Acervo de Contos eróticos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto
bundas porno porno ninfetas videos de sexo videos porno

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Dei para meu professor de literatura | Acervo de Contos

Dei para meu professor de literatura

Eu sou morena clara, baixinha e com um corpo bem atllético.Meus seios robustos chamam muita atenção.
Estou no terceiro ano da faculdade de letras.
Por ser uma aluna aplicada sempre fui elogiada pelos professores, e não seria diferente com Rubens, meu professor de literatura Inglesa.
Quando o vi pela primeira vez no começo do ano eu e minhas amigas e os gays da minha sala ficararam de boca aberta. Ele era muito gostoso.Coxas grossas, cabelos grisalhos e uma boca bem vermelinha que dava vontade de morder.
Em todas as aulas dele eu ficava com tesão e nem prestava atenção na aula.
Um dia levei o caderno para ele dar uma olhada e ao levantar percebi que ele estava com o pau duro ali debaixo de sua mesa. Já se passava das 9 e o pessoal estava sendo dispensado mais cedo quando ele me disse: Rita, tenho um livro que acho que vai gostar. Nisso eu fiquei ali até toda galera ir embora.Na hora, para falar a verdade até pensei que fosse isso, fiquei desanimada.Falei, ta ...me mostra.
Então ele se levantou todo gostoso e com ar de inponência trancou a sala, fechou as cortinas e me agarrou começando me beijar e me roçar com sua barba.Meu rosto começou a queimar e minha buceta não parava de pulsar de tesão. Ele se esfregava, lambia meu rosto e me acariciava delicadamente. De repente ele falou: Eu sabia que você queria isso sua vadia, agora você é minha puta. Você gosta não é. Nisso minha perna já estava mole. Notando que eu queria mais ele me deitou em sua mesa e abaixou minha calça, apertando minha cocha sem parar com aquelas mãos grandes.Em seguida tirou minha calcinha, senti a ponta do dedo dele tocar no meu grelinho de relance.Fechei os olhos e senti sua respiração ofegante na minha chaninha molhada e inchada de tesão.Você quer que eu te chupe minha aluna vadia e gostosa? Eu só podia responder que sim. Eu nã era boba, valia muito apena correr esse risco. Então ele segurou minhas pernas e começou a lamber, mordiscar e sugar minha bocetinha. Eu gemia e me contorcia, não podia aguentar de tanto tesão. Abri os olhos e vi que ele suava de tanto prazer. Então abri o ziper da calça dele e senti seu pau grosso nas minhas mãos. Estava duro como ferro e na pontinha tinha gotinhas de sua porra.Puxei ele na minha direção e enfiei seu pau com vontade na minha boca, passando a lingua bem devagarinho. Seu rosto branco agora estava vermelho de tesão e sua boca gostosa agora chupava meu peito que já estava com os bicos durinhos. Que aluna gostosa eu tenho, ele sussurrava nos meus ouvidos com o seu peso sobre mim. Eu então abri as pernas e comecei a me masturbar bem gostoso, roçando minha vagina no corpo dele e pondo meus dedinhos la dentro. Você quer ajuda ?Ele perguntou com voz de safado.É lógico professor. Então ele enfiou seu dedo na minha buceta fazendo movimentos de vai e vem abrindo ainda mais as minhas pernas que ja estavam bambas. Eu e ele nos seguramos para não gozar, pois estava muito bom, mas sabíamos que não podia ficar muito tarde se não ficaríamos presos ali.Enquanto ele me dedava eu o punhetava gostoso. Foi quando ele pediu para eu dar uma ultima lambida. eu obedeci e meti tudo nas boca atè suas bolinhas gostosas fazendo um boquete maravilhoso, isso o fez gemer e se contorcer e me apalpar com mais tes?o. Coloquei então minha lingua no cusinho dele e lambi delicadamente e ele sorriu para mim e me chamou de safada. Aquilo estava muito bom, nosso suor era intenso então soltei seu pau e abri as pernas pedindo, implorando que ele me penetrasse antes de gozar. E foi isso que ele fez, enfiou seu pau grosso todinho dentro da minha chaninha que ja implorava. Eu e ele rebolamos gostoso. Ele me acariciava e me lambia e me beijava com pressa, pois faltavam poucos minutos para as 11. Ele ficou me bombando e dando estacadas até eu não aguentar mais, ele era muito gostoso e tesudo, eu não queria que acabasse nunca mais. Ele então levantou e se sentou em sua cadeira, com cara de intelectual mais todo suado e com a calça arriada. Eu achei um tesão. Me aproximei e sentei no colo dele, rebolando e me ajeitando naquele pau já a ponto de explodir de tão duro.Tentei encaixar minha chaninha, mas não era isso que ele queria, ele queria meu cusinho. Não pude negar aquele olhar, ergui o corpo no seu colo e encaixei gostoso, subindo e descendo, estava bem difícil do pau entrar no meu cu, mais estava gostoso.Então ele decidiu lamber meu rabo e enfiar o dedo para facilitar a entrada.Quase não segurei de exitação. Então ele tirou o dedo e consegui encaixar seu pau que latejava dentro do meu cu. Eu rebolei bem gostosinho, me masturbando pela frente com meus dedinhos espertos.enquanto isso ele beijava e chupava meu pescoço e metia a mão no meu mamilo.
Nesse vai e vem gostoso eu e ele gozamos e gritamos de tesão. Gritos sufocados pelos beijos gulosos e chupadas.Senti o cheiro de sua porra que escorria pela minha perna e bunda.
Quando ele se levantou com um ar de trabalho cumprido e um sorriso no rosto eu o beijei com vontade, me ajoelhei e lambi o restante da porra que ainda tinha sobrado.
Fui alternando, lambia a porra dele e o beijava. Ficamos ali mais uns minutos e saímos. Eu sai antes dele para não
dar na cara. Naquela noite, dormi com o gosto do gozo dele na minha boca. Nunca imaginei que aprender literatura fosse tão gostoso.

 

Gostou? Vote no Conto:

07/12/2010 | 51113 visitas

 
 
 
safadas bundas flagras