Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Amiga Safada | Heterosexuais | Acervo de Contos

Amiga Safada

Claúdia veio passar o final de semana em nossa casa, visitando minha mãe. Eram velhas amigas e sempre que podia vinha visitar minha mãe. Desde a primeira vez que a ví fiquei encantado com sua beleza madura. Pele clara, olhos cor de mel, longos cabelos escuros na altura da cintura, boca pequena bem desenhada. Claúdia é casada, mãe de duas filhas, uns trinta e pouquissimos anos. Sempre simpática comigo conversavamos bastante. E sempre a tratei com respeito, mesmo sentindo ?vontade nela?. Também imaginava que uma mulher seria e religiosa como ela não faria uma sacanagem comigo.Ela chegou na tarde de sexta-feira, meus pais estavam no trabalho. Então a recebi sozinho em casa, e como fui orientado acomodei suas bagagens no quarto de hóspedes e fiquei fazendo sala para ela. Claídia estava cansada da viajem e me disse que queria tomar um banho e descançar um pouco. - fique avontade, a casa é sua... (eu)- obrigada... (Claúdia)- se vocês quizer tem uma rede na varanda do segundo piso, é boa pra descançar...(eu)- tá certo, obrigado... (Claúdia)Fiquei vendo TV na sala e Claúdia se retirou. Uma hora mais tarde fui até meu quarto pegar meu celular. Ao passar por o quarto de hospédes encontrei a porta aber e não a vi lá. Também não estava no banheiro. Acabei indo até a varanda ver se estava tudo bem. Claúdia estava cochilando profundamente, cheguei mais perto da rede observando seu corpo. Vestia apenas um vestido curto e estava com uma perna afastada deixando a mostra sua calcinha pretinha cobrindo sua vagina. Meu coração ficou disparado com a cena, e fiquei quase que estatico olhando seu corpo. Cheguei a ficar do seu lado e ela dormindo.Por um momento passou a louca ideia na minha cabeça tocar seu corpo, e de súbito me deu uma doida vontade e sentir sua pele branquinha. E meu coração bateu mais acelerado. Toquei sua perna e subi a mão até sua coxa, sentindo devagar sua pele macia. Deslizava minha mão suavimente por sua coxa, quase cheguei a tocar sua vagina. Claúdia se mexeu um pouco me deixando com medo de ser flagrado e sai depressa da varanda. Voltei para meu quarto e um tempinho depois fui até a cozinha beber um pouco de água. Ao sair da cozinha encontrei Claúdia na sala vendo TV. Pensei que ela tivesse me descoberto e fiquei meio temoroso.Me aproximei e ela me mandou sentar para assistir com ela. Ficamos conversando e ela não me falou nada sobre o que tinha feito, por sorte não deve ter percebido. Um tempo depois Claúdia pegando um batom de cacau disse que estava com os labios ressecados. Ela passou em seu labios aquele bastanzinho de uma forma que me deixou todo ouriçado. E me olhando sorriu oferecendo seu batom. Não sei da onde tive coragem e nem como falei aquilo mais lhe respondi: ?prefiro tirar, o batom...?. Claúdia pensei que levando na brincadeira falou: ?então tira...?, me oferecendo seus labios.Achei que ela não teria coragem e apenas entrando na sua brincadeira aproximei meus labios dos seus. Claúdia permaneceu fixa em sua posição. Aproximei um pouco mais e ela fechou os olhos. Nesse momento quis textar sua coragem e toquei sua boca com a minha. Instintivamente nus beijamos com uma louca intensidade, e agarrando seu corpo com firmeza beijei sua boca com muita vontade. Claúdia chupava minha lingua e girava a sua em torno da minha.Paramos por um segundo e nus beijamos outra vez com mais desejo que o primeiro. Cláudia parou outra vez e me disse: ?não vai falar isso pra ninguem...?. E me beijou com mais tesão ainda. Minha mão percorria sua coxa agora com mais firmeza, subindo perto do seu bumbum. Puxando Claúdia mais para perto passei a tocar sua coxa na parte interna. Minha mão ia perto de sua vagina e volta para baixo, por vezes se demorava nas suas virilhas. E quando toquei sua vagina Claúdia segurou minha mão, mais me deixou tocar sua vagina por cima da calcinha.Já cheio de tesão com meu pênis vibrando dentro da cueca puxei sua mão para meu membro. Cláudia apertou firme meu cacete, logo abaixei meu calção e a deixei me punhetar. Voltei minha mão para sua vagina e fiquei tocando seu grelinho por cima da calcinha, que já estava completamente melada. Afastando sua calcinha para o lado, toquei sua vagina que escorria de tanto tesão. Enfiei um dedinho nela e fiquei metendo e tirando, estava tão molhada que meu dedo deslizava por sua vagina.Nesse momento louco de tesão deitei Claúdia me colocando sobre seu corpo entre suas pernas. Ela então soltando meu pênis e tapando sua vagina disse que não poderia transar comigo. Perguntei por que e ela me respondeu que era casada. Disse que por não tinha problema e que nunca contaria aquilo para ninguem. Claúdia me pediu para não fazer isso com ela e tirou a mão da vagina. Beijando sua boca passei a cutucar a entrada da sua xotinha com a cabeça dura da minha rola. Penetrei apenas a glande e fiquei fodendo devagar só assim.Aos poucos fui metendo devagar até enfiar meu cacete todinho em sua bucetinha. Claúdia de olhos fechados respirava fundo. Beijava seu rostos enquanto fodia sua bucetinha devagar, e ela segurando minha cintura acompanhava meus movimentos me apertando forte. E soltando um suspiro profundo falou: ?melhor você parar, é loucura isso...você ainda tá me fodendo sem camisinha...?. ?Para vai...ah...hum...ai...tá gostoso...?, ainda me falou em meu ouvido segurando minha cabeça.- você tá louco garoto, tenho idade pra ser sua mãe... (Claúdia)- mais não é... (eu)Continuei fodendo gostoso sua vagina que de tão molhada escorria tesão. Fui aumentando o ritmo das estocadas metendo fundo em sua buceta. E nesse momento ouvimos o carro dos meus pais parando na garagem. Rapidamente nus arrumamos disfarçando a situação. Meus pais não perceberam nada e Claúdia entrou conversando com minha mãe. Meu pai sentou no sofá para ver TV, e fui para meu quarto.Um tempinho mais tarde fui tomar um banho para ir jantar. Ao sair do banheiro cruzei com Claúdia, e me sorriu comentou: ?foram ?quantas?...?. Disse isso fazendo gesto com a mão. Passei para meu quarto e logo desci para jantar. Durante o jantar conversamos sobre diversos assuntos. E acabando a refeição fui ver TV na sala. Logo meu pai também veio, Claúdia ficou na cozinha com minha mãe. Mais tarde fui para meu quarto acessar a internet e teclar um pouco. Só estava on-line Faby, uma garota que conheci na net. Era a maior safada, sempre conversavamos sobre sacanagem. Iniciamos um papo naturalmente e logo estavamos falando de putaria. Ela me disse que estava louca para me encontrar, e que não se aguentava mais de vontade de ter sua primeira vez. Aquilo foi o bastante para me acender novamente. Ficamos conversando sacanagem até tarde da noite. Fabyane me mostrava fotos suas em poses provocantes, apenas de calcinha e sutiã. Me deixando cheio de vontade.Lhe pedi para ver fotos duas pelada mais Faby disse que só pessoalmente. E apenas me mostrou seu bumbumzão desnudo. Era uma mega bunda, bem redondinha com uma cintura larga. Já pela madrugada quando estava perto de convencer Faby a me mostrar todo seu corpo nu. Caiu a conexão da internet, fiquei puto de raiva, ainda tente conectar mais não consegui. Estava com tanto tesão naquele momento que meu pênis de tão duro não cabia mais na cueca.Resolvi ir até o banheiro tomar uma ducha para dormir. Casa estava meio escura achei que todos já estavam dormindo e fui apenas de cueca mesmo. Chegando ao banheiro fui pego de surpressa por Claúdia, que saia do banheiro. Ela vestia uma camisola azul de seda bem transparente. Ficamos parados nus olhando por um tempo e não me segurei, lhe agarrei beijando sua boca com muito desejo. Cláudia encostando na parede ergueu uma perna fazendo subir sua camisola. Agarrando sua bundinha fiquei roçando meu pênis em seu monte de vênus enquanto beijava seu pescoço.Claúdia me pedindo para parar disse que aquilo não era certo. Ainda me disse que era velha para mim, e que eu deveria ter vontade de foder uma garota da minha idade. Não escutei uma só palavra, e quando terminou de falar já tinha lhe arrastado para meu quarto. Beijando sua boca a fiz agarrar meu pênis, Claúdia ficou apertando meu cacete por cima da cueca enquanto tocava sua vagina por cima da calcinha. E me mandando sentar na cama abaixou na minha frente. Claúdia tirou minha cueca bem devagar e ficou me punhetando devagar.Não acreditei quando ela abocanhou meu pênis me chupando gostoso. Sua boca molhada sugava minha glande fazendo pressão. E sua lingua molhada rodava em volta da ponta da minha pica, que vibrava de tesão. Claúdia me masturva com meu pênis na boca deixando escorrer por todo ele sua saliva, babando todinho. E me olhando falou: ?não sei como você consegui sentir prazer comigo...?. E completou: ?você devia ter tesão era numa garota com sua idade...?. Nâo lhe dei ouvidos e enfiei meu cacete em sua boca a fazendo chupar. Cláudia chupava como uma profissional e parando um pouco disse: ?não vai gozar na minha boca...?.Claúdia me fazendo deitar na cama sentou sobre meu corpo e afastando sua calcinha colocou meu cacete na entradinha que estava bem molhada. Devagar ela foi descendo até enfiar todinho. E com as mãos apoiadas em meu peito começou a meter e tirar todinho. Claúdia gemendo baixo cavalgava em meu pênis socando todinho em sua buceta. Minhas mãos pecorriam suas coxas e bumbum sentindo sua pele macia. E meus dedos brincavam com seu grelinho.Estava sentindo um tesão doido e segurando sua cintura a fazia meter mais rapido. Claúdia ainda disse: ?vai com calma...isso é errado...agente nem devia estar fazendo isso...?. E a virando Claúdia na cama a deixei com as pernas bem abertas e continuei fodendo forte. Ela segurando minha cintura me apertava gemendo gostoso. Fodia sua buceta feito louco, meu pênis ia fundo em sua vagina. E Claúdia me segurando pela cintura me pediu para ir devagar. Diminui o ritmo da foda socando lentamente, sentindo meu cacete deslizar suavimente por sua vagina molhada. Claúdia gemendo em meu ouvido me disse que estava gozando. Fui aumentando o ritmo devagar lhe perguntando no ouvido se ela queria mais forte. Claúdia gemia e me mandava foder com força. Lhe obedeci prontamente, e com força socava forte em sua xana. Claúdia quase gritando anunciou seu orgasmo. Gozei junto varios jatos de sêmem no fundo na sua vagina.Mais como o tesão estava imenso continuei metendo devagar. Meu pênis nem chegou a ficar mole e já estava lhe fodendo outra vez. Claúdia ainda me pediu para parar, mais também estava cheia de tesão e me deixou prosseguir. Quando me dei conta já estava fodendo feito louco sua buceta. Me coloquei de joelhos em sua frente e abri bem sua pernas e fiquei olhando meu pênis entrar e sair de sua vagina. Claúdia ficou se masturbando devagar e gemendo baixinho. A fazendo deitar de ladinho continuei metendo gostoso em sua bucetinha. Enquanto lhe fodia acariciava sua bundinha branquinha bem macia. E meus dedos escorrendo por seu reguinho chegaram até seu rugozinho. Ao sentir meu dedo ali Claúdia recuou me mandando tirar o dedo dali. E a fazendo deitar de costas me coloquei sobre seu corpo e penetrei sua vagina outra fez. Claúdia empinou sua bundinha me deixando foder gostoso e cheio de tesão passei a meter mais forte. Claúdia dando gritinhos baixos começou a gozar gostoso. E cheio de tesão fodi com mais força e sentindo meu gozo chegar puxei meu pênis e espirrei minha gala quente em todo seu bumbum. Claúdia sentindo meu liquido escorrer por seu corpo falou: ?iai, gostou...essa foi a primeira e a ultima...você me deixou toda melada...?. E levantando disse: ?minha buceta tá cheia de gala...?.Claúdia levantando se arrumou e antes de sair me disse que isso não poderia acontecer outra vez. Não disse nada, fiquei deitado e com um tempo peguei no sono. Quando acordei na manhã seguinte não encontrei ninguém em casa. Após um lanche fui ver TV na sala, e não demorou muito para Claúdia chegar. Tinha ido dar uma volta no centro, para comprar algumas lembrancinhas para suas filhas. Claúdia me chamou em seu quarto para me mostrar os presentes, tinha de tudo um pouco. Roupas, sandalias e peças intimas. E conversando naturalmente ficou me mostrando as langeris que tinha comprado. Me mostrava cada uma, que eram bem pequenas. E brincando com ela lhe perguntei se as peças não eram muito pequenas, Claúdia sorrindo disse que não e que estava usando um parecida. Ela vestia uma calça dinz com uma blusa que deixava suas costas nuas. E lhe provocando falei: ?então deixa eu ver...?. Claúdia ficando de pé na minha frente me mandou tirar sua calça. Não pensei duas vezes, arranquei sua dinz e fiquei acariciando seu corpo olhando a pequena calcinha vermelha que cobria sua vagina. Nesse momento meu tesão foi a mil e levantando lhe agarrei beijando sua boca. Apertava seu bumbum com firmeza e abaixando passei a beijar sua bundinha. Dava mordidinhas leves e Claúdia com uma carinha de safada me mandou morder forte. Marquei sua bundinha com meus dentes e lhe empurrando para cama a fiz ficar de quatro.Claúdia se colocou na cama e afastou um pouco as pernas. Puxando sua calcinha para o lado contemplei sua vagina que de tão molhada escorria tesão. Cai de boca em sua vagina, chupei gostoso e Claúdia soltou um delicioso gemido. Afagando sua bundinha chupava sua buceta passando a lingua por ela todinha. E me colocando por trás dela penetrei sua vagina com força. Sentindo o tranco da estocada Claúdia gritou, e agarrando sua cintura passei a a foder com força. Ainda com a mão por baixo do seu corpo lhe tocava um siririca em seu grelinho. Claúdia rebolava e gemia alto me madando meter com força.Segurando sua cintura fodia com força sua bucetinha. E atendendo o pedido de Claúdia voltei a chupar sua buceta. Ela se deitou com as  pernas abertas e puxou a calcinha para o lado. Ajoelhado em sua frente passei a lamber sua buceta dando chupões em seu grelinho. Com dois dedinhos enfiados em sua xaninha fiquei passando a pontinha da lingua em seu grelinho. Cláudia gemia alto, mordia os labios e me falava sacanagem: ?me chupa, vai...delicia, delicia, assim você me mata...?.Enquanto lhe fazia um delicioso oral batia uma punheta acelerada. Claúdia entre gemido me falou: ?você não preferia tá chupando a xoxota de uma garota da sua idade...?. Não lhe respondi nada e continuei chupando seu grelinho. Claúdia gemendo sem parar dando gritinhos gozou na minha boca. Sua vagina pingava tesão e me colocando em sua frente possicionei meu pênis em sua bucetinha. Enquanto enfiava minha glande me punhetava devagar.Claúdia com uma carinha de puta me falou: ?goza vai...derrama teu esperna na minha buceta...?. Me masturbei com força metendo meu cacete em sua vagina e quando senti meu gozo chegar ?mirei? a vagina da Claúdinha. Esporrei varios jatos fartos de sêmem em sua buceta. Claúdia com os dedinhos espalhava me gala por sua vagina. Com um sorrisinho disse: ?agora chupa, vai...senti teu gosto...?. Claúdia me confessou que não fazia aquele tipo de coisa com seu marido, mais que adorava ser feita de puta. E que queria sentir o gosto do meu esperma. Lambuzei meu dedo de gala que escorria por sua vagina. Enfiei em sua boca e a fiz chupar, Claúdia sentindo o gosto disse: ?pensei que fosse pior do que me falaram...?. E completou: ?é gostoso...se soubesse tinha deixo você gozar em minha boca...?.Ficamos conversando e nus tocando sentindo um o corpo do outro. Lambuzava meus dedos em sua vagina e fazia Claúdia chupar, e ela me masturbava devagar. Claúdia iniciou um boquete cheio de tesão querendo me arrancar outro gozo. Mais fomos interrompidos com a chegada dos meus pais.Cláudia foi ajudar minha mãe com o almoço e fiquei vendo TV na sala. Almoçamos todos juntos e após o almoço ficamos conversando na varanda por quase a tarde todo. Pela noite Claúdia saiu com minha mãe e só voltaram depois das dez. Aguardei meus pais ir dormir para me enfiar no quarto da Claúdia. Mais acabei dando de cara com a porta trancada. Ainda voltei outra vez mais tarde e sua porta continuava trancada. E acabei indo dormir.Acordei cedo na manhã seguinte e após lavar meu rosto desci para a cozinha. Claúdia estava tomando café e me sentei junto a ela para fazer um lanche. Não comentei que tinha ido em seu quarto. Perguntei por meus pais e me respondeu que tinham saido. Só de pensar que estavamos sozinho meu coração acelerou. Estava com muita vondade, e um desejo animal. Cláudia levandando foi até a geladeira, e ficou de costas para mim com vestida em um curto vestido. Não me segurei e largando meu lanche de lado fui em sua direção.Agarrei por trás Claúdia que tentou se livrar do meu abraço. Passei a lhe beijar na nuca e minhas mãos agarraram seu bumbum erguendo seu vestido. Claúdia apoiando as mão na pia impinou a bundinha, e me abaixei beijando seu bumbum branquinho. E Claúdia puxando a calcinha para o lado sua calcinha falou: ?me fode logo...seu pais não vão demorar...?. De pé por trás dela desci sua calcinha e meu short. Meu cacete duro saltou em seu bumbum e fiquei roçando nela. Metia meu pênis entre suas virilhas roçando sua bucetinha molhada.Claúdia agarrando meu cacete enfiou na xoxota e arrebitou a bundinha. Agarrando sua ancas passei a foder com força, socando fundo em sua vagina. Claúdia gemendo gostoso se empinava toda, sua bundinha abrindo me dava a visão de seu cuzinho piscando a cada estocada. Não me contentei só com um buraquinho e passei à roçar a pontinha do meu dedo em seu cuzinho. Enfiei só a ponta e Cláudia se contraindo falou: ?tira esse dedo dai...rapaz...?. Sem lhe dar ouvidos continuei cutucando seu anelzinho.Parando um pouco de socar em sua buceta e fiquei beijando sua bundinha. Com meu dedinho trabalhando em seu rugoso. Cuspi em seu rego deixando minha saliva escorrer até seu cuzinho. E continuei metendo e tirando meu dedinho. Claúdia gemendo alto falou: ?coloca o dedo todo...?. Enfiei o dedo todinho em seu cuzinho lhe arrancando um delicioso gritinho. Fiquei metendo e tirando o dedo devagar e melecando seu anelzinho de cúspi.Agarrando sua cintura penetrei forte sua bucetinha sem tirar o dedinho do seu cuzinho. Claúdia gemia alto empinando o rabinho. Já estava com dois dedinho em seu anelzinho alargando aquela entradinha. Claúdia empurrava seu corpo para trás me mandando foder com força. E lhe dando palmadinhas socava forte em sua bucetinha. Com dois dedinhos socados em seu cuzinho. Tirando meu cacete da sua xotinha começei a roçar em seu cuzinho e no seu bumbu branquinho. Claúdia sentindo minha glande cutucar seu anelzinho falou: ?ai...faz assim não...no cuzinho nunca fiz com ninguém...?.Claúdia com uma mão apoiada na pia me empurrava com a outra. Mais não conseguia me afastar, e depois de entrar a cabecinha foi facil meter o resto. Enfiei todinho e Claúdia soltando um suspiro profundo falou: ?ai...bem que me disseram que doia dar a bundinha...?. Bem devagar metia e tirava meu cacete em seu cuzinho. E Claúdia entre gemidos falava: ?ai, tesão...vai com calma...ai que dor...?.Claúdia gemia alto com as duas mãos na pia. Já não reclava e só falava: ?ai...delicia...fodi meu cuzinho...me arromba, vai...?. Agarrado em sua cintura socava forte em seu cuzinho. Fazendo Claúdinha gritar de prazer, e tocando seu grelinho a deixei com mais tesão ainda. Meu cacete duro abria seu cuzinho indo fundo. Claúdia gemendo alto quase gritando começou a sentir um louco orgasmos. Seu cuzinho piscava apertando meu pau.E tendo contrações musculares gozou feito louca com meu cacete enfiado todinho no cuzinho. Recuperando o folego Claúdia falou: ?não tinha imaginado que era tão gostoso gozar pelo cuzinho...?. Cheio de tesão continuei fodendo seu anelzinho querendo gozar. Quando disse que ia gozar Claúdia me disse: ?goza na minha cara...me faz de puta completa...?. Ela não precisou me pedir outra vez. A fiz abaixar e me masturbando freneticamente esporrei meu gozo em seu rosto. Claúdia ainda abriu a boca e ainda recebeu alguns jatos de gala quente na lingua.Claúdia foi embora naquele dia depois do almoço me deixando na saudade. Mais para minha alegria algumas semana depois minha mãe me avisou que ela virinha passar o final de semana conosco.

 

Gostou? Vote no Conto:

44374 visitas