Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Um dia quente... | Exibicionismo | Acervo de Contos

Um dia quente...

O vestido.



Olá, este é minha primeira vez... escrevendo um conto! hihihhi...

Sou casada, muito feliz no casamento, mas adoro contos sobre exibicionismo sem querer...

Sou oriental, 1m60, corpo normal, eu acho, beirando os 40. Sou bibliotecária e vou sempre ao trabalho de ônibus e metrô.



Vou contar de um dia muito excitante e embaraçoso que aconteceu comigo. Até hoje me excito com o que aconteceu...



Era um dia muito quente do verão de 2012. Muito caloooor, mesmo de manhã. Meu marido tinha me dado de presente um vestido de um tecido bem leve e fresco, não muito curto, na altura dos joelhos, com botões de cima abaixo.

Já havia usado uma vez para ir trabalhar, porém como estava muito calor nesta manhã em especial, resolvi desta vez usar um fio dental e um sutiã especial, que deixa a metade de cima dos seios descobertos. Ganhei do meu marido e usei em poucas ocasiões, todas com ele, pois eram pretos e safadinhos...

Como o vestido não é decotado nem curto, achei que não seria problema e que ninguém, além de mim, saberia o que estou usando por baixo...



Bom, só de colocar o fio dental e o sutiã, já comecei a sentir uma leve excitação. A calcinha é minúscula e com uma renda bem fininha na frente, totalmente transparente, aparecendo meus lábios... O sutiã não cobre nada, deixa os bicos todos para fora, mas mantendo meus seios juntos, valorizando meu decote...



Coloquei o vestido por cima e me senti ao mesmo tempo segura e vulnerável. O vestido é de um tecido fino, e os bicos dos meus seios apontavam como se fossem rasgar. Felizmente o tecido é estampado e não era fácil de perceber, somente olhando com atenção. Por estar com esse sutiã safadinho, resolvi fechar os botões até o último, que normalmente deixo aberto pois o vestido é meio justo em cima. Mas consegui fechar e o último botão de cima parecia que ia arrebentar...Coloquei um sapato de salto médio, respirei fundo, e chamei o elevador...





Sair na rua de fio dental e metade dos seios pra fora, mesmo que cobertos por um vestido, foi uma coisa... Meu coração bateu acelerado, me sentia safadinha e com um segredo... hihihhi...

Andando até o ponto de ônibus parecia que tava todo mundo olhando para mim... São uns 3 quarteirões que eu ando todo dia, mas nesse dia em especial pareciam uns 10...

Chegando no ponto, fiquei torcendo para que o ônibus viesse vazio, ou com pelo menos um lugar para sentar... Nada, fiquei de pé, mas ao menos não estava lotado, com esses tarados que ficam querendo se esfregar.



No sacolejo do ônibus percebi os botões do meu vestido querendo abrir, resolvi colocar a pasta que sempre carrego pro trabalho na frente deles, pois me sentia exposta. Ao chegar no metrô, naquela correria desse povo apressado, no empurra-empurra, um ferro da minha pasta prendeu no segundo botão, e este arrebentou e caiu!

Desci do ônibus e analisei o estrago e vi que o ultimo botão continuava firme e forte, porém ficou meio ridículo o ultimo e o antepenultimo fechados e uma abertura enorme entre eles, que mostravam meu decote. Pensei em voltar para casa e me trocar, mas estava atrasada, e resolvi simplesmente desabotoar o último. Olhei ao redor e não vi ninguém me secando, e resolvi entrar no metrô. O botão que deixei fechado fica na altura dos meus bicos mais ou menos, evitando que eles apareçam mas mostrando um decote que normalmente não costumo usar na rua, pois sou muito recatada e envergonhada normalmente. Parecia indecente para mim, mas acho que não é nada comparado com muitas mulheres por aí...



Ao entrar no vagão fui logo para o canto torcendo para ninguém prestar atenção em mim. Mas conforme as estações passavam, mais gente entrava, até que um senhor de cabelos grisalhos acabou bem de frente para mim. Fiquei sem saber se me virava de costas, se colocava a pasta de novo, porém fiquei com medo da pasta prender novamente e arrancar outro botão. O homem grisalho não tirava os olhos do meu decote. Eu não sabia onde enfiar a cara de tanta vergonha. Me sentia exposta e desnuda apesar de estar mostrando somente o decote. Meus bicos eram totalmente visíveis pois o homem estava bem próxima a mim, podia sentir a respiração dele. E podia sentir os olhos dele secando meu decote e os bicos dos meus seios furando o vestido. Ele parecia ao mesmo tempo desconcertado e excitado vendo os meus biquinhos...



Finalmente cheguei na minha estação e saí correndo para a rua, e logo cheguei no meu trabalho... Aliviada, só queria sentar na minha cadeira e fazer meu trabalho, a salvo e sem ninguém me olhando...



Ao chegar no trabalho, surpresa: Estavam realocando toda uma área e eu ia ter que passar o dia ajudando na ordenação dos livros... Eu tinha esquecido! Isso significava ficar o tempo todo de pé, pra lá e pra cá, e pior: Lidando com os carregadores... homens... dois... ai, que vergoooonhaaa... que dia pra por um vestido fino, fio dental e sutiã com seios a mostra e com os dois botões de cima abertos!



Minha chefe já estava adiantando o trabalho, e já tinha colocado a escada para alcançar os livros da prateleira de cima... Quando vi a escada já gelei: Estou de vestido! Minha chefe ao me ver já me chamou: "Me ajude aqui com os livros... Menina, você veio de saia justo hoje? Tudo bem, eu peço pra outra pessoa pegar os livros de cima, você cuida de catalogar..." Ufa!



Um dos carregadores subiu na escada e me passava os livros pra eu catalogar. Conforme o trabalho andava, ele demorava cada vez mais para me entregar os livros, como se estivesse tomando cuidado demasiado com os livros... Foi aí que me toquei, ele estava em cima, com uma visão privilegiada do meu decote! "Que safado!", pensei. De cima ele ficava olhando meu vestido aberto, felizmente o vestido é justo e (eu acho) ele não viu meus seios, somente o decote.



Já estava me acostumando com tudo isso e já nem achava ruim, percebi que o outro carregador de vez em quando babava no meu decote também. Sentia um misto de raiva, vergonha e um fundo de excitação com tudo isso... Lembrando hoje sinto mais excitação que outra coisa, hihihihihi.... Escrever este conto já me deixa molhada...



Já era hora do almoço e assim os carregadores foram almoçar, assim como minha chefe. Resolvi terminiar tudo logo para poder ficar tranquila em minha mesa. Também estava preocupada com meu decote e com vergonha de sair na rua ao meio-dia quando a rua está mais cheia.



Como haviam alguns livros ainda em cima, não vi problema em subir, pois não havia ninguém mais na biblioteca. Assim eu mesmo subia, pegava o livro, descia, catalogava e embalava. Até que...







Já estava acabando, quando ouvi os carregadores entrando novamente. Estava pegando os últimos livros e lembrei que estava de fio dental, resolvi descer antes que eles entrassem. Foi nessa hora que meu sapato prendeu na escada e me desequilibrei, derrubando os livros e caindo da escada...



Ao ouvir o barulho, os dois carregadores e minha chefe vieram correndo... Não sei como era a visão deles, mas quando caí, meu vestido prendeu na escada, acabou me virando e caí de pé, com o vestido na altura da cintura, com a bunda completamente exposta de fio dental... E bem nessa hora entram minha chefe e os dois carregadores... Não vi a cara deles de imediato, pois minha posição era de costas para a porta, com a bunda totalmente exposta...



Morrendo de vergonha de olhar para trás, resolvi tentar abaixar o vestido de qualquer jeito. Isso fez com que a escada caísse e eu me desequilibrasse, caindo de bunda no chão (escondendo minha bunda pelo menos!).

Nessa hora olhei para eles e estavam os dois com os olhos arregaladíssimos, literalmente de boca aberta! Somente minha chefe estava preocupada e me ajudou a levantar e mandou os carregadores terminarem o serviço e pararem de babar... Não sabia se eu chorava, ou ria... Sei que senti um calor nas bochechas, devia estar totalmente vermelha... de vergonha! Lembrando hoje dá uma excitação enorme... Mas no dia foi só vergooooonha...



Ao levantar analisei o estrago: Os dois botões de baixo caíram totalmente, deixando meu vestido aberto até a altura do meio das minhas coxas. Felizmente o terceiro botão na altura dos meus seios estava quase rasgando, mas aguentando firme.

Mas o pior foi que na hora em que eu me desequilibrei, a escada acabou rasgando meu vestido, que é de um tecido fino. O vestido acabou com um rasgo reto no lado direito começando da barra até quase a cintura, pouco acima da coxa, na altura da lateral da calcinha. Ao colocar minha perna direita para a frente, aparecia minha calcinha... ou melhor, meus pelos e labios, pois ela é muito transparente e pequena... AO colocar a perna esquerda pra frente, aparecia metade da minha bunda!



Ao ver meu estado minha chefe me liberou para ir para casa mais cedo. Perguntou se eu queria uma blusa emprestada, mas pensei que não ia adiantar, já que o problema era embaixo... Pensei em pegar um taxi, mas estava sem dinheiro, e passar no banco só pioraria as coisas... Imaginei que por ser duas da tarde o metrô e o ônibus estariam vazios e resolvi ir embora como sempre vou.



A ida até o metrô foi a pior da minha vida. Cada passo que eu dava aparecia a calcinha... Ou melhor, aparecia tudo... Eu andava segurando a lateral da saia, mas segurar minha pasta, minha bolsa e o rasgo do vestido ao mesmo tempo não era fácil.



Entrei no metrô e ao descer as escadas um homem vinha subindo, ele simplesmente parou e ficou me comendo com os olhos... Deve ter tido uma boa visão das minhas coisas... Ao passar por ele escutei um assobio! Senti minhas bochechas queimando de novo... Entrei no vagão achando que estaria a salvo... Porém havia um bando de estudantes de colégio que a princípio não me notaram. Como haviam cadeiras me sentei e ao fazer isso, meu vestido rasgou mais ainda até minha cintura! Um dos colegiais percebeu e ficou olhando direto! Acabei colocando minha bolsa para tentar disfarçar. Logo entrou um homem e sentou bem na minha frente. Percebi que ele tentava olhar minha calcinha, pois sem os dois botões de baixo, deviam estar visiveis. Fechei bem as pernas e tentei segurar a saia fechada. Com isso acabei me abaixando e devo ter dado uma boa visão ao homem da frente, que continuava olhando. Por instinto acabei colocando a pasta na frente dos meus seios... Foi quando lembrei do ferrinho da pasta, tirei correndo e o pior aconteceu... O terceiro botão caiu e meu seio direito pulou pra fora... O homem arregalou os olhos e eu coloquei meu seio pra dentro e tentei fechar o vestido, sem sucesso...



Agora estava na pior situação possível... Ou tentava esconder em cima ou embaixo, os dois eu não conseguia... Me levantei e acabei chamando a atenção dos colegiais e do homem a minha frente... O homem viu meu botão estourando e veio conversar comigo perguntando se estava tudo bem comigo... Eu só queria sumir, desaparecer...



Vou parar por aqui pois estou ficando excitada e molhada... No dia fiquei com muita vergonha, mas hoje, relembrando, só consigo sentir excitação e relembrar o dia me faz gozar rapidinho...



Continuo o relato de como cheguei em casa depois, mas se alguém quiser imaginar e me escrever, adoraria! Procuro pessoas para conversar e fantasiar sobre situações parecidas, se você gosta por favor me escreva: safadinhajapa@hotmail.com

 

Gostou? Vote no Conto:

40829 visitas