Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Dei pra um estivador dentro do barco | Diversos | Acervo de Contos

Dei pra um estivador dentro do barco

Dei pra um estivador dentro do barco

Sou leitora, mas meio tímida sabe? Moro em um município nomeio da Amazônia no estado do Pará dessas q para viajar dependemos de embarcações e as viagens duram em média até 4 dias. Este conto é real aconteceu no mês de março de 2010, por isso vou usar nossos apelidos, eu CRIS e ele o meu gostosão NENEM, eu precisei viajar até um município vizinho, e foi nesta viagem onde o vi pela primeira vez na ida, uma presença que me deixou inquieta a viagem inteira, não fomos apresentados mas nos notamos o tempo todo, eu sou professora, 34 anos, 1,65 de altura, 60 quilos bem distribuídos, seios médios, pernas gostosas, bumbum Tb gostoso resultado de muito voleibol, já ele não é nenhum galã, inclusive ele é estrábico, só percebi dpois, mas pra compensar é alto moreno, 26 anos, corpo torneado de estivador pois ele era ajudante do piloto do barco e ficava o tempo todo com um shorts curto azul se mostrando com o corpo molhado, não COMO tinha não olhar aquilo tudo, eu tinha terminado um namoro tinha uns dois meses, e eu adoro sexooo, e com um homem daqueles então!! Eu sentia o olhar dele qdo eu não estava olhando e comecei a ficar excitadíssima só de imaginar aquele Nenenzão dentro de mim, e comecei a ficar inquieta e ele claro percebeu e começou a se aproximar, barco é pequeno, o que contribuiu para que a gente se roçasse sempre q possivel o que aumentava e muiito o meu desejo amarrei uma rede dentro do barco e me deitei, isso já no segundo dia da viagem meu estivador veio e deitou logo abaixo de mim e ficou roçado os joelhos no meu bumbum, nisso minha buceta começou a latejar, meus seios ficaram quase furando a blusinha fina q eu usava, tínhamos que disfarçar o tempo todo pq detalhe dentro do barco tinham mais uns 6 passageiros inclusive uma senhora evangélica que era a cozinheira, eu tinha que aguentar todo esse tesão sem dar um gemido sequer, eu sabia que não passava daquela noite. Quando anoiteceu eu já estava ansiosa louca pra ele se deitar embaixo da minha rede de novo, e foi o q aconteceu, meu estivador deu jeito de deitar em banco mas próximo ainda de mim o corpo dele todo ao alcance das minhas mãos loucas pra sentir aqueles músculos, esperamos acho que pela força do desejo mesmo pois ainda não tínhamos trocado nenhuma palavra, quando todos fizeram silencio ele começou a roçar as pernas dele por baixo da rede de novo,ficamos assim um bom tempo, até q eu tomei coragem e toquei o cós da bermuda dele, ele claro correspondeu na hora apertando minha mão com força como se me chamasse pra ele, e foi o que ele fez levou minha mão até o zíper e fez o movimento pra eu abrir eu não me fiz de rogada e abrir lentamente pra não fazer barulho e sentir aquele bolo enorme sob a cueca que eu abaixei rápido e nesse momento eu tinha em minha mão um pau enorme, duro e latejante, eu comecei a subir e descer naquele mastro, já toda molhada, coisa que ele também sentiu pois ele já passeava pelo corpo com as mãos enormes dedos compridos e calejados, ele abaixou minha calça de moleton e afastou minha calcinha com os dedos e ficou dedilhando meu grelo minha xana escorria de tanto tesão ele meteu o dedo na minha xana e depois levou até a boca pra sentir o meu gosto de fêmea nessa hora eu enloqueci mais ainda e abocanhei o pau dele que latejava na minha mão e chupei chupei gostoso como se fosse uma criança chupando o 1º pirulito, nessa hora ele reagiu e me deu um beijo na boca parecia que ia me engolir, eu louca de vontade de sentir aquele mastro dentro de mim falei baixinho no ouvido dele ? Quero ele todo dentro de mim, substitui esse dedo por esse cacete, me come!!Ele não como subiu na rede e de lado, abriu minhas pernas e afastou mais ainda a calcinha e meteu bem devagar e eu louca sem poder fazer nenhum barulho, e ele metendo até que eu sentir aquele pau enorme todo dentro de mim, comecei um rebolado de vaievem ele estocava devagar pois não podíamos nos movimentar demais, ficamos ali, nos sentindo, nos beijando, ele apertando meus mamilos, com aquelas mãos calejadas, num vaivém maravilhoooso, até não conseguimos mais segurar e gozamos juntos um gozo longo, como eu nunca tinha experimentado antes, foi uma loucura!!! Mas foi tão gostoso que nos engatamos um namoro e repetimos outras transas assim cheia de perigo!!!

 

Gostou? Vote no Conto:

44099 visitas