Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Ela Pode Ser Perfeita? | Heterosexuais | Acervo de Contos

Ela Pode Ser Perfeita?

Você, eu, ela, nós, todos temos fantasias, necessidades de prazer e de realização. A maioria não consegue tentar realizar seus desejos sem um certo egoísmo. Por sorte, existem sim homens, mulheres e casais que sabem manter a amizade e a consideração com o outro, e ainda assim, gozar de prazeres e dividir momentos intensos. Alguns mais preconceituosos, misturam o prazer com a falta de caráter ou falta de consideração, e até falta de humanidade ? passando a tratar a pessoa envolvida apenas como objeto e objetivo de prazeres próprios. Excluindo as pessoas que ficam presas aos intermináveis e-mails ou infindáveis perguntas, temos alguns homens,mulheres e casais que podem oferecer prazer e receber prazer, seja por brincadeiras, sexo propriamente dito, fantasias ou trocas de intensa intimidade. Pela internet, por carta, por e-mail ou telefone, pode-se sim conhecer alguém que te complete ou realize algo novo ou apenas prazeroso. Assim conheci Violeta, com 1,59m, 67kg, seios fartos, rosto jovial, pele amorenada, cabelos longos, sorriso de menina, coxas grossas, mãos belas e bem cuidadas. A dona de uma voz delicada, feminina e suave, quase doce. A internet, bem como as cartas comuns deixam as pessoas á vontade para confessarem seus desejos e suas preferências. Somente ao vivo, num encontro de pouco mais de duas horas é que descobri que era ela mais velha, com 37 e eu com 34. Respeitei isso, não comentando nada. Ela carregava consigo a velha e desgastada imagem de que os homens são todos iguais e aproveitadores ? também não me importei; pois sei quem sou eu e do que sou capaz. Levei-a para casa depois de alguma insistência e no caminho alguns beijos ardentes e insinuações provocantes, deixaram a amizade mais temperada. Marcamos um novo encontro para dois dias após. Desta vez, parecia que ela estava mais determinada ou mais curiosa; pois a tratei com cavalheirismo, com simpatia e cordialidade ? o que parece ter mexido com ela. Novamente recebeu-me em sua casa, mas desta vez, com mais informalidade e uma certa intimidade. Depois de conversas e alguns beijos calorosos, ela pediu-me para esperar um pouco. Que surpresa! Voltou vestida para a sala com um traje acetinado todo vermelho, quase transparente e por baixo, peças também vermelhas ? um perigo! Fiquei olhando tudo aquilo e não disse muita coisa, mas sim fui levado com carinho até seu quarto. Pela primeira vez uma mulher tomava as iniciativas por mim, tirando-me as roupas todas e beijando meu corpo,como se estivesse experimentando sabores. Deixei-me conduzir e fui bem recompensado, com uma boca quente, com sede de prazer a deliciar-se com meu pau. Ela estava por cima, preparada para cavalgar e foi isso mesmo que ela fez, tomando os cuidados necessários. Que maravilhosa sorte a minha, ao descobrir que ela sentia muito prazer comigo e que ainda era multiorgásmica. Ao ficar eu por cima e ela deitada, ouvia gemidos prazerosos ao ouvido, o que me estimulava ainda mais. Ela deixava-se conduzir também, porém parava tudo quando percebia que iria perder todo o controle de si. Recomeçávamos tudo de novo, e assim, ela gozou várias e várias vezes do vai e vem de meu corpo dentro do seu. Ficamos os dois impressionados com a sintonia que alcançamos quase que de imediato. Havia uma ligação intensa de ambos, de forma natural. Nos encontros que se seguiram ela mostrou-me sua paixão e seu tesão em segurar minha ferramenta, tê-la mexendo nas mãos e desfrutar da visão de meu sêmen escorrendo por seus dedos. Ela se deliciava muito em me masturbar e passei a perceber que ela, discretamente esfregava e apertava as coxas até gozar várias vezes, como se meu pau estivesse dentro dela. Começamos a nos especializar na arte do sexo manual, onde eu a masturbava com um ou dois dedos e ela com suas mãos macias fazia meu sexo explodir, também. Quando íamos aos motéis, ela adorava ver-se nos espelhos, sendo penetrada em várias posições, e isso a motivava ainda mais. Gostava e apreciava bastante que eu deixasse meu leite quente escorrer em seus seios, em sua boca, em suas mãos e em sua bunda. Quando engolia minha porra, dizia que sentia alguns sabores diferentes, do começo até a última gota. Descobrimos que ela gostava de apanhar na bunda e nas pernas, levando tapas de mão, bem aberta. Ela se deliciava com o som, e às vezes pedia: ?bate mais meu gostoso, bate mais, bate...bate?. Eu tomava cuidado para não machucar, e ela depois confessava que doía um pouco, mas que era uma dor gostosa. Aprendi a puxar seus cabelos, com ela de quatro ou enquanto chupava meu pau, ajudando a meter mais rápido em sua boquinha. Ela confessava que o movimento é que dava mais prazer e que queria sempre mais, mesmo que fosse o dedo se movimentando na bucetinha ou no cuzinho ? pra ela, tudo isso gera prazeres. Com o tempo passei a penetrá-la e ao mesmo tempo masturbá-la de formas diferentes. Isso só intensificou o seu prazer e assim, pude ver ela experimentando se masturbar também, enquanto eu estava dentro ou com o pau bem encostado em sua bocetinha ? uma delícia para ambos. Chupar, penetrar, beijar, acarriciar, morder e brincar foi o que começamos a misturar e a inventar. Ela passou a se entregar mais e eu a ser mais dela. Também experimentamos fazer amor em lugares quase públicos ou diferentes ? uma loucura prazerosa ? mas com responsabilidade. Muito gulosa por sabores, passou a saborear meu pau com chocolate, e até mesmo com sorvete ? num misto de quente e frio. Se aperto seus seios fartos e macios ela goza, se aperto ou mexo em sua bunda com movimentos rápidos ela também goza, se a masturbo na bucetinha ou no cuzinho, goza ela também. E quando me masturba ou fica olhando meu pau em suas mãos, aperta muito as próprias pernas e desabava em orgasmo: ?hum... que gostoso... hum... gostoso?. Ela diz que também gosta de ouvir ordens do tipo: ?chupa, dá pra mim? e gosta de ouvir nossos gemidos de prazer. Ela também aprecia chupar-me as bolas ou simplesmente ficar acariciando ? o que a acalma e a torna mais doce. Às vezes, outra forma de prazer é a de pegar meu pau e ficar batendo em seu próprio rosto, até que eu goze e lambuze sua pele macia. Para dormir comigo, sua posição predileta é a de me abraçar pela costas, bem encaixados, com um braço debaixo de meu pescoço, como se eu fosse um bicho de pelúcia. Mas o outro braço dela fica por cima, e ela fica segurando meu pau e me masturbando um pouco, até que pegue no sono. Ela com sua voz, quase de menina, por vezes, parece ser uma criança carente e meu pau o seu brinquedinho. Parece ser ela a mulher perfeita, não é?

Mas infelizmente ela mesma diz que nunca fará duas coisas: dividir uma mulher comigo na cama ou experimentar outra fêmea para eu ver, e nem irá se casar, nem morar junto ou algo parecido. Ela já seria praticamente perfeita se aceitasse casar ou morar junto! Desculpe se eu com agora 37 anos, pronto para viver isso tudo para sempre, escrevi linhas de mais, ou detalhes de mais. Se quer acreditar no que leu faz bem, mas se não quer acreditar, tudo bem ? afinal quem viveu tudo isso fui eu ? você não precisa crer, mesmo. Até porque, as fotos e filmagens que fiz de nossos momentos, são e sempre serão guardadas como um segredo precioso ? somente para nós. Será que existe outra mulher que seja como a Lu, porém que seja ainda mais perfeita? Não sei, sinceramente não sei, não. Por favor, escreva para html@click21.com.br e comente. Se desejar mais, por gentileza detalhe tudo.

 

Gostou? Vote no Conto:

11813 visitas