Acervo de Contos eróticos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto
flagras filmes porno gostosas sexo videos de sexo porno

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Minha avó, tarada e insaciável | Acervo de Contos

Minha avó, tarada e insaciável

MINHA AVÓ É TARADA E INSACIÁVEL

Meu nome é Márcio, 1,90 m de altura, corpo esbelto, à noite faço faculdade e durante o dia estudo; alguns dias faço musculação e pratico esporte (basquete). Moro em Porto Alegre com minha mãe (Marta) que engravidou muito nova, casou e depois de 2 anos se separou e optou por não se envolver afetivamente com mais ninguém. Hoje ela é responsável, na região sul, pelo setor financeiro de uma grande loja de redes que atua em todo o país.

Vamos ao meu relato, a 2 anos, no final do ano, sofri um acidente de moto, quando quebrei o braço esquerdo e tive uma forte torção no pé esquerdo; com isso tive que engessar todo o braço e o pé até ao meio da perna, com isso fiquei praticamente imobilizado com estas partes do corpo e dentro do apartamento tive que usar cadeira de rodas na locomoção. Como minha mãe não podia se afastar do serviço, e faz suas refeições na firma ou no centro da cidade pediu para minha avó, que é viúva e mora a duas quadras de nós, me atender por alguns dias até minha recuperação. Ela vem pela manhã e volta ao entardecer fazendo o almoço para nós dois.

No segundo dia em que minha avó me atendia, eu tinha que tomar banho e minha mãe propôs de contratar um enfermeiro para me dar o banho, mas minha avó propôs de ela tentar me dar o banho, se não desse certo, no outro dia seria contratado o enfermeiro. No primeiro dia foi meio constrangedor para nós dois, a vó me lavando eu pelado, mas deu certo, nos dias seguintes fomos nos desinibindo aos poucos e no 5º ou 6º banho, ao ela me lavar, o meu pau o mesmo teve um leve ereção, mas consegui me controlar e eu disse:

- Desculpe vó, é que fazem tantos dias que estou sem transar que não me contive.

- Ora Márcio, quando você era pequeno eu te dei muitos banhos e este pinto ficava sempre duro e era bonito.

Depois ela me secou e fomos fazer um lanche e ver tv, mas fiquei observando o corpo dela, que não era de se botar fora, pois ainda era nova e além de caminhadas, fazia academia, seu corpo apesar da idade era firme e bonito. Comecei a imaginar como seria ela pelada e se sentiria ainda tesão depois de 10 anos de viuvez. No outro dia, na hora do banho, ela estava com uma calça legg e uma blusa abotoada na frente, iniciamos o banho normalmente e observei que ela olhava disfarçadamente para os meus 22 cm de pau, quando ela começou a passar o sabonete no mesmo, com seus movimentos, abriram-se dois botões da blusa e pude ver que ela estava sem soutien e seus seis quase saíram para fora, eram volumosos e firmes para a idade e ela viu que eu estava olhando. Imediatamente meu pau endureceu e ela disse:

- Oh ! Márcio, não posso fechar minha blusa agora, estou com as mãos ensaboadas, me desculpe.

- Ora vó, o que estou vendo é bonito, você tem uns seios lindos.

- Hoje vou lavar com muito carinho este teu pauzão, não imaginei que fosse tão grande e tem uma cabeça tão grande que não sei como tuas amigas conseguem agüentar ele na xoxota, mas deve ser muito gostoso.

Começou a alisar lentamente e fazer um vai e vem. Meu tesão foi aumentando e ela tirou a espuma e continuou a punhetar e me dava umas olhadinhas de prazer. Eu disse:

- Cuidado que não estou agüentando mais, você sabe que estou no seco a muitos dias e louco de tesão.

- Podes fazer o que quiser que não me importo, hoje também estou tendo umas sensações diferentes, que a muito não sinto e estou adorando este teu pau.

- Vó, eu estou quase gozando, não me digas que não te avisei.

Imediatamente eu gozei e como ela estava com o rosto perto a porra espirrou em seu rosto, em jatos fortes e abundantes, depois dos últimos jatos ela começou a lamber seus dedos cheios de porra e juntar os respingos de seu rosto e levá-los à boca. Depois das últimas gotas serem engolidas, ela me olhou com uma cara de sacana e me disse:

- Este será um segredo só nosso, foi muito gostoso, mas estou em fogo.

- Sempre que quiseres eu te darei tudo, és muito gostosa.

Nos lavamos e fomos fazer um lanche e ver tv. Quando minha mãe chegou disse para minha avó ficar para o jantar, pois tinha uma coisa para nos dizer, imediatamente achei que ela havia suspeitado de algo e fiquei meio temeroso, na hora do jantar ela nos disse que deveria participar de uma convenção das lojas em Curitiba e que ficaria afastada uma semana, que viajaria no outro dia à tarde. Pediu para sua mãe se ela poderia tomar conta de mim esta semana, que ela poderia dormir no seu quarto por esses dias, ao que minha vó imediatamente concordou dizendo: ?já que moro sozinha não faz diferença me ausentar de casa alguns dias? e me deu uma piscadela e por baixo da mesa passou seu pé em meu pau. Nesta noite quase não dormi imaginando como seria esta semana só nós dois no apartamento.

No outro dia minha avó chegou com uma sacola de roupas e ao meio dia, quando minha mãe chegou, fez suas malas, acomodou a sacola de minha avó em seu quarto, almoçamos e no meio da tarde ela foi ao aeroporto para pegar o avião. Minha avó disse para ela que poderia ir tranqüila, que cuidaria bem de mim e que não tinha pressa em voltar, minha mãe ainda recomendou para ela cuidar da minha alimentação para mim não ficar magrinho, para me dar comidinha boa. Nós demos uma boa risada. Logo após minha mãe ter saído de táxi para a viagem minha avó pegou sua sacola com as roupas e levou para o meu quarto, pois o mesmo tem uma cama box de casal que eu pus quando troquei meu quarto e que usava para receber minhas ?amigas? e me disse que me cuidaria muito bem.

Como já era meia tarde me falou que era hora do banho, a mesma me levou para o banheiro, tirou minha roupa e disse que iria por uma roupa mais leve para não molhar a que estava usando, foi se vestir e voltou com um camisão que ia até a metade de suas coxas e começou a me lavar, mas propositalmente deixou os botões de cima abertos com os seios a vista. Chegou um momento em que eu já de pau duro, por brincadeira, peguei a ducha com a mão livre e joguei água em seus seios e ela falou:

- Márcio ! O que estás fazendo? Me molhando toda!

- Bah vó ! Não agüento ver estes peitos tão bonitos. Queria beijar eles.

- Meu guri, agora vou ter que tirar esta roupa molhada.

Para minha surpresa ela tirou o camisão e vi que estava sem calcinha, pude então admirar aquele lindo corpo nu em minha frente. Ela começou a ensaboar meu pau com carinho, quando falei que estava gostoso demais ela me disse:

- Não vá gozar agora pois tem algo especial nos esperando.

Em seguida ela me secou e se secou também, me levou para a cama onde me colocou sobre o meio da mesma, sempre com muito carinho, e disse que iríamos ver ?estrelas?. Ela se ajeitou sobre mim de modo a iniciarmos um 69. Quando senti o seu cheiro de sexo, com a mão direita abri os lábios daquela buceta, e pus minha língua até ao fundo, o grelo começou a ficar mais duro e pude sentir que o mesmo era maior que o das minhas namoradas, comecei a chupar o mesmo e quanto mais eu chupava o cheiro de sexo aumentava e ela mamava no meu pau com vontade, chupando até minhas bolas.Foi quando eu disse:

- Chupa com vontade minha querida, pois vou entupir tua boca de porra!

- Meu gostoso estou quase gozando, me lambe até ao fim que eu vou gozar agora!

- Joga toda a tua gozada na minha boca que eu também estou gozando aiiiiiiiiiiiii como é boa tua buceta !!!!

Então senti escorrer de dentro de sua buceta o caldinho gostoso que eu chupei e engoli, tinha um gostinho acre de uma gozada a muito contida. Enquanto eu engolia o líquido vaginal ela engolia minha porra, após ela ter lambido até a última gota ela vem e me beija, quando trocamos de saliva, foi muito gostoso sentir o gosto de minha porra misturado com o gozo de minha avó. Ficamos nos acariciando um bom tempo e ela me contou que fazia mais de 15 anos que não sentia uma piroca em sua buceta, pois 5 anos antes de meu avô falecer ele já não fazia mais nada e que meu avô só fazia o papai-mamãe e ela queria agora tirar o atrasado e fazer sexo de todas as formas.

Assim passamos uma semana inteira, achando todas as formas possíveis de trepar e gozando várias vezes ao dia. Quando minha mãe avisou que voltaria, minha avó prudentemente levou suas roupas para o quarto de minha mãe e colocou os lençóis do quarto de minha mãe (que não tinha sido usado) na máquina de lavar para fazer de conta que tinha dormido no quarto dela. Minha mãe quando voltou, me levou para tirar o gesso e agradecendo a minha avó disse:

- Mãe, pelo que vi cuidaste muito bem do Márcio, agora ele já pode se virar sozinho!

- Marta minha filha, como não tenho muito o que fazer gostaria de vir de vez em quando fazer o almoço para este netinho querido, pois ele tem que se alimentar bem !

- Está bem mamãe, sempre que quiser podes vir, pois como trabalho só venho de noite para casa.

Foi o que queríamos, hoje minha avó vem de 2 a 3 vezes por semana fazer minha comida, trepamos no quarto, sala, cozinha, banheiro, etc. Um dia coloquei na cama dois travesseiros e por cima uma toalha e disse para minha avó que queria algo diferente, ou seja se cu, ela me respondeu que nunca havia dado e tinha medo do meu pauzão, disse que não doeria e que eu seria muito carinhoso, coloquei ela de bruços, passei um gel em meu pau e na entrada do seu cu, me posicionei atrás e fui enfiando devagar, quando entrou a cabeça ela deu um gemido, mas fui enfiando aos pouco e senti que ela começou a rebolar, prossegui no vai e vem cada vez mais fundo e ela começou a empurrar a bunda contra meu pau, senti que ela estava quase gozando, empurrei mais e disse:

- Minha querida, vou arrebentar todas as tuas pregas, vou inundar tuas entranhas com minha porra, como tu é gostosaaaaa!!!!!

- Vem, me inunda com toda esta tua porra, está booooom de maiiiissss!!!!

Gozamos juntos e esperei até o pau amolecer dentro dela, as vezes ela dava uma piscadela de gozo com o cu e apertava o meu pau. Ao tirar ele, escorreu porra até a buceta e molhou a toalha (ainda bem que coloquei a toalha, pois senão teria manchado os travesseiros).

Hoje continuamos transando, as vezes pegamos alguns dvds pornôs para achar outras formas de trepar, andamos pelados pela casa trepando e gozando sem parar e a velha sempre quer mais, só de pensar em seus peitos volumosos e firmes já estou de pau duro.

OBS: Minha mãe nem desconfia, pois sempre está envolvida com seus trabalhos e quando ela viaja tenho alguém para me cuidar, pois minha avó se muda para nossa casa.



NOTA: Não publiquem meu e-mail

 

Gostou? Vote no Conto:

02/06/2010 | 189460 visitas

 
 
 
filmes porno amadoras safadas