Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Tirei a virgindade com meu primo | Diversos | Acervo de Contos

Tirei a virgindade com meu primo

Olá, meu nome é June, branquinha dos olhos azuis esverdeados, cabelos  bem loiros naturais, corpinho de academia e natação. Seios médios, mas bem durinhos, bumbum arrebitado, e por conta de quadris largos, ele também é bem grandinho, coxas proporcionais. 1,70 de altura, 54kg.

Cresci com um primo que era 2 anos mais velho que eu. Ele não era lá essas coisas, mas eu me atraia bastante por ele. Matt, como eu gostava de chamar, era um moreno dos olhos verdes, magro, mais alto que eu, enfim... mesmo não sendo um Deus, me deixava com bastante tesão.

Ficavamos rolando um por cima do outro, como quem estava brincando para nossas mães não perceberem. Ele estava sempre me abraçando por trás, e eu sempre me roçava nele. Selinhos e fungadas na nuca, agarrando os cabelos esse tipo de coisa. Aos 14, eu estava uma deliçinha como ele sempre me chamava. Adorava provocar o Matt, um dia acho que passei da conta. Ele me agarrou e me levou pra trás de uma arvore, ficou beijando meu pescoço ferozmente, passando a mão na minha xoxotinha, e eu imitava seus movimentos, gemendo. Ele começou desabotoar minha blusa, mas nossas mães chegaram e corremos para nos arrumar, aos risos. Mas nossos olhares mostravam nosso tesão. Mas não era só íntimos nesse aspecto, era muito amigos também, compartilhávamos TUDO que acontecia em nossas vidas, desde rompimentos com namorados(a), lições de casa até ?bati um sirica pensando em você ontem.? Não tínhamos vergonha de quase nada. Depois daquele dia na arvore, não pudemos ter mais daqueles momentos assim, tão calientes. Só a sacanagens que ficavam cada vez melhores. Mas então quando ele tinha 19, que estavam começando a ficar com os braços fortes, teve que se mudar para outra cidade. Ah, que tristeza a minha, chorei e chorei, chorei mais por ter perdido meu melhor amigo, alguém que eu amava e que me entendia,  do que pelas brincadeiras, eramos muitos ciumentos com aquelas vezes que dizíamos que havíamos ficado com alguém noite passada entre outros. No dia da despedida, ele e sua família dormiram na minha casa, pois a deles já tinham sido vendidas, lembro-me bem, do meu short e minha camiseta (pijama)ambos curtinhos, estava penteando tentando prender o cabelo quando, Matt, abriu a porta do banheiro.

-Matt ! O que esta fazendo?

-shhhh deliçinha ! Eles vão escutar.

Ele veio passou a mão pela minha nunca, agarrou meus cabelos e me deu um beijo na boca, nunca havíamos passado de selinhos. E receber aquele beijo faminto. HMMM, que delicia aquela boca. Fiquei toda molhada, com aquelas caricias, quando ele ia enfiando a mão debaixo de meu shortinho. Mas então ele parou. 

-Deixamos o melhor para a próxima vez, priminha.

-Você vai se mudar em mudar em uma hora, matt.

Lembro de sentir lágrimas escorrendo pelas minha bochechas. Ele veio até mim e enxugou minhas lágrimas com a mão.

-Hey, delicinha, não se preocupe, essa não vai ser a ultima vez que nos vemos. ? Ele me abraçou.- Eu te amo.

-Também te amo Matt.

Foi a ultima vez que o vi, ele foi embora, sem se despedir. 

Semana passada recebi um telefonema.

-ALÔ !

-Alô quem é?

-Que que isso, não me reconhece?

-Quem é??

-Sou eu delicinha...

-AAAh- dei um gritinho estridente- Matt, você trocou de celular e não me avisou, nosso único contato. Meu Deus, estou tão feliz onde você está?

-Eu sei me desculpa prima, eu perdi o celular. To chegando ai. 

-Aqui em casa?

-É, ta indo todo mundo, a tia não te avisou?

-Não!, aah Matt que saudades.

-Hmm delicinha, não fala assim. Você sabe que eu não resisto a essa vozinha de dengo.

Eu ri.

-Vou desligar, logo chego ai.

-Ta bom.

Corri para o quarto, lembrei de quando ele me falou, que deixaria o melhor pra depois. Fui para o banheiro, me depilei todinha, tomei meu banho, escovei os dentes. Coloquei meu conjunto de renda, só eu sabia como ele tinha uma tara E-N-O-R-M-E por renda, a qual ele gostava de tirar com a boca. Me olhei no espelho, eu estava muito gostosinha, com meu shortinho curto e minha camiseta decotada. 15 min depois, ele chegou. Depois de cumprimentar todos, vi o Matt. Quase cai durinha, ele tinha os ombros largos, os braços fortes, as coxas grossas. E estranhamente, aquele corpo cai muito bem, em sua blusa xadrez e seu boné. Seu sorriso estava ainda mais lindo, e destacava sua pele morena. Ele veio ao meu encontro, me abraçando.

-Aah, Matt que saudade !

-Delicia! ? Ele NUNCA me chamou de DELICIA antes. ? Que falta você me faz. 

Dei um pequeno pulinho, e enlacei minhas pernas nos seu quadris, para que ele segurasse minha coxa. Senti os olhares de meus parentes sobre nós. Quando me soltei do abraço virei e vi, meus pais e tios sorrindo.

- Nunca vi primos tão chegados. ? Meu irmão falou.

Matt deu um sorrisinho maldoso. Depois que eles estavam devidamente instalados, soube que iriam voltar a morar por aqui, no mesmo bairro. Enquanto eles comiam alguns petiscos, Matt e eu fomos pra trás da casa. De repente, quando ninguém podia mais nos ver, ele me prendeu contra a parede e começou a beijar meu pescoço.

- Seu cheiro me deixa louco.

Ele fez meus pés se erguerem do chão, literalmente.

-Oh, Matt.

-Hoje June, eu vou te comer inteirinha. 

-Vai? Eu duvido cheio de gente aqui. 

-HMMMM... ESSA VOZ. ? Ele me beijou agarrando meu cabelos com brutalidade, em quando minhas pernas estavam enlaçadas na sua cintura. ? Vamos para outro lugar.

Avisamos que íamos dar uma voltinha, para ele relembrar a cidade. Eles nem ligaram.

-Da pra gente ir a pé.

-Pra onde?

-Pro meu apartamento.

-Você vai morar sozinho??

-Vou. 

Quando entramos em seu apartamento, ele perguntou:

 -Ta pronta, priminha?

-Sempre.

Ele me fez dar uma volta.

-você ta uma delicia. É uma pena que não vi você  se desenvolver.

-Pode ver agora.

Me joguei nos braços do meu primo, ele foi me levando até o quarto, me colocou em cima da cama. Eu sentei em cima dele e comecei a beija-lo. Pra cima e pra baixo me esfregando nele louca pra ser invadida, podia sentir seu pau durinho. Ele tirou minha camiseta.  Quando viu meu sutiã de renda foi a loucura.

-Você ta me provocando.

-SÓ PRA VOCÊ QUERIDO.

Ele se jogou contra meus seios, e rancou o sutiã com as mãos e chupou meus biquinhos durinhos, enquanto eu gemia bem alto de prazer.

-Ta gostando não é, sua safada?

-OOOH, demais.

Ele foi descendo dando beijos molhados até meu short, o qual tirou com facilidade, enquanto tirava suas roupas, deixando sua cueca box preta a mostra . Quando viu minha calcinha, pude ver seu pênis latejar de tesão. Não me contive, me lancei, sobre a cueca e  abaixei. Começei das bolas só com lambidas, mas então, quando cheguei na cabeça, engoli o max que pude dos 20 cm. Lambi com vontade, sugando como um aspirador de pó, mordiscando de leve, raspando de leve os dentes, pressionando a cabecinha com a língua, era uma delicia dar prazer ao Matt. Ele fechava os olhos, e sugava o ar entre os dentes. Me deixava louca. Me fazia chupar com mais vontade.

-Vou gozar! ? anunciou.

Ele gozou tudinho na minha boca, e eu não deixei escorrer nem um pouco engoli tudo. Era tão gostoso.

Ele me jogou sobre a cama, e foi lambendo dos pés, até a virilha, com os dentes, ele Foi tirando a calcinha molhadinha.

-Hm isso, vai. Oh, matt.

Ele caiu de boca, chupando meu grelinho, enfiando a língua até onde podia. Acariciando todo meu corpo todo. Ai que tesão. Seu pau já apontava pro céu. Ele ficou passando a ponta do pau, na entrada da minha buceta. Fiquei louca e goze muito, mas eu queria mais.

-Matt, eu sou virgem...

-O que??? ? ele arregalou os olhos.

-Fiquei me guardando pra você, meu amor.

-OOh, June, não me provoca.

-Sei como vc adora uma virgem.

Ele foi ao delírio. Puxou minhas pernas pra ele, e começou a introduzir, doeu pra caralho, sem dó nem piedade, ele enfiou tudo, quase morrei, 1 minuto depois, ele começou a bombar devargazinho, depois com mais força, sentia o saco dele bater com violência no meu cu. Foi aumentando o ritmo.

-HHHHHHHMMMMM, ÉÉÉÉÉÉÉÉ, AI MATT, QUE GOSTOZO, ISSO! VAI, VAI MAIS RAPIDO. METE NA SUA PUTINHA.

-OOOOOOOOOOOOOOOH, MATT, VOU GOZAR, VOU GOZAR.

Ele estava indo tão rápido que eu BERREI de prazer, tive um orgasmo duplo, e ele gozou até não poder mais.

-HHHUUUMMM delicinha. Você é incrível. 

Tinha sangue na cama, então fomos pro chuveiro. Lá, fiquei masturbando ele de levinho.

-June ? ele acariciou meus cabelos. ? Nunca quis tanto alguém assim. Você foi a mulher mais gostosa com que fiquei em toda minha vida.

-Oh matt, se você soubesse o que provoca em mim. Eu te amo.

-Também te amo Matt.

Tranzamos novamente no chuveiro, depois eu calvaguei em cima dele no sofá e depois ele me comeu por trás. Nunca tive tanto prazer.









Por hj é só,  da próxima vez conto como foi quando ele comeu meu cu.

Beijos e gozos.

 

Gostou? Vote no Conto:

60272 visitas