Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Travesti, minha esposa e eu | Diversos | Acervo de Contos

Travesti, minha esposa e eu

Minha esposa trabalha como manicure. Tá sempre trabalhando no salão ou atendendo nas residências. Faz tempo que trabalha num salão perto de casa, trabalha sempre nos finais de semana até tarde, como a rua e meio escura, sempre vou buscá-la pra tentar diminuir os riscos de assalto. Há mais ou menos uns três meses começou a trabalhar no salão um travesti, que a princípio não parecia ser. Era tão feminina que a primeira vista achei que fosse uma mulher de verdade, muita bonita, que perfeição de corpo, cabelos lindos, cacheados longos, olhos grandes e claros, meio castanho, perto de 1,70 de altura. Dei aquela olhada básica pra apreciar o material, minha esposa percebeu e deu uma risadinha, perguntei por ela estava sorrindo, dai que a gargalhada ficou maior; ela me perguntou;-Você não percebeu nada, Como assim? respondi. Não viu que a novata na verdade é novato. Admito, fiquei surpreso, mas aquela/e me deixou excitado. Minha esposa percebeu e transamos bem gostoso naquela noite, ela até me fez imaginar a transa com a Samanta, vamos chamá-la assim. Foi demais.

Os dias foram passando e fomos nos tornando mais conhecidos. Como moramos perto do salão e tem espaço pra uma festinha, os churrasco do meio de semana, já que o pessoal de lá não tem folga nos finais de semana, é na minha casa. Samanta ia em alguns desses churrasco, até que foi ficando mais intima da turma e começou a mostrar seus dotes culinários, sempre aparecia com uma receita nova, passou a ser a atração da festa. De vez enquanto ela ficava até mais tarde pra ajudar a limpar a casa, e foi numa dessas vezes que aconteceu a noite perfeita de sexo.

Samanta ajudou minha esposa com a louça enquanto eu arrumava a área que estava uma bagunça. Eu estava vestino uma bermuda e como só estamos os três tirei a camisa, minha esposa vestia um vestido soltinho e sem sutiã, tava uma delicia. Samanta vestia um vestido mais coladinho e mostrando suas curvas, tipo tentação.

Sentei num sofá velho que temos no quintal, passou pouco tempo Samanta sentou ao meu lado e me pediu um cigarro, ficamos ali fumando e falando sobre a vida, mas eu não parava de olhar pra ela. Minha esposa saiu do banho e veio com uma latinha de cerveja na mão e acabamos tomando a cerveja a três. Pra minha surpresa, surpresa mesmo, de repente minha esposa perguntou pra Samanta se ela já havia transado com um casal inexperiente como nós. Samanta diz que sim. Minha esposa deu um pulo no sofá, sua respiração parou e depois voltou ofegante, ela correu e foi buscar mais cerveja, voltou e ficou quase sentada no meu colo. Começou um interrogatório sobre o assunto, Como foi, quando foi, onde foi. O papo tava animado e eu também, minha esposa percebeu e começou a se esfregar no meu pau, que a essa altura estava pra lá de duro. Samanta percebeu e começou a entrar numa brincadeira de saber até onde minha esposa tinha coragem de chegar.

Samanta pediu pra ver os seios da minha mulher, não foi difícil a convencer mostrá-los, minha esposa pediu pra ver os de Samanta também, que prontamente foi tirado pra fora, sensacional, minha esposa quis pegar naquelas maravilhas, não resisti e levei a mão também, levei um tapa na mão e uma bronca da minha esposa. Samanta convenceu minha esposa a beijar eu tocar naqueles peitos lindos, foi uma sensação inexplicável, pela primeira vez eu estava fazendo uma coisa que sempre foi contra a tudo que eu pensava. Nossas emoções estavam fora de controle. Samanta pegou a mão da minha esposa e colocou a no meio de suas pernas, na hora eu pirei, quase gozei na cueca. Minha esposa rebolou gostoso no meu pau e começou a massagear a caralho de Samanta. A essa hora eu já estava com a mão dentro da calça da minha mulher, começou a acariciar o grelinho dela, Samanta se aproximou e começou a beijar minha esposa no pescoço e foi em direção da boca, Ela não resistiu e se deixou levar. Com a respiração ofegante e com a mãos ágeis ficamos nos excitando por algum tempo ali no sofá. Samanta se levantou e bem devagar foi tirando a calcinha, minha esposa levantou a saia de Samanta e viu aquele pênis duro e sem demora começou a chupá-lo bem devagar na cabecinha, como se estivesse degustando o melhor sorvete do mundo, Eu continuava masturbando minha dona. Tirei sua calcinha e comecei a penetrar bem devagar, nunca vi minha mulher gemer tanto, sua pele ficou toda arrepiada, a coloquei de quatro e comecei a socar mais forte enquanto sua boca era preenchida por aquele cacete. Vi minha esposa guazando freneticamente, chegou a perder as forças por alguns segundos, Samanta se abaixou e começou a me chupar, que chupada, nunca tinha sido chupado daquele jeito por nenhuma mulher na vida, minha esposa ficou só assistindo, não demorou muito e eu também gozei, cai sentado no sofá quase desfalecido. Nos recuperamos e começamos a massagear Samanta, que se deixou ser beijada na boca por mine minha esposa, foi um beijo a trés, nos abraçávamos bem ardentemente. Meu pau, que voltou a endurecer de novo, roçava no pau dele, minha esposa pegou no pau de Samanta e começou a masturbá-lo, passei a ficar atrás de Samanta, comecei a acariciar suas nádegas, que bunda durinha, delícia, Samanta começou a rebolar no meu pau, que aos poucos foi entrado no seu cuzinho. Meu pau penetrou tudinho, Samanta gemia muito. Eu Ficava segurando na cintura de Samanta pra poder ter mais apoio e poder socar forte, minha esposa pegou minha mão e colocou no pênis de Samanta, que imediatamente comecei a masturbá-lo, Samanta gozou na minha mão, que loucura. Nos descansamos um pouco sentados no sofá. Minha esposa percebeu que meu pau ainda estava duro e começou a chupá-lo, Samanta não resistiu e vaio participar junto dela. Elas se beijavam e chupavam meu pau ao mesmo tempo, um calor foi subindo pelo meu corpo e gozei demais, as duas beberam meu leite quentinho e ainda se beijaram, que cena mais doida. Só tinha visto isto em filme pornô.

Samanta foi embora. Entrei no banho, minha esposa entrou em seguida e sem falar um a, começamos e transar de novo, terminas nossa transa na cama, dormimos bem agarradinhos.

Samanta nos visitou mais algumas vezes e depois se mudou pro Rio de Janeiro, nunca mais nos vimos, Saudades.

 

Gostou? Vote no Conto:

120514 visitas