Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Loiro ou Moreno? | Heterosexuais | Acervo de Contos

Loiro ou Moreno?

Meu nome é Sara, quero contar para vocês o que aconteceu comigo e uma amiga. Tinha acabado de me separar do meu marido quando conheci uma colega de trabalho e começamos a sair para a balada juntas. Um dia ela me chamou para ir a um barzinho. Disse que tinha chamado um antigo amigo dela e outro carinha com quem ela queria ficar. Fomos para o bar na hora marcada, mas os caras ligaram desmarcando. Ficamos bebendo cerveja e conversando e estávamos quase indo embora quando sentaram dois caras na mesa ao lado e perguntaram se podiam sentar conosco. Dissemos que sim e começamos a bater papo. Então ela me chamou para ir ao banheiro e disse: - Eu quero o loiro, você fica com o moreno. Mas, antes disso, o loiro estava me encarando e passando sua perna na minha disfarçadamente por baixo da mesa. Mesmo assim, concordei que ela ficasse com ele. Quando nós voltamos do banheiro, ela ficou conversando com o garçom e o loiro me falou no ouvido que estava doido por mim. Disse que quando minha amiga voltasse ele iria ao banheiro e eu deveria segui-lo. Ela chegou, ele levantou e eu fui atrás. Chegando próximo ao banheiro, ele me agarrou me beijou gostosamente e eu correspondi. Ele era muito gostoso. Comecei a me esfregar nele e senti seu pau duro. Ele passou a mão na minha bunda e me deu um beijo de enlouquecer. De onde estava podia ver minha amiga olhando para os lados e nos esperando voltar. Logo depois, eles se ofereceram para nos levar em casa. Quando entramos no carro eles perguntaram se podíamos esticar a noite. Dissemos que sim e eles foram direto para um motel. Eu e o moreno nos abaixamos para passar pela recepção e fomos para o mesmo quarto. Chegando lá, minha amiga foi logo indo para a cama com o loiro e tirando a roupa. Eu, toda sem graça, disse que não queria entrar. O moreno disse: - Qual é, você vem até aqui e não vai entrar? Eu disse que não. Ele respondeu: - Tudo bem! Então vamos ficar aqui mesmo. Me pegou pela cintura e me sentou no capô do carro, foi enfiando as mãos por baixo da minha blusa e passando a mão nos meus seios. Depois puxou minha blusa para baixo e começou a sugar meus seios enquanto enfiava a mão entre minhas pernas. Fiquei doida de tesão. Mas ainda estava com medo. Achava que estava entrando numa roubada. Então ele colocou minha mão no seu pau e era o maior que eu já vi. Como eu não conseguia relaxar direito ele me chamou para tomar um banho. Fomos para o banheiro e na passagem pelo quarto vi minha amiga montada no loiro cavalgando gostoso e gemendo. Entramos no banheiro e ele disse: - Tira a roupa toda, só quero te ver um pouquinho e bater uma. Tirei a roupa e ele disse: - Já te falaram que você é linda e gostosa? Então ele me sentou na pia e começou a chupar meus seios bem gostoso, dando mordidinhas. Passou a mão no meu grelo e eu fiquei louca. Me puxou para eu chupar seu pau, que era grande e gostoso. Então ele me levou para o chuveiro, disse que ia me dar banho, me ensaboou e enfiou o dedo na minha buceta, que já estava latejando de tesão. Me virou de costas e colocou aquela picona na entrada da minha buceta, me pedindo para me abaixar um pouco. Eu disse que estava doendo e que não ia agüentar, que a rola era muito grande e ele disse que ia só brincar e começou a passar a cabeça da rola na minha buceta. De repente, ele me segurou com força pela cintura e enfiou a pica de uma vez. Eu dei um grito e empurrei ele. Quanto mais eu o empurrava, mais ele me agarrava, apertava meus seios e falava baixinho no meu ouvido, que ia ser gostoso, que ia fazer devagarzinho. Que eu era muito gostosa e que ele não agüentaria ir embora sem me comer. Me beijava a nuca e pegava meus seios e falando no meu ouvido foi empurrando tudo. Quando vi, estava com aquela picona toda na minha buceta, doía mas ao mesmo tempo era bom. Então ele colocou minhas mãos na parede, segurou meus quadris e começou a enfiar devagar. E foi acelerando e enfiando e tirando sem parar, eu comecei a gritar de dor e de prazer, nunca tinha visto uma rola tão grande! Ele apertava minha bunda, passava a mão no meu corpo todo, me chamava de gostosa, de putinha, apertava meus seios, lambia meu pescoço. De repente, começou a empurrar mais depressa e com muita força, segurava meus quadris quando eu tentava fugir de suas estocadas. Me beijava e dizia: deixa eu te comer, deixa eu gozar na sua buceta, você me deixou louco, não é culpa minha eu estar assim, a culpa é sua. E me lambia e empurrou tão forte que eu achei que tinha rasgado tudo por dentro, passava a mão no meu grelo e foi bombeando com força até gozar 1 litro de porra na minha buceta. Depois me virou, me beijou bem gostoso na boca, me segurou pela parte de trás dos cabelos, chupou meu pescoço e lambeu meus seios. Depois, me chamou para terminarmos o banho e irmos para a cama que a minha amiga estava esperando. Chegando lá, minha amiga já tinha acabado a transa e logo que viu o moreno se agarrou a ele beijando-o e depois chupou seu pau. Eu não podia acreditar naquilo, ela era ninfomaníaca. Logo o loiro me olhou com aqueles olhos doces e me chamou: - Vem cá princesa. Estava te esperando! E sussurrou no meu ouvido: eu fiquei com ela mas eu queria você! Me deitou na cama, lambeu meu grelo, meu corpo todo e meus seios, enfiando a língua bem fundo na buceta e depois o dedo, minha xana já estava inchada por causa da outra pica. Me beijou na boca com vontade e disse: - Vou te comer todinha! Você deu pra ele agora vai dar pra mim! Montou em cima de mim e enfiou a pica até entrar tudo. Sua rola era um pouco menor, mas gostosa. Ele era lindo, olhos azuis, corpo de definido. Me abraçou e enterrava tudo, me beijando na boca e chupando meus seios. Comecei a gozar de novo e dessa vez gozei para valer com o loiro me comendo e gritando que eu era uma puta e tinha que dar pra ele e comer sua porra. De repente, ele abriu mais minhas pernas e enfiou pra valer, gozando e urrando como um animal. Depois, chupou minha buceta e eu não agüentei e gozei na boca dele. Nesse momento, seu amigo já tinha comido minha amiga e já estava em pé nos assistindo e falou: Ela é gostosa não é? Fiquei tarado nela. Se a gente tivesse mais tempo ia fazer um sanduíche com você. Mas agora tenho que ir embora senão perco meu vôo. Vestimos nossas roupas e eu saí com o loiro como se fôssemos namorados, beijamos muito, ele me acariciava e dizia: se eu morasse aqui ia foder você todo dia. Eles nos deixaram na casa da minha amiga e foram embora. Estava toda arrebentada de dar para dois na mesma noite. Minha bucetinha ardia mas eu ainda estava gozando de lembrar daquelas duas picas me fudendo. Eu e minha amiga fomos para o quarto, ela me abraçou e começou a me beijar o rosto. Eu entendi o que ela queria, apesar de não saber direito o que fazer. Ela me beijou na boca e disse que fazia tempo que queria me ver nua e mal agüentava esperar a hora de poder me ver dando para um de seus amigos, para depois ela poder me chupar. Perguntou se podia. Eu já estava doidona, deixei. Ela abriu bem minhas pernas, entrou debaixo de mim e sugou meu grelo tão gostoso que eu quase caí. Ela me segurava e enfiava a língua bem dentro da buceta, me deixando com as pernas moles. Me deitou na cama e me deu o maior banho de língua que já levei na vida. Pela primeira vez eu chupei um grelo, quando ela sentou em cima do meu rosto e abriu bem as pernas dizendo: - Chupa! Você vai ver como é bom chupar uma buceta. Segurou minha cabeça e eu passei a língua de leve no grelo para ver que gosto tinha, achei gostoso e comecei a chupar loucamente. Ela começou a esfregar a buceta na minha boca e gozou, quando senti o um líquido gostoso descendo da buceta dela pra minha língua, gozei chupando ela e batendo uma siririca. Depois ela chupou meu gozo e lambeu meu cuzinho, que também estava melado. Chupou meus seios e me beijou na boca, me fazendo sentir o gosto da minha buceta na boca dela. Dormimos abraçadas com a mão dela entre as minhas pernas, com um dos dedos dentro da minha buceta. De manhã, acordei com a boca dela entre as minhas pernas, de novo gozei, mas tive que tampar a boca com o travesseiro para não gritar, pois ela enfiou uns três dedos na minha buceta e chupava tão gostoso que eu melei o cuzinho de novo de tanto gozar. O pessoal da casa dela estranhou a gente ficar no quarto até tarde, mas eu não conseguia parar. Nesse dia meu grelo ficou tão inchado que eu nem consegui vestir calcinha. Outro dia a gente foi numa balada. Depois eu escrevo para contar o que aconteceu quando nós encontramos uma amiga dela que era virgem e foi com a gente para uma boate. Beijos.

 

Gostou? Vote no Conto:

19844 visitas