Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Uma Cliente de Prazer e Sigilo Absoluto | Heterosexuais | Acervo de Contos

Uma Cliente de Prazer e Sigilo Absoluto

Não sei se as pessoas que lerem vão acreditar ou não, pois o importante é que vivi, gostei e queria mais. Então, amigos e amigas, minha profissão é diferente, não se assustem. Para poder viver, atualmente, leio a sorte das pessoas, através de cartas do baralho. Como também fiz curso e tenho diploma, posso dizer que sou um Tarólogo profissional. Isso mesmo! Não é tarado, não. Ganho a vida como Tarólogo. Fiz meus cartões de visita e procurei espalhar minha discreta propaganda, pessoa por pessoa. Para minha sorte, são as mulheres que mais se interessam quando vão consultar um horóscopo, um jogo de búzios e etc. Também, para ler as cartas de Tarô, o público feminino é maioria. Assim, uma cliente morena clara, de 1,52m, seus 26 anos, separada, bonita, de voz delicada, seios pequenos, mas com uma bunda maravilhosa (que chama muita atenção) me pediu para consultar alguns problemas que estava passando. A Rosângela foi se acalmando conforme eu ia lhe explicando o que as cartas estavam mostrando. Ficou muito contente pelos conselhos e dicas que passei. Depois de ser consultada na loja de artigos religiosos (imagens de umbanda, católicas e de candomblé) que eu estava atendendo, me disse: ?Gostei tanto, Marcos, que queria que você me atendesse em casa, igual diz no seu cartão de visitas?. Eu respondi que sim. Afinal, para atender na casa da pessoa eu também cobrava um pouco mais, portanto era vantagem pra mim. Ali mesmo, agendamos o dia e horário, no endereço da casa de Rosângela. Cheguei alguns minutos antes do marcado, como sempre faço, para pode arrumar minhas cartas na mesa da cozinha, onde geralmente é o local que a pessoa deixa eu iniciar a consulta. A Rosângela me recebeu com uma espécie de pijama leve, semitransparente, todo rosa, que ficou lindo naquele corpo bem feito. E quando me preparava para sentar à mesa e iniciar meu trabalho, a dona da casa me disse que queria mostrar seu quarto e que era importante para minha consulta. Fui, sem entender o que ela queria. E ela me perguntou: ?será que essa cama vai me dar sorte no amor? Eu ficaria bem atraente deitada nela, com esse pijama rosa? O que você acha, Marcos??. E antes que eu pudesse responder algo, a Rosângela foi se deitando na cama e começou a esfregar sua boceta (por cima do pijama) com a mão direita, enquanto passava a outra pelos seios. E eu, fiquei pra lá de excitado com aquela mulher linda me provocando! Me apressei pra deitar também, perto dela. Então ela, afastou a parte do short (daquele pijama) e mostrou sua bocetinha (com pelinhos bem aparados) e pediu: ?lambe, chupa a bucetinha, vai?. Obedeci minha cliente e me surpreendi com o cheiro e o gosto tão bom de seu sexo pequeno e muito quente. De minha parte, meu pau já estava começando a doer, de tanto tesão. Rosângela sabia bem o que queria e estava fazendo, pois enquanto eu lambia e beijava sua bucetinha ela também colocava um dedo por cima do grelinho e se masturbava, me ajudando a excitá-la muito mais, soltando gemidos delicados e, super, excitantes. Ela gozou rápido e segurou minha cabeça pra poder gozar novamente, sem deixar que eu parasse de beijar ou de lamber sua bucetinha. A essa altura, consegui abrir o zíper de minha calça e estava me masturbando (tal o tesão). Quando ela gozou novamente, pediu pra eu ficar quieto um pouco. Obedeci. Então ela foi chupar meu pau, por cima de mim. Como também estava morrendo de tesão gozei em pouco tempo. E Rosângela não teve dúvida: mamou meu pau, bebeu o leite e depois ficou esfregando o pau no rosto, nos lábios e chupando mais vezes, de forma mais carinhosa. Nos recuperamos e ela me confessou que por muito tempo só transava com outras mulheres de sua idade ou mais novas, mas que estava procurando alguém que confiasse para ser o homem que chuparia sua buceta, gozaria no seu rosto ou na boca. Afinal, Rosângela tinha sido casada, antes, e tinha saudades de um pau pra chupar e de uma boca de homem pra chupar seu sexo quente e gostoso. E, não vou mentir ou inventar, não. A verdade é que nunca pude comer a Rosângela, pois ela só permitiu chupar sua bucetinha, gozar na boca e às vezes masturbar seu cuzinho com um dedo. Mas, também confesso que ela sempre fez questão de me pagar as consultas. E quando eu dizia que não iria cobrar nada, ela me respondia que era uma condição pra gente continuar se vendo e tendo esse tipo de relação, onde eu deveria ser o homem da sorte, como ela me apelidou. Também prometi para Rosângela que as amigas dela não ficariam sabendo que ela estava se divertindo com um homem na cama, pois minha cliente sempre tinha uma namorada (mulher) sendo a sua companhia oficial. Essa parte de guardar segredo foi fácil, pois é isso que um tarólogo faz, guardar segredos. Será que consigo outra cliente especial, como a Rosângela?

 

Gostou? Vote no Conto:

12102 visitas