Acervo de Contos eróticos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto
filmes porno filmes porno amadoras gostosas filmes porno filmes porno

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Comi minha tia num baile de carnaval | Acervo de Contos

Comi minha tia num baile de carnaval

Sempre gostei de Carnaval, mas o Carnaval de 2006 ficará marcado para sempre em minha memória. Na verdade tinha tudo para ser um Carnaval como qualquer um outro. Eu estava em casa, no sábado à noite quando o telefone tocou. Era minha tia Helena, que também estava sozinha em casa com um convite com direito a acompanhante para um baile de Carnaval.
No telefone ela começou me perguntando se eu iria fazer alguma coisa naquele dia e eu disse que não. Foi aí que ela me disse que seu marido, ou seja, meu tio, tinha ido viajar e como ela tinha um convite com direito a acompanhante em mãos resolveu me chamar. Eu aceitei ir com ela, e só então que ela disse que era um baile à fantasia, mas pediu que eu não me preocupasse, pois tinha uma fantasia de Chapeuzinho Vermelho para ela e uma de Lobo Mau para mim. Às 11 horas da noite ela me pegou em casa e em minha casa nós nos trocamos. Minha fantasia de Lobo Mau era composta de uma máscara que deixava o rosto de fora e um shorts com um rabo, bem à vontade e diferente do que eu havia imaginado. Minha tia ficou demais, com um sapatinho branco, aquele característico chapeuzinho vermelho, um vestidinho branco bem curto que deixava de fora suas coxas grossas e aquela cestinha.
Devidamente fantasiados fomos para o baile e chegando na porta o segurança só deixava entrar casais. Um rapaz acompanhado de duas moças tentou entrar, mas o segurança brecou dizendo que era só para casais. Nessa hora minha tia ficou de mãos dadas comigo e disse em meu ouvido que nós fingíssemos ser namorados. Eu nem havia entrado no baile e já estava começando a gostar. Ao chegar a nossa vez de entrar fomos revistados e entramos sem problemas. Lá dentro o samba rolava solto e o pessoal se divertia bem à vontade. Percebi de cara que a orgia iria rolar a noite inteira e resolvi avisar minha tia. Disse a ela que era um baile de sacanagem e que se quisesse poderíamos ir embora e ela disse que não era necessário, mas caso a coisa começasse a ficar pesada a gente ia embora. Por mim tudo bem, pois eu era solteiro e estava afim é de putaria mesmo agora minha tia era casada e eu estava pensando nela, mas se ela resolveu ficar melhor para mim. Passado algum tempo o pessoal começou a se animar e minha tia achou conveniente que déssemos alguns selinhos um no outro para não ficarmos mal vistos. Que maravilha, eu nem acreditava que minha tia Helena estava em meus braços e apesar de selinhos eu beijava sua boca seguidas vezes. Helena era uma mulher muito gostosa e apesar de mais velha do que eu era um de meus objetos de desejo. Aliás, desde minha adolescência que eu sinto tesão por ela e muitas foram as homenagens a ela através de masturbações. Dona de um rosto lindo, cabelos e olhos castanhos, seios pequenos e uma bunda avantajada e deliciosa era o padrão de mulher que eu sempre cobicei.
Bebemos um pouco e minha tia ficou mais alegre. Os selinhos que trocávamos já davam lugar aos beijos de língua e aos poucos eu estava saciando meu desejo com minha tia potranca. Um pessoal que trabalhava na casa passava distribuindo camisinhas e já era possível ver casais transando no meio do baile. Quando ofereceram camisinhas para gente minha tia encheu a mão e guardou na cestinha que fazia parte de sua fantasia. Começaram a assediar minha tia e cada vez mais éramos alvo de convites de casais que desejavam realizar uma troca de casais. Minha tia rejeitava os convites de bate pronto e não vendo outra saída resolveu me agarrar e com o olhar pediu que eu a comesse. Disse a ela que não poderíamos fazer aquilo, pois éramos sobrinho e tia e ela respondeu que preferia fazer comigo do que com um outro qualquer e afinal de contas era Carnaval e ninguém estaria ligando para isso. Fiquei de pernas bambas e excitadíssimo. Perguntei a ela se estava preparada para mudar um conto de fadas e como ela não havia sacado eu resolvi explicar a ela que seria a primeira vez que o Lobo Mau comeria o Chapeuzinho Vermelho. Ela sorriu e disse que não via a hora disso acontecer e pegando-a no colo fui até um sofá onde um negão fodia uma loira sem dó.
Sentei no sofá ao lado do casal interracial e coloquei minha tia Helena sentada no meu colo. Primeiro nos beijamos muito e em seguida mamei em seus seios de biquinhos duros. Coloquei nossas fantasias entre eu e o encosto do sofá para que ninguém as roubasse e de pau duro atendi aos insistentes pedidos de minha tia penetrando sua vagina. Ela cavalgava feito louca e gemia como uma puta. Gozamos de maneira incrível e meu desempenho chamou a atenção da loira gostosa que trepava com um negão ao meu lado. Para minha surpresa ela disse ao seu marido que queria uma anal com o Lobo Mau e ele aceitou. Eles fizeram uma pedida à minha tia que me liberasse por alguns minutinhos e eu me antecipei dizendo que era só dela e não seria justo com ela trepar com outra. Minha tia sorriu, me deu um beijinho de língua e disse que eu poderia transar com a loira sem problemas, mas meu medo era perder minha tia para outro. Minha tia insistiu dizendo que eu poderia comer a loira e eu resolvi aceitar o convite. Na verdade fizemos um sanduíche com aquela loira maravilhosa. O negão por baixo penetrou sua buceta, a loira no meio e eu por cima penetrei seu cuzinho. Quando iniciamos as estocadas a loira enlouqueceu. Gemia que era uma loucura enquanto eu não tirava os olhos de minha tia, que se masturbava enquanto eu comia a bundinha gostosa da loira. Gozamos juntos e ao terminar a foda a loira apanhou meu pênis e tirou minha camisinha levando até a boca. Para minha surpresa ela tomou todo o esperma e de boca lambuzada disse que adorava leite de Lobo Mau. Percebendo que a loira não queria me largar minha tia entrou no meio e disse que já estava de bom tamanho e que agora eu era só dela. Nos abraçamos, trocamos mais alguns beijos e carícias e após colocar minha tia Helena de quatro no sofá iniciamos um novo fight. Dessa vez foi ainda mais gostoso e saciada minha tia gozou mais uma vez. Transamos a madrugada inteira e quando o dia já clareava minha tia me pediu um beijo de despedida e disse que a partir do momento em que saíssemos daquele baile eu voltaria a ser seu sobrinho e ela voltaria a ser minha tia e nada mais. Concordei com ela e após apalpar sua bunda pela última vez nós nos beijamos deliciosamente e de maneira demorada para em seguida nos vestirmos e irmos para casa.
Na volta para a casa, dentro do carro, eu disse à minha tia que só agora eu havia entendido o porque do Lobo Mau insistir tanto em comer o Chapeuzinho Vermelho e sorrindo nós fomos para a casa dela onde eu dormi. Por ironia nós dormimos em camas separadas. Lá pelo meio dia nós acordamos e com um beijinho no meu rosto minha tia me desejou um bom dia. Após almoçarmos minha tia me levou até em casa e desse dia em diante não transamos mais e nem sequer relembramos aquela madrugada inesquecível, mas quem sabe no próximo Carnaval.

 

Gostou? Vote no Conto:

23/12/2010 | 67156 visitas

 
 
 
sexo sexo anal ninfetas