Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

MIinha primeira tripla penetração | Femininos | Acervo de Contos

MIinha primeira tripla penetração

Meu nome é Gabriela, mas a maioria das pessoas (pelo menos os que acompanham o mundo dos filmes pornôs) me conhece como Babi. Embora eu tenha uma vasta experiência no ramo dos pornôs, nunca me ofereci para cenas de dupla penetração. Só para explicar direito: já trepei com dois e até mais homens ao mesmo tempo - um comendo meu cu e outro minha buceta. O que chamamos de dupla penetração no meio.



Mas nunca tive uma tripla penetração - dois paus enfiados em meu cu e um terceiro em minha buceta. Sei que é uma cena que leva a maioria de homens - e muitas mulheres também - a um grau extremo de excitação. E são poucas as atrizes que se atrevem a realizar tal feito. Como uma das coisas que mais me excita ao fazer filmes pornôs é imaginar o prazer que estou causando em quem os assiste, decidi que não podia deixar de ter - e oferecer - esta experiência em cena.



O preparativo foi curioso. Conversei com duas colegas de profissão que me deram algumas dicas para eu otimizar ao máximo o prazer durante a trepada. Os expectadores não imaginam, mas ter prazer durante a gravação das cenas de sexo é fundamental para passar o prazer a quem assiste os filmes. E dá para perceber quando a atriz está fingindo, viu!!



Enfim, para mim era fundamental ter prazer durante a tripla penetração. A segunda etapa da preparação foi ver o casting de atores para escolher os três que contracenariam comigo. Não é comum as atrizes poderem escolher, mas meus contatos no ramo me davam alguns privilégios. E, neste caso, eu era amicíssima do diretor do filme.



A maioria das pessoas imaginaria que eu escolheria os homens pelo tamanho de seus pintos. Mas não foi bem assim minha escolha. Optei pelos três que eu achava mais gostosos. O Negão, que é de tirar o fôlego, ficaria incumbido de comer minha bucetinha. O Neco e o Paco fariam todo o trabalho em meu cu. Ah, isso não quer dizer que pararíamos nestas configurações. Mas esse seria o ápice do filme, claro.



Todos os preparativos feitos e, no dia selecionado, fomos toda a equipe de filmagem para o cenário escolhido. Era uma casa, com um enorme quintal. A cena se passaria durante um piquenique que faríamos os quatro. Tarde de Sol, corpos suados, champanhe subindo à cabeça.... e os quatro terminariam em uma gostosa e intensa trepada. O diretor queria ousar e fazer uma filmagem sem paradas, para aumentar ainda mais a veracidade do filme. Para mim seria o cenário perfeito. Seria como ter minha própria fantasia sexual filmada e ainda ganhar para isso. Ai, que trabalhinho chato eu arrumei!! hehe



Todos a postos, toalha xadrez no chão e copos de champanhe à mão. E..... gravando!! Começamos os quatro sentados sob a sombra de uma árvore. Estava calor, mas soprava um vento gostoso em nossa direção. Eu estava com um vestido decotado e curto, já me insinuando para os três rapazes que se posicionavam estrategicamente em minha volta.



Os olhares eram insinuantes em minha direção. E começamos uma conversa trivial sobre o último dia de aula na faculdade e como havíamos esperado pelas tão merecidas férias de verão. O Negão contou que faria um intensivo no time de basquete já com o intuito de entrar para o time oficial da faculdade no ano seguinte. O Paco faria um curso de roteiro e direção. Eu e Pablo comentamos sobre a viagem que faríamos para a África e América do Sul, respectivamente.



Aí, para mudarmos o rumo da cena, eu soltei uma "vou sentir falta de vocês nestes três meses, rapazes". "E pensei em algo especial para encerrarmos o ano. comemorarmos a chegada das férias e, principalmente, para vocês não se esquecerem de mim durante o tempo em que estiverem longe".



Eles se entreolharam e, pela fama que minha personagem tinha, já deram um risinho de lado, imaginando o que viria em seguida. Um dos rapazes se levantou e se colocou às minhas costas. Começou a me massagear e disse em meu ouvido, porém alto o suficiente para os outros dois ouvirem: "impossível esquecermos você, gata". Foi a minha deixa. Olhei para trás, com um olhar safado e curioso, e o puxei para baixo pelos braços. Ele se ajoelhou atrás de mim e virou meu corpo em sua direção. Começamos a nos beijar.



Nesse meio tempo os outros dois se posicionaram à minha frente. Um enfiou as mãos por baixo do meu vestido e começou a passear pelas minhas coxas, em direção à minha virilha. O segundo foi direto em direção aos meus seios. E eu ali, já escorada pelos três homens que em pouco tempo estariam me comendo, ao mesmo tempo. E a excitação tomava conta do meu corpo. E começava a sentir minha buceta molhada, cada vez mais molhada.



O Paco abaixou meu vestido e começou a sugar meus mamilos. Enquanto isso os outros dois arrancaram as roupas e começaram a se massagear. Direcionaram os pintos próximos à minha boca e comecei a chupá-los. Pelo menos já estava com dois paus em minha boca. Enquanto sugava os dois pintos o Paco tirou a calça, arrancou minha calcinha e abriu minhas pernas. Começou a me chupar. Ficamos os três, na maior chupação.



Depois de alguns instantes senti as picas se afastando de minha boca e senti a boca se afastando de minha buceta. O Negão deitou de costas sobre a toalha xadrez e me sentou em seu quadril, encaixando o primeiro pau em minha buceta. Eu estava virada para ele e tive um espasmo imediato de tesão com a sensação mista de prazer e uma ligeira dor - preciso confessar que curto alguns tipos de dores durante o sexo. Acho que é meu lado masoquista. Enquanto eu cavalgava para cima e para baixo sobre o corpo do Negão, senti novamente dois paus entrarem em minha boca.



Ficamos alguns instantes nessa posição, sempre com a preocupação de possibilitar a melhor visualização da cena para as câmeras. Antes de me sentir entediada com aquela trepadinha básica, fui empurrada em direção ao corpo do negão e fiquei deitada de quatro sobre ele, que continuou a comer minha buceta. O Paco se ajoelhou e, após lambuzar meu cu todinho com sua saliva, não pensou duas vezes e meteu o pau devagar, mas de uma só vez, em meu cu.



Outro delírio de prazer misturado com aquela dor ardida e, cá entre nós, deliciosa. Sensação de ter aquele pau rasgando meu cu. Afe.... tesão total. A esta altura estava perto de realizar minha fantasia - e de muitos marmanjos por aí!! Eu continuava a chupar o pau do Neco para estender um pouco o suspense dos expectadores e fazê-los imaginar onde o terceiro homem se encaixará na história. Assim, mantivemos a dupla penetração por um tempo.



Por alguns minutos a câmera passeou pelo meu corpo mostrando os mínimos detalhes da seguinte cena: eu de quatro deitada sobre o corpo do Negão que comia minha buceta enquanto o Paco comia meu cu e o Neco era chupado por mim. Eu já estava quase gozando de tanto prazer e já havia soltado vários gemidos de pequenos orgasmos. Confesso que tive de pensar em coisas brochantes para acalmar meu tesão, afinal, o melhor ainda estava por vir.



Eu havia decidido que queria o Paco e o Neco comendo meu cu e o Negão a minha buceta - até porque ele era o mais bem dotado e seu pau por si só já ocuparia toda a dimensão do meu cu. Eu já estava na posição ideal para começarmos A Trepada do ano!! Continuei deitada de quatro sobre o Negão que continuou a comer minha buceta.



Apenas o Paco se afastou e se postou à minha frente. Dei uma ligeira olhada nas duas picas que em breve estariam no meu cu, chupei as duas e empinei minha bunda para recebê-las. Paco e Neco se posicionaram atrás de mim e fiquei apenas à espera do primeiro a comer meu cu. Confesso que não sei quem foi, mas senti o primeiro a entrar facinho.



O segundo pau começou a se aproximar do meu cu pela lateral. Acho que o Paco e o Neco estavam posicionados um de cada lado. Comecei a sentir a cabeça do segundo pinto a fazer força, tentando entrar. Meu cu estava totalmente lubrificado e, a princípio, não ofereceu muita resistência. Eu estava em êxtase apenas de repassar em minha mente a cena que acontecia. Meu ângulo de visão não era dos melhores, mas minha imaginação compensava.



Aos poucos a segunda pica foi ocupando seu lugar. Entrando, entrando, devagar, mas de forma consistente. Até que pude senti-lo inteiro dentro de mim. E a cena estava completa. Três picas dentro de mim. Caralho. Sou foda. Sim: estava com três paus dentro de mim. E, claro, insaciável como sou ainda deu tempo de eu pensar: "será que eu aguentaria um quarto"? kkkk Calma, calma!! Aprecie o momento, por favor!! Chamei minha atenção de volta para a atual trepada.



Certamente eu não era a única a estar em êxtase. Podia ver apenas a feição do Negão, mas era suficiente para ter a certeza de que ele estava em pleno êxtase também - afinal, minha buceta devia estar mais apertada do que nunca. E os três se mexendo dentro de mim. A sensação era muito louca. Era como se um pinto gigante tivesse ocupado meu cu.



Mas essa sensação logo passou à medida que os três pintos começaram a se mexer em compassos diferentes dentro de mim. Cada homem estava em um ritmo e enquanto um tirava o pau de minha buceta um segundo colocava em meu cu. Enquanto o segundo enfiava fundo no meu cu um terceiro ficava brincando na beirada. Eu sentia que cada mínima terminação nervosa do meu corpo estava sendo estimulada e entrei em um estado de tesão que até então nunca tinha sentido. E olha que são anos de vida sexual e mais anos na carreira de atriz pornô. Experiências era o que não me faltavam.



Estava me sentindo gostosa, poderosa, safada e uma infinidade de outros adjetivos. Caralho, que outra mulher já teve a experiência de dar prazer para três homens ao mesmo tempo? Não são muitas, hein!! E eu ouvia os 'bichinhos' gemerem. Era uma confusão de pintos e vozes dentro e fora de mim. Uma completa sinfonia. Em um determinado momento senti exatamente como se estivéssemos em um concerto, os quatro, em plena sintonia, cada um com seu órgão, com sua função, gerando um único e perfeito cenário. Além de nossos ruídos não ouvia nenhum outro som vindo da produção. Acho que eles também estavam totalmente absortos pela cena.



Queria que aquele momento se estendesse ao máximo, mas mesmo todas as imagens broxantes com as quais bombardeei minha cabeça não foram suficientes para segurar meu orgasmo por muito tempo. Soltei um gemido alto de puro tesão. À medida que sentia todos os músculos de minha buceta e de meu cu contraírem meu gozo aumentava ainda mais. Gozar com um pau dentro da buceta já é incrível. Com um pau na buceta e outro no cu é fenomenal. Agora gozar com um pau na buceta e dois no cu traz uma sensação indescritível. Fiquei doida de prazer e me lembro da vontade doida que senti de ser atravessada por aqueles paus. Coisa de louco.



Quando me acalmei senti os rapazes, um a um, retirarem os pintos de mim e os aproximar de meu rosto. Apenas nesta hora soube que o Paco ficou do meu lado esquerdo e o Neco do direito. E, mais uma vez, fui poderosa. Três ejaculadas na minha cara ao mesmo tempo. Um banho de gozo. Finalização perfeita para minha fantasia e para o filme.



Imagino que a trepada tripla tenha durado uns 10 minutos, mas quando estamos tendo prazer a sensação é de que o tempo passa rápido demais e, ao assistir ao filme depois, vi que seguramos a cena por mais de 15 minutos. E a produção aproveitou todos os ângulos possíveis. Nem preciso dizer que o filme foi um sucesso e ganhou todos os prêmios de crítica, assim como a atriz principal!! Agora, quando escolho os roteiros com os quais vou trabalhar no ano, reivindico pelo menos meia dúzia com tripla penetração!! Acho que os diretores não se importam nem um pouco!!



Arpoveitem para conferir maus outros contos: "VOCÊ COME, EU COMO" e "VIRADA NA PAULISTA"

 

Gostou? Vote no Conto:

87624 visitas