Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Fruto da infidelidade | Cornos | Acervo de Contos

Fruto da infidelidade

Olá!... sou Julio, casado, 2 filhas, 44 anos, 1,77m, 90Kg, branco, calvo, um sujeito normal sem muitos atrativos, mas sou viciado em sexo; mesmo com 21 anos de casado, compareço pelo menos 2 vezes por semana com a patroa, o que faz de nosso casamento uma grande harmonia (não que não tenha brigas, mas com sexo em dia as coisas são mais fáceis). Fora isso dou meus pulinhos num puteiro perto do trabalho que sempre tem novidades. O fato real que passo a narrar tem um quê de proibido, de escondido, de traição... por isso merece ser compartilhado. Moro há 20 anos, num prédio antigo na região da Bela Vista ? São Paulo ? Capital, há 2 anos atrás, foi contratado um novo zelador (Juarez).

Juarez se instalou no apto do térreo com a família, ele a esposa Nair e um filho de 6 anos.

Nair é uma sergipana de 30 anos, morena, cabelos pretos encaracolados, mais ou menos 1,60m uns 55Kg, peitos em formato de pêra e bunda saliente... Logo quando conheci me deu um certo tesão por ela....usava um short jeans, camiseta surrada sem sutien marcando os bicos grandes de seus seios, chinelo de dedo... ela percebeu meu interesse (medi a fêmea dos pés a cabeça) e fez carinha de dengo (mulher gostosa sabe quando está sendo apreciada).

Passados 3 meses da contratação de Juarez, apareceu uma oportunidade de aproximação com Nair, uma 6ª feira, meus filhos no colégio, minha esposa saiu para trabalhar e como nossa faxineira estava doente, Nair viria fazer uma faxina em nosso apartamento. Inventei uma desculpa e matei o trabalho.

Estando somente eu e Nair no apartamento, entrei no banho deixando a porta do banheiro com uma fresta que dava para ver o que acontecia lá dentro e com o box aberto comecei a ensaboar meu corpo, tocando uma punheta com meu pau bem duro (não sou nenhum atleta sexual mas minha pica de 18cm e de grosso calibre nunca nega fogo)... percebi quando Nair parou enfrente ao banheiro e se deparou com a cena... foi ai que tive a deixa pois Nair falou: - Precisa de ajuda seu Julio... sorri para ela e falei: - Adoraria ter você me ajudando.... ela deu inicio a um striptese largando as roupas pelo chão....e quando vi aquela morna só de tanguinha surrada de tanto uso com seios médio de bicos escuros, meu tesão era imenso...ela tirou a calcinha revelando uma xota peluda e entrou no box comigo, iniciando um boquete guloso... engolia meu pau até o talo, lábia meu saco, enfiava as bolas na boca e me punhetava.... sem resistir gozei em sua boca e Nair engoliu uma boa quantidade de porra. Nos secamos e fomos para meu quarto, na cama trocando beijos apaixonados, eu bolinava a xaninha dela, ouvindo-a gemer baixinho... fomos nos ajeitando e começamos um 69 onde pude desbravar aquela mata de grelo grande e úmida de tesão... ora enfiava a língua na gruta ora lambia o clitóris e Nair gozou abafando o som do prazer. Virei para ele e disse: - Se solta mulher....geme com vontade, grita, fala palavrão põe esse tesão todo prá fora....e ela me ouviu... no papai-mamãe eu enfiava a vara naquela buceta e ela gritava: - vem caralhudo, come minha buceta, enche essa cona de porra, goza nessa putinha safada... e que gozou foi ela, gemendo alto e gritando de satisfação.

Eu ainda com o pau ereto, guardei o gozo para comê-la de quatro, nessa posição ela na cama e eu em pé, via minha rola entrar e sair de sua xoxota, enquanto puxava aquele quadril largo e dava tapas em sua bunda.... Nair muito excitada, me pediu: - Mete atrás, come meu cu, arromba meu rabo... eu que sou tarado por um sexo anal, de pronto lambi seu cu para lubrificar e meti a vara no rabo de Nair, estocando com vontade até jorrar porra naquele buraco. Suados e exaustos caímos lado-a-lado na cama, com ar de extrema satisfação.

Estava quase pegando no sono do relax por que passei, quando aquela tarada começou a me lamber... passou a língua em minha orelha, nos mamilos, beijou minha boca chupando minha língua, desceu lambendo meu saco e colocou o dedinho no meu cu.... foi tanto carinho sacana que meu pau ficou duro novamente (há tempos não tinha 3 ereções seguidas)... a rola estava até sensível... Nair veio por cima, encaminhou minha pica para entrada da xoxota e deixou o corpo descer fazendo a pica sumir no meio da mata... de forma pausada descia e subia, cavalgando gostosa.... demorei muito pra gozar dando oportunidade dela se acabar mais de um vez, gemendo e virando os olhinhos. Tomamos mais um banho e ela foi embora..... desde então mantivemos encontros furtivos com trepadas fantástica, sendo que Nair engravidou (nasceu Matheus...é minha cara)... Nair encobriu todas as pistas e Juarez pensa ser o pai, sendo que eu e minha esposa fomos convidados para batizarmos o menino... contato este que me permite participar da vida dele e ainda ajudo financeiramente pois sou compadre e padrinho.

 

Gostou? Vote no Conto:

35718 visitas