Acervo de Contos eróticos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto
sexo anal videos porno sexo safadas sexo anal sexo

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Gosto de gozar na pica do meu irmão gêmeo | Acervo de Contos

Gosto de gozar na pica do meu irmão gêmeo

Meu nome é Nádia. Há 6 meses estou casada com o Bonfim, representante comercial, que só vive no interior trabalhando. Meu pai já havia feito uma casa de dois quartos nos fundos do lote em que moram. Na casa principal vivem meu pai, minha mãe e meu irmão gêmeos, o Leonardo. Sou morena, 1,71cm de altura e um corpinho bem feito, tratado nas academias da vida, pois sou muito vaidosa. Meu irmão também é bem bonito, elegante e superfino. Somos de uma família classe média. Meu irmão é o que se pode dizer um garanhão, vive com namoradas diferentes. Confesso que nunca gostei dessa parte dele, por ciúmes mesmo. Eu o adoro.
Todos tem acesso à casa do outro. Só meu esposo que é um pouco mais tímido e sistemático. Ele tem 29 anos e nunca tive motivos para sentir ciúmes, apesar dele viver fora. Parece que ele é mesmo fiel ao nosso casamento.
Um dia cheguei em casa, eram 4 da tarde, mais ou menos, e como era costume nesse horário não ter ninguém, abrir a porta e fui entrando de vez, logo já estava sem blusa, mas de soutien. Também joguei a calça fora e fiquei só de calcinha e soutien, com uma sandália de saltinho. Louca pra tomar um banho resolvi faze-lo no quarto do meu irmão, pois seu banheiro é bem melhor do que o meu. A porta tava semi aberta e fui empurrando rapidamente e o que vi me deixou tonta. Meu irmão deitado na cama, com uma revista adulta, tocava uma bela punheta olhando fixamente uma figura, que não sei quem era. Empurrei mais a porta e entrei, mesmo assim ele não reparou na minha presença e eu fiquei parada, estática olhando fixamente para seu cacete enorme, que o do Bonfim, meu marido nem chegava perto. Era grande e grosso e tinha uma leve envergadura para a esquerda. Quando seu gozo se aproximou ele começou a falar e deu pra entender que falava meu nome. Tive certeza quando ele disse: vai, maninha, mete gostoso na sua xoxota. Mete, mana, senta de uma vez que eu vou gozar. Nossa! Como gozou. Colocou a mão para aparar a porra e pude perceber a grande quantidade que dava para encher algumas colheres. Quando desfaleceu, eu me fiz aparecer, tossindo levemente. Ele levou um susto, quis se cobrir, mas não tinha lençol por perto e colocou apenas a revista sobre o pinto.
Me aproximei e disse: mano, sua pica é linda. Pára. Ele me repreendeu. Por que? Perguntei. Por que não pode. É pecado. Eu falei que se era pecado ele era um pecador, pois eu ouvi bem quando ele tava gozando e falando meu nome. Estava me desejando. Ele não disse nada e baixou os olhos. Me aproximei do meu irmão e atirei longe a revista e peguei no pau e comecei a punhetar. Enfiei na boca chupei com força e vontade. Era muito gostosa e ainda tinha o gosto do sêmen derramado ainda há pouco. Lambi seu saco e modia de leve para não machucar e puxava com os lábios os pelos pubianos do meu irmão gêmeo. Percebi que ele estava prestes a gozar na minha boca, mas eu não queria que fosse agora e me preparei para o futuro. Atirei longe minha lingerie e fiquei peladinha. Minha bucetinha estava molhadinha preparada para receber o falo do maninho.
E deitei de barriga para cima, na sua cama, e ele se aproximou, mirou a cabeça do pau para minha fenda e ela foi deslizando para o fundo do meu útero. Meu marido estava viajando, como sempre, e eu ali recebendo os vinte e tantos centímetros do meu irmão na minha coninha. Ele fez o vai-e-vem e eu embaixo rebolando no seu cacete. Minha buceta ardia e eu pedia mais pica. Meu irmão não tinha dó de mim e eu recebia seu cacete la dentro, com força, com garra e rebolando gemia, queria gritar para pedir socorro pra alguém, mas que esse alguém nunca aparecesse. Era meu irmão gêmeo me fudendo
Enlouquecida pedi que ele se levantasse para eu me posicionar de quatro para novamente o Leo meter profundamente. Primeiro quis lamber minha buceta. Lambeu chupou e deu mordidas ao longo do clitóris até o cuzinho. Depois ficou na posição de cavalo, que ele é, um garanhão, e meteu fundo. Gozei, gritei, chorei, solucei. Seu pau não parava nunca ele era demais e um gozo meu vinha logo depois do outro. Ele por fim deu um berro, que me assustou, e anunciou seu gozo. Foi muita porra que molhou o pano da cama. Escorreu sêmen coxa abaixo e eu não aguentei mais e me arriei, quase que desmaiada. Desfaleci. Por sorte não chegou ninguém para atrapalhar nossa foda.
Ainda hoje, não perdemos uma oportunidade e sempre que podemos e, principalmente, quando meu corninho tá viajando, meu irmão me chama ou vem para minha casa. Ai a rola entra mesmo em mim. Nossos corpos ficam suados, mas saciados. Sou a amante de meu irmão gêmeo. Serei sempre.
Agradeço ao amigo, pracasadasdf, pela oportunidade de publicar pelo seu email, essa minha historia com meu irmão. pracasadasdf@hotmail.com (email e msn)

Nádia.
Peço que votem. Beijos

 

Gostou? Vote no Conto:

13/04/2012 | 124734 visitas

 
 
 
sexo anal flagras porno