Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Devassas na putaria | Incesto | Acervo de Contos

Devassas na putaria

Na época tinha a mesma idade que minha  prima Ingryd. Ingrydi era uma das garotas mais bonitas da escola: branquinha, de cabelos castanhos longos, boca pequena e rostinho delicado, seios pequenos e uma bundinha super empinadinha que fazia a mulecada do colégio virar a cabeça vendo ela passar. Também me despertava desejo mais mantinha o controle, por sermos primos.Certa tarde de muito calor estavamos estudando em sua casa, Ingrind sem nenhum interesse no assunto quase que cochilava na mesa. Passamos a conversa sobre outras coisas, que nada tinha a ver com o assunto da materia. Ingryd me perguntou se estava namorando com alguma garota da escola, e lhe respondi que sim devolvendo a pergunta. Ela me disse que não e com um sorrisinho falou: ?prefiro só ficar...é melhor...?. E condordei com sua opnião e continuamos conversando. Ingryd em tom de brincadeira disse: ?quando foi a ultima vez que você beijou na boca...?. Falei que estava com alguns dias, e ela sorrindo disse estar à semanas,  e completou: ?tô morrendo de vontade de beijar na boca...?.A conversa se estendeu e minha priminha sem meias voltas me pergunto: ?seu beijo é bom...?. Meio sem saber o que dizer lhe falei que ainda não tinha recebido reclamações. Ingryd sorriu alto e falou: ?só acredito provando...?. E lhe olhando fiquei sem resposta, ela afagando meus cabelos se aproximou, sua  boquinha foi encostando na minha lentamente até nosso labios se tocarem. No automatico lhe agarrei beijando sua boca com muita vontade, em um caloroso beijo molhado. Minhas mãos logo passaram a acariciar suas coxas fazendo com que seu vestidinho subir. Ingryd com as pernas um pouco afastadas me deixava ver sua calcinha. Ingryd levando sua mão até meu pênis passou a apertar por cima do short. Minha priminha enfiando a mão por dentro do short segurou meu membro e passou a apertar de levinho. Logo ela puxou meu cacete para fora passou a me masturbar. Ingryd descia e subia sua mão delicada por meu pênis, que já estava bem dura saltando varias veias por ele. Minha priminha olhando para meu cacete falou: ?nossa como é grande, nunca coloquei um assim na minha bucetinha...?. E ficou me punhetando olhando para meu pênis, mordendo os labios e sorrindo com carinha de safada.Levantando junto com Ingryd lhe beijei encostando ela contra a parede. E ela soltando meu cacete ergueu um pouco seu vestido deixando meu pênis ficar entre suas virilhas. Beijava minha priminha com muito tesão acariciando seus seios por cima da roupa, e soltando uma respiração profunda falou: ?ai...assim você me deixa louca...?. E virando de costas segurou minha cabeça me fazendo beijar sua nuca e pescoço. Levantando seu vestidinho passei a roçar meu pênis em sua bundinha branca. Ingryd abaixando agarrou meu pênis punhetando devagar, e aproximando sua boca lentamente passou a lingua em meu pênis e quando ia começar a me chupar fomos interrompidos por sua irmã mais nova. Na hora corremos para mesa disfarçando com os livros. Yara nada percebeu e ficou ali conversando com agente até eu ir embora.Alguns dias depois estava sozinho novamente com Ingryd estudando em sua casa. Por fazer bastante calor naquela tarde Ingryd saiu no meio dos nossos estudos para tomar um banho. E voltando apenas enrolada na toalha molhada sentou ao meu lado. Minha priminha relembrando aquele dia me falou: ?adorei seu beijo...queria mais, vamos aproveitar que a mana tá dormindo...?. Sem dizer nada lhe tasquei um beijo com muito desejo lhe abraçando forte pela cintura. Ingryd sentada ao meu lado deixou sua toalha cair me dando a bela visão dos seus seios branquinhos.Minha priminha me deixava tocar seus peitinhos enquanto me beijava cheia de desejo. Logo estava chupando os seus mamilos rosados até os deixar bem durinhos. Ingryd agarrando meu pênis passou a me masturbar devagar e me olhando com uma carinha safada disse: ?seu cacete tá tão duro e quentinho...?. E sem pudores foi logo me dizendo: ?deixa eu ti chupar...?. Ela abaixando abocanhou meu cacete, e passou a me chupar gostoso. Sua boquinha sugava minha glande deixando escorrer sua saliva por toda sua extenção. Agarrando seus cabelos segurei sua cabeça a fazendo subir e descer. Ingryd sentando em meu colo beijou minha boca com muito calor. E passaou a roçar sua vagina peludinha em meu cacete, me fazendo chupar seus peitinhos. Segurando meu cacete ela colocou na entradinha da sua bucetinha e foi enfiando devagar. Enfiando minha pica todinha Ingryd me beijou rebolando devagar, e agarrando seu bumbum passei a apertar a fazendo subir e descer. Nesse momento ouvimos o som no quarto tocar, rodando um funk proibidão, e pouco tempo em seguida Yara passou para o banheiro rapidamente. Ingryd se enrolando na toalha saiu do meu colo e foi para o quarto. Ficando sozinho na sala arrumei meu short e peguei um livro fingindo ler.Quando Yara voltou parou ao meu lado me perguntando o que estava estudando. Ela vestia um pijaminha de algodão: short curtinho, blusinha, sem sutiã. Seus seios na altura do meu rosto estavam quase furando o tecido da sua roupa. E sem fazer rodeios, sem vergonha alguma falou: ?você gosta mais de estudar, ou de fazer aquilo com a mana...?. Fiquei sem palavras e ela respondeu por mim: ?aposto que você preferi a segunda opção...?, com um sorrizinho. E me chamando para o quarto disse: ?você pode me tirar uma duvida de matemática...?. Yara era bem diferente de sua irmã, era mais parecida com o pai: morena, de cabelos escuros, seios pequenos bem durinhos, coxas grossa e bundianha arrebita, era dois anos mais nova que agente. Em seu quarto encontramos Ingryd dançando, vestida com um shortinho muito curtinho e uma blusa branca um pouco transparente. Ela se empinava toda rebolando, e Yara pegando seu livro sentou na cama me puxando pela mão para sentar ao lado. O som estava alto e era impossível explicar alguma coisa para Yara, que pediu para sua irmã baixar o volume. Ingryd puxando sua irmã pela mão passou a dançar junto com ela, que esqueceu o livro e passou a dançar. As duas dançavam de forma bem eroctica exbindo seus corpos. Yara rebolava até o chão e Ingryd descia junto, as duas roçavam uma noutra. E me puxando pela mão elas me chamaram para dançar. Yara por trás de mim, e Ingryd pela frente, elas roçavam seus corpos no meu, e dançando junto com minha priminhas tirava ums ?casquinha? delas.O clima foi esquentando e agarrado na cintura da Ingryd sentia ela esfregando seu bumbum em meu cacete, rebolando com as mãos nus meus joelhos. E virando de frente para mim tascou um beijo com muito calor em mim, e Yara me abraçando colou seu corpo ao meu, me fazendo sentir seus peitinhos nas minhas costas. Ingryd virando meu corpo me fez ficar de frente para Yara, que me olhando fundo nus olhos e beijou minha boca com muita vontade ficando na ponta dos pés. Beijei sua boca com bastante desejo agarrando seu bumbum puxando seu corpo para o meu. Ingryd me abraçando por trás beijou minha nuca, e passou a beijar meu pescoço e orelha.Yara levantando sua blusinha puxou minha cabeça me fazendo os chupar. Suguei seus mamilos pequenos rosadinhos, fazendo minha priminha gemer baixo. Ingryd com a mão por dentro do meu short passou a apertar de leve meu cacete, e tirando minha camisa desceu meu short junto com a cueca e passou a me punhetar. Yara passou a dividir meu pau com sua irmã, e as duas abaixando passaram a me chupar. Com a respiração ofegante sentia as duas disputando minha rola com a lingua. Ingryd deitando na cama afastou seu shortinho de ladinho me mostrando sua bucetinha peludinha. Yara me punhetando beijou minha boca com bastante desejo, e descendo o shortinho junto com a calcinha encostou na parede me puxando.Chupando seus seios colei meu corpo ao seu enfiando meu pênis entre suas virilhas, e passei a roçar meu cacete em sua bucetinha que estava muito molhadinha. Yara segurando em minha cintura gemeu baixo beijando meu pescoço. Segurando minha cintura ela acompanhava meus movimentos de vai e vem, apertando seus peitinhos beijei sua boca com um louco desejo. Ingryd me abraçando por trás beijou meu pescoço e sussurrou em meu ouvido: ?vem me foder, essa virgenzinha não vai te dar...?. E me fazendo virar de frente a sua face me beijou com muito tesão, apertando de levinho meu cacete. Ingryd sentando na cama abriu as pernas falando: ?quero ti dar...?. Fui ao seu encontreo cheio de tesão e beijei sua boquinha com calor. Ingryd me masturbando devagar afastou seu shortinho de ladinho esfregando meu cacete em sua bucetinha. Levantando sua blusinha chupei seus peitinhos apoiando meu corpo sobre o seu com as mãos no colchção. Yara sentando ao nosso lado ficou olhando para meu pênis tocando seu grelinho. Devagar fui penetrando a bucetinha da Ingryd que gemia gostoso, e metendo ele todinho em sua xotinha peludinha beijei sua boca com muito tesão. Passei a foder devagar e fui aos poucos aumentando o ritmo, conforme o tesão subia mais forte metia na sua bucetinha. Fodendo com força a xotinha da Ingryd olhava Yara se masturbar ao nosso lado. Tirando a blusinha da minha primanha chupava seus peitinhos os deixando bem durinhos. De pé diante delas mandei Yara me chupar, e ela prontamente abocanhou meu cacete, com a boca cheia ??d?àgua? passou a mamar na minha pica. Ingryd se colocando de quatro na cama me falou: ?vem me foder...quero te dar!?. Tirando meu cacete da boca da Yara enfiei com força na buceta da sua irmã, e agarrando sua cintura passei a foder com força. Ingryd gemia alto, quase gritando, e como uma puta me falava muita putaria: ?aii...ui...vai, seu filha da puta...me fode com força...?. 

Louco de tesão fodia com força Ingryd por trás, socando com força meu cacete em sua bucetinha. Meu cacete avantajado abria sua bucetinha e Ingryd encomodada com o tamanho falou: ?ai...devagar...assim tá doendo...?. Yara sentada ao nosso lado nesse momento falou: ?fode a buceta dessa puta com força...?. Ingryd respondendo: ?fica no meu lugar...?, caiu deitada me pedindo para parar. Yara segurando meu cacete passou a me chupar gostoso, deixando meu pau todo babado. Sua irmã sentando ao seu lado ficou acariciando minhas bolas enquanto ela me chupava.As duas ficaram um bom tempo brincando com minha pica, hora Ingryd me chupava, hora era Yara quem mamava na minha pica.  Cheio de tesão deitei Ingryd na cama enfiei meu cacete na sua bucetinha que estava bem molhadinha e passei a foder gostoso. Ela gemia baixo em meu ouvido, e Yara segurando minha mão me fez tocar sua xotinha. Estava muito meladinha, e fiquei bolinando seu grelinho enquanto estocava minha rola na bucetinha da Ingryd. E ela mexendo em seu clitoris gemia mais alto, dando mordidinhas na minha orelha. Enfiando  um dedinho na xotinha da Yara fiquei mexendo em seu grelinho com o polegar. Ingryd segurando em minha cintura acompanhava meus movimentos de vai e vem.Yara com uma carinha de putinha me olhava foder sua irmã. Que entre gemidos e gritos de prazer falou: ?vou gozar, safado...delicia...?. Colocando e tirando meu cacete com força em sua bucetinha senti ela se contrair por dentro. Ingryd gozou dando um gritinho gostoso, e chupando seus peitinhos enfiei meu pau todinho em sua xotiniha. Fiquei parado um momento sentindo seu coração bater e sua respiração ofegante. E tirando meu cacete de sua bucetinha apontei para Yara que entendeu a menssagem, e segurando minha pica começou a me chupar.Yara ficou me chupando gostoso enquanto sua irmã recuperava o folego. E Ingryd logo se juntou a ela naquela chupeta, as duas se revessavam na minha rola chupando com muito tesão. Yara ficanndo de pé me beijou com um desejo enorme, e Ingryd ficou me chupando gostoso. Agarrando Yara pela cintura coloquei meu cacete entre suas virilhas. Ela com a calcinha na altura dos joelhos segurou em minha cintura acompanhando meus movimentos e gemendo em meu ouvido falou: ?goza em mim, priminho...?. Esfregando meu cacete em sua bucetinha, que escorria prazer, chupava seus seios com muito prazer. E colocando meu pau na entradinha da sua xotinha esporrei meu gozo em abundancia. Yara ficou com a xoxota toda lambuzada de esperma, e com os dedinhos espalhava minha gala quente por sua vagina. Ainda com os dedos melados fez Ingryd chupar, o que fez com muito prazer, sem nenhum nojo.Depois daquele dia passeia transar com minha priminhas quase todo dia. Mais não cheguei a tirar o ?selinho? da Yara, mas fodi varias vezes seu cuzinho. O que relaterei no próximo conto.

 

Gostou? Vote no Conto:

49725 visitas