Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Uma noite no "Céu" | Heterosexuais | Acervo de Contos

Uma noite no "Céu"

Meu nome é Aghata e tenho, sou morena,do tipo gostosa, cintura fina, quadris largos e seios fartos, tenho 1,68m e 58 kg. Foi em uma noite de quinta-feira, em Agosto deste ano, que vivi uma das melhores noites da minha vida. Era um reencontro, e eu não sabia como seria se ainda teríamos a mesma química de antes, se eu ainda o desejava como antes. Nossa história tinha tido um fim tumultuado, mais na época em que estávamos juntos nos dávamos tão bem, e o sexo era perfeito, e eu ainda pensava nele. Na ocasião eu estava namorando, mais o sexo com o meu namorado não era dos melhores, não tinha química e pra ser sincera ele não conseguiu me fazer gozar nenhuma vez. Eu estava muito insatisfeita, quando surgiu a oportunidade de me encontrar com o Rodrigo. Tínhamos nos falado por telefone algumas vezes e eu ainda estava insegura se devia ou não me encontrar com ele, afinal iria trair meu namorado que era uma pessoa maravilhosa, mas as lembranças de como o sexo entre a gente era bom e a curiosidade de saber se o sexo ainda seria tão bom quanto antes me fizeram aceitar.

Lá pelas 8 horas da noite liguei para o meu namorado e disse que não era pra ele passar lá em casa depois da faculdade porque eu estava com muita dor de cabeça e já ia dormir. Às nove horas da noite, no horário combinado o Rodrigo foi me buscar.

Quando entrei no carro não sabia se cumprimentava com um beijo na boca ou no rosto, fiquei nervosa, como se fosse o nosso primeiro encontro, mas enfim saiu o beijo no rosto. Olhamos-nos fixamente e ali percebi o quanto ainda nos desejávamos, não foi preciso sequer o beijo para que isso ficasse evidente, nossos olhos diziam tudo. Enquanto dirigia ele começou a encostar a perna na minha e sem pudores colocou a mão na minha coxa, e começou a acariciar minha xaninha, eu estava de vestido, e nesse momento senti um calor incontrolável dentro de mim, passei a mão em cima do short dele e pude sentir o quanto ele estava excitado, ele parou a caminhonete e nos beijamos loucamente, parecia que estávamos esperando por cada segundo daquele beijo. Nossos beijos sempre eram cheios de paixão, mas aquele beijo foi diferente, foi uma explosão de desejo, tesão e paixão, parecia que queríamos consumir um ao outro, se não estivéssemos no meio da rua e eu não o tivesse contido, tínhamos transado ali mesmo . Ele ligou o carro e começamos a dar uma volta pela cidade para decidirmos para onde iríamos, ele sugeriu que ficássemos dentro do carro já que nunca tínhamos feito isso, na hora eu aceitei, já que era um reencontro nada melhor que fazer algo diferente. Começamos a pensar onde poderíamos parar o carro, eu sugeri que fossemos ao ?Céu?, um lugar na saída da cidade que é mais alto e da pra ver quase todas as luzes da cidade, minhas amigas falavam desse lugar mais eu ainda não conhecia. Seguimos para lá, e as coisas começaram a esquentar, comecei a beijá-lo enquanto ele dirigia, eu mordiscava e subia e descia a língua no pescoço dele, ele colocou a minha mão sobre o short eu senti o quanto o pau dele estava duro, e fiquei com muito mais tesão, só de pensar aquele pau na minha boca e na minha bucetinha já me fizeram ficar toda molhada. As coisas começaram a esquentar e tirei a camisa dele, comecei a beijar seus mamilos e a dar mordidinhas de leve a descer a língua, e descer e descer, então abri o botão do short dele e tirei aquele pau gostoso pra fora, comecei a chupá-lo loucamente enquanto ele dirigia, eu ia passando a língua na cabeçinha e subindo e descendo, engolindo todo ?ele?, ele gemia de prazer e suspirava mais forte, e isso me dava mais tesão. Chegamos ao céu, ele parou o carro e começamos a nos beijar loucamente. Ele tirou o meu vestido e o meu sutiã e começou a beijar os meus seios, quando os dentes rasparam de leve meus mamilos comecei a gemer de prazer, a essa hora eu já estava em chamas e tudo que eu queria era o pau dele na minha boca, chupei tão gostoso, que ele quase gozou, mas ele segurou, me puxou e começamos a fazer um 69, estávamos quase explodindo, aí ele se concentrou em mim começou a chupar minha bucetinha de um jeito como nunca tinha feito antes, estava maravilhoso sentir aquela língua ágil na minha xaninha que estava ensopada, eu gritava de tanto prazer, ele me dava uns tapas e me chamava de cachorra, gostosa, isso me acendia ainda mais, ele colocou os dedos dentro da minha buceta e ao mesmo tempo a chupava, eu estava enlouquecida e rebolava cada vez em um ritmo mais forte, ele queria que eu gozasse na boca dele, mas eu estava a mil e queria o pau dele na minha bucetinha, ele se sentou e eu fui por cima, quando senti aquele pau delicioso entrando na minha xana gritei de prazer, eu rebolava loucamente em cima do pau dele, era como se a minha buceta quisesse engolir o cacete dele de tanto tesão, e gemíamos juntos, gritávamos de prazer, quando eu vi que ele ia gozar comecei a cavalgar mais forte e gozamos juntos, ele olhou pra mim ainda ofegante e disse: Fui aos céus no ?céu?, e concerteza eu também tinha ido. Foi maravilhoso transar na beira da estrada, vendo os carros passarem e alguns até buzinarem, isso nos dava mais tesão. Eu não sei definir o que acontece quando estamos juntos, é uma química indescritível, o cheiro dele, a pele, tudo me enlouquece. Mas a noite ainda não tinha acabado, ele me fez gozar me masturbando e eu o fiz gozar na minha boca com um caprichado boquete. Depois ele subiu em cima da caminhonete e me chamou pra ver as estrelas, disse que duvidava que eu subisse, claro que ele disse isso só porque sabia que eu ia subir, estávamos totalmente nus, ficamos uns 15 minutos em cima da caminhonete tomando Wisky e conversando sobre a vida, depois fomos pra casa dele, tomamos um banho e fizemos amor de novo e dormimos abraçadinhos. Algumas semanas depois meu namoro não resistiu, vi que não daria certo, que eu não seria feliz com um homem que não me realiza na cama. Depois dessa noite eu e o Rodrigo tivemos outras noites como esta, quase nos matamos de tanta excitação. Ainda estamos programando outras aventuras, ainda não fizemos sexo anal, mas ele está louco por isso, acho que já chegamos a um estágio que merece isso, e estou louca pra experimentar, mas quando isso acontecer, vocês vão ficar sabendo.

 

Gostou? Vote no Conto:

14780 visitas