Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Soninha virou putinha | Cornos | Acervo de Contos

Soninha virou putinha

O primeiro chifre que dei no meu marido corno.

Bom, isto e meio difícil, pois não sou muito boa para relatar as coisas, mas vou fazer o possível, quando conheci o Sergio o meu corninho manso, nunca pensei que ia me tornar uma garota liberada, claro que todas as garotas desejam um cara bonito, trabalhador e liberal, mas isto não existe, eu mesma sonhava em ser liberada, mas nunca acontecia, todos os namorados que tive antes eram ciumentos, idiotas e possessivos, e que no geral só pensavam no prazer deles mesmo.

Perguntei um dia após as brincadeiras ao meu marido.`` você topa ser corno?`` ele falou sim, quero, quer ser corno ? quero ! não e só fantasia? . NÃO , e gozamos. Toda vez que transávamos era isto, ele me falava estas coisa e me excitava muito, e gozávamos muito, mas depois da transa eu tímida ainda não tocava mais no assunto.

Mas eu ficava com aquilo na cabeça, pensando, será que ele e corno mesmo, será que se eu der para outros tudo bem? Será que ele não fala isto só da boca para fora?, será que ele quer que eu saia com outros para ele sair com outras?, era um monte de duvidas e mas se fosse isto mesmo ? ele ser Corno Manso, eu ia adorar pois só tinha estado com o Sergio, era virgem quando o conheci, , a única coisa que eu não suportaria seria ele sair com outras, seria uma putinha com o maior prazer do mundo, mas ele trepar com outras isto não.Numa das transas em que ele fantasiava para que eu estivesse com outros homens ,sempre alguém conhecido nosso, eu perguntei se ele não ia pensar ou queria também trazer uma mulher. Ele sempre dizia que só tinha tesão em mim e de que jamais pensou em outra na cama.

Comecei então a usar roupas mais curtas provocantes para ver a reação dele, e quanto mais escandalosa a roupa mais ele gostava, e eu pensava nossa que maravilha pelo menos ate aqui ele e liberal mesmo, no quarto eu andava pelada com as janelas abertas e ele não falava nada, dava um show para os vizinhos, comecei a ficar cada vez mais atrevida, comprei um biquíni branco fio dental, super minúsculo, era tão pequeno que não tampava nada, pensei quando ele me ver com este biquíni vai mandar eu tirar, que nada ,ele! adorou falou que eu estava linda, um tesão, coloquei na mala e na praia ficaram todos, olhando, amigos dele que foram conosco olharam tudo, podia ver que estavam de pau duro de olharem para mim.Também, uma minhonzinha de 1,58 mts, 50 kilos, bundão e boca sexy, olhos verdes. Quem não quer?

A partir daí, comecei a ficar mais assanhada e passei a levar cantadas de todos os homens, inclusive dos amigos dele quando ele não estava perto. Maridos e namorados das minhas amigas também me cantavam e falavam gracinhas para mim,

Nisto conheci Carlos, um rapaz lindo, 20 anos, um metro e noventa, +- 90 kilos, educado e romântico, gerente de uma loja em que fui comprar panos e ele fez questão de me atender, ficamos conversando e ele pegou o numero do meu telefone do escritório, a pretexto de me passar informações . Não demorou muito ele ligou me convidando para sair, falei que não podia que era casada aquelas coisa, ele insistiu que era só um choopinho, com o tempo, acabei aceitando e marcamos um encontro, inventei para o corno que ia fazer compras com uma amiga, e me arrumei para o encontro, como estava calor, vesti uma mini saia, e uma blusinha decotadinha, e por baixo uma micro calcinha fio dental, e fui ao encontro, no caminho no carro fiquei pensando no que estava para fazer, quando cheguei no local marcado ele já estava esperando, estacionei meu carro e entrei no dele, ao me ver me deu um beijo na boca que foi de tirar o fôlego, me elogiou falando que eu estava linda e perguntou para onde eu gostaria de ir, respondi ``cequesabe`` mas que fosse um lugar discreto, saiu com o carro e pela direção que tomou, a escolha dele foi a que eu queria, o motel, no qual o Sergio me levava, as vezes, no caminho começou a alisar minhas pernas e foi subindo a mão ate ......e adorou .

No motel, pegamos um quarto, e nas escadas do quarto já fui tirando a roupa, entramos no quarto e começamos a nos beijar, ele me alisava inteira e eu fui tirando a roupa dele quando ficou pelado pude então ver e pegar no pau dele ,caímos na cama e partimos para um sessenta e nove, gozei na boca dele, daí me deitei e abri bem as pernas ,ele se posicionou por cima e começou a enfiar seu pinto em mim lentamente me fazendo gemer e pedir para que ele enfia-se tudo quando entrou tudo me senti totalmente preenchida, estava ótimo, muito bom ele começou a socar cada vez mais rápido e eu a rebolar, me fazendo ter orgasmo como a tempos não tinha, enquanto me comia, me chamava de puta, vaca, piranha, falava que eu tinha que ser puta e enfeitar bem a cabeça do meu corno, aumentando mais ainda meu tesão, logo ele anunciou que ia gozar, tirou seu pau de dentro da minha bocetinha, e gozou no meu rosto e boca me deixando toda lambuzada.

Me limpei e voltei para cama, nos beijando e nos alisando, o pinto dele foi ficando duro , chupei bem gostoso e eu me posicionei por cima dele e comecei a cavalgá-lo, subia e descia no pau dele rebolando por enquanto ele chupava meus peitos e introduzia um dedo no meu cuzinho, e conforme meu tesão ia aumento ele ia introduzindo mais dedos ate colocar três lá dentro, eu explodia .

Ficamos deitados na cama recuperando o fôlego, daí ele me fez ficar deitada de bundão para cima e passou a chupar da minha buceta ao meu cuzinho, deu uma breve parada e foi buscar algo no bolso da sua calca que estava jogada no chão ao lado da cama, passou nos dedos e enfiou no meu cuzinho, me fazendo delirar de excitação, perguntei para ele o que ele ia fazer, e ele respondeu, eu vou comer seu cu sua puta, eu falei não meu cu , não ,fiquei com medo de dor, mas ele falou vou comer sim sua puta, safada, você vai ver o que e bom, já que não tem homem na sua casa que saiba comer uma mulher, nisto ele subiu em cima de mim, ajeitou seu pau na entrada do meu cu e começou a enfiar lentamente, comecei a gritar de dor e pedir para ele parar, eu chorava de dor e tentava fugir dele, mas não conseguia e quanto mais eu me mexia mais ele enfiava, ate que entrou tudo e ele ficou parado por um tempo e a dor foi passando, ele começou a bombear lentamente, e começou a ficar cada vez melhor, a dor deu lugar ao prazer e logo estava entrando e saindo do meu agora cuzaõ, me fazendo agora gritar de prazer. Ate que ele gozou me dando a sensação de que ia ser rasgada ao meio pelo aumento do tamanho do pinto dele quando gozou.

Cansados e com o adianto da hora, saímos de lá.

Levou-me até o carro e fui embora para casa,muito feliz e satisfeita, como não ficava a muitos anos.

O corno do Sergio disse; ``querida, eu nem vi, tava no maior sono, chegou faz tempo?`` respondi que sim, que já fazia um tempo e que estava super cansada, o dia tinha sido de muitas atividades mau sabia ele que tinha levado chifre, e muito bem tomado, sai mais algumas vezes com Carlos . Anos depois descobri que o corno do Sergio sabia de tudo e que o Carlos era amigo (secreto), do corno. A partir daí o Sergio me ajudava a escolher os homens que iriam me comer e as vezes eu deixo ele assistir.

Soninha, (serpvalerio@bol.com.br).

 

Gostou? Vote no Conto:

65226 visitas