Acervo de Contos eróticos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Meu filho, meu amor e meu prazer | Acervo de Contos

Meu filho, meu amor e meu prazer

Meu filho, meu amor e meu prazer
( 31 x 8,5 incesto )

Quando meu filho nasceu de parto normal ele pesava 6kilos 127gramas e tinha 65 centímetros, toda a minha família sacaneava. Diziam que o medico ao invés de puxá-lo pela cabeça, puxou-o pelo pinto e tudo isso porque o menino ainda bebe já exibia algo desproporcional para o seu tamanho.
Sua infância foi um pouco constrangedora, com apelidos e as idas e vindas ao medico para saber se era normal ou necessitaria de alguma operação, já na sua adolescência todos que se aproximavam só tinham uma intenção que era de contemplar sua linda ferramenta.
O tempo passou o menino cresceu e embora eu não aprova-se o pai resolveu levá-lo a um bordel no dia do seu aniversario, pela manhã, no dia seguinte era nítida a frustração e a infelicidade que meu filho estava sentindo, tudo porque nem em um bordel o menino havia conseguido perder a virgindade, pois o que ele tinha no meio das pernas assombrava as moças de família e botava muita mulher da vida para correr.
Ele já havia passado no vestibular e ia estudar geografia na universidade de ouro preto, meu filho sempre achou que se muda-se de cidade de clima tudo mudaria mais era um engano, não se podia fugir da realidade.
No final do primeiro ano fora de casa ele demonstrava mais alegria, já no segundo suas notas caíram por conta de uma namorada e retornou a nossa cidade no terceiro quase sem conseguir se formar.
É claro que como mãe, sempre me preocupei com a vida social e amorosa do meu filho, sempre quis o melhor para ele, como toda mãe quer, só que não havia mais como eu pegar na mão de um homem de 21 anos e obrigá-lo a freqüentar os psicólogos, então foi a minha vez de freqüentar um. Na minha ultima seção a psicóloga mencionou pelo o que eu lhe contei que o problema do meu filho poderia ser a virgindade, cheguei em casa e lhe perguntei se me responderia com sinceridade a uma duvida, ele disse que sim mais quando lhe fiz a pergunta, ficou bravo e não me respondeu confirmando assim as minhas suspeitas.
Juro que tentei mil possibilidades antes de me tornar a mulher do meu filho, foram amigas e garotas de programas que se trancavam em seu quarto mais depois saiam apresadas sem resolver o problema do menino.
Embora eu aparente ser bem mais nova, vou fazer 39 anos sou mulata, magra, tenho 1,76 altura, 62 kg, bem distribuídos, não uso sutiã porque meus peitos são pequenos, mais com os bicos pontiagudos, meus cabelos são negros e cacheados, tenho uma barriguinha saliente com um pirsing, mais minha cintura é fina e o quadril é largo dando à impressão de que eu tenha um bunda enorme só que o meu manequim é 40. Só uso calcinhas pequena e acredito que sou muito bonita, mais se eu não for com certeza é a minha bunda que chama a atenção por onde eu passo, mais eu já me acostumei com esse assédio, afinal sou destaque de escola de samba dêsde dos meus 15 anos.
Decidida a resolver o problema da vida sexual do meu filho, tomei duas doses de conhaque para me encher de coragem, coloquei uma camisola transparente e fui ao seu quarto. Já fazia uns dez anos que eu não lhe via pelado e realmente não imaginava o quanto ele tinha se desenvolvido.
Ele é alto e forte, dorme completamente nu e atravessado em uma cama de casal porque tem mais de 1,90 de altura e pesa quase 90 kg.
Entrei de madrugada silenciosamente no seu quarto, acendi a luz e fiquei a admirar meu filho, aquele pedaço de mau caminho, não conseguia entender porque as mulheres fugiam daquele deus de ébano, eu estava muito excitada mais não sabia como prosseguir, então me aninhei ao seu lado e adormeci pela manhã ele ficou assustado ao me ver em sua cama e eu de ver que sua pica não estava mais no repouso, sabia que ela era grande mais não imaginava o quanto. Durante o café eu lhe disse que o ar do meu quarto não estava gelando bem e que mandaria o seu pai ver, só que meu marido é um ex-fuzileiro que agora trabalha como segurança na portaria de um condomínio, à noite e dorme pela manhã, não lhe sobrando tempo para quase nada. Ele possui um corpo atlético com 1,88 de altura e 85 kg e também é bem dotado, 22 x 6 mais não se compara ao nosso filho. Na noite seguinte ele quis por uma roupa para dormir, só que eu lhe disse que se fosse para tirar a sua privacidade eu dormiria no calor, e assim eu passei uma semana inteira dormindo com meu filho, tentando ganhar coragem para prosseguir com meu plano de tirar sua virgindade, esperava ele dormi e de madrugada voltava sexy e provocante ao seu quarto. Na terceira noite foi ele quem velou o meu sono, sempre tivemos um relacionamento aberto e acho que a essa altura pelo que conversávamos, já começava a passar maldade na sua cabeça, apesar de saber que eu era sua mãe e pela manhã ele estava com umas olheiras horrorosas. Na quarta ele desligou o ar condicionado dizendo que o dele também havia dado defeito e quando eu acordei com o calor molhada de suor simplesmente retirei minha camisola ficando a penas de calcinha e voltei a dormir. Na quinta noite sem o ar condicionado me esparramei na cama ficando com minhas pernas entre abertas dando lhe visão de que eu estava molhadinha de tesão, dessa vez o menino não agüentou e foi para o banheiro bater uma punheta, ele se espantou ao me ver quando saiu do banheiro, eu estava em pé do lado de fora dizendo-lhe que estava com muito calor e precisava de um bom banho. Tomei meu banho com a porta aberta e o vi passando pelo menos três vezes enfrente a porta, não me sequei, sai do banheiro pelada passei no meu quarto apanhei outra calcinha e um óleo de amêndoas que pedi para ele passar, antes de me deitar lhe perguntei porque não aproveita para se refrescar também e novamente o menino se trancava no banheiro em uma deliciosa punheta. Na sexta noite por volta das 22hs nos assistíamos TV na sala ele com um short de taktel e sem camiseta, eu com um top e shortinho curto de lycra, tipo os que se usam nas academias, deitada no sofá com a cabeça sobre a sua perna, disse-lhe que já estava com sono e me espreguiçava propositalmente para poder me esfregar em sua pica que já mostrava sinais de desenvolvimento. Ele levantou-se cuidadosamente alguns minutos depois e foi para cama pensando que me deixaria dormir no sofá. Por volta da meia noite eu fui me deitar com ele, só de calcinha, o abracei jogando minha perna sobre a sua bunda porque ele passou a dormir debruço para que eu não o vise excitado, tentou-se levantar mais eu o segurei por traz e o puxei para mim. Roçava-lhe propositalmente o bico do meu peito, na sua costa em quanto beijava a sua nuca e acariciava o seu abdome definido, minha perna que ainda o enlaçava foi sendo afastada pela sua pica que se desenvolveu.
Meu filho já estava tomado de desejo e não oferecia mais resistência, forcei um pouquinho para ele virar e comecei a beijar seus mamilos rígidos em quanto minha mão escorregava do seu abdome direto para a cabeça da sua pica, ele ainda segurou a minha mão como se fosse parar e recobrar o sentido mais logo depois excitado a conduziu para que eu começa-se o vai e vem, e com a outra pressionava suavemente a minha cabeça na intenção que eu desce-se para chupá-lo.
Fiquei com dores no maxilar, tentando abocanhar aquela pica que só podia ser lambida ou mordiscada, porque mal cabia em minha boca, chupar só se fossem as suas bolas. Segurava a ponta da sua pica com as duas mãos e a esfregava sobre a minha calcinha úmida, ele forçava para querer entrar sem que eu a retira-se, joguei-a para o lado e tentei sentar uma, duas, três vezes sem conseguir agasalhar seus 31 x 8,5 de piroca, então a deitei sobre seu abdome e comecei a deslizar minha bucetinha molhada de tesão pelo seu comprimento, não demorou muito para que eu anuncia-se o meu gozo, pus minha bucetinha em sua boca e ela começou a escorrer assim que recebi as primeiras linguadas.
Bem lubrificada tentei mais uma vez sentar em sua pica, a cabeça já estava quase passando, mais a cada vez que ela latejava parecia inchar mais, e a posição me incomodava dificultando a penetração. Deitei-me com as pernas arqueadas para cima, relaxada, agora era ele quem tinha o controle da situação, com as mãos conduzi sua pica para a entrada da minha bucetinha e travei minhas coxas em sua cintura para poder conter o ritmo do seu balanço e limitar a quantidade da sua penetração, mais eu já estava tão excitada que acabei deixando o menino bombear.
Sua pica não entrava toda mais tocava no meu útero causando um leve desconforto no ventre e me provocando enjôo, precisava voltar a dominar a situação. Virei de lado e de costa para ele, minha bunda agora servia como um espaçador, limitando a profundidade da sua penetração que acelerava a cada estocada, eu senti meu corpo tremer em um leve arrepio e logo depois, ele me banhava com uma cachoeira quente de esperma que escorria sem para entre as minhas pernas me inundando de tanto prazer e claro que não me contive, e aos gritos acabei gozando de novo, de novo e de novo. Foi maravilhoso os orgasmos múltiplos que eu tive e que a muito tempo eu não os sentia, fiquei alguns minutos deitada debruço exausta, relaxando na cama, sem perceber que ele já se refazia, sedento de sexo e querendo me penetrar. Ele deixou sua enorme pica cair em minhas coxas e foi friccionado-a ate chegar na minha bunda, quando encostava nela ele deslizava por cima tirando um bom sarro, não demorou muito e ele já estava com suas mãos dividindo minha bunda criando um espaço para penetra.
Depois de varias tentativas nesta posição sem conseguir me possuir por trás ele me puxou pela cintura me deixando de quatro e introduziu na frente sem nenhuma piedade era cada estocada forte que acabei gozando de novo com o balançar do seu saco que batia no meu púbis em quanto ele me introduzia dois dedos no rabo. É claro que anal sempre dói um pouco no inicio, mais depois de excitada rola gostoso, eu já estou acostumada com o meu marido que também tem uma pica generosa e adora comer meu rabo, então foi só relaxar o anelzinho e deixar o menino se divertir com meu rabinho.
Era incrível ver a quantidade de porra que jorrava da sua pica, um liquido viscoso, branco e morno. Gozei fazendo um anal como nunca havia gozado em minha vida a impressão que eu tinha, era que ele estava me possuindo pela frente, o que não deixava de ser verdade, digo isso porque meu filho conseguiu me arrombar me unindo o anus com a vagina, a dor que senti foi suprimida pelo prazer e a conseqüência desse ato de amor nos só constatamos quando vimos o lençol sujo de sangue.
Meu filho me confidenciou que no inicio ficava com raiva, quando em um
relacionamento, a pessoa com quem ele estive-se, sai-se correndo espantada com o seu tamanho e lhe dizendo que era para ele enfiar sua enorme pica no rabo da sua mãe, e que de tanto martelarem essa frase na sua cabeça, ele havia criado um desejo proibido de me possuir e que esse desejo havia aumentado, quando certo dia ele me espiou no banho, depilando a minha virilha e quando acabei de me depilar eu havia me masturbado em baixo do chuveiro. É bem provável que isso tenha acontecido porque sou muito fogosa e realmente fico muito excitada quando me depilo, a partir desse dia ele passou a tocar punheta só cheirando as minhas calcinhas usadas e pensando no prazer que eu tive e de quem sabe um dia, me ter em sua cama. E agora que esse dia chegou, que jamais vai me deixar sair dela.
Embora eu fique me mordendo de ciúmes, gostaria que meu filho arruma-se uma mulher, amo meu marido que sempre me realizou e morro de medo que ele descubra nossa relação, pois já começo a ficar balançada pelo meu filho que me completa de prazer.

 

Gostou? Vote no Conto:

31/01/2010 | 226399 visitas

 

Comentários

  • henry postou em 10/01/2014

    tesaum gozei muito

  • janko postou em 22/01/2013

    Nossa ? uma hist?ria incrivel, adorei o conto de vc gostaria de ler mais contos seus!!

  • viviani postou em 19/08/2012

    nao.sei.se.eh.verdade....mais.eh.um.absurdo...tanto.homem.no.mundo.transar.com.o.proprio.filho...bizarro...

  • Allgueem postou em 21/07/2012

    Goosteei mtoo do contoo , se teem allgum qe nãao gostoou ouw achaa qe eér meentiiraa eér so num leer .
    & issoo nãao eér ser puta nem vagabunda , eér apenas umaa provaa qe ella qeer veer seeu filho beem independente de ter qe se sacrificaar :p

  • Roger postou em 01/05/2012

    Bom...mas muito mentiroso...msn leandro201261@hotmail.com

  • adriano postou em 15/02/2012

    parabens isso que e mae

  • rebfontes postou em 10/02/2012

    que tezao maravilhoso
    adorei

  • samy postou em 11/01/2012

    quero seu filho pra mim
    rs

  • dada postou em 08/10/2011

    adorei

  • só pra rir postou em 31/05/2011

    KK mulher fugir de 31 cm devia ter uns 50 pra elas fugirem, o mlq deve ser igual o filho de Chuck de feio,  e o LoKo Goias escreveu querendo corrigir os outros ao invés de lingua portuguesa escrever portuquesa só pra rir msm.

  • Keith postou em 03/05/2011

    É nojento mas, é exitante e perigoso.

  • magna postou em 30/03/2011

    Faria o mesmo

  • emerson postou em 12/02/2011

    maravilhoso

  • LoKo Goias postou em 06/02/2011

    Kara se vcs naum gosta naum leiam mas por favor olha a lingua portuquesa para comentar ta bom abraço olha penis com 31.5 vai saber em????

  • otaviopel postou em 09/01/2011

    voçe deve estar com sua buceta bem dilcerada depois dessa foda que voçe levou posso consertala voçe quer

  • moeralitopocriadodeferrolico postou em 24/12/2010

    mãe safada

  • Juan postou em 20/12/2010

    q coisa absurda isso é pecado , espero q essa história n seja verdade pq é mt escroa , se trata sua demente !

  • tomtomtom postou em 05/12/2010

    atá ele tem 318 deveria ter vergonha por ser um relato absurdamente mentiroso e ainda se colocando como um égua vaia se foder com esta merda de conto

  • otavio postou em 20/11/2010

    muito bom maravilhoso gostei

  • daia postou em 01/10/2010

    da seu filho pra mim que eu realizo ele..



:D :P: :afff: :confiante: :convencido: :convite: :decepcionado: :derrota: :descrente: :encucado: :fascinado: :lagrima: :legal: :meia-boca: :no:

  confirmacao * Todos os campos são obrigatórios