Acervo de Contos eróticos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto
porno amadoras videos de sexo ninfetas porno flagras

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Gozando pra caralho na dona Meire. | Acervo de Contos

Gozando pra caralho na dona Meire.

O Zé e um cara muito legal alem de whisky ele me deu sua esposa.
Com o pretexto de ajudá-lo na instalação de seu home theater o Zé me levou á sua casa da praia junto com sua esposa em um fim de semana no começo de janeiro passado, a Dona Meire como costumo me referir á esposa deste meu colega e uma mulher sem grandes dotes físicos não tem uma beleza que chame a atenção, mas também não e feia, entendem?
Passamos no supermercado e compramos cervejas e o Zé me deu uma garrafa de whisky pela ajuda e claro que eu abri e disse que queria ?compartilhar?com eles aquele whisky o que fizemos enquanto instalávamos o som, dona Meire fritou uns petiscos e de shortinho de lycra estes de academia mas sem calcinha pois eu percebi ate o volumezinho dos pelinhos onde haviam e a raxinha direitinho e um top sem sutiã andava descalça pela casa exibindo uns pezinhos bem feitinhos e delicados, nunca tinha olhado para dona Meire deste jeito e acho que o Zé percebeu pois começou a trocar sorris com dona Meira que a toda hora desfilava pela sala reclamando de calor foi quando o Zé falou toma uma ducha La fora meu amor, coisa que ela consentido rapidamente e como estava entrou embaixo d?água ao sair eu fazia menção de virar o rosto pois estava tudo transparente. O Zé falou para ela meu amor assim deste jeito você vai deixar este garoto louco, não e falando para mim, ?olha que tesão a Dona Meire?!
A dona Meire me olhou nos olhos e disse estou na minha casa e aqui na verdade gosto de andar nua e você sabe disto não e Zé? O que de pronto o seu Zé respondeu então tira tudo meu amor. Este garoto já deve ter visto muita rapariga em pelo não e garoto? Eu só de escutar meu pau saia pela gola da camiseta a bermuda estava pequena. Quando dona Meire falou assim que tiver som eu faço um strip tease para vocês, seu Zé falou e pra já e foi buscar um CD no carro e pediu para eu trazer mais dozes de whisky para o show ao cruzar na sala com dona Meira que pingava no chão a água de sua pouca roupa me falou este show vai ser especial para você.
Ao voltar para sala com os copos o som já rolava e Dona Meire rebolava na cara do seu Zé que se divertia de forma alegre e me chamando para sentar ao seu lado me disse esquece que e a dona Meire agora vamos ver um show de rapariga e falou para dona Meire rebola, rebola esta bunda na minha cara minha gostosa, daí eu pede perceber que o seu Zé estava alterado pelo whisky e dona Meire também quis sair da sala e deixar só os dois curtindo quando seu Zé falau; aonde vai filho o show esta começando ou você não gosta de ver uma bela buceta.
Eu falei não e nada disto seu Zé e que dona Meire ....., não tem mais nenhuma porra de dona Meire te falei agora você esta vendo um show de rapariga, de uma puta entendeu meu filho e pediu para a mulher me mostrar o que sabe fazer. Transformada e uma vaca dona Meire rebolava e já sem o top com uns peitos que mesmo um pouco caídos mostravam uns bicos que nunca tinha visto tinham quase três centímetros e durinhos dando vontade de abocanhar, ficando de costas tirou o shortinho e fez suspense a esta altura do campeonato eu batia palma e apertava o pau mostrando para o seu Zé, pra que ele logo chamou a atenção da Dona Meire que veio em minha direção tirando primeiro minha camiseta como se estivéssemos dançando e em seguida puxando minha bermuda que eu ate segurei mas seu Zé falou aproveita ?muleque? aproveita que eu gosto de ver esta vadia fuder com outro, daí em diante não segurei mais a minha natureza. Pelado aquela mulher passou a se esfregar em mim, a me pegar beijar que meu pau já pingava mais que dona Meire com a roupa molhada.
Seu Zé tocava uma punheta bem devagar, bebendo whisky incentivava meu tesão por aquela vadia que me direcionou ao lado do seu Zé no sofá e me fez sentar ao seu lado ela ajoelhou no chão e abocanhando minha rola passou a punhetar seu marido que ria e bebia.
Eu só não gozei porque me segurei muito minha rola queria explodir. Foi quando ela sentou na minha pica sem preservativo sem nada e começou a bombar e o Zé falava goza meu filho goza tudo nesta vagabunda, neste bucetão ele levantou e fez eu deitar no sofá com ela por cima e foi por traz dela enfiando sua rola que estava assustadoramente grossa e grande no cu da dona Meire que urrava de tesão, eu senti a rola do seu Zé passar raspando na minha por dentro da buceta só com a carne da dona Meire separando uma rola da outra. Só quem já fez sabe e uma loucura sentir outra rola te punhetando dentro de uma buceta. Um bucetão maravilhoso de gostoso, tesuda dona Meire e que tesão fuder esposa do seu Zé com ele comendo-lhe o cu e fazendo uma massagem em minha rola, gozei pra caralho, nunca tinha gozado daquele jeito, desfaleci. Acordei com eles banhados e vestidos, prontos para retornarmos a São Paulo e como se não tivesse acontecido a trepada de nossas vidas me perguntaram; e ai teve bons sonhos?

 

Gostou? Vote no Conto:

03/10/2009 | 43169 visitas

 
 
 
videos de sexo porno filmes porno