, e seu desejo revelado a mim, como correspondência ao meu é tão bom, tão doce são seus lábios, e quando toco seu sexo me sinto tão ludibriada de fulgor, de te querer mais e mais, e quando seus lábios percorrem meu corpo sinto-me como um pássaro, uma estrela, uma pessoa, desesperada por mais e mais de seu carinho, foi assim que avida me trouxe até você.

E agora, por favor, fica comigo esta noite, repouse em meios aposentos? Deixe-me recitar como sussurros aos seus ouvidos, palavras de amor?

? Seus olhos são perfeitos, nessas águas serenas quero me debruçar,

Cada toque, cada gesto, e movimento que parte de você para mim, me faz mais presa ao seu ser, sua alma esta se ligando a minha, oh amada...hoje sei que é por você minha existência, e que cada caminho, e historia, me mandariam para você, perfeição dentro do mundo imperfeito.?

 

Gostou? Vote no Conto:

11978 visitas