Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Me abrindo para o amor | Femininos | Acervo de Contos

Me abrindo para o amor

Meu codenome é Beija Flor sou morena clara, uma mulher do tipo grande, tenho seios fartos, perna grossa bem torneada, bunda grande do tipo que chama atenção, cabelos vermelhos olhos negros, lábios carnudos sou muito sorridente tenho 1,67 hoje tenho 44 quase 45 anos e diretora de uma consultoria empresárial. Venho de relacionamentos convencionais, sempre fui muito reservada e estava vivendo uma vida bem conturbada. No meu último relacionamento, um momento bem conturbado, conheci Dionísio em 2010. Um homem elegante, educado, um sorriso singelo e agradável, lábios finos, boca bem feita, alto, pele clara muito lindo.



Semanalmente nos encontrávamos no horário do almoço, pois coincidentemente  almoçavamos no mesmo restaurante que fica em frente um dos meus cliente. A principio  não notava sua presença, eu entrava  almoça e saia até que um dia ele me cumprimentou e respondi e isso se tornou uma constante entre nós, foi ai que ele pediu meu contato eu dei meu e.mail/MSN e o número do meu telefone, caso ele viesse a precisar de uma contadora... daí em diante começamos a trocar mensagens que ficavam mais quentes e a cada dia, ao mesmo tempo que falávamos de trabalho, rolava umas bobagens, ele comentava sobre o jeito que alguém me olhou e de um homem que me comia com os olhos toda vez que me via entrar no restaurante. Um certo dia eu estava com vestido de decote onde se via bem o volume dos meus seios, Dionísio até tentou disfarçar que não olhava mais foi impossível, depois teceu seu comentário no msn, que havia ficado encantado com o decote que mostrava meus peitos e o quanto alguns homens também admiravam.



 Foi assim que um dia me convidou pra sair, pois estava interessado em conhecer melhor a mulher por quem alguns homens babavam quando entrava no restaurante. Assim se seguiam os dias eu sempre com muito trabalho ia adiando nosso encontro, as conversas iam tomando um rumo muito gostoso já falávamos sacanagem ele me mandava uns emoticon bem sacana, quando um certo dia ao acessar o msn ele estava on line, lhe cumprimentei começamos a teclar e no meio da conversa ele me disse - É hoje o nosso encontro no final da tarde quero você não posso mais esperar para você ter tempo - e assim foi feito, ele passou no meu cliente e seguimos conversando, eu não podia ir muito longe pois tinha que ministrar os dois últimos tempos em uma faculdade, pois também sou professora universitária. Paramos em um parque muito bonito onde as pessoas caminhavam, ficamos no carro conversando eu falo muito ele ouvia e me olhava encantado percebendo o quanto eu estava nervosa pois minhas mãos suavam e não parava um segundo de balançar as pernas, quando senti suas mãos tocarem minhas coxas levemente acariciando, parecia que eu ia entrar em pânico e sair correndo, foi quando ele beijou e pela primeira vez perdi o fôlego deu um frio na espinha que beijo que boca doce macia com mão no meu pescoço aquele homem me beijava como se fosse a minha primeira vez.



Semanas depois fomos a um motel, Dionísio se mostrou maravilhoso, delicado e muito cuidadoso, mas confesso que estava muito nervosa e extremamente tensa pois ainda estar em um relacionamento e nunca havia traído uma pessoa, mesmo que não gostasse dela e o maior desconforto era, como eu ia dizer para ele que eu só lubrificava com lubrificante (KY) pois minha buceta não lubrificava naturalmente, isso para mim era um horror e por este motivo manter relação sexual era muito doloroso extremamente desconfortavel. Dionísio foi além de tudo que imaginei, pois não precisei dizer uma palavra, ele percebeu que eu não tinha a menor noção do que era ser bem fudida. Trocamos carícias, suas mãos deslizavam entre as minhas pernas enquanto ele mamava meus seios bem suave, sentindo meu coração que parecia sair pela boca, ainda de sutian e calcinha sentia seu dedos buscando meu grelo e começou a brincar com minha buceta. Senti que ele percebeu que não lubrificava, começou a beijar entre as pernas afastou a lateral da calcinha e foi lambendo meu grelo dizendo  - Que delicia! que buceta greluda deixa eu ver essa buceta! 



Sempre tive nojo do sexo, minha primeira experiência sexual foi muito violenta, para mim até aquele momento era inimaginável uma língua lambendo e chupando minha buceta. Ele tirou minha calcinha e começou a lamber como se fosse um sorvete delirando e me fazendo delirar de prazer, o mais incrível minava um liquido viscoso e ?nojento? foi quando ele enfiou lentamente seu pau duro e grosso na minha buceta não precisei de lubrificante aquele pau maravilhoso estava todo enfiado socando gostoso me deixando muito excitada  foi maravilhoso sentir prazer e sentir aquele pau enchendo minha buceta de porra e ver Dionisio delirando de prazer  era delicioso essa foi a primeira vez que gozei e gozava- mos juntos. Ele  deve ter percebido isso também mais foi bem natural e carinhoso, nos beijamos e depois daquele dia continuamos a fazer amor e cada vez tornava-se mais intenso, minha buceta ficava inundada eu já não tinha mais nojo do sexo e quando ele enchia minha buceta de porra era uma loucura, quando socava seu delicioso cacete sabia exatamente como fazer para gozarmos  juntos, e assim se seguiam os dias, cada vez mais delicioso, ele sempre dizendo que tinha mais e iria ficar cada vez melhor.



Já fizemos algumas loucuras e em uma destas ele me fez sentir a cabeça do seu pau passando pela portinha do meu cú. Bateu um desespero pois nunca havia imaginado fazendo sexo anal e aos 40 e poucos anos meu cú não sabia o que era ser fudido, mas isso é um outro conto que vou ter o prazer de contar.   



Com amor, 



Beija flor.

 

Gostou? Vote no Conto:

18188 visitas