Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

A boqueteira | Diversos | Acervo de Contos

A boqueteira

Quatro meses de namoro e a mina na maior amarração, o clima esquentava e quando eu começava a investir ela parava com tudo desesperadamente dizendo que não poderíamos prosseguir porque ela era virgem e que sexo só depois do casamento.

A mina só queria andar acompanhada de amigas e toda vez que eu tentava desenrolar para ficarmos sozinhos, ela aparecia com uma desculpa. Fomos numa festa na casa de uma amiga dela e lá entre um copo e outro, uma das suas amigas começou a se assanhar para o meu lado, segurei o quanto deu mas como eu estava na seca a um tempão, acabei indo para um dos cômodos da casa e comecei a agarrar a sua amiga, quando ela estava pronta para liberar, a minha namorada chegou na hora e fez o maior barraco. Deu trabalho para contornar a situação mas depois de muita conversa finamente parece que a minha namorada entendeu as necessidades fisiológicas masculinas e resolveu me dar uma mãozinha para aliviar o tesão.

A sua amiga saiu e nos continuamos no quarto em que ela nos flagrou, sobre a promessa de ficar quieto, eu continuei sentado na beirada da cama enquanto ela foi apagar a luz, o quarto ficou na maior penumbra e ela veio tropeçando, sentou ao meu lado e começamos a nos beijar enquanto as suas mãos abriam a minha calça, depois que ela colocou o meu cacete para fora, ela caiu de boca e me chupou, chupou ate eu não agüentar mais e gozar na sua boca, ainda estava de cacete duro e cheio de tesão, queria meter mas quando tentei traze-la para mim, ela se desvencilhou rapidamente me lembrando que eu havia prometido ficar quieto e me perguntou se eu queria que ela continua-se. Disse que sim e ela se posicionou abaixada entre as minhas pernas e continuou a me chupar e como eu havia acabado de gozar, ela chupou, chupou sem que eu torna-se a gozar e continuou me chupando como se eu fosse o sorvete mais gostoso que ela já havia provado na vida, sua boca subia e descia, ela batia com o meu cacete na sua língua, esfregava ele no seu rosto, lambia todo o comprimento e depois tornava a enfiar tudo na boca. Demorou mais depois de tanto me chupar ela consegui o que queria, me fez gozar pela segunda vez na sua boca e logo em seguida me perguntou se eu estava satisfeito ou se queria mais, embora eu estive-se cheio de tesão por hora eu estava satisfeito e comecei a achar que aquela chupada maravilhosa seria o inicio da nossa vida sexual. Retornamos a festa e o comentário era geral, a amiga dela que eu havia levado para o quarto passou por mim aborrecida dizendo que a minha namorada não transava e fez insinuação de que ela só chupava. Me contive porque percebi que estava sendo vigiado e quando terminou a festa eu fui levar a minha namorada para a sua casa, antes dela desembarcar do carro trocamos alguns beijos e quando eu tentei me aproveitar, ela fugiu me deixando na maior vontade.

No encontro seguinte eu a levei para a minha casa, o clima esta ficando quente e a minha namorada mandou que eu apaga-se a luz, quando eu retornei para o sofá ela já foi logo baixando o meu zíper e botando o meu cacete para fora, novamente me chupou ate que eu goza-se na sua boca e quando eu forcei para termos uma relação ela decidiu ir embora, depois de muita insistência e muitos pedidos de desculpas ela continuou me chupando ate a hora dela ir embora. Comecei a me lembrar da insinuação que a sua amiga tinha feito ao dizer que a minha namorada só chupava e comecei a acreditar que jamais rolaria nada entre a gente alem daquela maravilhosa chupada, também me dei conta de que ela só aceitava me chupar quando o ambiente estava bem escuro e foi então que me veio a idéia de saber quanto tempo ela ficaria me chupando se eu repeti-se que não estava satisfeito. Marquei com mais dois amigos e expliquei que eles não poderiam fazer nada a não ser deixar ela chupar, cada um ficou escondido em um canto da casa e quando ela apagou a luz, eu sugeri que ela fica-se vendada assim estaria tudo escuro para ela se sentir a vontade e eu poderia ver ela me chupando para ficar mas excitado. Depois de uma leve reluta ela concordou e eu a vendei, levei as suas mãos ate o meu cacete e em seguida ela começou a chupar, quando gozei ela levou a mão no canto da boca para recolher o excesso com os dedinhos e foi justamente a deixa para trocarmos de posição e quando ela perguntou se eu queria mais eu disse que sim e ela começou a chupar o meu amigo, ele quando gozou cedeu a vez para o outro que cedeu a vez para mim e ela continuou lá chupando e chupando os nossos cacetes ate ficamos completamente satisfeitos.

Antes de ir embora ela disse que adorou a surpresa e mandou que eu agradece-se aos meus amigos, eu ainda quis dar uma de desentendido perguntando que amigo e ela disse que os dois que estão escondidos ai dentro ou você acha que eu não senti o gosto, o tamanho e a quantidade de porra que cada um jorrou na minha boca ou você quer que eu acredite que você sozinho conseguiu gozar oito vezes e finalizou dizendo que se eles prometerem se comportar poderiam voltar outras vezes. O que eu posso dizer dessa minha namorada, é um boqueteira profissional que de olhos vendados consegue dizer de quem é o cacete que ela esta chupando.      

 

Gostou? Vote no Conto:

2070 visitas