Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Músico comilão 2 | Heterosexuais | Acervo de Contos

Músico comilão 2

Não sou escritor profissional até por que não sou bom de imaginação, consigo escrever apenas o que vivi. E a história que vou contar agora pode parecer mentira, mas felizmente aconteceu.

Em um belo dia eu estava tocando em um barzinho, o bar estava lotado, havia muitas mulheres bonitas, homens bonitos e mulheres feias e homens ridículos, normal para um bar.

Neste dia eu havia começado a tocar as 20h, tinha pedido uma cerveja e nada de interessante aconteceu, até a 00:20, quase na hora de parar.

Sem esperar senta um pessoal bem na minha frete, faltava apenas 40 minutos para acabar o meu trabalho, nesta mesa havia três mulheres e cinco homens, três pessoas eu conhecia o resto da galera não. Entre estas mulheres havia uma loira mais ou menos 36 a 38 oito anos, ela era linda, corpo perfeito para uma mulher de quase quarenta, eu estava tocando e não resistia meus olhos não obedecia, eu não conseguia tirar os olhos dela, ela nem me olhava, acho que eu sequei tanto ela que ela até mudou de posição para não me ver olhando para ela.

Como ela virou as costas para mim, percebi que ela não se interessou pelo meu olhar, então parei de dar moral para ela e parei de ficar olhando.



A melhor hora de nós músicos quando a gente toca na noite é quando da a hora de ir embora, chegando meu horário comecei a desmontar meus instrumentos, e assim que desmontei os instrumentos,uma das pessoas que eu conhecia da mesa me chamou e disse por que quê a música havia acabado, eu respondi por que eu havia começado as 20h e agora já era uma da manhã, ele parece que entendeu e pediu para que eu sentasse na mesa deles e tomasse a saideira claro que eu aceitei o convite e sentei.

A loira que havia virado o rosto para mim parece que não gostou do amigo dela me convidar, para que eu sentasse ali, mas tudo bem com o tempo a loira começou a sorrir e conversar comigo, acho que foi o efeito do álcool, de uma hora para outra nós ficamos amigos, ela esqueceu do resto do pessoal e de uma forma surpreendente ela começou a me dar atenção, esquecemos dos outros e fizemos um mundinho só para nós dois naquela mesa, alguns até brincavam dizendo ? Ei vocês estão nós vendo aqui.

A gente ria e voltava a conversar.

Por um momento ela deixou escapar e me faz uma pergunta, a pergunta foi, por que na hora que eu estava tocando eu não tirava os olhos dela. Eu nada bobo respondi que achava ela muito linda, que se eu pudesse faria amor com ela hoje.

A mulher ficou vermelha, quem estava na mesa percebeu algo, mas não disseram nada. Ela me respondeu dizendo se isso era jeito de falar uma mulher, eu pedi desculpas, me levantei e disse para o pessoal que eu ia embora, ela não disse nada mas o pessoal, pediu para que eu ficasse, mas eu respondi que queria ir embora, então me retirei da mesa e fui pagar a conta.

Quando eu estava em pé no caixa, me virei e a loira estava na minha frente e perguntou se eu queria fazer amor com ela hoje, respondi dizendo que sim.

Ela olho para mim e disse que gostou de mim, só que não entende o por que eu um rapaz de 28 anos queria uma mulher de quase 40 anos. Eu respondi a ela dizendo que a idade não tem haver com a velhice, mas sim com experiência e afinal ela era linda.

Naquele momento ela pediu para que eu a esperasse pois ela iria sair comigo, ela foi até a mesa onde ela estava deixou uma grana e se despediu de todos, claro que a galera pirou ela um pouquinho, mas ela nem ligou.

Quando saímos do bar ela me levou até seu carro, minha nossa fiquei bobo era um civic cinza lindo além de linda a mulher era rica, ela perguntou onde nós podíamos ir, eu sugeri um motel, ela topou na hora.

Dentro do carro eu já comecei a passar minhas mãos nas penas grossas dela, ela colocou a mão na minha mão e puxou para dentro da calcinha dela, eu senti sua linda bucetinha toda molhadinha, geralmente o homem dirige e a mulher abaixa para fazer um boquete, desta vez foi o contrario, ela dirigia e eu abaixei e comecei a chupar a buceta dela, ela tremia de tanto tesão.

Quando chegamos no quarto do motel, joguei ela na cama e continuei chupando ela, ela dizia que estava delicioso, eu não parava de chupa - la, minha língua não queria parar, eu chupei ela por quase uma hora, ela disse que ninguém nunca tivera tanto tesão e vontade de chupar uma buceta por tanto tempo como eu a chupei. Ela disse que gozou varias vezes na minha boca, e que em certo momento sentiu que saiu porra demais, e que ficou com vergonha, eu respondi dizendo que não estava conseguindo parar de chupar ela por que eu estava adorando engolir a porra dela, ela veio querer chupar o meu pau eu disse que não por que eu que queria brincar com ela e que não queria que ela fizesse nada.

Perguntei se ela deixaria eu comer o cuzinho dela , ela disse que estava com medo, pois o meu pau era muito grande e que estava com medo de doer. Então prometi para ela que não iria fazer com força, ela aceitou,. Neste momento entrei chupando o cuzinho dela, ela enlouqueceu.

Ela estava tão gozada que passei meu pau enorme na portinha da buceta dela sem penetrar, lubrifiquei meu pau de porra de loira, e soquei no cu dela bem devagarzinho, ela estava adorando, e pediu que eu socasse com força, então eu soquei com muita força ela gritava, como louca, acho que todos do motel ouviram.

Depois que eu arrombei o cuzinho dela ela pediu para que eu socasse o meu pau na buceta dela, então enfiei com força, me abaixava para chupar os seis dela, neste momento eu enfiava o meu dedinho no cuzinho dela, enfiava o meu pau na buceta dela, o meu dedo no cuzinho dela, e com a boca chupava os peito dela e o pescoço. A mulher gritava de tesão. Quando eu ia gozar ela pediu, por favor que eu gozasse na boca dela, na hora que ela pediu isso eu fiquei louco que tirei o meu pau para fora e gozei na boca dela.

Depois fomos tomar banho, no banheiro eu pensei ? Ela ficou tão louca que me convidou para ir a casa dela, no motel mesmo marcamos o dia a dada e a hora.

O sexo que fizemos na casa dela, aquilo sim era sexo, esta historia que contei e porcaria perto, do que rolou na casa dela...outro dia eu conto.

Preparem para mais uma historia do músico comilão.



Mulheres picantes interessadas, tabatuco_@hotmail.com

 

Gostou? Vote no Conto:

11466 visitas