Acervo de Contos eróticos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto
videos porno videos de sexo filmes porno sexo anal gostosas filmes porno

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Prima não é parente (?) | Acervo de Contos

Prima não é parente (?)

Patrícia estava de férias e havia dormido até tarde como a maioria dos adolescentes fazem.Levantou-se e foi ao banheiro tomar um banho,tirou a camisola que vestia e deixou seu corpo nu,abrindo o chuveiro e deixando uma água morna caindo sobre seu corpo e molhando seus longos cabelos negros e lisos.Ia ensaboando seu corpo,sua pele branca e delicada,seus seios volumosos e suas coxas grossas,apesar de todos os elogios,a garota ainda achava seu corpo um tanto feio.
Enquanto Patrícia tomava banho o telefone toca,a garota se enrola na tolha e sai correndo pela casa,sabia que estava sozinha e que ninguém iria reclamar com ela.
Poderia ser seu namorado,Victor, e ela estava com saudades,só iria poder ver ele no sábado,quando seria o aniversario de namoro deles.A garota atendeu o telefone e do outro lado da linha foi uma garota quem respondeu
-Patty -Disse a outra voz do lado da linha toda entusiasmada
-Nanda,que milagre você me ligando
-É milagre mas tem motivos,e ai o que ta fazendo Paty?
-Estava no banho Nanda,hora mais importuna para ligar
Disse Patrícia rindo com a Prima no telefone,era muito bom poder falar com ela e matar um pouco daquela saudade que era imensa
-Estava no banho Patty? Deve estar uma delicia hein
-NANDA,para de ser tarada sua boba
-Ah desculpa,eu não resisti amor.
-Tudo bem mas me conte,qual o motivo da ligação?
-Ah é verdade,eu liguei não para falar de você no banho né.Bom Patty,eu vou passar um dias ai com vocês,daí podemos matar a saudade né.
-Sério que você vai vir para cá? ?Disse Patrícia toda empolgada
-Sim Patty,estamos chegando amanha de manha,espero que você me busque no aeroporto priminha gostosa ?Disse nada em um tom de brincadeira
-Nada,você não toma jeito
-Beijos Patty
-Beijos Nanda

Patrícia havia ficado totalmente feliz e empolgada com a noticia de que sua prima viria passar um tempo com ela.Poderiam sair e ir para vários lugares que nunca tiveram a chance de freqüentar juntas.A garota ficava mais ansiosa a cada minuto que passava,queria logo o amanhecer do dia seguinte,queria logo poder ver a sua prima chegando.
Patrícia havia tido uma noite inquieta,estava muito ansiosa com a chegada de sua prima.Seu sono havia sido interrompido varias vezes e ela não via a hora de amanhecer para poder encontrar a pessoa que ela mais sentia falta.
Logo amanheceu e ela foi a primeira a acordar,indo chamar a sua mãe,ela tinha que estar no aeroporto.Se arrumou o mais rápido que pode,vestia uma blusinha vermelha colada ao seu corpo,e a mesma era bem decotada,o que valorizava os seios faros de Patrícia,uma calça jeans justa a seu corpo e uma bota de salto alto completavam as vestes da garota.
-Vamos mãe,ou vamos nos atrasar
Dizia patrícia a porta de casa,apressando a sua mãe para que elas fosse logo.Estava eufórica e isso era visível.
-Calma Patrícia,elas só chegam daqui a uma hora
A mãe de Patrícia tentava acalmar a filha mas logo cedeu a pressa dela e foram para o aeroporto.
A menina pensava em como seria ver a sua prima novamente,em como reagiriam e o que iria sentir quando a visse.era estranho para ela,nunca havia estado tão eufórica como naquele momento.
O tempo ia passando e a cada vez mais Patrícia ia ficando nervosa,suas mãos suavam e ela sentia seu coração batendo algumas vezes mais rápido do que o normal.
Olhava toda a hora para o horário do vôo e sua mãe tentando acalmar a garota.O tempo parecia se arrastar e um minuto parecia uma eternidade para a garota.
Após um pequeno atraso do avião,finalmente havia aparecido o aviso de que o avião havia acabado de pousar,Patrícia estava esperando ao lado de sua mãe,na saída de passageiros,procurando por Fernanda quando ela avistou sua prima,ela podia ver a garota de cabelos tingidos de vermelhos e belos olhos verdes caminhando ao lado de sua mãe,sorrindo.Vestia um vestido preto e salto alto,estava muito bonito,o coração de Patrícia aprecia que ia saltar de seu peito quando ela começou a correr.
Não sabia o porque de fazer aquilo mas ia em direção a prima que ao perceber Patrícia abriu os braços para abraça-la.
As duas se abraçaram,Patrícia dando algumas beijos em Fernanda e a apertando em seus braços,podia sentir algumas lagrimas brotando de seus olhos.
-Calma Patty,estou aqui com você,calma ?Dizia Fernanda mexendo nos cabelos da Prima e sorrindo
-Senti saudades Nanda,muita saudade
-Eu também senti Patty mas vamos,em casa podemos conversar melhor.
Patrícia assentiu com a cabeça e as duas caminhavam abraçadas pelo aeroporto,as duas emocionadas por estarem novamente juntas,olhando uma para a outra com extremo carinho e admiração.
Patrícia e Fernanda haviam passado a maior parte a manha voltando para casa e havia saído para almoçarem,agora estavam as duas sentadas em um banco perto a casa de Patrícia.Contavam as coisas uma para a outra,tudo que havia acontecido com elas nesses anos em que havia ficado longe.Riam juntas de algumas besteira e se divertiam juntas mais uma vez.
-Então Nanda,amanha nós iremos fazer um ano de namoro e...
-E você vai transar com ele ?Disse Fernanda interrompendo a frese de Patrícia.
-É Nada mas não precisa ficar espalhando por ai ?Disse ela rindo e batendo de leve no braço da prima.
-Então eu preciso te levar a um sex shop Patty,você é muito tímida,não iria sozinha.
-Eu não vou em um sex shop nem morta Nanda
-Ah vai sim,quer apostar?
-Sem chances Nanda
Apesar de toda a relutância de sua prima,Fernanda havia conseguido convencer ela a ir ao sex shop.
-Nanda,você vai me pagar por isso menina.Se a minha mãe descobre...
-Ela não vai saber de nada Patty,para de ser medrosa.
As duas ia entrando no sex shop,Patrícia nunca havia estado em um lugar como aquela,apesar da curiosidade que corria em suas veias.Fernada sempre havia sido a mais espontânea,não tinha medo das conseqüência mas Patricia sempre pensava muito nas coisas e era bom ter a sua prima de volta para arrastar ela para estas loucuras.
-O que você acha dessa fantasia de enfermeira Patty? ?Dizia nada apontando uma fantasia bem curta de enfermeira
-Nanda eu não vou usar isso
Fernanda ria e se divertia com a prima envergonhada,a garota pegou um vibrador e jogou para a prima.
-Patty leva um desses
-Não Nanda,não vou levar isso ?Patty segurava o vibrador e olhava para Nanda
Fernanda riu e pegou o vibrador e 3 pacotes de camisinhas,cada um de um sabor diferente.Apesar das reclamações de Patricia as duas voltaram para a casa com as coisas.
As duas estavam sozinhas em casa,as mães dela iriam passar o final de semana fora,visitando a mãe delas e deixaram as filhas sozinhas.
-Amanha é sua noite Patty,vou sair não sei para onde,vou deixar a casa vazia para você poder curtir o seu namoradinho.
-Ai Nada,eu estou tão nervosa,não sei se vou conseguir
-Vai conseguir sim,não adianta dar para trás agora,você vai em frente nem que eu tenha que te bater.
Patrícia riu e foi para seu quarto,seguida por Fernanda,que jogou as coisas em cima da cama.
-Você sabe por uma camisinha Patty? ?Fernanda olhava para a prima,segurando o vibrador e uma camisinha em sua mão
-Não Nanda,ai meu deus,como não pensei nisso,e agora?
-Agora você vai praticar oras ?Fernanda sentou-se na cama e chamou Patrícia
-Vai me ensinar Nanda? ?Patrícia pulo na cama,olhando para a prima.
Fernanda segurava o vibrador e entregou a caminha para Patrícia,dando as instruções para a garota de como ela deveria proceder.
Patrícia apertava a pontinha da caminha e ia deslizando ela por todo o vibrador lentamente,enquanto olhava para a prima para ver se ia fazendo tudo certo.
-Enquanto isso você pode ir passando a língua na cabeça do pau dele Patty,ele vai gostar disso
Patrícia ficou meio relutante com isso mas passou a sua língua de leve no vibrador enquanto colocava a caminha nele.
Fernanda olhava para a prima sorrindo,era possível ver o seu olhar encantado para a sua prima.
-Assim Nanda?
-Sim,fez tudo certinho,com o tempo você vai aprendendo.
Patrícia sorriu e abraço a prima,apertando ela em seus braços.Fernanda a abraçou e ficou olhando para a prima,olhando nos olhos de Patrícia,com seus olhos verdes que brilhavam lindamente.Fernanda,segurou o rosto de patrícia com suas mãos e deu um selinho em Patrícia,mordendo o lábio inferior da prima em seguida.
Patrícia sentiu o selinho mas se levantou em seguida,olhando para a prima e apontando para a porta.
-SAI DAQUI FERNANDA,SAAAAI
Fernanda ficou assustada e se levantou,olhando para a prima,tentou a abraçar mas a mesma se desviou de seu abraço.A menina abaixou a cabeça e saiu do quarto,ouvindo atrás de si a porta batendo com força.Fernanda sentou-se no sofá,fechando os olhos e suspirando enquanto sua prima deitava na cama.
Patrícia sentia seu coração disparado,seu peito subindo e descendo de forma acelerada e tinha os dedos em seus lábios,como se ainda sentisse o toque macio e quente dos lábios de Nanda nos seus.Ela não entendia o que havia sido aquilo mas era estranho como havia mexido com o interior dela.nunca havia beijado uma garota e sabia que sua prima era bi,ela não podia ser igual a Nanda,não podia ser bi e não podia sentir nada pela sua prima.No dia seguinte seria seu aniversario de um ano e ela gostava de homem,amanha tudo aquilo iria desaparecer.Pensava ela.
Depois do ocorrido no dia anterior Patrícia havia evitado a presença de sua prima o dia todo,nenhuma palavra havia sido trocada entre as duas,apesar de toda a insistência de Fernanda em falar com Patrícia,que sempre a ignorava.
A garota já estava começando a se sentir mal pelo ocorrido,sua prima era muito importante para ela e ela não queria que ela ficasse daquele jeito,sendo indiferente com a sua presença.Doida em Fernanda isso e a feriada parecia ir se aprofundando cada vez mais que o tempo passava.
Ela sabia que aquele era o tal dia,o aniversario de um ano de namoro de sua prima e sabia o que ela iria fazer.
?Você não pode fazer anda Fê?,a garota falava para si mesma,ela sabia que não tinha muito o que fazer.
Patrícia havia passado boa parte do dia fora de casa e ignorava Fernanda todas as vezes que ela tentava uma aproximação.Aquela noite era especial e nada,nem Fernanda e nem ninguém seria capaz de estragar o que iria acontecer.
Havia deixado uma chave com Vitor,seu namorado,para que ele entrasse sem precisar bater,ela tinha todo o plano montado.
Vitor chegaria as dez da noite e já era oito e meia e Patrícia ia voltando para a casa.Esperava que Fernanda já tivesse saído,queria a casa livre para eles,sem ninguém atrapalhando.
Patrícia entrou em casa e passou por Fernanda que estava sentada na sala.nada falou e seguiu para o seu quarto.
Fernanda decidida,seguiu Patrícia para o quarto e entrou,vendo a prima sentada na cama.Sentou-se ao lado dela e quando Patrícia fez menção de se levantar Fernanda a segurou para braço,falando com a voz calma.
-Patty,nós temos que conversar
-Não Nanda,não temos,nada aconteceu e esta noite é especial para mim,então por favor,saia
-Não vou sair enquanto você não falar comigo Patrícia
Fernanda encarava ela com sues olhos verdes,tinha um olhar um tanto triste e segurava a mão da prima.
-Sobre o que aconteceu,bem,talvez eu não devesse ter feito,me desculpe
-Tudo bem Nanda...
-Tudo bem não Patty,não fiz aquilo por impulso ou coisa assim.Sei que ficamos longe um bom tempo e eu gosto de você,como minha prima e também como uma coisa a mais,eu te quero,te desejo.
Patrícia olhava para Fernanda,tinha um olhar um pouco assustado,mas em seu peito seu coração parecia explodir,sua boca estava seca e ela não sabia o que dizer.O que fernada estava dizendo,aquilo não poderia ser verdade.
Fernanda abraçou a prima e colocou a cabeça em seu ombro.
-É sua noite,não vou atrapalhar.
Fernanda foi se levantando quando Patrícia segurou a mão dela
-Não Nanda
-Patty,você esperou tanto por isso
-Eu sei mas também não quero te ver triste mas não podemos Nanda
-Eu sei que não Patty,eu sei disso
Fernanda se ajoelhou na frente de Patrícia,acariciando o rosto dela com as duas mãos
-Seja feliz
E logo em seguida ela repousou seus lábios nos de Patricia.Era tão magnífico para Fernanda sentir os lábios de sua prima junto aos seus,macios e delicados,mas ela queria mais e sem controle ela beijou a prima,,um beijo lento e cheio de carinho que ela sentiu a sua prima retribuindo logo em seguida.
Os olhos de Fernanda foram se enchendo aos poucos de lagrimas,sentindo a língua de sua prima roçando na sua.A garota foi se levantando e deitando a prima na cama e logo estava sobre ela,presa entre os braços de Patrícia,sentindo o calor do corpo da prima e o cheiro delicioso do corpo dela que ia tomando conta de seu ser.
Patrícia beijava sua prima com carinho,suas mãos passando nas costas dela,querendo sentir a sua prima junto de si,ela não podia lutar contra aquilo que estava sentindo naquele momento e não queria lutar,queria se entregar.
Fernanda explorava a boca de Patrícia com a sua língua e colocou as mãos por dentro da blusa de sua prima,sentindo as suas mãos tocando a pele macia da barriga de Patrícia,suas mãos estavam com sede daquele belo corpo e enquanto isso ela ia intensificando o beijo,parecia querer engolir sua prima.Havia esperado tanto tempo por aquilo e agora estava se realizando,estava feliz demais.
O corpo de Patrícia se arrepiava com os toques de sua prima,sentindo o beijo dela mais cheio de vontade e correspondia ao mesmo.suas mãos na nuca de Fernanda,arranhando ela com cuidado e fazendo o corpo da prima ficar arrepiada.
Perdida em meio ao desejo,Fernanda tirou a blusa de Patrícia,vendo a mesma ficando com os seios a mostra.estava sem sutiã e os seios fartos de sua prima a encantavam,parou por um momento olhando para a Prima.Fernanda tirou sua blusa também,deixando seus seios a mostra e tocou os seios de Patrícia.Podia sentir os bicos dos seios dela durinhos com a excitação que ia tomando agora conta do corpo das duas e logo a língua de Fernanda estavam nos seios de Patrícia.A garota passavam a língua ao redor dos bicos dos seios de Patrícia e dava leves sugadinhas nele e mordia as vezes.
Patrícia sentia uma sensação extremamente gostosa tomando conta de seu corpo.Sentia seu corpo arrepiada e sua respiração estava forte.ela soltou um gemido e falou o nome de Fernanda logo em seguida,mexendo nos cabelos da prima e mordendo seu lábio inferior.Sentindo um tesão imenso tomando conta dela,podia sentir que a sua bucetinha ia ficando melada a cada toque de Fernanda,em nenhum momento na vida Patrícia havia ficado em um estado com aquele,somente a sua prima parecia ser capaz de fazer aquilo com ela.
Fernanda chupava os seios de patrícia e sentia seu corpo tomado por aquele desejo,sentia uma excitação imensa,queria a sua prima e iria te-la qualquer custo,Ouvir os gemidos dela apenas deixava Fernanda mais doida de vontade.A garota foi abrindo a calça de Patrícia e logo a tirou,deixando ela apenas de calcinha,começou a beijar a barriga de Patrícia e passar a sua língua em volta do umbigo dela enquanto as suas mãos iam subindo pelas coxas grossas de Patrícia.As mãos ia subindo pelas coxas de patrícia até a bunda dela,apertando ela com vontade.O corpo de Patrícia reagia a cada toque e ela sentia agora seu corpo começar a ficar suado,fechava os seus olhos e inclinava sua cabeça para trás,fechando os olhos e gemendo baixinho,tentando se controlar.
Fernanda,desceu mais sua boca e deu um beijo sobre a calcinha de patrícia,podia sentir o pano da mesma melada já pelo melzinho de sua prima e ela foi tirando a calcinha de patrícia,olhando para a bucetinha avermelhada de sua prima que parecia pedir por ela.
Fernanda abriu as pernas de patrícia,deixando a bucetinha dela bem a mostra.Patrícia olhava para a prima,coma respiração ofegante e seu corpo suado,podia sentir a sua bucetinha pulsando de uma forma intensa e ela pedia para que sua prima matasse seu desejo.Fernanda passou a mão sobre a bucetinha de Patrícia,sentindo seus dedos ficando melada e logo ela foi beijando a parte interna das coxas de Patrícia,dava breves mordidas nela,provando a prima e vendo até onde ela iria agüentar.Patrícia apertou seus seios e ergueu um pouco seu corpo quando um gemido mais forte e alto escapou de seus lábios.Fernanda sorriu e logo passou sua língua em volta da bucetinha de patrícia,sentindo o gostinho do melzinho dela,sua língua ia lambendo toda a extensão da bucetinha de Patrícia e ela ia tocando o clitóris de sua prima com os dedos,esfregando ele com vontade,querendo deixar sua prima o mais louca de desejo possível.
Fernanda acabou de tirar sua roupa,podia sentir a sua bucetinha também melada de tesão,passando um dedos em sua bucetinha,deixando ele melado,levou até a boca de Patrícia,que logo chupou o dedo dela como a prima havia ensinado ela a chupar um dia antes.
Fernanda pegou o vibrador e começou a esfregar ele na bucetinha de Patrícia.Subiu esfregando seu corpo pelo de sua prima que já estava entregue a ela e ficou olhando nos olhos de Patrícia,podia ver o tesão que ia tomando conta dela.passava a língua nos lábios de Patrícia,que ia chupando a língua de Fernanda e arranhando as costas dela com força.
Patrícia soltou um gemido alto quando ela sentiu sua bucetinha sendo invadida pelo vibrador que Fernanda ia enfiando nela.Sentia uma leve dor mas sentia um prazer imenso ao ser invadida por aquele vibrador grosso,ela muito bom sentir aquilo dentro dela e começou a rebolar no vibrador enquanto ia beijando a sua prima com vontade.Gemida e chamava o nome de Fernanda,estava perdida naquela onda de desejo,perdida no corpo da prima que ia tirando a sua virgindade que ela vinha guardando até então para seu namorado.Fernanda ia enfiando o vibrador todo em sua prima e sua língua agora passeava pelo pescoço de Patrícia,deixando o corpo dela arrepiado.O cheiro da prima era gosto e ia tomando conta dela,o cheiro de sexo se espalhando pelo quarto e mais nada parecia existir naquele momento.
Fernanda tirou o vibrador de sua prima e voltou sua boca para a bucetinha dela e começou a chupar ela com vontade,enfiava seus dedos na bucetinha apertada dela e agora podia ver um filete de sangue escorrendo da bucetinha de Patrícia para a cama.
Enfiava seus dedos com vontade e sua língua ia chupando o clitóris de patrícia,os gemidos da garota eram mais altos agora e ela gritava de prazer.Fernanda se deliciava ao ver a sua prima daquele jeito e logo sentiu a bucetinha dela se contraindo contra seus dedos,.Passou a língua na bucetinha de patrícia quando sentiu o gozo dela chegando,o primeiro gozo de Patrícia.Um gemido alto tomou conta do quarto,o corpo de Patrícia se arrepiou,seu coração ficou mais acelerado e sua respiração parecia que ia parar mas ela estava feliz,aquilo tudo era muito gostoso.Fernanda ficou sobre Patrícia e deu um selinho nela quando as duas ouviram um barulho na porta,ao se virarem viram Vitor na porta do quarto de patrícia,ele logo recuou e saiu da casa.
-Vai falar com ele Patty
-Hoje não Nanda,hoje não
Disse ela abraçando a prima e beijando ela em seguida.
O dia já estava claro,deveria ser por volta das dez horas da manha e Fernanda já estava acordar e abraça sua prima que ainda dormia.As duas estavam nuas e a cabeça de Patrícia repousava sobre os seios de Fernanda que ia acariciando os cabelos da prima e tinha um doce sorriso nos lábios.Ela estava feliz,era evidente isso,havia tido uma noit maravilhosa com a pessoa que ela amava e mais nada no mundo parecia importar para a garota de longos cabelos vermelhos e olhos verdes penetrantes.
Patrícia foi lentamente abrindo os olhos e olhando para a sua prima que sorriu para ela.
-Bom dia minha princesa ?Disse Fernanda acariciando o rosto de Patrícia
-Bom dia Nanda
As duas sorriram e deram um selinho demorado e foram se levantando,Fernanda puxava Patrícia pelas mãos.
-Vem vamos tomar um banho
Patrícia apenas acompanhava a prima,sentia-se culpada por Vitor mas também estava feliz por tudo aquilo,duas sensações opostas dentro dela.
Fernanda encheu a banheira com água morno e bastante espuma e entrou puxando Patrícia com ela.Abraçava a prima por trás,deixando ela entre as suas pernas,pegando um sabonete e passando nos braços de Patrícia.Enquanto ia deslizando o sabonete pelos braços de Patrícia,Fernanda rolava seu nariz de leve no pescoço da prima e podia sentir ela se arrepiando e as mãos dela tocando as suas coxas.
-Eu te amo Patty ?Disse Fernanda sussurrando perto do ouvido da prima
-Eu também te amo Nanda
Patrícia disse isso e se virou de frente para Fernanda,olhando nos olhos dela e logo em seguida começou a beijar o pescoço da prima delicadamente.Fernanda sentia seu corpo se arrepiando com os beijos da prima e ia alisando as costas dela e colando seus corpos mais uma vez.
-Nanda,não acha injusto só você ter desfrutado do meu corpo ontem? ?Disse falava bem baixinho enquanto ia tocando os seios de Fernanda e apertando eles
-Eu acho totalmente injusto Patty
Fernanda inclinou a cabeça para trás,mordendo seu lábio inferior quando sentiu que sua prima ia tocando seus seios com as mãos e logo em seguida com a boca,podia sentir os lábios macios de Patrícia em seus seios e a língua dela tocando sua pele,deixando seu corpo arrepiado.
Patrícia ia roçando suas pernas na de Fernanda de sua língua explorando cada pedaço dos seios de Fernanda com muita vontade e desejo.A garota foi deslizando uma de suas mãos pela barriga de Fernanda até chegar a bucetinha da prima e apertar ela,Fernanda soltou um gemido alto sentindo o toque de sua prima e mordeu a orelha dela.
-Eu sou sua Patty,sou sua meu amor.
Patrícia ia esfregando seus dedos na bucetinha de Fernanda e vendo a prima gemer e ficando com a face corada quando a campainha da casa toca e ela ouve a voz de Vitor chamar ela em seguida.
-Desculpa Nanda
Patrícia saiu da banheira e se enrolou em uma toalha correndo em direção a porta.Fernanda olhou para a prima saindo e se afundou na água da banheira.
Vitor chamava por Patrícia na porta da casa dela quando a mesma abriu a porta,enrolada em uma toalha branca e toda molhada.
-Oi amor ?Disse Patrícia e foi abraçar o garota e dar um selinho nele.Vitor a abraçou e ficou olhando para Patrícia.
-Precisamos conversar Patrícia.
-Sobre o que amor?
-Não se faça de burra Patrícia,você sabe muito bem o que eu vi ontem.
-Ah Vi,sobre aquilo,ela é minha prima,não teve nada demais entre nós.
Patrícia,fechou a porta e foi andando até a cozinha pegar um copo de água,com seu namorado indo atrás dela.
-Como nada demais Patrícia,transar com a prima agora não é nada demais?
-Eu não estava transando com ela Vi,você que viu coisa demais.
-Eu não vi nada demais Patrícia? Me poupe
-O que você viu então Vitor?
Disse Patrícia olhando para o namorado e o encarando com uma cara seria.
-Eu vi você duas peladas se beijando
-Era um selinho e a gente tinha acabado de sair do banho,meninas não são iguais meninos que não podem tomar banho juntos porque vão achar que são viados e ela é minha prima,e eu dei um selinho nela mesmo mas não foi nada demais Vi,você sabe que eu te amo.
-E aonde está a sua prima agora?
-Ela saiu ?Disse Patrícia alto para que Fernanda pudesse ouvir e que não aparecesse ali na cozinha.
Patrícia estava confusa,ela gostava de seu namorada mas Fernanda a estava deixando confusa e ela não sabia ao certo o que fazer em relação a isso.
-Minha mãe foi viajar Vi,estamos sozinhos. ?Dizia Patrícia se aproximando do namorado e passando a mão no pau dele por cima da calça.
A garota se afastou um pouco dele,tirando a toalha e ficando nua,ficando de costas para ele,apoiou as duas mãos na cama e empinou sua bunda.
-Eu sei o que você quer Vi.
Vitor olhava para a namorada,ela era muito linda e difícil de resistir,seu corpo ela bonito e bem desenhado,ele tinha sorte em ser o namorado dela,já que muitos queriam poder namorar Patrícia.
-Diz que você desculpa sua namoradinha,diz que você quer me comer ?Patrícia rebolava com as mãos apoiadas na mesa e olhava para Vitor.
O garoto olhava para ela e foi tirando a sua camisa,passando a mão na bunda de sua namorada,começou a beijar a bunda de Patrícia e passar as mãos nas coxas dela.A menina podia sentir os beijos dele e sorria de um jeito safado,rebolando para ele.Vitor ia descendo sua boca pela bunda de Patrícia e ,alisando as coxas dela,suas mãos logo subiram e tocaram a bucetinha dela,esfregando com muita vontade.Levantando seu corpo,começou a beijar o pescoço de Patrícia e sentir seus dedos ficarem tomados pelo melzinho dela,sentia seu pau dentro de sua cueca ficando duro e pulsando,foi tirando a roupa e ficando nu.
Esfregava seu pau na bunda de Patrícia e agora apertava os seios dela com vontade,puxando ela para ele.Patrícia sentia tudo aquilo e ia ficando mais excitada,sua bucetinha começava a pulsar.Vitor roçava a cabeça de seu pau na entradinha da bucetinha de patrícia e sentia ele ficando tomado pelo melzinho dela,Patrícia começava a gemer e seu coração e respiração estavam disparado.O Corpo de patrícia estava arrepiado e tomado de tesão,até mesmo Fernanda não fazia mais parte de seus pensamentos naquele momento.
Vitor enfiou a cabeça de seu pau na bucetinha de Patrícia e tirou logo em seguida.A garota gemeu e olhou para ele,suada e com o olhar malicioso.
-Mais Vi,eu quero mais,quero sentir tudo.
Vitor segurou a cintura de Patrícia com força e foi enfiando seu pau no cuzinho dela,sentia o cuzinho apertado dela resistindo a seu pau mas enfiou ele todo dentro de Patrícia.Patrícia sentiu uma dor muito forte e lagrimas brotavam de seus olhos,toda a excitação parecia ter sumido naquele momento.
-Para vi,ai dói,PARA
-Dói Patty? É para doer mesmo,ou você acha que acredito que não transou com sua prima? Eu VI vocês transando,você geme tão gostoso,geme assim para mim agora.
Patrícia começava a chorar enquanto Vitor a segurava com força e ia enfiando seu pau no cuzinho dela de forma rápida.Seu pau entrava e saia dela e até mesmo algumas gotas de sangue podia ser vistas brotando do cuzinho de Patricia.
-Para Vi,por favor.
-Parar não,você não é a putinha que gosta de fuder,então vou te comer.
Ele abria bem a bunda dela seu pau entrando todo nela e ele acariciando o corpo de patrícia enquanto ela chorava.
-NANDAAAAA,NANDAAAAAAA
Patricia gritava chorando e com um forte tom de desespero na voz.
Fernanda estava sentada na cama do quarto,chorava de raiva por Patricia estar se oferecendo para o namorado dela depois da noite que tiveram juntas,parecia que não havia sido nada demais para patrícia mas para Fernanda havia significado muito.A garota podia ouvir os gritos de desespero de sua prima e desceu até a cozinha,com a sua cara de brava e o olhar mais acusador possível.Fernanda viu a cena e cruzou os braços,se apoiando na parede enquanto a sua prima gritava por ela.
-Até a sua prima te acha uma vadiazinha Patty.
Vitor puxava os cabelos de Patrícia e agora ia enfiando seu pau na bucetinha dela,batendo seu corpo com força contra o da garota que chorava intensamente coma cara apoiada na mesa.
Fernanda estava estática e Patrícia olhava para ela com um olhar de suplica,Vitor batia com força na bunda de Patrícia e enfiou seu pau todo nela quando começou a gozar.
Patrícia podia sentir o gozo quente de Vitor tomando a sua bucetinha e ele pegou suas roupas,vestindo elas e saindo de casa.
Fernanda simplesmente bateu palmas e subiu para o quarto,deixando a prima deitada na mesa,com sua bucetinha rosada cheia de gozo que ia escorrendo pelas suas coxas e Patrícia continuava a chorar.
Fernanda estava no quarto arrumando suas malas quando a sua mãe chegou.Ela já havia falado com sua mãe para irem para um hotel,não queria mais ficar ali naquela casa coma presença de Patrícia.
Sua mãe aceitou a idéia,apesar de não saber o real motivo de a filha não querer ficar na casa de sua tia.
-Está pronta Fernanda?
-Quase mãe,apenas terminando de colocar umas coisinhas aqui na mala.
Patricia havia tentado de todas as formas falar com Fernanda mas a prima a havia ignorado o resto do dia.
Fernanda não havia aberto a boca e nem ao menos ficado perto de sua prima.Nem ao menos trocava olhares com ela e ficou boa parte do tempo trancada no quarto.
Patricia não sabia o que fazer,tudo parecia tudo bagunçado para ela,o que Vitor havia feito com ela e a indiferença de Fernanda parecia que ia acabar matando a garota.
Ela estava sentada na sala enquanto sua mãe e a mãe de Fernanda conversavam na cozinha.Ela pensava se Fernanda iria pelo menos se despedir dela.
Patricia resolveu então subir ao quarto,batendo na porta e olhando para a prima
-Nanda...
Fernanda continuou colocando suas coisas na mala e nem ao menos olhou para a prima parada na porta.
-Temos que conversar,não pode ficar me ignorando...
-Não temos nada para conversar Patricia,alias eu já estou indo embora de sua casa e terça-feira estou voltando para a Inglaterra.
-Por isso mesmo temos que conversar Nanda
-Não temos nada para conversar Patricia,nada.
Patricia se deslocou em direção a prima para abraça-la quando Fernanda se virou e com força deu um tapa no rosto de patricia.A garota rodou e caiu sentada no chão,com Fernanda apontando um dedo para ela,podia-se ver claramente que os olhos verdes da garota estavam tomados de lagrimas.
-Você é uma imbecil Patricia,e eu sou uma idiota.nada daquilo deveria ter acontecido,seria melhor para nós mas você teve o que mereceu,foi muito bem feito.É para você aprender.
Fernanda secou suas lagrimas e se virou,pegando suas malas e descendo as escadas,entrando chorando na cozinha
-Vamos mãe,estou pronta
-Está tudo bem Fé?
-Sim está,apenas vamos mãe.
Já era segunda-feira a tarde e Fernanda viajaria de volta para a Inglaterra na noite de terça-feira,ela tinha pouco tempo na cidade e queria aproveitar o Maximo que ela pudesse da cidade,iria ficar um bom tempo sem voltar e queria livrar sua cabeça de pensamentos envolvendo a sua prima Patrícia
A garota estava se arrumando para sair do hotel,seus longos cabelos tingidos de vermelhos estavam soltos e seus olhos verdes brilhavam contornados por um lápis preto.Tinha em seu corpo um vestidinho preto bem curtinho e decotado e tinha saltos altos,estava muito elegante e bela.
Fernanda saiu porem não tinha nenhum lugar em mente para ir,não sabia para onde ir,apenas queria aliviar a sua cabeça de pensamentos que iriam apenas a torturar,deveria ter algo bom para se fazer naquela cidade,algo que iria distrair a atenção dela.
Um shopping seria um lugar perfeito para ela se distrair e ela lembrava de ter um ali por perto,a garota seguiu rapidamente para lá,fazer comprar e tomar sorvete seria uma boa distração para a cabeça de Fernanda.Não conhecer muitas pessoas naquele lugar era algo muito bom e ela se sentia mais confortável com este fato.
A garota andava pelo shopping perdida entre as vitrines,olhando roupas e sapatos,lojas de doces e podia sentir o olhar de alguns garotas para ela mas não se importava com os mesmo,apenas continuava em seu caminho.
Algumas horas de comprar e logo ela já estava cheia de sacolas em suas mãos,sentou em uma mesa,com um sorvete e ia tomando ele,deliciando-se com o sorvete com cobertura de chocolate,o preferido dela.
-Olá dona Fernanda
Uma voz de homem soou e ela logo viu uma figura sentando a sua frente.A garota se assustou um pouco mas logo que olhou para o homem ela o reconheceu e sorriu
-Olá tio Eric
Eric era o pai de Patrícia,era um homem novo que havia engravidado a mãe de Patricia muito cedo,o homem tinha 32 anos e sua mulher apenas 30 anos e apesar de tudo isso estavam juntos desde sua adolescência.
-Como vai Fernanda? Fiquei sabendo que passou uns dias em casa,estava viajando a trabalho e nem tive a chance de te encontrar lá.
-É tio,passamos uns dias lá mas não queríamos atrapalhar e resolvemos ir para um hotel.
-Mas não iam atrapalhar Fernanda,é sempre bom receber visitas.
-Você conhece minha mãe,tio.Sabe como ela é.
-Sei como é sua mãe sim.Fazendo compras?
-Si tio e você,fazendo o que por aqui?
-Estava vindo comprar um presente para a Patrícia.
-E já comprou?
-Sim,um urso de pelúcia.
-É a cara dela,ela ama essas coisas.
-E a senhorita vai embora como com todas essas sacolas?
-Acho que vou pegar um táxi,não vou conseguir carregar tudo ?Fernanda riu de leve,terminando de tomar o seu sorvete.
-Aceita uma carona,aproveita que estou de carro
-Aceito sim tio.
Os dois foram saindo do shopping,já estava anoitecendo e fazia um pouco de frio.Eric carregava as sacolas de Fernanda e havia jogado sua blusa sobre a garota para que ela não sentisse frio.
Entraram no carro,deixando as coisas no banco de trás e Eric foi dirigindo em direção ao hotel onde Fernanda estava hospedada.
O caro parou no sinal e Eric olhou para a sobrinha,o vestido dela subia um pouco e deixava as coxas bem desenhadas dela um pouco a mostra.Ele colocou uma de suas mãos sobre a parte interna da coxa de Fernanda.Ela havia crescido e se tornado uma garoa linda e extremamente gostosa,aquele corpo dela deveria ser uma delicia.
A garota olhou para seu tio e sentia a mão dele deslizando pela sua coxa,ela não fez nada para impedir o toque malicioso dele,e logo o carro andou,obrigando ele a tirar a mão da perna de Fernanda.
Eric parou o carro a frente do hotel em que a garota estava hospedada e ela ia saindo com suas compras quando olhou pelo vidro.
-Quer subir tio? A mamãe saiu e não volta hoje.
Fernanda se virou sorrindo,sem esperar a resposta de Eric e foi subindo para seu quarto,não sabia se ele iria subir ou não.
Fernanda entrou em seu quarto e foi deixando suas sacolas de comprar jogadas em um canto,tirando em seguida seus sapatos e ficando descalça.Pulou na cama e ficou olhando para o teto pó um instante,sua prima parecia não querer sair de sua cabeça de nenhuma forma.O toque dos lábios dela as mãos de Patrícia percorrendo seu corpo e a voz dela sussurrando e gemendo,era tudo que ela queria naquele momento mas não poderia ter e nem queria ter.
Uma batida na porta foi ouvida e a garota se levantou e caminhou até a porta,abrindo ela e vendo que seu tio havia subido até seu quarto.
-Oi tio Eric,o que deseja aqui? ?Dizia ela com uma voz meiga e olhava para ele enquanto ficava escorada na porta.
-Não,sei,você quem me chamou para subir Fernanda.
-Entre então tio
A garota abriu a porta e esperou que Eric entrasse,fechando a porta em seguida e indo para o balcão que tinha ali,servindo duas taças de vinho.
-Sou menos de idade mas a mãe não liga de eu tomar um gole
Entregou uma taça de vinho para o tio e logo levou aos lábios,tomando um gole da bebida e sentou-se na cama,cruzando as pernas,fazendo com que seu vestido curto subisse mais do que deveria.
Eric apenas olhava para a garota,tomando um gole de seu vinho e vendo aquela ninfetinha sentada na cama,exibindo seu belo corpo para ele.ela tinha a idade de sua filha mas assim como ela,era uma garota muito excitante,quantas vezes já não havia tido sonhos sujos com sua própria filha,desejando pegar aquela garotinha de jeito.
Fernanda deixou um pouco de vinho cair sobre seus pés e olhou para o tio,mordendo o lábio inferior,o homem se abaixou a frente dela,segurando o pés delicado dela e começou a beijar o mesmo,sentindo o leve gosto do vinho que ela havia acabado de derrubar.Fernanda sentia os beijos de seu tio em seu pé e o empurrou com o outro bem de leve.
-Você é casado homem,o que está fazendo?
-Sou casado mas não resisto a uma garotinha tão gostosa assim Fernanda,você cresceu e me deixa com tesão.
Fernanda sorriu e sentou no colo do tio,tirando a camisa dele e beijando o peitoral do homem enquanto ia arranhando a coxa dele por cima da calça.Rebolava lentamente e ia sentindo o pau dele ficando duro e ela sorriu de um jeito mais malicioso,as mãos dele iam tocando as coxas de Fernanda e iam subindo até tirar o vestido dela e a deixar apenas de calcinha.Fernanda sorria e ia abrindo a calça dele,estava pegando fogo e não queria enrolação,queria sentir ele logo dentro de sai e tirou a calça dele junto com a cueca,vendo o pau duro do tio.Ela segurou no pau de Eric,olhando para ele e começou a masturbá-lo de forma rápido e olhando nos olhos dele.
-Que pau tio,grande e grosso,como eu gosto.
Eric sentia os toques de Fernanda e ia ficando mais excitado,sentia seu pau duro e pulsando na mão delicada da garota e ele passava a língua nos seios de Fernanda,que não eram fartos mas ela lindos e gostosos.Sugava os seios dela e ia deixando a pele dela marcada enquanto sua mão tocava a bucetinha dela sobre o pano fino da calcinha dela.A garota gemia e mordia a coxa do tio,passando a língua no pau dele de baixo a cima,colocando as bolas dele em sua boca e esfregando seu corpo no dele.Podia sentir sua bucetinha melada e pulsando de tesão.Sentia seu corpo ardendo como se fosse brasas e ela tirou sua calcinha e foi sentando no pau do tio.Eric segurava na bunda dela e ia sentindo a garota sentando em seu pau com aquela bucetinha apertada e gostosa que ela tinha.Fernanda sentia o pau dôo tio preenchendo toda a sua bucetinha e ela segurou nos ombros dele e começou a lentamente rebolar no colo de Eric,passava a língua no pescoço dele e ia intensificando o ritmo de seus rebolados a cada momento.
Eric apertava a bunda dela e sentia a garota rebolando em seu pau,ela era muito gostosa e sabia fuder melhor do que muita mulher que ele já havia ficado.
Seus lábios iam se deliciando nos seios dela enquanto ela ia rebolando no pau dele e deixando ele todo melado pelo melzinho dela.Fernanda gemia de forma intensa e mordida a orelha de Eric,passando as unhas nas costas dele e sentindo sua bucetinha ficando mais melada e facilitando a entrada do pau de seu tio nela.
Apoiava as mãos nos ombros dele e começou a pular no pau dele,sentindo aquele pau grosso entrando e saindo dela com força,Eric batia na bunda da garota e o barulho aprecia ecoar pelo quarto junto com os gemidos que ela ia soltando,podia se ouvir também o barulho do pau dele entrando na bucetinha bem melada de Fernanda,os corpos dos dois estavam suados e se esfregavam com intensidade,os seios de Fernanda sendo esfregados no peitoral dele e Eric,segurando a bunda dela com as duas mãos se levantou-se com ela em seu colo,ficando presa a cintura dele.O homem encostou ela na parede,segurando no pescoço dela e começou e enfiar seu pau com força na bucetinha dela,via a face vermelha de Fernanda que gemia e olhava para ele cheia de desejo e malicia.
Fernanda gemida mais alto e começou a gozar no pau do tio enquanto ele ia despejando seu gozo quente nela,enchendo ela com seu liquido quente e grosso.A deitou na cama e ficou olhando para a garotinha.
Patrícia havia passado boa parte do tempo em seu quarto,trancada e pensativa sobre todas as coisas que havia acontecido em sua vida nos últimos dia,como de uma hora para a outra a sua vida havia virado de pernas para o ar e ela havia perdido o controle de tudo.
Havia ligado para a sua melhor amiga,Sara,sabia que poderia contar tudo para ela e que mesmo apesar de toda a tristeza que assombrava a alma de Patrícia naquele momento,Sara seria a única pessoa capaz de fazer ela sorrir.
As duas estavam sentada na cama de sara,Patrícia já havia contado tudo para a sua amiga,desde o que havia acontecido com Fernanda até oi que Vitor havia feito com ela.
Sara era uma menina loira e alta,com belos olhos azuis e cabelos lisos e compridos,era uma menina que seria realmente a mais desejada da escola se não fosse o fato de usar roupas que escondiam as suas curvas.Sara não gostava do modo como os homens olhava para as mulheres e achava que aquela era a melhor maneira de evitar os olhos para o corpo dela,mas naquela noite Sara estava em sua casa vestida com uma camisola rosa bem clarinha e de tecido bem leve,com apenas uma calcinha por baixo da roupa e seus seios marcavam o tecido,o desenho e os bicos dos seios de Sara eram bem visíveis através do pano quase que transparente.
-Mas então P,foi bom com a sua prima?
-Ah S,foi bom sim,na verdade foi ótimo.
-Ah sua safadinha,não sabia que você era do tipo que gostava de mulheres dona Patricia.
-Mas nem eu sabia disso S,nunca tive sequer curiosidade mas a Nanda mexe comigo,sei lá é meio que inexplicável sabe,coisa de pele e química mesmo,coisa doida que eu pensei que nem existia.
-Eu sempre fui curiosa para essas coisas,sempre tive a curiosidade de beijar uma garota.
Sara olhava para Patrícia e sorria com o canto dos lábios.
-Nem pense nisso Sara,pode i tirando essa idéia da sua cabeça.
-Mas você nem sabe o que estou pensando P.
-Não sei mas pelo visto eu não vou gostar nenhum pouco dessa sua ideinha.
-Eu só ia pedir um beijo P,somos amigas nem pega nada e alem do mais nem namorado você tem mais.
-Mas eu não sou lésbica S
-Mas é só um beijo,o que é um pingo para quem ta molhado hein?
-Não não e não Sara.
-Por favor P.
Sara olhava para patrícia e fazia a carinha mais angelical que ela podia.Patricia olhava para a amiga mas o que mais a chamava atenção não eram os olhos de Sara e sim os seios dela que estava aparecendo.Desde que havia ficado com Fernanda ela havia começado a reparar mais no corpo das mulher e ver Sara daquele jeito era muito insinuante e ver a amiga pedindo um beijo era uma proposta quase que irresistível que Patrícia lutava para negar mas seu interior queria fazer o desejo da amiga e até mesmo mais.
-Ta bom S,você venceu,um beijo só e nada mais que isso
Sara sorriu e se aproximou mais de Patrícia,passando os braços em volta do pescoço dela.
-Eu quero uma coisa decente viu,senão vai ter que fazer de novo.
Patrícia sorriu e colou seus lábios aos de Sara e a beijou lentamente,sua língua abrindo caminho por entre os lábios delicados da garota e suas mãos acariciando o rosto dela enquanto as mãos de Sara iam para as costas de Patrícia e a puxavam mais para si,podendo sentir o corpo da amiga agora no seu.Os seios fartos dela contra os seus e o cheiro e o calor dela.Patrícia ia gostando daquela sensação e sua língua ia explorando a boca de Sara,passando a sua língua na da garota e brincando com ela,acariciando a nuca dela e fazendo o corpo de Sara ficar arrepiado.
Sara foi se deitando na cama e puxando Patrícia para cima dela enquanto ainda a beijava,suas mãos agora estava por baixo da blusinha de Patrícia e ela deslizava as mãos pelas costas dela,sentindo a pele quente e macia de Patrícia,passando suas unhas de leve e contornando os lábios de Patrícia com a língua.
-Sara melhor pararmos
-Não P,Eu quero mais
E as mãos dela apertavam o corpo de Patrícia contra o seu e a garota não conseguia resistir aos encantos daqueles belos olhos azuis de Sara e do belo corpo dela.Voltou a beijar a amiga, mas dessa vez com mais vontade,mais desejo e suas mãos passando pelo corpo da garota loira,ia subindo a camisola dela e tirando ela logo em seguida,deixando apenas a calcinha dela enquanto Sara ia tirando a blusinha de Patrícia,deixando os seios dela a mostra.Sara começou a beijar o pescoço de Patrícia,arranhando as costas dela e descendo as mãos até chegar a bunda de Patrícia,a apertando com vontade.Sua língua passeava pelo pescoço dela e o cheiro do corpo da amiga era algo extremamente excitante para ela.
Patrícia fiava mais arrepiada a cada beijo da amiga e suas mãos deslizaram para os seios dela,apertando ele de leve e sentindo o bicos deles já durinhos de excitação,Sara soltou um breve gemido sentindo os toques da amiga e seu olhar agora estava repleto de desejo.
Patrícia deslizou seu corpo pelo da amiga e sua língua tocou os seios dela,primeiro só a pontinha contornando os bicos dela e sentindo eles bem durinhos e depois foi sugando ele e apertando,colocando o maximo possível dentro de sua boca.Sara soltava gemidos abafados,seu corpo queimando internamente por uma excitação que a ia deixando louca de desejo,nunca havia sido levada a tão estado,talvez o fato de ser com uma garota e de ser algo novo a deixava com uma vontade ainda maior.Suas mãos iam abrindo de forma meio desajeitada a calça da amiga e logo Patrícia estava apenas de calcinha sobre a amiga.
Patricia explorava cada pedaço dos seio de Sara com sua boca,chupando os seios dela,mordendo e deixando até mesmo marcas na pele clara da amiga.O corpo de Sara ia se enchendo de tesão e vontade,parecia que ia explodir e senta cada pelo em seu corpo se eriçar.,ela dobrou as pernas e deixou que Patrícia ficasse entre elas.A garota começou a beijar as coxas de Sara,beijando e descendo cada vez mais em direção a bucetinha dela.Passou a mão na bucetinha de Sara ao mesmo tempo que seus olhos se encontraram com os da amiga.
Patrícia tirou a calcinha de Sara e pode ver a bucetinha bem rosada dela e que não possuía nenhum pelo,totalmente liga e com grande lábios.A garoa passou a língua na bucetinha da amiga de cima a baixo,primeiramente sentindo o gostinho que ela tinha e lentamente ela foi passando a língua em toda a bucetinha dela e enfiando a sua boca,nela.Sua língua explorava cada pedaço daquela bucetinha melada e gostosa da amiga e sua mãos tocava e esfregava com muita vontade o clitóris de Sara.
A garota loira ao sentir a língua quente de patrícia começou a gemer um pouco mais alto,tentando abafar os gemidos,mordendo seus lábios e apertava seus seios durinhos,sua vontade era de gemer bem alto e gritar pelo nome da amiga mas não podia,sua mãe estava em casa e ela não podia se entregar assim para a amiga.
Patrícia chupava os lábios da bucetinha de Sara e ela podia sentir aquela bucetinha lisinha em sua boca,era muito gostosa,suas mãos ia brindo a bucetinha dela e Patrícia ia enfiando a língua nela,explorando cada pedaço em que a sua língua poderia alcançar.Sara sentia a língua quente de Patrícia invadindo seu corpo e ergueu um pouco o corpo,soltando um gemido um pouco alto e começou a lentamente rebolar e esfregar a sua bucetinha na cara da amiga,passava seus pés nas costas dela e sua respiração já estava acelerada,seu peito arfando e ela podia sentir as veias em seu corpo pulsando enquanto seu corpo ardia em desejo e ia sendo tomado pelo seu suor.
Patrícia ia passando a sua língua o maximo que podia na bucetinha de sara e depois começou a concentrar suas linguadinhas no clitóris da amiga enquanto ia enfiando dois dedos na bucetinha dela,sentindo seus dedos serem envolvido pela bucetinha melada e quente de Sara que ia pulsando contra seus dedos e dificultando um pouco a penetração.
O corpo de Sara mia se contorcendo de prazer e ela não ia mais conseguindo conter os seus gemidos,ela começava a gemer mais alto e apertava os bicos de seus seios e puxava ele.Patrícia deitou-se sobre a amiga,com a cabeça na bucetinha da amiga e esfregando a sua bucetinha na boca de Sara.Sara passou a mão na bucetinha de patrícia,olhando e sentindo que a mesma já estava melada e passou a língua na bucetinha dela como havia visto varias vezes em filmes pornô.Era a primeira vez que sentia um gosto daquele em sua boca e estava adorando aquela sensação.Patrícia continuava a chupar a bucetinha de Sara e via ela ficando mais vermelhinha a cada momento,sentia ela ficando mais melada e o melzinho da amiga ia escorrendo pelas coxas dela caindo no lençol da cama.
Patrícia começou a sentir a sua bucetinha sendo tocada pela língua de Sara com um toque delicado e mordendo os lábios,rebolando de leve e provocando um pouco a amiga.Enquanto ela ia enfiando a língua na bucetinha de Sara que já pulsava de forma intensa.Sara gemia e seus gemidos ia se perdendo na bucetinha de Patrícia,ela ia chupando e esfregando seus dedos na amiga,abrindo os lábios da bucetinha dela e enfiando a língua o quanto podia.Patrícia soltava breves gemidos e começou a enfiar seus dedos mais rápido na bucetinha da amiga,ainda passando a língua nela e sentindo que o orgasmo dela estava muito próximo,seus dedos entravam com força nela e logo ela sentiu a bucetinha de Sara se contraindo,ela começou a passar a língua e chupar a bucetinha de Sara quando um jato começou a sair dela,indo para seus lábios e um pouco para o seu rosto.
Sara soltou um gemido alto e logo em seguida colocou a mão em sua boca,rindo de leve e sentindo seu corpo descarregando toda aquela excitação que estava acumulada,seu corpo se contorcia e sentia sua bucetinha pulsando e sua respiração ofegante foi aos poucos se acalmando mas seu coração ainda continuava acelerado e seu corpo estava agora tomado de suor.
Sara se levantou e deitou Patrícia em sua cama e abriu bem as pernas da amiga e ficou olhando para ela com um olhar safado e malicioso,passava a mão na bucetinha da amiga e podia ver os lábios dela tomado pelo seu gozo.Sara deu um selinho na amiga e foi abaixando e lambendo o corpo dela até chegar a bucetinha de Patrícia,começando a chupar-la com muita vontade,seu corpo parecia guiado apenas pelo desejo,não parecia ter mais controle sobre seus movimentos e ia chupando e esfregando seus dedos na bucetinha de Patrícia.
Patrícia sentia a amiga chupando ela e segurava a cabeça de Sara contra sua bucetinha,sentindo a língua dela em cada parte e gemendo alto,mordendo os lábios e pressionando mais a cabeça da amiga contra ela,querendo mais enquanto ela ia rebolando e sua buceta sendo esfregada na carinha de Sara.Passava a língua no clitóris de Patrícia,sentindo que o mesmo estava bem durinho e logo foi enfiando três dedos na bucetinha dela,indo e vindo nela de forma rápida e bem intensa.A língua dela ia deslizando e tocando o cuzinho de Patrícia,ela ia contornando o cuzinho da amiga com a pontinha de sua língua enquanto seus dedos ia entrando fundo na bucetinha dela,Sara sorria cheia de desejo e queria ver a sua amiga gozar o mais possível.
Patrícia gemida e ia abafando seus gemidos,rebolando e ficando com o coração totalmente disparado,sua respiração parecia que iria falar e seu corpo se remexia quase que de forma involuntária.Sua bucetinha estava quente e ela sentia que logo seu gozo iria chegar.Sentia os dedos da amiga encontrando certa resistência para entrar mas mesmo assim ela ia forçando e entrando todos nela.A garota abraçou Sara com as pernas e gemeu alto,sentindo sua bucetinha se contrair e começou a gozar nos dedos da amiga,chamando o nome de Fernanda entre os sussurros.sara lambia o gozo de Patrícia e não conseguiu ouvir o que a amiga sussurrava,ia apenas se deliciando com o gozo dela.Sara se deitou ao lado de Patrícia,a abraçando de conxinha e beijou o pescoço dela.
-Eu tinha curiosidade para saber como era com uma mulher mas só faria se fosse com você,pois você é a única que consegue mexer comigo P.Eu gosto de você mais do que de uma simples amiga.É estranho isso mas é a verdade.
Já estava tudo pronto para a viagem e Fernanda estava no hotel colocando as ultimas coisinhas em suas malas.Apesar de todas as coisas que havia acontecido nesses dia a viagem havia sido ótima e ter reencontrado sua prima tinha sido bom apesar de tudo que passaram juntas,mas Fernanda não pensava em ir a casa de Patrícia se despedir dela.Iria viajar sem dizer nada a prima,não queria conversar com ela,talvez algum dia ele ligasse,quando já estivesse de volta a sua casa na Europa.
Fernanda já tinha arrumado praticamente tudo quando o telefone tocou e ela foi atende-lo,ouvindo a voz de sua mãe.
-Oi mãe,o que você quer?
-Fe,estou na casa de sua tia,venha para cá agora,temos algumas coisas para conversar.
Logo a mãe dela desligou o telefone.Fernanda ficou um pouco preocupada sobre o que sua mãe queria conversar na casa de sua tia.Ela não queria ver Patrícia mas teria que ir lá ver o que sua mãe tinha falar.
Fernanda logo chegou a casa de sua tia e foi entrando e vendo que as três estava na sala.Patrícia estava sentada no sofá e sua mãe e sua tia estavam em pé conversando
-Oi mãe,oi tia.
Fernanda foi até as duas e beijou o rosto delas.
-O que querem conversar?
-Sente-se Fe ?Disse a mãe da garota e Fernanda sentou-se em um sofá,sem olhar para a sua prima.Patrícia tinha as suas mãos sobre o colo e olhava para a prima na esperança de que seus olhos pudessem encontrar os dela mas isso não aconteceu.
-Queremos conversar sobre sua avó Fé ?Começou a falar a mãe da menina.
-O que aconteceu com a vovô mãe?
-Sua vô morreu esta noite Fé,teve um ataque cardíaco e morreu,ninguém pode fazer nada por ela.
-Mãe...
-Não vamos poder viajar hoje,temos coisas a resolver,enterro e toda a papelada de herança e isso demora um pouco para sair,acho que vamos ficar por aqui um tempo até que tudo seja resolvido.
Fernanda se levantou e abraçou a mãe e beijou o rosto dela.
-Quando vão enterrar a vovô?
-O mais rápido possível Fe.
A garota se virou e ia saindo da casa da tia querendo voltar logo para o hotel.Patrícia se levantou e foi até a porta,segurando o braço de Fernanda antes que ela pudesse sair.
-Nanda nós temos que conversar e você não vai fugir dessa vez.
-Eu não tenho nada a falar com alguém como você Patrícia,nada mesmo,então me solte.
-Não vou te soltar,apenas quero que você fale comigo que tente me entender poxa.
-Não tenho nada para entender em você,alias não da para te entender nem um pouco.depois de a gente tran...
Patrícia tampou a boca de Fernanda e olhava para ela
-Fala mais baixo ou quer que as nossas mães saibam o que fizemos.
-Estou pouco me importando para que saibam dona Patrícia,não tenho vergonha nenhuma do que fiz e estou pouco me fodendo para o que vão pensar de mim.Me solta Patrícia,você já esta me deixando nervosa.
Patrícia soltou a prima e deixou ela ir embora,ia subindo para seu quarto quando escutou a campainha tocar e desceu para ver quem era.
-Patrícia? ?Disse um homem segurando uma cesta com flores e bombons.
-Sim,sou eu
-Mandaram para você.
Patrícia pegou e agradeceu ao homem,entrando e colocando a cesta sobre a mesa.era linda,com flores coloridas e bombons que parecia deliciosos.Pegou o cartão que havia na cesta e começou a ler.

?P

Sei que deve estar um pouco assustada coma s coisas,com tudo que aconteceu entre nós e sobre o que te disse depois,não sei o que esta pensando nem o que passa em sua cabeça mas quero que saiba que o que te disse é verdadeiro e mesmo que não sinta o mesmo por mim eu não vou desistir de você.
Apenas um presente para que se lembre de mim.

De sua S?
Duas semanas haviam se passado desde o dia em que Fernanda havia sido avisada que teria que passar um tempo no Brasil e que não poderia retornar para a Inglaterra por alguns problemas familiares que apareceram com a morte de sua avó.
Patricia,como sempre, havia sido a primeira aluna a chegar na sala,era o primeiro dia de aula e o segundo ano do ensino médio prometia.Já estava quase na hora de o sinal tocar e na sala haviam cerca de três grupinho conversando.Patricia estava em uma rodinha de amigos com Sara e mais duas meninas que sentavam perto delas.
Os alunos não perceberam quando a professora entrou e ela logo pediu o silencio da sala.
-Bom dia a todos,bem vindos ao segundo ano ?Disse a professora,olhando para os alunos que agora começavam a se organizar.
-Como todos já devem saber,hoje teremos aula de matemática ?Continuou a professora,olhando para a sala ?Mas antes disto tenho algo que devo fazer,por favor pode entrar ?A professora olhou para a porta quando Fernanda sorriu e entrou na sala.
Fernanda estava vestida com o uniforme preto da escola,a calça colada ao seu corpo dava a forma de suas coxas grossas e a camiseta,um pouco apertada,dava um volume para seus seios que não eram muito grandes porem eram redondinhos e durinhos.Seus longos cabelos ruivos estava soltos e seus olhos estavam contornados com lápis preto,dando um maior destaque aos seus olhos verdes e seus lábios rosados.
-Está é uma nova amiga de vocês,o nome dela é Fernanda e vai passar esse semestre com a gente.
Fernanda sorriu e sentou-se na primeira fila de carteiras,os garotos estava todos de olho em Fernanda,a garota estava roubando a atenção toda para ela enquanto patricia olhava para a prima mas não recebia nenhum olhar em troca.As duas não conversavam a um bom tempo,Fernanda evitava ao maximo Patricia enquanto a prima tentava manter contato com Fernanda.
A maioria das conversas que havia acontecido naquela aula havia sido sobre a nova aluna,todos olhavam para ela e comentavam sobre sua beleza e outras coisas.Fernanda podia muito bem ouvir algumas coisas que falavam dela mas a mesma nem se importava com sito,achava legal ser por um momento o centro das atenções.
Logo a aula terminou e Fernanda recolheu seu material e saiu da sala sem olhar para ninguém.Não tinha amizade com as pessoas da sala e não desejava falar com sua prima.
Fernanda ia saindo da escola abraçada com seus cadernos e um pouco distraída quando sentiu algo vindo de encontro a ela,o que fez ela se desequilibrar e cair no chão.Logo uma menina de cerca de 12 anos de idade apareceu na frente de Fernanda,ajudando ela a se levantar e pedindo desculpas para ela.Fernanda sorriu e seguiu seu caminho de volta para uma casa que ela e sua mãe havia alugado para passar o tempo no Brasil.
Patricia ia embora com Sara,as duas conversando como se fossem duas amigas,nada parecia ter acontecido entre elas.
-Então sua prime esta na nossa sala e vocês não se falam,que estranho isso P.
-Eu tento falar com ela S mas ela nem me responde,não sei mais o que fazer
-Desiste dela e fica comigo oras,uma boa solução ?Sara riu olhando para a amiga e patricia sabia,que mesmo sendo uma brincadeira, o que Sara havia dito tinha um pouco de esperança.
-Sempre boba S,sempre boba ?Patricia riu e continuou caminhando com a amiga
-Mas você reparou? O pessoal não parava de falar nela
-Ela é linda também né S,tem que falar mesmo
-Assim fico com ciúmes.
As duas riram e se abraçaram e logo os lábios delas estavam colados uns nos outros e um beijo suave se iniciou ali no meio da rua,perto da casa de Patricia.As daus se beijavam com carinhos e Sara mordeu o lábio de patricia,o puxando de leve e disse baizinho
-Eu ainda vou ter você toda para mim P,eu vou.

 

Gostou? Vote no Conto:

11/03/2010 | 62078 visitas

 
 
 
bundas gostosas filmes porno