Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Evangélica e cheia de amor pra dar | Femininos | Acervo de Contos

Evangélica e cheia de amor pra dar

Eu estava super molhada nos braços dele. Sentia suas mãos deslizando pelo meu corpo. A língua invadindo minha boca e se engalfinhando na minha... Uaaau... Que beijo gostoso, meu Deus! Sentia-me renovada... Rejuvenescida... Menina mulher! Seu corpo quente, másculo e gostoso pressionando-me contra a parede no nosso ninho de amor e prazer. As mãos alisando-me no bumbum enquanto a língua deslizava pelas minhas orelhas, pescoço, ombros e costas. Nesta altura do campeonato fiquei com a calcinha ensopada! Sentia revolução nas minhas entranhas. Contrações... Dores na vagina. Que dor gostosa! As paredes do meu canal vaginal se apertavam, cada vez mais. Meu clitóris pulsava! Sentia-o grande, inchado e super sensível. Meu rosto queimava... O corpo ainda mais! Coração acelerado... Seios inchados... Estava nas nuvens! Quando ele tirou meus seios para fora do vestido e os abocanhou, vi estrelas num orgasmo maravilhoso. Suspirei manhosamente... O membro duro me pressionava nas coxas... Minhas pernas amoleceram! O meu amado me segurou em seus braços e deitamos juntos na cama box.

Quarto grande, iluminado, paredes em tom rosa claro, colcha rendada, detalhes bordados e rosados, colchão de molas, cabeceira de grades e almofadas macias. O Guto tirou meu vestido vermelho, de alças, decotado e deixou-me apenas de calcinha vermelha sem costura. Olhou-me faminto... Comendo-me com seus belos olhos castanhos! Levantei-me e o abracei sobre a cama. Tirei sua camisa branca e desabotoei-lhe no jeans. Deslizei-a sobre o bumbum. Depois, os sapatos pretos e meias. O membro estava bem duro sob a cueca boxer branca. Umedecida a região em torno da cabeça estava! (delícia) Puxei-o sobre mim deitando-me de barriga para cima e esfregando os seios no peito cabeludo. Sentia-me cutucada sobre a calcinha... Gostoso!

Eu não resisti... Queria ser penetrada! Abaixei a cueca e liberei o pênis. Para o alto apontou! Puxei minha calcinha para o lado e ajeitei-o na entrada da minha boceta. Entrou gostoso... Tudinho... Resistência não havia! Gozei novamente suspirando com a boca colada no pescoço dele. Guto me olhou e beijou-me, sem parar, enquanto manejava o pau, duro e grosso, na minha racha. Eu abria cada vez mais as pernas e apertava o membro viril no meu canal vaginal. Guto gemia dentro de mim. Eu sentia as bolas batendo na porta do meu cu. Aaaai... Que homem gostoso, Senhor! Ele me estocava sem parar segurando firme nas minhas coxas macias. Eu só conseguia sentir a rola invadindo-me as entranhas e me fazendo quase mijar de tanto prazer. Gozei. Eu ti amo, Guto.

Líquidos esbranquiçados escorriam pela minha vagina e deixava rastros ao redor da xana. Eu olhava seu membro e conseguia vê-lo todo molhado. Guto gemia cada vez mais... Acalmei-o no meio das minhas pernas... Puxei-o para meu corpo e fiquei beijando-o na boca de lábios macios. Ele suspirava! Eu sentia o pau contrair. Que sensação maravilhosa! Ficamos quietinhos até abaixar adrenalina. A respiração dele batia no meu pescoço e me deixava doooida! Eu queria gozar mais. (risos) Olhei-o e sussurrei:

- Amor, você é muito gostoso... Maravilhoso... Me deixa looouca!

- Você é uma menininha maravilhosa e sedutora. Estou amando fazer amor contigo. Você mexe demais comigo... Maravilhosa, fofa!

- Aaaai... Delícia escutar isso de um homem gostoso e tesudo como você, amorzinho. Come mais sua bonequinha preta... Cooome?

Uaaau... Enquanto escrevo este depoimento e me lembro daquele final de semana, minha vagina queima de tesão. Espere um pouco... Preciso me acalmar... Meu grelo pulsa dentro da calcinha. Volto já. Depois de uns 20 minutos, estou me sentando aqui frente ao micro para continuar. Meus filhos estão fazendo uma zona na sala com minha irmã e queriam-me mostrar jogos novos no play station. Depois, não resisti e passei no banheiro... Toquei-me sentindo muito prazer! (risos) Mas vamos lá... Continuando.

Agarrei no meu amado, enquanto dentro de mim, e virei por cima dele na cama macia. Levantei-me e agachei sobre o pau. Aaaaai... Que tesão! Enfiei e tirei diversas vezes na minha boceta. Rebolei com ele enterrado nas entranhas! Eu olhava a expressão dele de desejo e delírio enquanto eu gozava como porca naquela rola grossa. Desmontei ofegante nos peitos do meu amor!

Beijamo-nos loucamente! Guto chupava minha língua e vice versa. Salivas misturadas e meus seios pressionando-o no tórax. O pau escorregou fora da minha vagina de tão molhada que eu estava. Descansamos. Carinhos e trocas de beijos. Logo, abocanhei o membro molhado e cheirando boceta. Adoro lamber meu gozo. Eu estava de quatro na cama e empinei a bunda frente ao rosto do meu amante. Não deu outra! (risos) Guto passou as mãos em mim e abriu minhas pernas entre seu rosto. Enquanto eu engolia o pau ele enfiava a língua o mais fundo possível na minha boceta e no meu cu. Balançava o clitóris para lá e para cá. Enfiava dedos nos meus orifícios. Eu chupava e sugava a cabeça do pinto gostoso. Na fenda da cabeça do pau eu buscava, a todo instante, o creme grudento. Cheirava e deslizava a língua por todo o corpo do membro viril. Podia ver e sentir as veias marcantes. Chupei-o nas bolas gostosas e lambi o cuzinho apertado e quente. Adoro o cheiro e sabor. Enfiei o dedo médio com lubrificante. Guto contraiu o buraquinho, mas, logo em seguida, relaxou. Não resistiu. Eu chupava o pau e enfiava o dedo médio no rabinho dele, com carinho e paciência. Ainda irei fazer isso no meu marido! (risos) Meus seios pressionavam-no na barriga e eu me esfregava no seu rosto. Banhos de línguas! Ficamos loucos de desejos e paixão.

Guto me pediu que ficasse de quatro na beira da cama. Ele ficou em pé sobre o piso frio e, antes dele me penetrar, engatinhei sobre a cama e peguei meu vibrador na bolsa. Empinei meu quadril, abri as pernas e senti as mãos dele apoiando na minha cintura. Logo, me estocou gostoso. Liguei meu vibrador e fiquei brincando no meu clitóris. Exclamei:

- Amoooor... Que delícia! Isso... Isso... Come sua bonequinha preta! Me fode bem gostoso, seu puto!

- Minha gostosa... Saborosa... Mulher maravilha! Que bundão gostoso você tem, amor! Seu cu me excita demais... Parece-me chamar a entrar dentro!

- Cooome, amor... Cooome tudo o que você quiser. Neste final de semana sou sua. Gostoso... Ti amo!

- Eu também ti amo, fofa... Bonequinha preta e gostosa... Delícia de menina mulher!

Guto me estocava na boceta sem parar. O suor pingava sobre minha bunda. As mãos apertavam-me na cintura e o membro entrava e saía maravilhosamente. Eu estava super excitada! Meus seios balançavam... O corpo ainda mais! Enfiei meu rosto no travesseiro enquanto me bolinava no clitóris com o brinquedinho de silicone. Ele retirou o pau da minha racha e me ofereceu. Eu chupei... Chupei... O sabor da vagina era marcante! Logo, jatos quentes de espermas esguicharam na minha garganta. Quase me engasguei! (risos) Eu chupava e engolia parte do sêmen enquanto a outra parte escorria pelos cantos da minha boca sobre os seios suados. Até nas coxas eu sentia a porra quente. Guto estava derretendo! Puxei-o, sobre mim, na cama. Beijamo-nos de língua ao sabor de esperma.

Sou a Ana Júlia, 41 anos, negra, pele preta, 1,69m, 100 Kg, cabelos avermelhados, ondulados, na altura dos ombros, olhos castanhos, seios médios, bumbum grande, pernas grossas, lisas e pés macios. Pedagoga. Sou casada há 22 anos. Amo meus filhos e meu marido. Não tenho intenção de me separar. Temos um menino e duas meninas (17, 13 e 12 anos de idade, respectivamente). Nasci e cresci num lar evangélico. Mamãe e papai sempre foram muito protetores e me ensinaram o que acham certo na vida. Não os culpo por nada. Aprendi muito sobre a nossa religião. Eu e meu marido somos evangélicos, centrados nos mandamentos de Deus e nas diretrizes da nossa igreja. Ele é o primeiro homem da minha vida. Eu sinto desejos e vontades com meu marido. Ele sempre muito contido... Na hora de fazermos amor, papai e mamãe. Nosso relacionamento íntimo chegou num ponto que me deixava desconfortável. Não estava mais me satisfazendo como mulher. Penetrava-me, sem parar, e gozava dentro de mim. Muitas vezes pensava ser depósito de porra! Depois disso? Virava para o lado e dormia. E eu? Onde fica meu prazer? Eu também quero gozar!

Precisava mudar isso. Fui à luta. Discretamente, de 2 anos para cá, comecei a procurar sexo na internet. Identifiquei-me com contos eróticos. Passei a lê-los com frequência. Excitam-me... Fico muito curiosa sobre meninas que amam meninas!

Paralelamente a isso, minha amiga me despertava interesse. Identificávamo-nos muito. Um belo dia, final de tarde, fomos ao shopping comer lanche e ver vitrines. No estacionamento, dentro do carro, acabamos ficando juntas. Dias depois, fomos ao motel. Bela experiência feminina. Um dia escrevo contando como foi estar com ela. Minha cabeça pensava que eu não estava traindo meu marido porque estava com uma mulher. Ledo engano! Adorei os momentos íntimos com ela, mas eu queria mesmo sentir como seria estar com outro homem. Poderia, sim, viver estas experiências ao lado do meu marido. Um dia faço a cabeça dele! (risos)

Ao longo dos anos, após 3 filhos, engordei e me coloquei cada vez mais para baixo. Minha auto estima ficou lá nos pés! Achava-me feia, gorda e me via muito na figura da minha mamãe. Minha amiga sempre me dava forças e tentava me colocar para cima. Apaixonei-me por ela! Mas isso não bastava... Eu quem precisava me permitir ser feliz e me valorizar. Comecei a ler sobre o assunto e dar forças a mim. Ao longo do tempo, aprendi a gostar do meu corpo independente do peso que tenho. Hoje em dia fico nua frente ao espelho e gosto do que vejo. Acaricio-me e tenho muitos orgasmos comigo mesma. Comprei até vibrador! (risos) Aprendi que a responsabilidade do meu orgasmo é apenas minha. Não dependo de ninguém pra dar e sentir prazer. Eu me amo. Quando você transforma seus pensamentos, o universo corresponde.

Num belo dia conheci o Guto através da internet. Começamos a nos corresponder. Meses depois, marcamos encontro na cidade de Volta Redonda, Rio de Janeiro. De alguns meses para cá, de vez em quando, ficamos juntos. Acredite... Estes encontros estão melhorando meu relacionamento com o maridão. É mole? (risos) Ele me estranhou de uns tempos para cá, mas está adorando sua nova mulher. Nossa vida íntima não é mais aquela mesmice. Estou me conhecendo cada vez mais e tentando ensiná-lo como sinto prazer. Se ele entrar na minha, sentirá muito prazer também. Ainda irei fazer a cabeça dele para aceitar a presença de outro homem, seja na minha vida ou na nossa cama. Eu sou brasileira e desisto nunca! (risos)

Meu relacionamento paralelo ainda é segredo. O Guto tem 38 anos, branco, pele branca, 1,77m, 79 Kg, olhos e cabelos castanhos escuros, bumbum peludo, carnudo e pernas fortes. Ele é meu amante... Me completa e me faz feliz. Deixe-me voltar a narrar quando me encontrei pela primeira vez com o Guto.

Descansamos. Tomamos banho na banheira e voltamos para a cama, antes do jantar naquele sábado de inverno. Começamos a nos beijar e nos amassar nus sobre a cama ao som de Love Hurts, Nazareth. Entre beijos e carícias, lá estava o pau duro dentro de mim novamente. Fodendo-me bem gostoso... Eu gozava como cadelinha no cio! Sentei nele e cavalguei. Meus joelhos queimavam e as pernas doíam. Mas a farra tava boa! (risos) Eu sentia vontade de enfiar o cacete na bunda. Tava looouca! Beijei-o e alisei-o bastante. Ele enfiava, carinhosamente, dedos no meu cu. Eu delirava:

- Amooor... Amorzinho... Pôe no meu buraquinho? Estou looouca de tesão... Põe?

Os olhinhos dele brilharam... O pau parecia dobrar de tamanho... Safado! (risos) Enquanto ficamos fazendo 69, eu olhei a banqueta do pé da cama que tinha no quarto do hotel. Tive idéias! Pedi a ele que se deitasse de barriga para cima sobre a banqueta. Eu poderia ficar em pé e me sentar naquela rola gostosa. Beijamo-nos sem parar enquanto eu agitava seu pau grosso. Sentei sobre o rosto dele e deixei-o me realizar! (delícia) Voltei a chupar seu pau até ficar bem duro. Sentei com a boceta nele e esquentei-o lambuzando com meu mel. Apoiei as mãos sobre seu tórax e cavalguei como puta! (adoro isso) Eu via a expressão de desejo no olhar dele enquanto me comia... Isso é bárbaro! Soquei bem fundo na vagina. Mas eu queria mesmo era sentir ele todinho no meu rabo! Levantei do corpo dele apoiado sobre a banqueta. O pau estava todo esbranquiçado. Era do meu gozo! Beijei-o na boca e fui descendo até abocanhar o membro viril. Guto delirava! O sabor era picante... Levemente salgadinho! Peguei lubrificante, a base de água, e lambuzei-me no ânus. Introduzi o dedo médio enquanto agachada chupando-o. Lubrifiquei-o, também, no pênis. Agitei-o e me posicionei com as pernas abertas sobre a banqueta, de frente para meu amante. Ajeitei o pau na entrada do ânus e fiz força como se quisesse fazer cocô. Assim que a cabeça do pau entrou, relaxei. Aí sim, foi só escorregar ele pra dentro do meu buraquinho quente e apertado. Agasalhei-o todo! Sentei gostoso. Doeu muito, mas não me fez sangrar e nem nos machucou. Rebolei para ajeitar a rola grossa no meu rabo e descansei. Logo, estava subindo e descendo, carinhosamente, apertando cada milímetro do pau vigoroso. Guto extasiado dentro de mim! Eu rebolava e mexia no meu grelo que estava muito sensível. Peguei meu brinquedinho e o introduzi na vagina. Aquele negócio vibrava dentro da minha boceta e a pica pulsava no meu cu. Não tem coisa melhor! Eu estava sendo comida nos orifícios. Eu sentia um orgasmo atrás do outro... Nem sei quantas vezes gozei! Gemíamos sintonizados no clímax de amor e desejos. Saciei-me a valer! Extasiada, retirei o vibrador da xana e ofereci ao Guto. Ele chupou o melado impresso no brinquedinho com fome que há tempos não via! Apoiada, nos meus tamancos pretos, sobre o piso frio do quarto, sentei gostoso no pau dele! Achei que meu cu ficaria aberto pra sempre... Sentia-me revirada e aberta! Só as bolas ficaram de fora... Se pudesse, as colocaria também... Tava bão demais! (risos) Saciada, libertei o pau. Minhas pernas doíam e queimavam. Eu estava mole... Pernas bambas. Olhei para o pau e, imediatamente, peguei lenços umedecidos para limpar as fezes que trazia na cabeça. Limpei tudinho! Beijei-o na boca enquanto agitava sem parar. Logo, ele disse que iria gozar. Abocanhei-o, ao sabor e cheiro da minha bunda, e senti a porra quente encher minha boca. Acabei-me chupando o pau que parecia chafariz de tantos espermas quentes que esguichavam dentro da minha boca. Chupei... Engoli tudinho! Limpei-o com minha língua. Puxei-o para se deitar comigo no nosso ninho. Fizemos amor o final de semana todo.

Essa é minha história. Dizem que a vida começa aos 40 anos, eu acredito que seja verdade. Estou adorando a menina mulher que sempre esteve dentro de mim e hoje tem vida própria. Sou gorda, bonita e gostosa. Eu me amo e me aceito do jeitinho que sou!

Pessoal, por hoje é só! Fique em paz e obrigado pela leitura. Beijos.

 

Gostou? Vote no Conto:

120436 visitas