Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Surpresa e presente da minha irmã! | Incesto | Acervo de Contos

Surpresa e presente da minha irmã!

CONTINUAÇÃO DO CONTO: Tirando a virgindade da minha irmã!!!





Passados 2 meses em que transei com minha primeira mulher, que por coincidência é minha irmã, continuávamos nossas vida normalmente, desde que descobrimos que ela não engravidou na nossa primeira noite, não mantínhamos relações sexuais, nem sequer conversamos sobre o acontecido, vivíamos novamente como velhos irmãos, ela como sempre andando com uns shortinhos curtos pra matar qualquer homem de desejo e tesão continuava a ser cobiçada por seus colegas de faculdade e de até outros homens da cidade como empresários e jornalistas de relativo conhecimento da região. Ao meu ver ela era tão cobiçada não porque era garota de programa ou parecesse, mais era desejada por sua beleza e sua sensualidade que era nata, pois além de ser bonita e muuito gostosa, sabia se arrumar seja em eventos formais ganhando destaque em qualquer local que fosse, como também era destaque mesmo de roupas despojadas como seus shortinhos, saias e camisetas que realçavam ainda mais sua bela e gostosura. Numa dessas noites qualquer eu assistia meus jogos de basquete da NBA em meu quarto, mais ou menos umas 11:00 da noite no intervalo do jogo ao ir do meu quarto buscar alguns petiscos e outra garrafa de cerveja notei que a porta do quarto de minha irmã estava aberta, desde que transamos dormíamos de porta aberta já que não precisava mais de total privacidade, afinal transamos, ver partes intimas agora era mero detalhe. Ao chegar mais perto parei na porta do quarto dela e pude ver que ela estava deitada, apenas com a luz do abajur acessa e o ar-condicionado desligado, parecia realmente dormir, mais o que mais chamou minha atenção foi que ela dormia de baby doll na parte de cima e só de calcinha na parte de baixo, e essa calcinha era diferente das que via ela usar, era um pouco curtinha e arrochadinha, fazendo com que sua bucetinha criasse mais volume formando um pacotão maravilhoso. Ela deitada de seios pra cima com os lençóis cobrindo seu rosto como fosse uma máscara e suas pernas um pouco abertas que parecia um compasso desses de escola, como se chamasse para desfrutar aquela bucetinha bem chamativa. Antes ao assistir o jogo da NBA fiquei excitado com as cheerleaders(animadoras de jogos) e agora ao ir a cozinha encontro minha irmã daquele jeito provocativa. Não agüentei, e fui pra perto da cama pra poder apreciar de perto, foi quando não agüentei e tirei meu pau pra fora que já tava duro e comecei a bater uma punheta, vendo minha irmã gostosinha daquele jeito não agüentei, devagar ao subi na cama fiquei de joelhos de frente pra ela como se fosse entrar na bucetinha dela e continuei batendo uma gostosa punheta foi quando em minutos gozei gostoso, os esguichos da minha porra soltaram em cima da sua calcinha mesmo em cima daquele pacotão gostoso, a porra por ser muita escorria em toda frente da calcinha e descia um pouco pro colchão. Naquele momento, depois do jogo é que vim me tocar do que tinha feito, foi quase inconsciente, por sorte acho que ela dormia um sono profundo e por isso não sentiu a porra a melar sua calcinha e suas coxas. Sai dali depressa pro banheiro me lavar e depois pra cozinha pegar mais cerveja e petiscos pra assistir o basquete na TV. No outro dia tudo normal, nem eu comentei nada, nem ela muito menos, seguimos a semana novamente, foi quando uns 5 dias depois ao chegar de uma festa encontro ela novamente na mesma situação e nos mesmos trajes, mudando apenas a calcinha, agora era uma cor azul marinho com detalhes em renda que deixava a xana um pouco transparente, não deu outra, no tesão e no automático de novo, repeti o ritual anteriormente praticado, me punhetava de joelhos na cama em frente daquela buceta deliciosa e não tinha coragem de penetrá-la, novamente gozei nas suas coxas e na calcinha, dessa vez um pouco de porra atingiu a sua barriguinha na altura do umbigo, notei que ela se moveu um pouco, deve ter sentindo a porra quente. Com cuidado pra não acordá-la sai do quarto dela e fui pro meu quarto dormir. Novamente tudo normal no outro dia e durante a semana toda, foi quando 2 dias depois, ao estar dormindo normalmente por volta da meia-noite, de cueca box me acordo com uma sensação estranha na minha cueca, acordo sem levantar e com a cabeça no travesseiro olho pra minha região genital, pra minha surpresa me deparei com minha irmã de 4 só de calcinha e sutiã dos mesmos apertadinhos que a vi no seu quarto chupando meu cacete quase que rijo por completo de tanto ela chupar, ao me ver acordar ela olhou pra mim com o pau todo em sua boca com uma cara de pidona, como se pedisse com os olhos pra continuar mamar meu cacete, ao vê-la somente pela luz do meu abajur e como um sinal de resposta mesmo sem me levantar, olhei pra ela e acariciei seus cabelos como uma resposta, ela notando a minha aceitação continuou a fazer o boquete vagarosamente e perfeitamente, aumentando ainda mais meu tesão, enquanto ela chupava meu cacete, hora olhava ela a mamar gostoso, ora fechava os olhos de tanto tesão e de surpresa por ter minha irmã submissa na minha cama pro que quisesse, ela ficou bastante tempo a boquetar, até que com muito tesão pedi pra parar pra que eu não gozasse, ela parou e ficou de pé na cama, começou a fazer strip-tease, tirando tudo enquanto eu olhava, veio até minha cabeça que estava no travesseiro e com as pernas abertas esfregou sua xaninha bastante molhada no meu rosto, nessa hora ela me falou: VOCÊ A DIAS QUER ESSA BUCETA QUE EU SEI, ENTÃO TOMA, TODA SUA! Comecei a lamber aquela xaninha molhadinha enquanto ela gemia de tesão e me dizia obscenidades, o cheiro de sua xana me deixava alucinado, demorei alguns minutos a lamber ela, foi quando já repleto de tesão peguei ela pela cintura de uma força grosseira, deitei ela como eu estava antes, abri suas pernas e disse: VOU ENTRAR NA TUA BUCETINHA, TÁ NA HORA! Quando abri as suas pernas pra meter, ela falou: ESPERA! QUERO TE FALAR UMA COISA! Pensei logo que ela quisesse que posse a camisinha, mas ela virou de 4 e falou pra minha surpresa: FODE MEU CUZINHO, VIM SÓ PRA ISSO! NUNCA TOMEI NO CU E QUERO QUE VOCÊ SEJA O PRIMEIRO! VEM DEVAGAR, COMI! UHM! Não podia acreditar, era demais pra mim, não imaginei que comeria um cu tão cedo, muito menos de minha irmã que por sinal era virgem do cuzinho. Vendo aquela coisa linda de 4 pra mim me pedindo pra entrar era irresistivel, comecei a lamber o cuzinho dela e comecei a forçar a entradinha, mesmo meu cacete liso com a saliva percebi que o cuzinho era virgem e que ela ao sentir forçar a entradinha trancava o cuzinho, foi quando ela disse que tava com medo, mais mesmo assim tava com tesão, e me perguntou o que tinha de liquido no quarto que podia lubrificar, foi então que lembrei do meu gel de cabelo, fui pegar e ao chegar me lembrei dos filmes pornôs e fui fazendo tudo que eles faziam quando iam torar um cuzinho, fiz o mesmo, ao lambuzar minhas mãos de gel fui enfiando 1,2,3 dedos nela enquanto via ela gemer de 4 dizendo que já tava doendo, foi quando vi que seu cu já aceitaria meu cacete, encostei a cabeçinha e falei: PRONTA? POSSO ENTRAR? Ela respondeu: COM CUIDADO, ENTRA VAI!UHHM! Nessa hora empurrei a cabeça do cacete toda pra dentro enquanto segurava nas suas ancas, ela gritou alto desesperada: AIIIN TÁ DOENDO, TÁ DOENDO! TIRA! Dizia coisas carinhosas pra ela e lhe acariciava as costas e seus seios pra lhe acalmar, ouvindo ela gemer ainda comecei a enterrar o cacete nela por completo, ela gemeu ainda mais alto: AIINN CHEGA, É GROSSO DEMAIS TIRA, VAI ME RASGAR, VAI ME RASGAR! Já tinha enterrado tudo, meu cacete parecia está sendo estrangulado de tanta força que ela fazia tentando alargar seu cuzinho, disse a ela: ESPERA UM MINUTO, JÁ VOCÊ ACOSTUMA! Aos poucos fui tirando e estocando devagarzinho, meu pau duro e com as veias visíveis alargava seu cu, sentia ela comprimindo meu cacete com seu cu ao meter e ao ver que tava tirando seu cu alargava, ficando um rombo seu anelzinho vermelho. Ela gemia e chorava: AIN AIN DÓI DEMAIS, PARECE QUE VOCÊ TÁ ME RASGANDO EM DUAS! Continuei a estocar nela e fui aumentando o ritmo, comecei a meter com força e rápido foi quando vi ela já estava acostumando, estocava forte e fundo a ponto dela gritar escandalosamente, chorava bastante e gemia: METE MEU AMOR, METE ESSE CACETE GOSTOSO! UHHM! Nessas estocadas fortes e fundas no cuzinho dela, não agüentei muito e anunciei a ela que iria gozar, ela pediu: GOZA! GOZA DENTRO DO CU DA SUA PUTINHA GOZA! Fiz o que ela pediu e gozei dentro dela lá fundo: OOOHHHHH! TOMA ESSA PORRA TOMA! Nunca vi gozar tanta porra daquele jeito, meu prazer era imenso, a cada jato de porra irrigava o cuzinho de minha irmã, ela gemia feito uma cachorra no cio e dizia sentir bastante porra dentro dela, embora várias gotas de porra escorressem e saíssem do seu cuzinho. Enquanto me recompunha da gozada, ela chupava meu cacete e dizia: IMAGINAR QUE ESSE CACETE DESSE TAMANHO ENTROU NO MEU CUZINHO, TÔ TODA ARDIDA, VOCÊ ME RASGOU MANINHO! Demorou uns 5 minutos e eu como não se tivesse gozado já tava de pau duro de novo, deitei ela de pernas abertas na cama, comecei a lamber a bucetinha de novo e quando vi ela molhada de novo comecei a fude-la, bombava forte e rápido naquela xaninha vorazmente, ouvia apenas os gritos e gemidos dela: ISSO, METE GOSTOSO! ASSIM! Rapidinho ela gozou umas 2 vezes, se esticando toda de prazer, foi quando uns 10 minutos depois estocando vi que ia gozar novamente, tirei meu cacete e disse: ABRE A BOCA, ABRE A BOCA! AAAAHH! Gozei na boca dela, alguns esguichos lambuzaram seu rosto e percorria suas bochechas, seu pescoço, enfim ela estava toda esporrada, ela mamou meu cacete até não sair mais porra, foi quando ela disse: GOSTOU DO MEU PRESENTE PRA VOCÊ MANINHO? Respondi: ÔH SE GOSTEI, UM CUZINHO VIRGEM E UMA BUCETINHA GOSTOSA COMO ESSA NÃO SE TEM TODO DIA! Ela disse: DO QUE DEPENDER DE MIM VOCÊ PODE! Respondi: NÃO HESITAREI EM LHE SATISFAZER, PODE DEIXAR! E nisso ficamos ali alguns minutos a se beijar e fomos tomar banho juntos.

 

Gostou? Vote no Conto:

98706 visitas