Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Minha cunhada | Diversos | Acervo de Contos

Minha cunhada

MINHA CUNHADA



Sou casado e adoro minha mulher, ela é uma loira muito bonita e gostosa. Quando eu conheci minha mulher num clube que freqüentávamos, fiquei encantado com aquela loirinha de cabelos lisos e corpinho magrinho mas muito sexy, na primeira oportunidade a tirei para dançar e dias depois já estávamos namorando. Como morávamos no interior, logo conheci sua família e sua única irmã que era completamente diferente dela, sua irmã era morena um pouco mais baixa e dois anos mais velha. Com o tempo nasceu entre nós uma grande amizade, porém sempre com respeito. Quando fiquei noivo, minha cunhadinha que estava namorando ficou grávida e teve que casar, por imposição dos pais dela e do namorado. Fiquei sabendo pela minha noiva, que o médico que fez o exame na sua irmã, teria dito que ela tinha engravidado quase sem ter sido penetrada pelo namorado, isto é, ele gozou só com cabeça do pau na portinha de sua bucetinha. Confesso que nunca senti nenhuma atração pela minha cunhada e nunca passou pela minha cabeça em ter alguma coisa com ela. Um ano depois nos casamos e minha cunhada já era mãe e fazia confidências para minha mulher. Ela se queixava que seu marido era um verdadeiro ?cavalo? na cama e além de não dar prazer pra ela, queria comer seu cuzinho quase todos os dias. Minha mulher comentava que sua irmã não era feliz no casamento e nem na cama. Tempos depois mudei-me para outra cidade e minha esposa teve que fazer uma cirurgia, como tínhamos dois filhos pequenos e eu tinha que trabalhar, ela pediu paras sua irmã vir ficar em nossa casa enquanto ela estivesse internada.

Minha mulher foi operada, tudo correu bem e como eu não conseguia dormir no hospital ela me liberou para dormir em casa. Cheguei em casa tomei um banho, comi alguma coisa e fui pra sala assistir TV, minha cunhada e meus filhos ficaram comigo perguntaram como estava minha mulher e ficamos batendo ?papo? até que meus filhos foram dormir, logo em seguida minha cunhada disse que iria tomar um banho e dormir pois estava cansada. Continuei na sala vendo TV, lá pelas ?tantas? senti sono e resolvi ir dormir, passei pelo quarto dos meus filhos para dar boa noite a eles porém eles já estavam dormindo. Passei pelo quarto que minha cunhada estava dormindo e como a porta estava aberta, parei para dar uma olhada e se minha cunhada ainda estivesse acordada, dar ?boa noite? pra ela. Quando olhei para dentro do quarto ela estava dormindo,ou fazendo que dormia, com um topezinho e só de calcinha totalmente descoberta com a bunda para cima numa visão maravilhosa. Na mesma hora comecei a lembrar o que minha mulher falava sobre a vida privada de minha cunhada e como ela era infeliz na cama, fiquei olhando aquela bunda gostosa e meu pau ficou duro na hora. Encostei a porta e fui pro meu quarto, porém aquela visão de minha cunhada não me deixava pegar no sono, eu estava com muita tesão e comecei a bater uma punheta para ver se me acalmava. No meio da punheta, resolvi dar mais uma ?espiada? na cunhada.Acendi a luz do corredor, fui até seu quarto abri com cuidado a porta e com a luz do corredor iluminando parcialmente ela na cama, continuei minha punheta, imaginando estar comendo aquela delícia que estava dormindo. Quando estava quase gozando, corri para meu quarto para terminar minha punheta,deitei na cama e nesse momento, minha cunhada aparece e eu todo sem graça tentei me cobrir para esconder meu pau duro, ela então falou que não precisava me cobrir pois ela estava acordada e tinha visto tudo.Fiquei ?gelado? e ameacei pedir desculpas e ela me falou que achou muito bom ser desejada por mim e que também tinha ficado com tesão. Na mesma hora levantei e sem nenhuma cerimônia, puxei ela para a cama e comecei a beijar sua boca, ao mesmo tempo que enfiava minha mão na sua bucetinha, que estava molhadinha. Tirei sua calcinha e seu top, comecei a chupar seus peitinhos e descendo até sua buceta, abri suas pernas e cai de boca no seu grelo que estava inchado de tesão. Ela quase desmaiou de tanta tesão e gozou na minha boca. Em seguida, coloquei meu pau na sua boca e ela chupou com muita maestria até eu gozar engolindo toda minha porra até a última gota. Ficamos deitados um ao lado do outro por algum tempo sem dizer uma palavra. Sentei na cama, acendi um cigarro e antes que eu falasse qualquer coisa, ela disse que estava envergonhada pelo que tinha feito, mas que não estava arrependida pois tinha gozado, coisa que segundo ela, já tinha até esquecido de como era bom. Apaguei o cigarro,deitei na cama de novo e comecei a fazer carícias no seu corpo, ela correspondia me beijando e alisando meu cacete. Até aquele momento eu não tinha comido aquela buceta e nem seu cuzinho, somente tinha chupado seu grelinho e gozado na sua boca. A tesão voltou novamente, meu pau ficou duro como pedra, abri suas pernas e falei que ia come-la como nunca ela tinha sido comida. Beijei seu grelo, enfiei a língua dentro de sua buceta enquanto ela se contorcia de prazer, ela pediu para chupar meu cacete, fizemos um sessenta e nove cheios de tesão, no auge da tesão sai da posição de 69, abri suas pernas, coloquei meu pau na entrada de sua buceta e de uma só vez enfiei até o saco. Ela urrava de prazer ?bombei? com força, num vai-vem alucinado e gozei dentro dela ao mesmo tempo que ela gozava. Nos beijamos e fomo juntos tomar banho. Após o banho achamos melhor cada um ir para seu quarto antes que as crianças acordassem.

Na manhã seguinte levantei tomei meu café e quando já estava tirando o carro da garagem, ela apareceu disse que tinha sido uma noite inesquecível e me desejou um bom dia.

Após o trabalho fui até o hospital ver com estava minha mulher (já tinha falado com ela por telefone durante o dia) ela quis saber como estavam as crianças e sua irmã, eu disse que estava tudo bem, fiquei com ela até as 21,00 hs dei boa noite e fui para casa.

Entrei em casa e minha cunhada tinha feito um jantarzinho muito gostoso, as crianças já tinham comido e foram dormir. Fui tomar um banho, não fechei a porta do banheiro, pedi a minha cunhada para me trazer uma toalha. Ela veio com a toalha e eu nu e sem vergonha comecei a me enxugar com ela me olhando, ela estava gostosa com um vestidinho soltinho até os joelhos e os peitinhos sem sutiã queriam furar o tecido leve do seu vestido. Fiquei de pau duro e comecei a passar a mão na sua bunda e beijar seu pescoço, ela se arrepiava toda, virei ela contra a parede do banheiro, levantei seu vestido, ela se apoiou na pia arrebitando sua bunda em minha direção, beijei e mordi suas nádegas, abaixei sua calcinha, enfiei minha língua no seu cuzinho e ela morta de tesão levantava cada vez mais sua deliciosa bundinha na direção da minha boca. Falei baixinho no seu ouvido que iria comer seu ?rabinho? e ela pediu para ir com calma pois seu marido sempre a machucava e ela queria sentir prazer e se possível sem dor. Abri o armarinho do banheiro, peguei um pote de vaselina que usava para comer o cu de minha mulher, passei com muito carinho no seu cu e sem parar de beijar seu pescoço, fui aos poucos enfiando meu cacete naquele cuzinho maravilhoso. Ela aos poucos foi relaxando e meu pau entrou tudo e meu saco batia na sua bunda cada vez que eu bombava bem fundo. Com o pau cravado no seu cu, eu batia uma siririca enfiando meu dedo na sua buceta melada de tesão. Gozei dentro do seu cu e ela gozou na minha mão. Tomamos banho juntos e ela me falou que tinha sido uma delícia a comida que eu tinha dado no seu ?rabo?e que seu marido nunca tinha feito ela gozar dando o cu. Nos secamos , colocamos nossas roupas e fomos pra cozinha jantar. Após a janta ficamos conversamos e ela me contou dos problemas que ela tinha com seu marido e eu como não soubesse de nada, fiquei escutando sem fazer nenhum comentário a respeito.

Minha mulher ficou mais dois dias no hospital e eu e sua irmã aproveitamos para darmos mais algumas fodas, sempre começando pela buceta e terminado com o cuzinho. Quando minha mulher retornou para casa,minha cunhada ainda ficou mais alguns dias, até que meu cunhado veio buscar sua mulher.

Dois ou três meses depois, minha esposa foi visitar meus sogros e quando voltou, falou que sua irmã estava grávida e que iria apesar da gravidez se separar do meu cunhado. Fiquei realmente surpreso com a gravidez de minha cunhada e com sua possível separação. Tempos depois fui para cidade aonde moravam meus sogros e minha cunhada e ela já estava no oitavo mês de gravidez e não tinha se separado de meu cunhado, fiquei feliz por eles, pois afinal de contas eles tinham um filho e outro estava a caminho. Nasceu uma menina e fomos visitar minha cunhada e conhecer nossa sobrinha, era uma menina muito linda, loura de olhos verdes, bem diferente de minha cunhada e seu marido, mas como minha sogra era filha de alemães o comentário é que a menina tinha puxado dela. Eu como sou louro e de olhos verdes, fiquei com a ?pulga atrás da orelha?, será que ela não é minha filha.

Dois anos se passaram desde o nascimento de minha sobrinha, até que um dia fui a serviço para a cidade onde eles moram. Me hospedei na casa de meus sogros que era na mesma avenida que morava minha cunhada. A noite minha cunhada veio com minha sobrinha até a casa dos meus sogros para que eu visse a menina, ela estava linda e era muito esperta e alegre, fiquei encantado com ela e minha cunhada sentada na sala só olhando meu carinho com sua filha. Como já era tarde ela foi para casa por a menina para dormir e disse que depois voltaria. Dito e feito, uma hora depois ela estava de volta, a essa altura meus sogros já tinham ido dormir, ficamos sozinhos e fomos para o quintal, sentamos em um banco de madeira, e começamos a conversar e ela me falou o que eu no intimo já sabia, tinha ela tinha engravidado quando ficou comigo na minha casa e seu marido nunca desconfiou. Disse que não tem o menor remorso, pois sua filha foi fruto da melhor foda que tinha dado na sua vida. Fiquei com tesão e comecei a passar a mão nas suas coxas por baixo do seu vestido sem quer ela esboçasse nenhuma resistência, fui beijando seu pescoço ao mesmo tempo que subia a mão em direção da sua buceta e para minha surpresa, ela estava sem calcinha e disse que estava morta de tesão. Fomos lá pro fundo do quintal entramos num quarto de empregada que raramente era usado e sobre a cama sem lençol transamos como dois loucos, gozei dentro da sua buceta e depois ainda comi seu cu. Desta vez ela me disse que estava tomando comprimido para não engravidar.

Até hoje quando da certo, nós nos encontramos e transamos. Tem até uma férias que passamos juntos no camping, bem essa é outra historia que contarei no próximo conto.

 

Gostou? Vote no Conto:

67043 visitas