Acervo de Contos eróticos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto
videos de sexo porno sexo gostosas filmes porno filmes porno

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

O dia que meu namorado me arrombou. | Acervo de Contos

O dia que meu namorado me arrombou.

Meu nome é Manuela, tenho 1 58, 50 quilos, olhos verdes e cabelos escuros. Modéstia a parte, sou bem atraente. Namoro com o João, um lutador de jui jtisu de 1 90 e 90 quilos, conheci-o e logo me encantei por ele.Nunca transamos por escolha minha, e o João apesar de ser contra, sempre respeitou minha opnião!De uns tempos para cá, começamos a ter carícias mais ousadas, mãozinha aqui, mãozinha ali, o João tirou meu cabaçinho com o seu dedo. Eu sempre fui muito boa num bola-gato, e sempre presenteava meu amorzinho com isso.Fomos com a família dele para a praia no final do ano. Na volta, o carro quebrou e voltamos só nós dois com uns parentes e o João dormiu em casa.Então ele chegou todo cheio de carícias e disse pra mim :    - Manu, a gente namora a tanto tempo e nem seu cuzinho você deu pra mim, libera ele vai!Eu respondi que não, porque tinha medo que doesse e não queria nem falar nesse assunto!O João então se transformou. Disse que eu era a namorada dele e que tinha obrigação de transar com ele. E me deu um tapa no rosto e me derrubou no chão!Começei a chorar, ele se abaixou e disse:    - Desculpa meu amor, mas é que eu tô louco por você!Eu levantei não respondi, e fui para o meu quarto dormir. O João veio e disse que ia sair, se eu queria ir com ele.Como estava brava respondi que não!Ele saiu, e não voltou naquela noite.No dia seguinte, eu estava fazendo almoço quando o telefone tocou. Era o João.      - Desculpa a demora amorzão, é que fiquei magoado com o que eu te fiz, e fui comprar um presente pra você. Já tô chegando.Eu como estava já tranquila em relação a isso, terminei o almoço e fui tomar um banho enquanto meu namorado não chegava.Fui para o quarto e começei a tirar a minha roupa, quando estava só de calcinha, senti alguém tampar a minha boca com algo que me fez desmaiar.Quando acordei estava amarrada a uma cama. O João estava do meu lado, eu perguntei se ele sabia quem tinha feito isso pra mim e ele respondeu na maior cara de pau: FUI EU!Subiu em cima de mim, me deu um tapa na cara e disse que sempre soube que eu era a maior puta por dentro, e que agora eu ia por pra fora tudo isso.Só aí entendi o que estava acontecendo, meu próprio namorado me estuprando.Eu começei a gritar por socorro, mas o João me deu um murro e mandou eu me calar.Disse que se eu não quis dar pra ele por bem, agora eu ia ver o que era bom pra putas que nem eu!Fiquei apavorada, e começei a chorar, o João disse que era pra mim parar porque se não eu ia apanhar ainda mais. Mas eu não conseguia parar de chorar. O João então, me desamarrou, me agarrou pelos cabelos e foi me arrastando gritando pela casa:   - Sua vadia, sua prostituta inútil, você vai ver o que eu faço com mulheres como você!Então, ele me jogou com tudo sobre a mesa da cozinha, me fazendo bater com o rosto no tampo da mesa. Pegou um saleiro e começou a jogar na minha bunda, depois começou a me bater e eu senti uma dor horrível, como meu próprio namorado podia estar sendo tã cruel comigo ?Ele então, encostou aquele pau (21 cm) na minha bunda, e disse:          - Agora não tem como fugir sua biscate!Eu começei a gritar por socorro, e ele me deu um soco no rosto.Fiquei meio atordoada, e ele disse: Prepara a tua buceta de merda, que você vai me sentir rasgando ela...Foi quando eu senti ele arrombando minha buceta. Aquele pau imenso do meu namorado entrando na minha bucetinha virgem sem dó nem piedade. Então como eu chorava ele começou a me bater mais, minha bunda cheia de sal, já estava toda vermelha.Ele me puxou para o chão me colocou de joelhos e disse: Chupa minha pica, vadia!Eu disse que não ia chupar nada, e ele disse que eu ia, e que era melhor que fosse por bem.Eu me sentia toda arrombada quando enfiei aquela pica na boca, Em menos deum minuto o João gosou jatos e mais jatos de porra na minha boca. Enfiou seu pau lambuzado na minha buceta, e encheu ela de porra também. Levantou-me e disse que me levaria para um banho, para me lavar da porra dele.Quando a água caiu sobre a minha bunda cheia de sal, quase morri de dor! O João dava gargalhadas de mim e dizia que ele avisou que por bem seria melhor.Então me deixou no chuveiro e disse que ia buscar meu presente... ele me levou arrastada para uma cama, onde me jogou de bruços e me mandou ficar de quatro, como não obedeci levei outro soco, e ele me forçou com seus braços a ficar de quatro. Foi quando ele arreganhou minha bunda e enfiou algo nela.Quando recuperei os sentidos vi o que tinha acontecido, o João com um vibrador de cerca de 28 cm na mão, batento uma punheta olhando pra mim desfalecida.Quando me viu acordada disse que já não era em tempo de mim acordar, que ele queria se divertir mais um pouquinho.Entrei em desespero, saí correndo pela casa. O João foi atras de mim, e me espancou. Eu sangrava e ele ria, dizendo que era assim que ele gostava de ver a putinha dele.No chão mesmo ele se deitou em cima de mim e começou a me penetrar, e de repente enfiou aquele enorme consolo no meu cuzinho semi-virgem. Quase desmaei novamente, mas acordei com os gritos do João dizendo:    - Sua vagabunda, agora quem vai comer seu cuzinho sou eu.O pinto do João era menor, mas era mais grosso que o vibrador. Senti como se tentasse enfiar o mundo e meu pobre o cuzinho, o João enfiava sua pica e gritava:          - Sua troxa, vagabunda. Tá vendo, não quis me dar seu cú e eu tô comendo ele do mesmo jeito. E ele dava várias estocadas, e tapas, e enfiava aquele vibrador cada vez mais fundo.O João levantou-se tirou o vibrador, ajudou a levantar-me para logo depois me derrubar com um tapa dizendo:   - Espero que tenha aprendido a lição sua puta, a próxima vez a gente vai transar num motel com alguém nos olhando.Pensei: esse homem só pode estar louco.Respondi que não, e senti uma onda de socos invadirem meu corpo. Sim, o João estava me espancando.Disse que ia ser do jeito dele e me deu mais um tapa. Gritou prostituta e mandou eu ir tomar banho.Fui tomar banho em lágrimas, quando ele chegou e disse que íamos ao motel no dia seguinte.Chorei ainda mais, e ele disse que não adiantaria eu chorar,  que agora eu era totalmente dele.Depois disso peguei gosto pela coisa, e foi assim, que eu virei a putinha do meu namorado, o João.

 

Gostou? Vote no Conto:

27/01/2011 | 41288 visitas

 
 
 
sexo flagras gostosas