Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Trepar fora tem seu valor | Cornos | Acervo de Contos

Trepar fora tem seu valor

Sou casado há mais de 15 anos e tenho uma relação mais ou menos regular, podemos dizer assim com minha esposa, que vou chamá-la de Lu, eu sou o Dio. Nos conhecemos em situações interessantes, eu vinha de um relacionamento fracassado e ela, de uma aventura sem sucesso com o namoradinho, que parece não tê-la comido de jeito. Contudo, foram intensas as primeiras fodas com ela, trepavámos o bastante para aguentar o rojão da vida. De uns tempos prá cá, comecei a sentir tesão por ela imaginando-a trepando com outros homens, até aí tudo bem, mas ela não aceitou bem a idéia. Sempre que assistiamos filme porno, remexia no assunto, e ela começou a interessar-se. Certo dia perguntou-me se acontecesse dela aceitar a proposta o que eu faria na hora, se eu a deixaria ser chupada, penetrada, e esfolada. Eu respondia numa boa que só queria vê-la sentir prazer, mais ela sempre ficava com um pé atrás. Em determinado dia fiquei em casa assitindo futebol e ela saiu, dizendo que ia a casa de uma cumadre. Chegou po volta das 08 da noite, foi pro banho e demorou bastante no banheiro, mais tarde quando fui banhar, ao jogar minha cueca no cesto de roupas percebi que sua calcinha estava a mostra bastante encharcada de esperma, por um instante pensei e refleti que só poderia ser do ricardão, pois não havíamos feito amor nas últimas horas; não falei nada e esperei por ela, mas nada me relatou. Asacana já estava trepando, e eu pensando que era santa, tentado fazer aceitar uma foda a tres. No final de semana seguinte saímos e bebemos um pouco e novamente voltei ao assunto do swing e ela entrou de vez, dizendo que toparia trepar com mais um, só que a escolhe deveria ser dela. Entrei na dela e me fiz de inocente e ela ligou pro cara que vinha fudendo com ela, e nos encontramos no motel. A noite foi ótima, o caboco sangrou aquela buceta, que é uma coisa incrível, e deixou-a como um lirio vermelho, pois éla é branca, que quando surrada fica que nem beterraba, mas fica lindo assim como ela, modéstia parte, ficamos numa boa e ela soltava sussuros de tesão quando o cara enfiava o enorme caralho em sua fenda e comprimia o seu grêlo, pois a mesma se contorcia e se arrepiava toda. Gozamos mais de tres vezes, nós três. Devemos repetir isso a qualquer momento, não acham?

 

Gostou? Vote no Conto:

25697 visitas