Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Engravidando a mulher do meu primo | Cornos | Acervo de Contos

Engravidando a mulher do meu primo

Tinha combinando com meu primo que teria uma noite para engravidar a sua esposa. Depois de 7 anos de casados, ele havia descoberto que não podia engravidá-la e como o sonho da vida dela era parir uma criança, a solução por ele encontrada foi confiá-la a mim naquela noite. Eram mais de dez horas naquela noite de inverno e minha vontade de transar era muito grande, mas ela não estava tão afim, então resolvemos tomar um bom vinho para nos aquecer e ajuda-la a vencer a timidez de se entregar a mim. Em pouco tempo o calor do vinho fez efeito e começamos a trocar alguns beijos no seu quarto até que comecei a tentar tirar a roupa dela, mas ela não permitiu ficar completamente pelada, em parte pelo frio intenso, em parte pela vergonha de expor seu corpo pra mim, então teve de ser na base da calça no joelho, calcinha pro lado Após longos minutos de beijos já com as mãos passeando por dentro das calças, eu me baixei e caí de boca naquela buceta que já estava pingando. Suguei aquele liquido de todos os jeito possíveis, sem esquecer de dar bastante atenção ao seu grelinho. Fiquei bastante tempo chupando a buceta, mas o tesão estava impossível de aguentar, então baixei as calças e meti sem dó, meti com força, quis meter para doer, até ao último cm de pau que tinha e meu tesão era tão grande que ao ver que ela queria gemer alto, mas tentava se conter, fui metendo naquela buceta apertada até deixá-la praticamente sem ar, até que ela me agarrou e me deu um beijo longo, estava toda molhada de tesão e gozou, dava vontade de meter e meter mais forte em sua bucetinha era apertada e conforme eu entrava mais fundo nela, ela gemia gostoso demais. Então enrolei minha mão em seu cabelo e dava tapas em sua bunda, puxando ela de encontro a mim, chamei-a de puta, safada dizendo que era deliciosa, uma vadia gostosa que gosta de dar pra outro na cama que dorme com seu corno feliz, e sendo fodida enquanto ouvia essas palavras ela gozou de novo. Nesse momento nos beijamos, intensificamos as caricias e ela falou que estava com a bucetinha ardida mas estava com tanto tesão que daria a noite toda para mim. Ela rebolava gostoso, meu pau estava muito molhado do néctar de sua bucetinha, coloquei de quatro e entrei gostoso nela, foi quando ela mandou eu meter muito, ela falava: - Você me come tão gostoso, vou dar sempre para você quero tua porra, vou fazer meu marido corno quando receber o gozo do meu comedor. Nessa hora, não tive mais como aguentar, aquela bunda linda arrebitada, a bucetinha encharcada e uma voz deliciosa me pedindo porra, enchi aquela buceta, gozei fartamente naquela buceta apertada. Recompomo-nos, e ficamos nas caricias e nos beijando e ela me agradeceu muito por ajudar a realizar o sonho deles. Nos despedimos e eu fui para casa, por volta de meia noite e já em casa meu primo, que estava bebendo com amigos num bar, me mandou Watts perguntando o que havia acontecido na casa deles há pouco. Poupei ele dos detalhes e apenas disse que havia corrido tudo bem. Pediu-me para não deixar que isso jamais atrapalhasse a nossa amizade e eu disse que ele não precisaria se preocupar. Nove meses depois minha filha nasceu e pelo menos uma vez a cada quinze dias levava uma lembrancinha para ela. Quanto a mãe, ainda queria come-la, mas ela não estava mais a minha disposição. Dois anos se passaram até que meu primo me chamou novamente pra engravidar sua esposa, me dando de presente novamente aquela bucetinha rosada para meter. Novamente ela estava comportada, mas não menos sensual e quando fomos para o quarto eu a peguei de jeito ela se viu louca pela fúria que eu a devorava e acabou não segurando os seus gemidos e depois de a dominar ela já estava extasiada antes mesmo de eu a possuir, lambi o seu grelinho e ela gozou alucinadamente depois continuei dando varias socadas naquela xoxota ate ela gozar novamente. Mesmo se mordendo para tentar conter os seus gemidos de prazer é claro que um e outro escapou numa socada mais forte. Com um pouquinho a mais de intimidade, ela gemia alto enquanto eu socava forte o meu cacete na sua xoxota. Fui surpreendido quando ela me agarrou e rolou comigo pela came e subiu em cima de mim me cavalgando como louca, depois se posicionou de quatro para receber o meu cacete na xoxota e segurando na cintura dela eu empurrei tudo ate gozar e continuei socando, socando ate ela gozar também. Antes de sair do quarto dela a espiei deitada de bruços com a sua xoxota escorrendo os restos do nosso prazer e passei o resto da noite excitado pensando naquela cena. Em novembro do ano passado nossa segunda filha nasceu. Ambas são a minha cara, e como eu e meu primo temos o mesmo biótipo, ninguém desconfia de nada. O fato é que saber que aquelas duas crianças são minhas sem poder participar de suas vidas ou me aproximar de sua mãe é bem difícil pra mim, ainda mais sabendo o quanto ela é uma amante fogosa, mais consigo levar minha vida numa boa, vivendo meu dia a dia com muita paciência, sabendo que a qualquer momento, posso ser solicitado de novo a aumentar a nossa família.

 

Gostou? Vote no Conto:

25612 visitas