Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Tesão dos pés aos lábios | Diversos | Acervo de Contos

Tesão dos pés aos lábios

Tesão dos pés aos lábios

Nós, garotas adolescentes vivemos em época moderna de TV, Internet, DVDs e outros veículos de informação. Acredito que as garotas de minha faixa etária sabem o que sei sobre sexo e... praticam.

Sou uma adolescente com muitas colegas e poucas AMIGAS: Apenas três. Uma delas de 29anos, Julia, experiente, com quem aprendo tudo do gostoso e deslumbrante universo erótico.

Na casa dela (que mora sozinha) ocasionalmente ficamos nuas sem nos tocar. Vejo os ?brinquedos? que ela usa, sem eu usar. Assistimos filmes de sexo e às vezes cada uma se masturba.

Um dia, chegando à casa dela, fui apresentada a um rapaz que balançou minha estrutura erótica de tão maravilhoso e sexy que era. Contive-me e cumprimentei-o naturalmente.

Sentei no sofá notando o olhar de Jonathan (seu nome) para meus pés que, com rasteirinhas, estavam à mostra.

Em dado momento Julia, alegando ter matéria para terminar em seu computador, retirou-se. Jonathan, vidrado em meus pés disse: Meu fraco são os pés de uma mulher e nunca vi tão bonitos quanto os seus.

Não entendi: Tão belo e absurdamente sensual ter como fetiche os pés das mulheres. Sorri e disse: ?Estão livres para seu olhar.? E ele perguntou: Posso senti-los em minhas mãos? Parecem tão sedosos!!! Controlei-me mas... Tirei a rasteirinha do pé direito e disse: Só um toque, de leve! Ele o acariciou de forma gostosa, sensual!!! Acho que ruborizei tamanha a sensualidade de suas mãos.

Elegante, não avançou o sinal, apenas passou a mão sobre meus cabelos e disse olhando fundo em meus olhos azuis: ?Obrigado! Você me fez tremer com seu corpo lindo e pés tão sensuais!. Posso vê-la novamente?? Como estava inebriada, respondí: Aqui, na casa de minha amiga, sim. Despediu-se com um leve beijo no meu rosto e foi-se deixando minha respiração e batimento cardíacos, alterados.

Conversei com Julia que sorrindo disse: Claro que você pode vê-lo aqui novamente!

E sabe o que estou achando? Que você ficou cheia de tesão e sua virgindade está em risco e vai acabar!

Fui para casa, não pude dormir imaginando Jonathan...NU. Masturbei-me e depois dormi. Passados dois dias, Julia convidou-me para um café após as aulas. Avisei meus pais que, como nada suspeitavam, concordaram. Fui de mini saia, calcinha, sem sutien e de rasteirinhas. Chegando lá, ele já estava e minha amiga logo disse: tire suas rasteirinhas que o piso foi encerado (????) (Tudo facilitado, pensei!).

Sentei-me ao lado dele, Julia desculpou-se dizendo que tinha que ausentar-se por uma hora mais ou menos e nos deixou. Jonathan, com seu rosto bem próximo ao meu, pediu que colocasse meus pés sobre seu colo, o que fiz. De forma gostosa e excitante, Jonathan começou a acariciá-los e... fui amolecendo. Ajeitando-me no sofá, dobrei uma das pernas o que o fez levar uma das mãos até a metade da parte interna de minha coxa, sempre com muito carinho. Não protestei e ele continuou. Começou então a ?passear? sua mão até bem próximo à fonte do prazer. Ofegante e excitada, não oferecia resistência àquele deus erótico.

Queria muito que direcionasse seus dedos até meu clitóris e me masturbasse tamanha era minha vontade de ter aquele ?tesão? fazendo-me explodir em gozo nunca tido antes. Mas, cauteloso e elegante, não progrediu. Olhei fixo para ele e pedi um beijo. Noosssa! Foi gostoso demais! Inesquecivel!

Pegou minha mão e direcionou ao seu membro ereto. Resisti. Afinal, havia uma virgindade em jogo.

Carinhosa e suavemente apalpou um de meus seios. Daí para abrir minha blusa e abocanhá-lo foi estonteante. Que delícia!!! Uma das mãos já apalpava levemente minha calcinha sobre a ensopada vagina. Que gostoso!!!! Estava descontroladamente nas nuvens!!!

Não resisti e apalpei seu pau sobre a calça que já mostrava sinais de umidade. Sentia-me descontrolada e pedi que tirasse sua camisa: ?Nossa!!! Que tórax!!! Levei minha boca até seu mamilo e os lambi com suavidade. Pensava em minha virgindade enquanto prevalecia o impulso carnal que nos dominava. Tudo que fazia era levar à prática as ?aulas teóricas? de minha amiga obedecendo os mandos de meu corpo invadido por uma excitação avassaladora.

Ele mamando em meu seio, acariciando minha fonte do prazer levando-me à loucura enquanto eu apalpava seu mastro era toda uma situação que nos conduzia à nudez e ao ato sexual. Só que, de repente levantou-se, abaixou a calça e cueca e, estirado no sofá, pediu meus pés e com eles fez um sanduiche em seu mastro movimentando-os para cima e para baixo (masturbando-se com meus pés), com muito carinho. Aconteceu o esperado: gozou jatos fortes de leite do amor. Lambuzou meus pés e com cuidado, usando sua cueca os limpou. Em seguida, para minha surpresa chupou deliciosamente o dedão do pé esquerdo e a seguir do direito. Nunca, nunca mesmo pensei que tal ato fosse tão excitante! Queria mais, voluntariamente fiquei nua, deitei no sofá e pedi mais amor. Jonathan deitou sobre mim, colocou seu mastro sobre minha vagina, virado para baixo e começou a roçá-la com movimentos para cima e para baixo. A fricção de seu pau em meu clitóris e nos grandes lábios levou-me à explosão tão desejada: gozeeeeei, gritaaaando!!

Acho que arranhei suas costas e logo a seguir, nos levantamos, fomos ao banheiro, nos lavamos e vestidos voltamos ao sofá. Beijamo-nos gostosamente e esperamos minha amiga que logo chegou. Ao ver o brilho em nossos olhos, e com uma cara de safada, pensou: ?Um galo comeu uma galetinha?.

Por hoje chega, a parte II virá breve ? Tchau!!!

Autor: Grilenko.

 

Gostou? Vote no Conto:

20685 visitas