Acervo de Contos eróticos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto
sexo anal videos de sexo sexo anal bundas flagras flagras

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Minha irmã gostosa e safada | Acervo de Contos

Minha irmã gostosa e safada

MINHA IRMÃ GOSTOSA E SACANA


Tudo começou quando por dificuldades financeiras, mudamos para uma casa de um dormitório num bairro afastado de São Paulo. Como só tinha um dormitório, minha mãe comprou uma sala de visita com um sofá cama de casal e eu e minha irmã tivemos que dormir na mesma cama. Eu sempre achei minha irmã uma delícia ela é 5 anos mais nova do que eu e nessa época eu estava com dezessete anos e ela com doze. Apesar da pouca idade, ela sempre foi ?safadinha? e gostava de ficar só de calçinha ou quando estávamos só em casa ela sempre arrumava um jeitinho de ficar peladinha na minha frente, só para me provocar. Quantas vezes que em bailes que íamos, dançávamos juntos ela propositalmente se esfregava em mim até sentir meu pau ficar duro, mas eu sempre mantive o respeito, apesar da tesão que sentia. Certa noite fomos dormir e minha irmã foi deitar com uma camiseta e só de calcinha, nós dormíamos um nos pés e outro na cabeceira do sofá cama, com as luzes apagadas e somente com a claridade que vinha da janela da sala, eu tinha uma visão maravilhosa da bundinha de minha irmã com aquela calcinha de algodão enfiada no seu reguinho, eu não conseguia dormir e estava morrendo de tesão e doidinho para bater uma punheta, nisso minha irmã entrelaçou as pernas e começou a se contorcer comprimindo com coxas sua bucetinha e ficou claro para mim que estava batendo uma siririca. Fiquei alguns minutos olhando ela se contorcer e morrendo de tesão, com meu pau duro como uma pedra não agüentei, me deitei ao seu lado e perdendo todo o medo de qualquer reação dela,tirei meu pau para fora da cueca e coloquei no meio de suas pernas por cima de sua calcinha, bem em cima do seu grelinho, ela continuou a apertar sua coxas, mas desta vez com meu pau no meio delas, eu não me movia, ela com o rosto enfiado no travesseiro fazendo movimentos com os quadris cada vez mais rápido, até que gozou e pediu sem olhar para mim que eu tirasse o pau da suas coxas, sua calcinha estava encharcada. Voltei para os pés do sofá cama com o meu pau duro e sem gozar. Começamos a conversar baixinho para não acordar nossos pais e perguntei o que ela tinha sentido,ela me falou que nunca tinha sentido sensação tão gostosa na vida dela e eu disse que ela tinha gozado pela primeira vez. Eu continuava com muita tesão e ela me perguntou se eu já tinha gozado eu disse que sim, batendo punheta, mais ou menos como ela tinha acabado de gozar.Perguntei se ela queria me ver gozar,ela curiosa disse quem sim. Tirei o pau para fora pedi para ela baixar um pouco sua calcinha e vendo aquela bucetinha com poucos cabelinhos e ainda encharcada bati uma punheta e gozei com ela olhando sem tirar os olhos do meu cacete. Batemos mais um papinho enquanto me limpava e depois dormimos.
Depois disso sempre que tínhamos oportunidade, aproveitávamos para um sarrinho. Pouco tempo depois já estávamos brincando sem cuecas e sem calcinha e eu gozava em cima do seu grelinho e muitas vezes ela gozava comigo. Mudamos para o interior lá no Vale do Paraíba, a situação de meu pai já tinha melhorado e a casa era muito grande e cada um tinha seu quarto. Já tinha passado um bom tempo que não ?brincávamos? afinal dormíamos em quartos separados e eu estava namorando, minha irmã sempre safada, fazia de tudo para me provocar, até que um sábado a tarde, meus pais tinham saído e eu estava sozinho em casa com minha irmã e a empregada, quando a empregada foi embora, minha irmã entrou no meu quarto com algumas flâmulas na mão pedindo para que eu a ajudasse a separar as mais bonitas. Ela iria enfeitar seu quarto com algumas, ela sentou na cama do meu lado e jogou várias bandeirinhas em cima de mim e com a desculpa de pega-las roçava a mão no meu pau. Como eu estava de bermuda, não deu para disfarçar que estava com ele duro, ela estava fazendo de propósito, peguei sua mão e apertei contra meu cacete, ela começou a alisar meu cacete por cima da bermuda. Tirei o pau para fora e pedi para ela me bater uma punhetinha, ao invés disso ela levantou o vestido, tirou a calcinha de deitou do meu lado, segurando meu pau ela me pediu para fazer ela gozar. Comecei a passar a mão na suas pernas, fui subindo até sua bucetinha que já estava meladinha, comecei a brincar com seu grelinho e ela me batendo uma punheta. Mortos de tesão estávamos já para gozar quando resolvi ser mais ousado, sai do seu lado, fiquei de joelhos no meio de suas pernas, pedi para ela afastar suas coxas e comecei a beijar seu grelinho, ela se contorcia de tanta tesão. Fiquei de pé ao lado da cama, coloquei meu cacete bem próximo ao seu rosto e pedi para ela me chupar, ela me olhou e muito timidamente colocou a boca na cabeça do meu pau e começou a chupar, com muita paciência e tesão fui ensinando a ela como se deve chupar um cacete, e ela como boa aluna aprendeu rapidamente me fazendo quase gozar de tanta tesão. Voltei novamente para cima ela e comecei a roçar meu cacete no seu grelo até ela gozar e gozei em cima daquela bucetinha deliciosa.
Nessa época eu estava com dezoito anos e ela com treze. Fui estudar em colégio militar e meus pais retornaram para São Paulo e eu só vinha para casa a cada trinta dias e quando dava sempre tirávamos um sarro. Minha irmã começou a namorar sério e eu já estava formado e noivo prestes a casar quando fui passar um final de semana na casa de meus pais ( eu estava servindo no interior de SP) no sábado o namorado de minha irmã veio jantar conosco pois queria me conhecer, depois do jantar lá pelas tantas, ele se despediu para ir embora e minha irmã perguntou se eu não poderia dar uma carona pra ele, eu concordei e fomos os três até a casa dele.Na volta eu e minha irmã começamos a conversar e o papo levou para as recordações das nossas sacanagens. Um clima de tesão ficou no ar dentro do meu carro e ela me disse que ainda era virgem mas já tinha brincado com seu namorado bem na ?portinha? e estava louquinha para dar.Estavamos na marginal passando próximo a um motel, não tive dúvidas, parei na porta do motel e perguntei se ela topava entrar para ?brincarmos? um pouquinho. Ela topou, desde que não fizéssemos nenhuma besteira. Entramos, ela tomou um banho e saiu do banheiro peladinha, estava simplesmente deliciosa, sou louro e puxei o lado de minha mãe que é loura, já minha irmã é morena de cabelos negros e pele branca, ela puxou o lado do meu pai, ainda de pé comecei a chupar ela todinha, ela se ajoelhou e me fez uma chupeta maravilhosa ( como ela progrediu nesse ?quesito?) . Caímos na cama, cai de boca na sua buceta até ela gozar, daí ela fez uma chupeta até eu gozar e engoliu toda minha porra, sem deixar cair uma gotinha. Ficamos deitados um ao lado do outro sem nada dizer, até que ela começou a me beijar e chupar o meu pau, que não demorou para ficar duro novamente. Comecei a brincar novamente na portinha da sua buceta e ela pediu para não enfiar pois queria casa virgem e virou de bruços. Entendi o ?recado? enfiei a língua no seu cu rosadinho,ela delirava de tesão, coloquei a cabeça do meu pau na portinha daquele cuzinho apertadinho e fui enfiando bem devagar, ela não reclamava de nada e fui enfiando até o saco e com movimentos de vai-vem cada vez mais acelerados gozei dentro do seu cú ao mesmo tempo em que ela gozava. Já era tarde tomamos banho e fomos para casa.
Eu já estava casado quando minha irmã se casou ( com o mesmo namorado) quando fui fazer um serviço em SP e fiquei alguns dias na casa de meus pais.Minha irmã foi passar o dia com minha mãe e quando cheguei do trabalho ela estava me esperando pois fazia algum tempo que não nos víamos. Batemos um longo ?papo? rimos muito eu ela e minha mãe e mamãe pediu que eu levasse minha irmã para casa, porque ela teria que sair com meu pai para um compromisso que não dava para desmarcar. Papai chegou e falou que já estava atrasado e era pra minha mãe se apressar. Minha irmã falou que eles poderiam ir que ela ainda queria tomar um banho e que depois nós deixaríamos a chave na portaria do prédio.Até aquele momento não desconfiei de nada e achei tudo normal. Assim que meus pais saíram, minha irmã realmente foi tomar banho, eu fiquei sentado na sala vendo TV. Ela saiu do banho direto para o quarto de meus pais e me chamou, surpreso fui ver o que ela queria, quando entrei no quarto ela estava se trocando, só de calcinha e sutiã e falou:? fica aqui enquanto me troco, assim continuamos a conversar?. Na mesma hora me vieram a mente as sacanagens que fizemos e com ela quase nua meu pau deu ?sinais de vida?, não fiz nada para disfarçar minha tesão e ela observou o volume que se formou na minha calça. Ela continuou se vestindo, colocou a blusa, a saia branca e bem curta a sandália de salto alto e continuamos a conversar amenidades, de vez em quando ela olhava para o volume na minha calça e eu já estava ficando sem graça, pois não conseguia disfarçar que estava com o pau duro. Ela pegou sua bolsa e falou para irmos embora, na sala quando fui pegar as chaves do carro, ela passou por mim e eu sem querer, querendo, rocei meu pau na bunda dela. Senti na hora que ela se arrepiou toda, passei a mão pela sua cintura, virei ela de costas para mim e com o pau encostado na sua bunda, comecei a beijar seu pescoço, ela não esboçou nenhuma reação e cheio de tesão, levantei sua saia branca e curta, tirei meu pau pra fora e coloquei bem no seu reguinho ainda por cima de sua calcinha. Ficamos naquela posição alguns minutos, até que ela virou-se de frente pra mim, ajoelhou-se e caiu de boca no meu pau. Gozei como um louco na sua boca e ela mais uma vez não deixou cair nenhuma gotinha. Peguei ela pela mão e sem dizer uma palavra fomos para o quarto, tirei toda sua roupa, fiquei nu, e já na cama chupei sua buceta até ela gozar e em seguida enfiei meu cacete dentro de sua buceta e fudemos com dois alucinados, enchi sua buceta com minha porra por várias vezes e ela gozou muito. Fomos tomar banho juntos e no chuveiro demos mais uma. Na hora de irmos embora, minha irmã falou que esta tinha sido a primeira e última vez que tínhamos metido de verdade e que era para apagar toda a tesão que tínhamos um pelo outro. Nos beijamos muito e fui levar ela em casa.
Isso já faz muito tempo e nunca mais tocamos nesse assunto. Ela é muito feliz no seu casamento e eu no meu. Mas eu tenho certeza que ela ainda goza só de pensar nas coisas que fizemos, eu bato minhas punhetas de vez em quando lembrando alguma passagem nossa.

 

Gostou? Vote no Conto:

02/11/2010 | 140104 visitas

 
 
 
flagras porno videos porno