Acervo de Contos

Escreva o seu conto

Escreva o seu próprio conto erótico e envie para o seu publico alvo.

envie-seu-conto

Assine nosso feeds

e receba os últimos contos eroticos do site

 
Recomende o site

Devassa I | Cornos | Acervo de Contos

Devassa I

Vou nos denominar R (eu com 38) e M (ela 32).



Como na maioria dos casos, eu tenho essa fantasia de ver minha mulher sendo possuída por outro homem ou outros homens desde que nos casamos.



Eu a provoco durante nossas transas, pedindo que me xingue, me humilhe e mais, pedindo que ela descreva o homem ideal para ela na cama.Ela sempre diz que sou eu e que não precisa de mais ninguem e blá blá blá...



Quando peço a descrição do macho, ela já tem o tipo fisico definido: moreno, musculoso, olhar provocante...mas na hora H sempre pula fora.



Para ela, gozar algumas vezes na noite com meu minusculo pênis de 12cm é a glória porém, para mim, seria um delírio vê-la se contorcendo e gemendo diante de um membro muito maior, assisti-la segurando com vibração e fascínio com as duas mãos, lamber devagar, molhar e saborear a vara rígida do macho e depois me chamar para limpá-la com minha boca.



Sempre que fantasiamos, ela sobe nas paredes de tesão; me pede para falar mais e mais em seu ouvido,e eu mergulho de cabeça dizendo a ela para chupar, rebolar e me chamar para assistir de pertinho, sendo chamado de manso, pauzinho de merda e outras coisas.



Quando tudo acaba, não comentamos mais e deixamos no campo da fantasia.



Isso até ontem quando visitamos uma casa de swing



Muito bem, ontem chegamos totalmente inibidos, cheios de receio mas confesso que eu estava excitado com a idéia desde que combinamos a balada.



A casa escolhida é famosa em SP e cheia de gente bonita e descolada o que facilita a ambientação. Somos um casal de boa aparência, eu sou um cara até que muito normal, exceto pelo pintinho, mas minha esposa se destaca pelo corpo bem feito; ela tem medidas bem definidas e um cabelo negro muito bem cuidado. Vestia um jeans justo, bem básico com uma blusinha sexy, meio transparente e decotada. Eu vestia calça de sarja e camiseta polo...preenchíamos os requisitos para não sermos notados na multidão como novatos.



Nos sentamos e pedimos suco para os dois.A Hostess da casa deu as boas vindas a todos e anunciou o primeiro show da noite: um gata fogosa, loiraça e dois negros de físico bem trabalhado.



Eles iniciaram uma dança sensual e cheia de vibração, que aos poucos foi contagiando o público; as mulheres dançavam para os homens nas mesas e alguns amassos eram vistos aqui e ali.O trio por sua vez foi se engajando e quando demos por conta, havia uma pegação bárbara no palco; a loira chupava e se contorcia feito louca...virava de quatro e apertava o membro dos negros com frenesi total...assim foi até que eles explodiram em jorros de esperma por sobre a face dela.



Minha esposa que nunca havia assistido algo semelhante, estava sem palavras e sem folego.



Sugeri então que fôssemos conhecer o restante da casa pois já estava todo mundo a vontade.Foi aí que a noite começou de verdade...



Passamos por um quarto escuro e só ouviamos os gemidos e sussurros de tesão; eu a chamei para entrar e nos sentamos num cantinho para trocarmos uns beijos.Nem bem começamos o pega e um homem sentou-se ao lado dela e ficou observando nosso namoro e se alisando. Como estava muito escuro só percebi o vulto do cara e minha mulher me disse que ele pegou sua mão e pos sobre seu pau...ela sentiu um volume enorme embaixo da calça o que a incomodou.



Eu disse a ela que só fizesse o que tivesse vontade e ela então me disse que preferia olhar nos olhos do escolhido para me cornear; que no escuro~, sem ver o cara ela não ficaria excitada...



Eu entendi e saimos para outra sala, essa maior e iluminada onde havia vários casais esperando para chegar ao canto da sala onde, para meu espanto havia a entrada para um quarto onde ocorria uma orgia sem limites; vários casais totalmente nus se esfregavam e beijavam, as mulheres chupavam e punhetavam os membros, cuspiam neles e se aninhavam, vezes de quatro, vezes por cima.Algumas em DP e tudo mais...



Fiquei tão empolgado com tudo aquilo que por um momento me esqueci da M...me virei e tomei um tranco: M estava beijando sofregamente um rapaz de uns 25 anos muito bem apessoado e, ao mesmo tempo ele apertava suas ancas e a puxava para si...



Sem se dar conta de nada ela se aninhava em seus braços e empinava a bundinha como que faltasse algo e, talvez por essa razão, um outro homem de uns 40 anos veio e a colocou no meio do sanduíche...ela fechou os olhos e senti o prazer em seus movimentos.



Ela me viu e parecia que ia perder o pique quando me aproximei e a beijei dizendo a ela que estava tudo bem, que eu estava com mais tesão que ela...



Os tres foram para um cantinho e sem delongas o mais novo tirou o pau para fora da calça e esfregou no ombro da M.; o mais velho, e menos impulsivo a beijava fazendo assim com que ela não esfriasse. Aos poucos ele foi trazendo a mão dela para seu zíper e deixou, por conta e risco, abrir e olhar para o falo grosso e majestoso do sujeito.



Ao ver aquela ferramenta que dava tres da minha, ela ficou fascinada e abocanhou devagar, deslizando de cima ate' embaixo porém , sem soltar o outro membro.



Eu assistindo aquela cena louca e cheio de tesão, me tocava disfarçadamente até que ela me chama e diz: "vem ver de pertinho vem... quantas vezes vc me pediu isso, agora aproveite..." e me beijou molhado, beijo de lingua cheio de paixão e tesão, com o sabor do outro macho na boca...



Assim foi rolando, eles a despiram e só não fizeram anal por que ela não curte mesmo, ela remexia e gemia feito uma cadela, perdeu totalmente o pudor e dizia me fode ...me fode...

bem devassa mesmo...



O mais novo não aguentou e gozou primeiro; o mais velho segurou bastante e quando já não havia mais como, a virou de frente, mirou em sua boca e me chamou dizendo: vem saborear com ela se quiser...



Eu fiquei encanado prá burro com aquilo, mas ela em pleno extase me chamou e nem pestanejei...dei-lhe um beijo ardente e sorvi junto com ela o sabor do gozo do cara...que delícia...



Em poucos instantes estávamos sozinhos em meio àquele apanhado de gente gemendo e transando...recuperamos o fôlego por uma hora e seguimos para o segundo tempo...mas esse é assunto pra outro dia.

 

Gostou? Vote no Conto:

25544 visitas