Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Realizando uma fantasia antiga | Diversos | Acervo de Contos

Realizando uma fantasia antiga

Conheci lili na internet num site de relacionamentos, e era para ter sido apenas um complemento em nossas vidas vazias de carinho com nossos parceiros efetivos. Conversamos a noite toda e combinamos de nos encontrarmos logo no dia seguinte, em uma cidadezinha próxima, bem entre as cidades em que ela e eu moramos.

Ela nao me fez esperar muito. Logo vislumbrei seu gol da cor vinho, e pela descrição e pelo modo como ela se portava, como que procurando alguém, deduzi que era ela, a loura com quem eu tinha virado a noite toda no msn messenger.

Saimos dali e nos dirigimos a um local mais ermo, para evitar olhares curiosos e indesejáveis. Pedi que ela me seguisse e ao descer do meu carro e me aproximar dela, ainda sentada na direçao, deparei com uma visão maravilhosa de cima para baixo, que não fiz nenhuma menção de disfarçar.Um olhar lindo, o rosto maduro e jovial, exalando sensualidade.

Ela tinha saido de casa disposta a tudo, cair matando: com um decote generoso, a pele morena, cor de cobre, um par de seios volumosos sem chegar a serem exagerados, simplesmente maravilhosos.



Como ja tínhamos conversado tudo na noite anterior, nos cumprimentamos rápidamente e seguimos em direção a um motel em minha cidade.

Lá chegando, conversamos mais um pouco e nos beijamos docemente...que beijo diferente da maioria das mulheres..ela parece estar sorvendo meus lábios com os dela, numa suavidade pouco encontrada em muitas mulheres....partindo do beijo, todo o resto, todo o gestual dela induz a que eu me esmere em suavidade em cada toque, como se tivesse nas mãos o mais precioso dos cristais.

...Mas onde havia toda esta sensibilidade também havia firmeza de propósitos, personalidade forte

.Ela sabia o que queria e nao deixava para depois.

Ainda na sala de bate papo, quando a abordei, eu perguntei se era casada e ela afirmando que sim, eu retruquei que a deixaria a vontade pois era casada e séria e que eu, embora casado, estava procurando uma namorada, ela de pronto me respondeu perguntando:_ E quem disse que mulher casada nao namora?

Daí, deste primeiro encontro, em que nos revelamos que só queríamos nos divertir, buscando fora o que nao tinhamos em nossos casamentos todas as noites conversavamos até a exaustão pela madrugada e continuamos a nos encontrar cada vez mais amiúde, mudando o tom de nossa conversa. até nos declararmos apaixonados e começarmos a fazer planos para o futuro.

E no meio de nossas conversas fomos nos descobrindo um ao outro , em nossos labirintos mais profundos e percebi, que ela tinha necessidade de curtir certas fantasias que ela ja trazia dentro de si e ate outras que cultivara navegando pela internet atravéz de contos ou videos sensuais.

Uma destas fantasias era a de curtir dois homens ao mesmo tempo. Mas ela precisava encontrar alguém em quem confiasse plenamente, pois se entendemos que já é dificil para uma mulher se entregar aos carinhos de um homem apenas até ter confiança neste homem, imagine para uma mulher acostumada ás rotinas conjugais bem ortodoxas, sair em campo e por em prática uma empreitada ousada com esta, de se lançar a mercê de um homem práticamente desconhecido, no meu caso e, a outro absolutamente desconhecido.

Eu tinha então uma grande responsabilidade nas mãos. Não se tratava apenas de contatar um conhecido e convida- lo para realizar a fantasia dela fazendo um menage masculino.



Tinha a considerar a minha segurança pessoal e a dela, levar alguém que tivesse o mesmo perfil que o nosso

a nivel de relacionamento pessoal, se nao fumava, nem bebia em excesso e o mais importante

que após o ocorrido, não fosse ficar assediando ela para sairem apenas os dois, formando um novo par...Esta era a parte mais difícil. Era pegar ou largar. Se, se entra na chuva é para se molhar. Era um risco que eu teria de correr. Então lembrei me de um amigo antigo, e resolvi apostar nele. Passei a prestar atenção quando ia à cidade para ver se o encontrava.

Certo dia estacionei o carro na cidade justamente ao lado do dele que por acaso acabara de chegar e conversei com ele, contei sobre nossas intenções e que ele poderia perfeitamente participar conosco que tinha minha aprovação e que eu o apresentaria a ela para ver se rolava empatia para então consumarmos o ato.

Ele aceitou de pronto e eu comentei com ela na mesma noite.

Marcamos para um sábado a tarde, num hotel fazenda, o qual já conheciamos de algum tempo.

pouco movimentado, e com uma grande área deserta, inclusive trilhas por dentro da mata que iam de uma cidade a outra, grandes pastos e uma mata considerável.



Fomos para lá em nossos carros, estacionamos, fiz as apresentaçoes, demos uma disfarçada, batemos um papo, tomamos uma cerveja e saimos como que para passear pelo campo.

Eu estava mais tranquilo, mas o nervosismos dos dois era evidente. Ele, imagino eu, por não saber até onde poderia ousar com ela, ja que não se tratava de uma puta qualquer. Era a namorada do amigo dele; ela , por ser a primeira vez que ousava tanto e se permitia ir tão longe em suas fantasias.

Enfim, os dois estavam em mimhas mãos e pela consideração por um e por outro eu tinha a missão de fazer com que tudo rolasse da melhor maneira possivel, saindo todos, inclusive eu, satisfeitos dalí.

Logo que nos afastamos da sede, ela entre ele e eu, já peguei o braço dele e coloquei em cima do ombro dela, indo então os dois abraçando ela pelo caminho.

Nos distanciamos mais um pouco e adentramos por uma trilha que dava numa clareira bem no meio da mata fechada.Paramos e, ainda de pé, fiz com que ela ficasse entre ele e eu, e puxei ele para a frente de modo que pudessemos dar um beijo em cada lado do rosto dela. Daí beijei sua boca delicadamete e ato continuo ageitei de forma que ele a beijasse na boca tambem enquanto eu deixava livre seus seios e pegava a mao dele que estava na cintura dela e colocava gentilmente um seio na mão dele, enquanto eu sugava o mamilo do outro seio...deixando de beijar sua boca ele foi beijando seu pescoço e eu aparentando naturalidade fui encaixando sua boca no seio que ele ja segurava, ficando assim ele e eu mamando nela.

Enquanto ele sugava os seios dela agora ja mais vontade, fui descendo com a lingua em sua barriga e descendo com a mao ate sua xana, mas pegando a mão dele e tambem posicionando sobre a xana tambem ficando os dois a fazer carinho nela com as mãos enquanto ele a chupava os seios e entremeava com beijos na boca e pescoço.

Ela já mais a vontade, mais solta já ia curtindo, percebendo aqueles dois homens se esmerando em lhe dar prazer.

Logo abaixei seu zipper e soltei suas calças compridas deixando a mostra a minúscula calcinha que ela trajava, que pouco escondia daquele monte tão desejado.

Percebendo que ainda havia hesitação de parte do meu amigo em se soltar mais um pouco, levei a mão dele

junto da minha, as duas mãos a acariciar seus grandes lábios... eu tocava seu grelinho e ele já entrava na abertura do prazer, ambos beijando sua barriga e acariciando os seios hirtos, grandes, roliços, demonstrando a resposta aos carinhos que recebia.

Ele agora tinha se soltado e ela tinha pego confiança nele como pessoa e pelo visto estava já apreciando os seus carinhos.



Chegamos os dois com as bocas lá em baixo enquanto eu sugava o grelo, ele passeava com a lingua no reguinho cor de rosa chegando a adentrar sua xana . Nossas mãos se tocavam vez por outra ao passear naquele corpo moreno, aqueles seios fartos, aquele colo arfando, com todo geito livrei -a das roupas e logo estávamos todos nus, os tres..Deixei meu amigo a vontade lá na xana e subi com o membro a oferecer para que ela o sugasse no que ela de pronto aceitou com prazer.... mas como a idéia era fazer tudo a tres....dei um toque em meu amigo e ele veio oferecer lhe o membro também e ela se deliciava com os dois ao mesmo tempo em sua boca bem desenhada, de lábios carnudos. Nossos membros se tocavam no interior de sua boca , uma delicia a lingua se dividindo em chicotadas em nossos membros seus lábios chupando os dois ao mesmo tempo.

Agora ja dava para perceber a alegria dela, em ter finalmente realizado sua fantasia de tantos anos de ter dois homens a sua disposiçao numa relaçao. Ela beijava ora um, ora outro, na boca, no corpo todo, uma fêmea desvairada, sequiosa de aproveitar cada momento.

Sentava se, acomodando um membro na xana como que cavalgando, enquanto solicitava o outro em sua boca, Depois com naturalidade ia e invertia as posições. Sua sensibilidade feminina nao deixava margem para nem um nem outro sentisse ciúmes por estar sendo mais agraciado numa posiçao ou outra. Era uma cena deslumbrante, maravilhosa. Pegava os dois, um em cada mão e acariciava com todo geito, beijando ora um, ora outro. Ora ia por cima de um, ora por cima de outro encaixando se com suavidade em nossos membros cada um por sua vez, enquanto gentilmente mamava a vara do outro q nao estava dentro de sí.



Então ela se sentou de costas para mim, colocou meu membro em sua xana e deitou-se de costas no meu peito

ofecerendo a xana para meu amigo que prontamente atendeu ao seu desejo. completando seu interior com dois membros ao mesmo tempo.



Agora vinha o momento supremo deste encontro tão esperado. Deitei me de costas para o chão, ela veio e ajustou a entradinha do cuzinho em meu membro fazendo-o deslizar para dentro de si. Acomodou-se de costas para o meu peito deixando sua xaninha toda exposta para meu amigo, que de novo veio com todo carinho

e se encaixou naquele vale cor de rosa, fazendo sumir seu membro em sua gruta. Indescritivel o encontro de dois membros dentro de um outro corpo um por detráz e o outro pela frente.

Agora tinha se consumado o ponto alto de todo menage masculino... a dupla penetraçao. Agora tinhamos certeza de que ela sairia dali repleta de alegria....

Deu vazão a toda generosidade que o corpo de uma mulher pode proporcionar ás sua fantasias.Agora estávamos os tres felizes e realizados em nossas fantasias. De presente, para finalizar, que o sol já se punha, ela acariciou nossos membros ao mesmo tempo e deixamos o fruto de nossos gozos esguicharem na direção de sua boca no que ela ávida e com certa gulodice, sorveu nao deixando uma gota escapar por seus lábios.

.Nos vestimos, ficamos ainda um tempo curtindo beijinhos tenros como se mal tivéssemos acabado de chegar, e quando a coisa foi esquentando de novo, nos levantamos e retomamos o caminho de volta, pois não queriamos pegar a estrada de noite.

Passamos pela sede para nos despedirmos do dono da fazenda, , e seguimos cada um para nossas casas satisfeitos, plenos e felizes.

Meu amigo ficou muito satisfeito por eu ter me lembrado dele para tao deliciosa oportunidade.

Ela e eu ao chegarmos em nossas casas corremos para o computador para trocarmos impressoes sôbre nosso encontro a tres...

Dai foram acontecendo outros e outros, mas ai fica para uma próxima oportunidade .... aí eu conto tá?

.

 

Gostou? Vote no Conto:

15802 visitas