Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Luize trabalhando | Fantasias | Acervo de Contos

Luize trabalhando

Olá a todos!!

Mais uma vez estou aqui para contar uma das aventuras de minha esposa deliciosa e safada. Mais uma vez espero que vocês, machos tarados, tenham inúmeras sessões de punhetas pensando nos momentos com elas.

Bem, a situação econômica apertou e ficou difícil manter todas as regalias de Luize: academia, cabelereiro, roupas, sapatos e todas as mordomias que uma mulher do porte de Luize deve ter pra se manter em forma e sempre bela. Caso já não saibam, Luize é uma morena de cabelos longos lisos, tipo uma índia, sem franja, peitos médios pra grandes, bunda média, mas deliciosamente empinada, não muito alta (1,65m), pesando uns 61kg. Seu corpo tem uma cor de jambo e com as deliciosas marcas pequeninas do biquíni fio dental que sempre incentivo e faço ela usar e abusar.

Luize adora roupas sensuais e que provocam a libido masculina. Micro saias, vestidos colados, e salto alto são sua preferência. Ela adora roupas super agarradas em seu corpo para mostrar suas curvas e sua deliciosa bunda. Aquelas calças legging de lycra com salto alto e mini blusa atiçam a imaginação de qualquer homem e mulher que gosta do negócio. !!

Então, como já lhes falei, a situação fez que eu dispensasse nossa empregada e que Luize pensasse em procurar emprego pra me ajudar a manter as despesas. Luize tinha formação de ensino médio apenas e acho que seria difícil arranjar um emprego pra ganhar o suficiente pra cobrir suas vaidades.

Numa dessas nossas noites de loucuras na cama, enquanto estava com minha pica em sua boca e um vibrador de porte grande enterrado em seu cú, com Luize de quatro, falei que gostaria de vê-la como uma puta ganhando dinheiro fazendo o que ela mais gosta de fazer: trepar!!! Luize adorou a encenação e me proporcionou um adorável gozo em sua boca, enquanto consolo alargava seu cú. Luize queria mais e plugada com o consolo em seu cú, ela se levantou e foi buscar um outro vibrador que temos, de porte maior. Luize sacou o vibrador de seu cú e pegou o maior e o fez sumir lá dentro. O outro vibrador direcionou pra mim e pediu pra eu limpá-lo e prepará-lo pra enfiar em sua buceta. Não me fiz de rogado e abocanhei o vibrador o quanto pude, pois ele mede cerca de 18 cm, um tamnho ideal paras as minhas brincadeiras anais que adoro. Lubrifiquei o consolo o quanto pude com minha saliva. Fiz Luize ficar de joelhos na cama e o vibrador preparado foi ser enterrado em sua boceta. Demais ver Luize cavalgando duas picas e pedindo a minha na boca. Mais eu já havia gozado e ainda estava meia bomba, então somente pude beijá-la e deliciá-la com minha língua. Num gozo frenético Luize urrou de prazer.!!!! Adoro esta mulher!

Mas terminado a transa, conversando comigo, Luize achava a idéia de trabalhar como puta uma alternativa de ganhar mais do que num emprego normal. Achei complicado a idéia, pois havia muito perigo nisso tudo, embora a idéia de vê-la trepando com outros homens fosse o máximo pra mim. E ganhando dinheiro com isso!!

De manhã, começamos a dar suporte a nosso intento indo comprar um celular pra ficar privativo para a nova profissão de minha deusa. E, num jornal de grande circulação postei um anúncio oferecendo uma mulher casada, e com as característica de Luize para homens e casais, de preferência de viagens para o Brasil e com atendimento exclusivo em hotéis, somente. Postamos fotos de Luize, que já tínhamos em sites de relacionamento, oferecendo os serviços e com o número de seu celular. Nas fotos Luize trepava com dois caras ao mesmo tempo, exibia-se em saias curtíssimas e super agarradas e saltos altos. O rosto era escondido!!

Passados uma semana, Luize começava a receber constantemente em seu celular ligações das mais diversas possíveis. E, lógico, a maioria apenas de curiosos e adolescentes!! Somente faríamos nossa primeira transa como negócio quando fosse dado o telefone do hotel em que o cliente se encontrava e vissemos que seria um turista a passeio ou a serviço no Brasil.

E esse dia chegou! Luize recebeu à noite a ligação de uma pessoa que parecia ser alemão e estava hospedado num hotel perto de nossa casa. Ele dizia ser um empresário na faixa de 50 anos e que estaria com um colega da mesma idade. Eles gostariam dos serviços de Luize e descreveram o jeito que Luize deveria ir recebê-los no motel. Luize deveria ir como uma ?french maid? de roupas de vinil. Fantástico, pois tínhamos esta fantasia em nosso guarda-roupa que uma vez comprei num site europeu por um preço muito camarada. O encontro seria na noite seguinte e eu poderia ficar no apto observando se quisesse ou participando, pois uma dos colegas do suposto cliente gostava de ser ativo com homens lisos, que era meu caso. Luize achou a proposta legal, pois o valor da transa dupla pagaria todas suas despesas num mês. Porém não tinha concordado muito com a idéia, pois dar por dinheiro era um negócio novo pra mim, ou melhor, para nós.

No dia seguinte, Luize se preparou para a noite e eu idem. Ao ver a fantasia de french maid, achei que ela não caberia mais em Luize, pois minha deusa tinha engordado uns 2 kilos. Luize caprichou numa vaselina especial para o corpo e a mini saia de vinil deslizou em sua bunda. Demais minha deusa de fio dental de vinil com uma micro saia hiper colada delineando as formas de sua cintura e bunda. Uma cinta liga com meias 7/8 branca era divino. Um corpete foi colocado por ela e seus peitos quase pulavam pra fora. Toda sua cintura foi desenhava quando o corpete foi entrelaçado. Um avental branco pequenino na frente e uma coleira de laçinho branco completavam. Não esquecendo das luvas brancas de tecido de véu e os saltos altíssimo pretos com as tiras grossas amarradas na canela. Perfeita.!!!! Um sobretudo de couro foi por ela colocado para escondê-la dos olhares de outras pessoas quando do carro ela descesse e subisse no apê dos clientes. Eu fiz minha higiene pessoal, depilei-me e caprichei nos óleos aromáticos. Apenas vesti um fio dental de couro que suportava na frente toda minha ferramenta (16x3cm) apenas. Pensei até em levar os saltos altos n° 40 que tenho e que adoro usar quando nas loucuras que fazemos na cama quando Luize enterra um vibrador potente em meu cú e uma mascara preta com peruca de cabelos longos idem completa meu visual de putinha safada escrava de uma dona dominadora!!!

Na hora marcada chegamos no hotel!! Subimos no apê após passar pela recepção!! No elevador pude observar minha fantástica deusa que parecia muito a vontade na primeira transa valendo grana que faria.

Batemos na porta e fomos recebidos por um senhor na faixa de 50 anos mesmo, calvo, forte, de roupão. Frank, seu nome, com um sorriso cativante num par de olhos azuis no mandou entrar. Luize foi a primeira e eu segui atrás. No apê, um outro senhor, na faixa de 65 anos, também calvo, mais forte e de sunga preta surgiu saindo de uma das portas que deveria ser o banheiro. Pela sunga que observei achei que sua ferramenta deveria ser grande e grossa, pois o volume era bem marcante. O nome desse outro homem era Mark.

Luize tirou o roupão e sua beleza fez os olhos dos clientes orbitarem. Com um sotaque carregado de alemão, num português compreensível, Frank elogiou Luize e disse que realmente o dinheiro que seria gasto valeria a pena.

Sem perder tempo, sacou a grana do bolso do roupão e me entregou. Disse ok e que Luize seria deles por duas horas. Porém, Frank disse que se eu participasse com um outro colega deles que chegaria em alguns instantes, poderia receber um pouco mais de grana. Fiquei confuso e disse como seria isso. Frank disse que gostariam de comer Luize ao mesmo tempo em que um amigo deles, chamado Carlos, trataria de mim. Pelas fotos no site viram que eu tinha um corpo liso e gostoso e que poderia fantasiá-los com uma outra roupa de empregadinha deles. Luize estava meio confusa com isso e só me observava. Perguntei a ela o que achava disso e ela disse que seria legal ver-me trepando fantasiado. Eu já estava de fio dental, e a calçinha atolada em meu cú começava a me provocar um leve excitação. Assim, sem perder mais tempo e curioso em me ver de french maid também, topei então. Frank me entregou mais dinheiro e me indicou o quarto que deveria me trocar. Mark então entrou num dos quartos e me entregou um embrulho. Disse para eu me arrumar e que Luize poderia me preparar também. Os dois ficaram na sala do apê bebendo algum drink enquanto eu e Luize nos fechamos num dois quartos. No embrulho havia uma fantasia de empregadinha também de vinil, uma mascar de couro e uma peruca preta com cabelos estilo chanel. Eu tirei a roupa e a vesti. Luize me ajudou, pois ela era super apertada. Minha bunda ficou exposta na micro saia e o corpete ajustava minha cintura o mais fina que seria possível. Coloquei a peruca e os saltos e Luze colocou a coleira de couro com uma flor no meio. Luize me passou batom e uma leve maquiagem que trazia em sua bolsa. Olhei-me no espelho e disse que não acreditava no que estava vendo. Agora éramos duas empregadinhas prontas pra servir seus donos!!

Nós saímos do quarto e os dois cliente estavam nos sofás bebendo. Frank disse que eu poderia esperar na sala o Carlos chegar e recepcioná-lo quando chegasse. Enquanto isso, ele e Mark cuidariam da minha deusa. Mark já estava nu e seu pau realmente era imenso! Frank veio até mim e me fez abaixar. Ele tirou seu roupão e uma pica de 20 cm saltou em meu rosto. Puxou minha cabeça e fez engolir sua pica. Luize fazia o mesmo com o Mark. Nós dois estávamos chupando nossos cliente!! Frank tirou o pau da minha boca e com Mark levaram Luize para o quarto. Fiquei na sala como a empregadinha esperando meu patrão querendo mais pica!!!.

Passado uns 10 minutos a campainha tocou e fui atender. Olhei pelo olho mágico e a figura de um homem negro surgiu. Perguntei pelo nome e ele disse Carlos. Abri a porta e não acreditei. Carlos era um negro, alto, malhado e dono de um sorriso cativante. Cá entre nós, sempre tive vontade em experimentar um negão. Agora realizaria minha vontade.

Carlos me agarrou pela cintura apertada no corpete e rapidamente me cumprimentou com um beijo nos lábios e suas mão exploraram logo minha bunda. Entrei na fantasia e retribui o beijo enfiando minha língua em sua boca e procurando seu volume. Fechamos a porta e Carlos me pediu um drink. Como uma empregada, fui fazer o gosto de meu dono. Rebolando o quanto pude fui ao bar preparar uma dose de uísque. Carlos me observava, enquanto ia se desfazendo de suas roupas. Perguntou pelo seu amigos e eu disse que estavam no quarto com a outra empregada. Levei o drink para ele e pude vê-lo pelado. Magnífico, com um pênis de uns 21x8cm e super duro, pronto para o combate. Carlos perguntou se gostaria de provar seu drinque e o derramou no seu pau. Disse que sim e para lá fui. Minha boca mal conseguia se fechar na periferia de sua rola. Fantástica!! Carlos me empurrava cabeça, querendo que eu engolisse o quanto pudesse. Depois de uns cinco minutos de chupação, Carlos me fez levantar e me posicionou de quatro. Pegou um óleo que havia colocado perto de nós e me ensopou toda a bunda. O fio dental foi puxado de lado e sua pica iniciou a invasão de meu cuzinho que já era um pouco preparado por rolas desse porte, graças ao trabalho de Luize, com seus consolos em meu cú!! Carlos tinha uma camisinha daquelas extra grande, pois uma normal, naquela pica, não caberia!! Delícia sentir 21x8cm de carne me rasgando!!! Carlos era dominador e me fez urrar de prazer!! Luize, nesse momento saiu do quarto com seu dois clientes e me viu com a rola do negão enterrada em meu cú. Rapidamente, numa orgia, todos entraram na festa.

Carlos saiu de meu cú e se posicionou na minha frente, fazendo eu limpar sua pica com minha boca. Mark foi para seu lugar em meu cú e Luize era enrabada por Frank. Os dois machos nos posicionaram para que a rola de Carlos fosse chupada por mim e Luize. Delícia, dividir uma rola com minha esposinha. Adoro beijá-la com uma pica em sua boca. Luize aproveitava para bater uma punheta pro Carlos e ora colocava a pica em sua boca e ora em minha boca. Meu pau apesar de duro não escapava da calçinha fio dental. Mark bombava forte e quase me empurrava com seu peso. Suas bolas batiam em minha bunda. Luize era devorada por Frank!! Acho que trepamos por mais de 2 horas, pois Luize recebeu rola de tudo quanto foi jeito e eu, após Mark ter me comido, foi se deliciar com minha esposa. Frank experimentou meu alargado cú. Demais!!!

Saímos de lá saciados, com dinheiro e prontos pra saciar nossos clientes no mês seguinte, quando eles retornariam para o Brasil outra vez.

Lógico que o telefone de Carlos foi anotado em nossa agenda!! Para ele, apenas o prazer seria cobrado!!!

 

Gostou? Vote no Conto:

20236 visitas