Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Fátima a Insaciável | Heterosexuais | Acervo de Contos

Fátima a Insaciável

FÁTIMA, A INSACIÁVEL!



Olá pessoal, como gosto de ler os contos postados neste site resolvi relatar para os leitores um dos fatos mais interessantes que aconteceu em minha vida. Conheci Fátima casualmente, 1,75 m, uma mulher exuberante com um corpo maravilhoso, uma boca gostosa, cabelos abaixo dos ombros e encaracolados, e, um olhar hipnotizante. Eu estava sentado num murinho quando Fátima se aproximou e perguntou por um amigo dela que havia marcado de esperá-la justamente naquele local. Disse a ela que já estava ali havia um bom tempo e que nenhum cara esteve por ali. Para minha surpresa, aquela mulher fixou o olhar em mim e com aquele par de olhos verdes pareceu que me devoraria ali mesmo e perguntou: Você não gostaria de tomar um chopp comigo? No mesmo instante, meio que perdido naquele olhar respondi que sim, era só ela me dar um minutinho que eu iria colocar uma calça, pois eu estava só de bermuda e ela estava vestida elegantemente. Rapidinho fui até minha casa que ficava ao lado e voltei para sair com aquela belezura. Nisso meus pensamentos davam voltar e mais voltas. Fátima estava de carro e me convidou para entrar, pois, iríamos num restaurante do outro lado da cidade. Para minha surpresa e alegria quando entrei no carro, Fátima deu-me um beijo na boca dizendo: quero que este dia seja inesquecível na sua vida. Durante o percurso Fátima disse que realmente estava a procura do amigo, mas, que foi bom ele não estar ali no momento porque ela estava afim de era algo diferente e com amigo não iria rolar, e, enquanto dirigia seu gol, aquela gostosura passava as mãos nas minhas pernas, e, derrepente, ela apalpou meu pau por cima da calça que, naquelas alturas já estava todo animado (rs). Quando ela colocou a mão e sentiu o volume quase que enlouqueceu dizendo que nunca havia visto coisa tão boa (meu pau mede 18 cm e é bem grosso), passando a massagear e morder o canto dos lábios. Chegamos ao restaurante e pedimos o primeiro chopp e fomos conversando, falando um pouco da vida de cada um, o que gostamos de fazer, enfim, chegamos ao assunto sexo. Fátima me dizia que era muito fogosa e gostava de receber carinho em todas as partes do corpo, aí, eu disse a ela que realmente aquela noite será inesquecível não para mim pois ela também, jamais iria esquecer. Enquanto conversamos trocávamos carícias ora ao vivo, ora por debaixo da mesa, encoberta pela toalha e isso apimentava mais e mais. Num dos momentos, Fátima aproximou-se bem pertinho, beijando-me ardentemente, massageando meu pau que naquelas alturas já estava babando de tesão, então, sorrateiramente, enfiei a mão por dentro da saia dela (era de botões) e pude tocar a xoxotinha dela! Que maravilha, que gostoso, estava toda meladinha. Ela, tirou minha mão de lá e disse: Safado, aqui não, vamos pra um lugar onde podemos ficar a sós, pois ela estava inspirada e que não queria perder mais nem um minuto. Pedi a conta, paguei e fomos para o carro porque queríamos aproveitar ao máximo. Quando Fátima começou a dirigir pelas ruas da cidade (Votuporanga-SP), já imaginei pra onde ela iria, mas estava totalmente enganado, porque ela não estava indo para um motel e sim para a sua casa. Chegamos, e, quando ainda estávamos na garagem, Fátima me deu um beijo tão gostoso, mas tão gostoso que nunca irei esquecer, começo a apertar meu peito, minhas costas, cravando as unhas com forças que chegou a doer, mas aquela dor misturou-se ao tesão e me levou à loucura. Eu lógico, não me fiz de rogado e massageei os peitos dela, aliás que seios gostosos, tamanho médio, prontos para serem engolidos. Por fim, entramos na casa, Fátima me ofereceu uma cerveja, sentamos no sofá e continuamos nossa brincadeira, onde fui logo tirando a roupa daquela fêmea muito gostosa, podendo visualizar aquele corpo escultural. Aquele corpo lindo me esperando, aquela bunda gostosa só pra mim naquele instante, nossa, que loucura. Parei de frente olhei bem aquela bucetinha linda, depiladinha, lisinha e não deu outra, me aproximei e fui logo beijando, passando a língua, sentindo o calor, a umidade daquela grutinha maravilhosa, enquanto isso Fátima apertava forte meu pau dizendo palavras que não se entendia, gemia baixinho. Fátima aproximou a boca do meu pau, começou a passar a língua em volta, dava chupadinhas na cabeça, beijava, dava mordidinhas que me levavam às nuvens. Naquele sessenta e nove ficamos por vários minutos e minha língua penetrou o mais fundo possível naquela xoxotinha quentinha, meladinha. Não demorou muito e aquela fêmea deliciosa começou a gemer mais alto, a soltar gritinhos de tesão dizendo que queria gozar, que não agüentava mais de tesão. Aumentei o ritmo da minha língua e derrepente Fátima iniciou um gozo espetacular, gozava tanto que chegava a jorrar e aquilo me enchia mais e mais de tesão, vendo aquela gostosa gozando. Chupei e suguei todo aquele mel delicioso, e Fátima chupava meu pau que também já estava prestes a jorrar porra, muita porra. Ela chupava, colocava tudo na boca, punhetava pedindo pra que eu gozasse em sua boca que ela iria engolir tudo. E como gosto de satisfazer minha parceiras, comecei a gozar naquela boca maravilhosa, fazendo com que ela bebesse tudinho, até escorrer pelos cantos da boca e deslizar pelos seios e barriga.

Descansamos por alguns minutos e Fátima iniciou nova massagem em meu pau que reagiu instantaneamente. Eu perguntei a ela se alguém já tinha comido o seu cusinho e ela disse que só havia dado uma vez, porque o cara era estúpido e acabou por machuca-la, por isso ela tinha um pouco de medo. Perguntei se ela gostaria de tentar outra vez e que eu seria bem carinhoso e que jamais forçaria a ponto de machuca-la. Ela topou mas, antes ela queria cavalgar no meu pau pois gostava muito disso. Dizendo isso ela já foi logo vindo pra cima de mim e com a mão dirigiu meu pau encontro aquela buceta gostosa. Quando entrou a cabeça ela gemeu e soltou um grito dizendo que meu era grande e muito grosso, mas, aos poucos foi entrando tudo e aí ela foi subindo e descendo, subindo e descendo na minha vara, aumentando cada vez mais o ritmo, e eu, aproveitei para massagear teus seios, sua bunda, apertar suas costas, fazendo com que ela sentisse mais e mais tesão. Nossa que loucura! Foi demais! A cada subida e descida Fátima gemia, gritava, falava palavrão, me deixando louco de tesão. Meu pau todo dentro dela parece que ia até ao útero batendo nas paredes e fazia um barulho bem gostoso devido a excitação em que nos encontrávamos. Aos poucos, Fátima foi se enchendo de mais tesão, e gritava que queria gozar, que queria o pau do cavalo dela todinho, que queria ser arrombada. Naquela excitação explodimos juntos num gozo sem igual com aquela potranca relinchando de prazer no meu pau. Caímos do lado exaustos de prazer e cansaço. Fátima foi ata a geladeira e trouxe mais duas cervejas e enquanto bebíamos ela fazia carinho no meu pau, dava beijinhos, dizendo que ele era maravilhoso. Uauuuuuu! Que coisa mais gostosa. Aos poucos meu cacete foi reagindo e estávamos prontos para mais uma, só que, dessa vez eu iria comer aquele cuzinho tão gostoso. Comecei a beijar a bunda dela, passar a língua em volta do cuzinho dela, soltando umas salivadas e acredito que ela foi se excitando e ficando mais relaxada, de vez em quando escorregava a língua na xoxotinha e chupava o grelinho. Delicia. Quando senti que ela já estava pronta, no clima dirigi meu cacete pra aquele cuzinho e gostoso e coloquei na entrada onde comecei a brincar, esfregando de leve. Minha potranca fui ficando enlouquecida, rebolando, jogando a bunda de uma lado pro outro. Não agüentando mais, ela pediu pra que eu colocasse meu pau naquele cuzinho, mas, que fosse devagar porque com certeza iria doer, pois meu era é grande e grosso. Aí eu disse pra ela; Quando você sentir que começa a entrar não tente fechar, abra fazendo força pra tua xoxotinha colocar ela pra fora como se fosse defecar que aí vai entrar mais fácil e gostoso. Fátima fez isso, e quando a cabeça começou a entrar ela fez exatemente como eu disse, aí meu pau foi entrando, entrando, até que estava todinho dentro dela. Ela gemia, e num momento disse que estava doendo, que parecida rasga-la por dentro. Falei que iria tirar pra não machucar, mas, ela disse: Não, não tira, só fica quietinho porque essa dor dá mais tesão ainda. Foi o que fiz, parei. Derrepente ela foi se movimentando, rebolando mexendo bem gostoso e pediu: Coloca meu cavalo, coloca tudo que ta gostoso, ta doendo mais ta muito gostoso, que tesão... Meu pau aos poucos foi entrando até ficar todinho dentro dela que rebolava, gritava, relinchava como uma potranca no cio, pedindo mais, mais e mais. Fátima aos gritos dizia que ira gozar que não agüentava mais e eu com meus dedos em sua buceta também já estava pronto pra gozar. Juntos, explodimos mais uma vez num gozo sem igual, um gozo fenomenal, até que caímos um lado do outro esmorecidos. Durante aquela a noite ainda fizemos amor mais duas vezes, e sinceramente não sei como encontramos força para tal, mas sei que, realmente a melhor noite de prazer que já tive com aquela mulher insaciável. Tivemos outras vezes juntos, mas, essa é uma história....

 

Gostou? Vote no Conto:

16105 visitas